História Minha Obsessão - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Michael Jackson
Tags Assassinato, Drama, Michael Jackson, Obsessão, Rei Do Pop, Romance, Transtorno
Exibições 28
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heyyyy amoreeeeeeeees <3
Vale lembrar que para escrever a parte da cerimônia, eu precisei ler e pesquisar o que o padre fala... e tals.
Boa leituraaa :D
Espero que gostem!

Capítulo 23 - Até que a morte nos separe


Já estávamos quase chegando.

  -Michael...

  -Sim?

  -Eu te amo!

  -Eu também te amo Verônica. Muito. –ele sorriu e nos beijamos

  Assim que chegamos a porta da igreja e descemos do carro, todos viraram a cabeça para trás e ficaram nos olhando. Não me incomodei mesmo estando com uma aparência nada saudável pelos espancamentos que sofri, só então percebi que Michael estava com algumas marcas no pescoço porque o bobão do Thales exagerou na hora de imobilizá-lo. Ele percebeu que eu estava olhando.

  -Vamos meu amor, eu não me importo. Vamos entrar juntos! –ele respondeu

Michael decidiu que entraria comigo ao invés de me esperar no altar. Não somos obrigados a seguir padrões também! Passávamos pelo tapete vermelho, recebendo olhares de todos que estavam presentes ali, inclusive da família de Michael, que acho que uma boa parte ainda não havia me conhecido. Estava tudo perfeito nos mais mínimos detalhes, eu sorria para todos, apesar de que eu estava sentindo um frio na barriga, misturado com uma emoção tão grande! Porém eu pude notar o olhar de reprovação do Jermaine. Não fiquei tão surpresa ao ver a expressão dele. Não sei se o que eu já tinha lido sobre os dois é verdade, mas a implicância dele para com o Michael é enorme. Vale lembrar que alguns intrometidos tiravam fotos (da merda da mídia). Assim que chegamos, o padre cochichou para nós.

  -Por que demoraram tanto? –o padre parecia preocupado

  -Queira nos desculpar. Ah, é uma longa e agitada história. –eu respondi

  -Sim. Então, podemos prosseguir com a cerimônia? –Michael perguntou e o padre assentiu

Nós nos viramos de frente um pro outro, e o padre se pronunciou.

  -Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.

  -Amém. –todos responderam em coro

  -Nosso senhor Deus, que já vos consagrou, vai agora dotar-vos e fortalecer-vos com a graça especial de um novo Sacramento para poderdes assumir o dever de mútua e perpétua fidelidade e as demais obrigações do Matrimónio. Diante da Igreja, vou, pois, interrogar-vos sobre as vossas disposições. 

E enquanto o padre falava nós sorríamos como dois adolescentes apaixonados no primeiro encontro.

  -Michael Joseph Jackson e Verônica Müller, viestes aqui para celebrar o vosso matrimônio. É de vossa livre vontade, de todo o coração fazê-lo?

  -Sim. –respondemos

  -Vós que seguistes o caminho do matrimônio, estão decididos a se amarem e se respeitarem ao longo de toda vossa vida?

  -Estamos sim. –respondemos

  -Uma vez que é da vossa vontade e propósito contrair o santo matrimônio, una as mãos direitas e manifestai o vosso consentimento na presença de Deus Pai e toda igreja.

Unimos as nossas mãos e sorrimos um para o outro. Era nossa hora de se pronunciar.

  -Eu, Michael Joseph Jackson, recebo-te como minha esposa. Prometo estar contigo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, respeitando-te, amando-te e sendo a ti fiel em todos os dias da minha vida. Até que a morte nos separe.

Eu me perco no olhar desse homem, meu Deus! Ele estava tão perfeito.

  -Eu, Verônica Müller, recebo-te como meu esposo. Prometo estar contigo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, respeitando-te, amando-te e sendo a ti fiel em todos os dias da minha vida. Até que a morte nos separe.

Era a hora de trocarmos as alianças.

  -Verônica Müller, receba essa aliança como prova do meu amor e fidelidade. –ele disse colocando a aliança em meu dedo

  -Michael Joseph Jackson –oh nome lindo –Receba essa aliança como prova do meu amor e fidelidade. –repeti o mesmo gesto, colocando a aliança em seu dedo.

  -Eu vos declaro, marido e mulher. Pode beijar a noiva.

E então, Michael segurou minha cintura, eu apoiei minhas mãos sobre sua nuca e nós nos beijamos. Era um beijo apaixonado, cheio de desejo. Não nos importávamos se haviam crianças ali ou não, estávamos entregues a aquele momento.  Ouvi todos ali batendo palmas, e quando interrompemos o beijo, foi por falta de ar. Mas foi apenas para selar o momento, porque mais tarde darei mais que um beijo... Tudo bem eu já parei de safadeza.

(...)

Assim que saímos da igreja fomos recebidos por uma chuva de arroz, e aproveitamos para tirarmos foto com a família de Michael. Suas irmãs se dirigiram a mim e me trataram super bem, inclusive a Janet. A Kate foi super doce, mas o pai dele... Bom, o pai dele não sorria em hora alguma. Depois das fotos, resolvi jogar o buquê. Eu sempre quis fazer isso! Assim que joguei, olhei para trás e qual havia pegado era uma outra amiga da família. Não sei o nome dela, mas todos a chamavam por “Isah”. Eu achei engraçada a reação dela, mas gostei.

Nós nos despedimos de todos, entramos no ex-carro de Diana (amo falar isso!) e já estávamos voltando para a casa, finalmente. Pelo menos creio que agora as coisas serão melhores sem a Diana, porque pelo menos aquele maldito telefone irá parar de tocar! 

Verônica off

 

Narradora on

Assim que chegaram a casa, Michael fez questão de carregar Verônica no colo, como naqueles filmes em que recém-casados entram na casa ou qualquer outro lugar assim. Eles já estavam loucos de desejo, pois tiveram que se segurar na igreja para não tornar o beijo uma entrada para o sexo. Ter que se controlar para eles era um castigo.

  -Eu já estou ficando louco com isso! –ele disse enquanto beijava o pescoço dela

  -Você não é o único. Sério, esse seu terno está te deixando ainda mais excitante, mas eu prefiro você sem ele!

Assim que ela terminou de dizer isso, mordeu o lóbulo da orelha de Michael, fazendo com que o mesmo soltasse um gemido. Eles queriam mais e mais, e enquanto se despiam, a urgência era tanta que eles chegavam a soltar gemidos. Já totalmente desnudos, Michael a carregou novamente. Eles queriam experimentar locais diferentes para tal ato, decidiram que pela primeira vez fariam tudo na escada. Verônica então ficou de quatro para ele.

  -Você quer isso mesmo? –ele perguntou

  -É, eu acho que aqui pode ser...

  -Gostoso? –ele perguntou a interrompendo

  -Mas é! –ela afirmou

Ele riu e começou com oral, com muita vontade. Verônica gemia de prazer, e quando ele finalmente começou a penetrá-la, os dois soltaram um gemido alto. E enquanto ele a penetrava por trás, ela ainda se tocava. Michael estava adorando aquela visão, aquilo tudo lhe parecia excitante. Ele aumentou o ritmo e a segurando pela cintura para penetrá-la fortemente e ela revirava os olhos de prazer, não demorou muito para que Verônica tivesse um orgasmo, levando Michael logo depois. Mas mesmo assim eles não pararam. Queriam ainda mais! Michael começou a sugar o seio esquerdo de Verônica enquanto massageava o direito, logo depois foi descendo uma trilha de beijos e mordidas leves até chegar na intimidade da mesma. E chegando lá, começou a passar a língua por toda extensão, fazendo Verônica gemer cada vez mais alto, sugando cada vez mais intensamente. E assim que ela gozou, ele fez questão de não deixar escapar uma gota, saboreando-a.

  -Como você é deliciosa, Verônica!

  -Posso ser, mas agora é a minha vez!

Assim que ela disse isso, inverteram-se as posições. Ela então pegou o membro de Michael e começou a lamber sua glande e depois descendo na base do mesmo até chegar em suas “irmãzinhas”, aonde começou a dar chupadas com vontade, arrancando gemidos do mesmo.

  -Oh... Verônica... Isso! –ele disse em meio aos gemidos

Ela voltou para o pênis, e enquanto o chupava, usava as mãos para masturba-lo. Tentou ir ainda mais fundo, queria tê-lo inteiro na boca, mas como era muito grande ela não conseguiu. Então ele a penetrou, mas começou a fazer movimentos lentos, torturando-a. Ela arranhou suas costas com força sem se preocupar, apenas queria que ele acelerasse, ela sentiu que ele adorou a atitude. Então ele começou a ir ainda mais rápido. Forte, cada vez mais rápido e fundo, ela deu um grito alto jogando sua cabeça para trás e ele riu rouco. Seu corpo pulava pela intensidade, pois o ritmo dos dois era violento. A escada fazia barulhos, rangidos. Os gemidos já saíam altos e sem censura nenhuma, até que eles gozaram juntos. Verônica enterrou seu rosto no pescoço de Michael e eles ficaram ali ainda, esperando ambos os corpos se tranquilizarem.


Notas Finais


Continua...
Até o próximo! <3
Beijokas ;D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...