História Minha Pequena - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~NajaQueenBaby

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Amizade, Comedia, Musica, Oldmagcon, Romance, Sexo, Shawnmendes, Violencia
Visualizações 13
Palavras 583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi babys, mais um capítulo, PESADÍSSIMO. Essa fase Miguel e Gabriela já está acabando e logo logo as portas se abrirão a Shawn Mendes! Digam as suas teorias, eles vão ficar amigos ou os inimigos mais inimagináveis da história?

Até as notas finais!

Capítulo 5 - "As lágrimas grossas começam a rolar pelo meu rosto..."


Fanfic / Fanfiction Minha Pequena - Capítulo 5 - "As lágrimas grossas começam a rolar pelo meu rosto..."

[...]

Eu não sabia se houvera passado míseros segundos, minutos ou até mesmo horas desde que acordei.

A única coisa que podia ouvir era um cachoeira ao longe, estávamos aos arredores da cidade.

Meus olhos já se acostumaram com a escuridão que permanecia no quarto.

Lá havia uma cama... Apenas isso!

Recusei-me a deitar sobre a mesma, neste momento estava sentada no chão frio, abraçada as minhas pernas que eram as únicas coisas que me mantinham quente.

A fome estava tomando conta de mim...

Mas eu estava pouco me fudendo para isso!

Me levanto do chão e começo a esmurrar a porta que Miguel sairá tempos atrás.

— ALGUÉM ME AJUDA! — Eu repeti essa frase por muito tempo, até ouvir Miguel me responder.

— Já levo algo para comer, agora, cala a porra da boca, Gabriela! — Continuo a esmurrar a porta até meu corpo escorar pela mesma e me sentar novamente no chão.

[...]

Novamente eu não sabia quanto tempo passou até a porta se abrir e ele me olhar. Eu estava deitada no chão próxima a cama, eu olhava pra ele com o maior desgosto que poderia existir dentro de mim.

— Oi, princesa. Por que não se deita na cama que deixei pra você? Quero você bem disposta!

— O que você vai fazer?

— Nada que você não vá gostar... Você foi uma garota muito má, não é?

— Não coloque as mãos em mim!

— Tarde demais. — Ele me puxa para cima e me joga contra a parede. Ele beija o meu pescoço e rasga a minha camiseta

Logo sinto seus lábios em contato com a pele do meu pescoço. Tento de todas as formas possíveis, afasta-lo de mim. Mas não obtenho sucesso na minha tentativa. Querendo ou não, ele é bem mais forte do que eu. Isso é oque me deixa mais aflita.

Como muita brutalidade ele me joga em cima da cama, e começa a retirar os restos da minha roupa. Logo estou apenas com minhas peças íntimas.

— Por favor, não faça nada comigo. Eu te imploro!

— Não há nada que me faça querer parar agora. Você só precisa ficar quietinha.

— Não por favor!

Ele me vira de costas e prende as minhas mãos com uma corda, me deixando sem jeito para me mexer. Sinto ele se levantar da cama e logo voltar. Ele começa a beijar minhas costas, e eu aperto os olhos sentindo o nojo tomar conta de mim.

— Você precisa relaxar. Acredito que irá gostar do que eu farei com você.

Dito isso, ele me dá um tapa forte na minha coxa. Minha vontade de chorar é enorme, porém, preciso ser forte.

De repente começo a receber chicotadas com algo fino e extremamente doloroso. Não consigo mais segurar os meus gritos, e lágrimas grossas começam a rolar pelo meu rosto.

Uma, duas, várias vezes recebo chicotadas fortes. Até que ele para e sinto a ardência naquela região. Arde, e com certeza deve estar completamente machucado. Ele desamarra minhas mãos e beija as minhas costas, quanto mais ele me tocava mais ardia!

— Você é mais bonita assim... — Não consigo o responder, eu soluçava e implorava para que isso fosse um pesadelo de merda. — A próxima vez que fazer aquilo que fez na porta eu vou bater mais forte ainda... Entendido? — Não o respondo e ele bate na minha bunda com força.

— Sim, Miguel! - Novamente ele bate em minha bunda, dessa vez com mais força.

— Para você é senhor.

— Sim, senhor. — Ele sai do quarto e me deixa sozinha com os meus machucados!


Notas Finais


Vocês querem saber algo sobre mim? Podem perguntar qualquer coisa, menos a minha idade, rs!

Obrigada por ler! 💜 😘

Gabi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...