História Minha Pequena Garota - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Alfred Pennyworth, Barbara Gordon, Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Dr. Jonathan Crane (Espantalho), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Jason Todd, Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Pamela Lillian Isley, Personagens Originais, Selina Kyle (Mulher-Gato)
Exibições 348
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem.

Capítulo 18 - Hipnotizado.


"As vezes é preciso chorar, para poder sorrir".

O dia amanheceu escuro como se ainda fosse noite.As nuvens cinzentas, carregadas de chuva, a névoa cobrindo a floresta fria, e a grama alta indicando a falta de corte.

Todos os fatores de um dia comum em Gotham.

Mas algo atrapalhava as batidas freneticas do coração do palhaço.

Algo ruim se sobressaía entre todas as merdas de sua alma cruel.

Um estranho pressentimento...                                

                   ~∆~

Se levantando da cama, onde outra pessoa também descansava depois de horas de "atividade", o palhaço foi até o banheiro se pondo dentro do box e ligando o chuveiro para que pudesse retirar toda a sujeira de sua pele pálida.

"Não que adianta-se algo...ja que sua alma era toda suja e machucada"

 E enquanto a água varria pelo ralo todas as impurezas superficiais de sua pele, a garota na cama despertava com os primeiros sussurros das vozes em sua mente perturbada.

Os lençóis de seda que moldavam a cama de casal, agora serviam para cobrir o corpo nu e esbelto daquela que era propriedade do rei. 

Já totalmente consciente e desperta, Harley Quinn se levanta da cama ainda acabada devido a noite de entrega que te.ve com o palhaço. 

Ela se espreguiçava enquanto andava até o banheiro. Batendo duas vezes na porta do espaço no qual era ocupado por Coringa ela entra e vai até o espelho lavando seu rosto e escovando os dentes enquanto o palhaço tomava seu banho observando a beleza mortal de sua parceira.

Já mais limpa, a mulher encara o assassino nu dentro do box de vidro.


-Não vai sair daí nunca?


Pediu ela, docemente porém debochada, deixando clara a sua falsa empolgação de ficar esperando. 

-E você? Não vai sair daí nunca?!

Pediu baixo. A garota sorriu em resposta enquanto vagarosamente abria o box e sentia a água quente molhar todo o seu corpo, que ainda quente conseguia gelar por inteiro na presença dele ...Enquanto passava a mão pelo corpo para ajudar a passagem da água pelo mesmo, um arrepio latejante passou de sua coluna até a raiz de seus cabelos quando a presença masculina e grande a agarrava por trás.

-Como ainda consegue se surpreender comigo por perto? Está com medo? 


O palhaço perguntou enquanto girava o corpo dela como em um passo de dança.


-Só acho que ter o assassino mais temido de Gotham sem nenhuma roupa na minha frente é meio...perturbador


.Quinn respondeu dando um riso envergonhado para o palhaço.


 -Aah...minha garota pervertida


Rugiu ele enquanto lambia sua bochecha como um cão de raça procurando sua ração depois de um dia cheio de atividades.

-Não fale como se não fosse tão pervertido quanto eu.

Ela Ronronou em seu ouvido enquanto o mordia.

-Meu anjinho puro... ah minha menina...veio neste mundo para me hipnotizar não é?Como uma sereia!.


Ele sussurrava em seu ouvido claramente desligado de seu orgulho e     luxúria...bem como disse: Hipnotizado por uma sereia.

-Tão linda...tão linda! minha...minha...minha... só minha! Toda feita pra mim! Seu corpo...sua alma, sua voz, seu cheiro... tudo! TUDO SÓ MEU! 


Bateu forte com uma das mãos contra o concreto espelhado da parede a centímetros do rosto de Quinn, que  mantinha os olhos fechados e o corpo parado por de baixo do corpo do palhaço que agora a prensava na parede.

-Eu te odeio tanto...tanto, que acho que te amo. Mas a questão é que você é como minha principal droga. Essa merda de amor que tem a me oferecer ssó vai me machucar...isso dói Harleen... mas eu sou um otáro pela dor.

Ele falava, ou melhor...desabafava tudo o que sentia rente ao ouvido da mulher.

-Harley Quinn! Minha Harley Quinn, não ouse me  deixar, nunca...

Ele riu... derrotado.

-Eu juro por todas as merdas que já fiz que se ousar me deixar eu te acho, eu irei te caçar como uma presa... e corra, corra pra que eu nunca mais consiga te pegar novamente...porque se eu pegar...oh minha querida! Vai preferir ter morrido do que ter me deixado pra trás. 

Ele disse com uma mudança de humor  rápida de mais para acompanhar... foi de libertação e alívio para raiva e dor.

-Como poderia deixar você para trás?  

Ela respondeu, tomando os lábios rubros para si.  

Chupando, lambendo, girando...

-A cada beijo seu, é como se meu corpo não tivesse equilíbrio...

Murmurou Quinn.

-Harley!  

Ele Sussurrou entre os lábios carnudos e úmidos da garota.

-Eu sou um assassino, um filho da puta assassino que ama, ama com todas as forças matar. E eu sei o quanto é ruim. Eu sei de todas as merdas que eu fiz e faço... mas saiba meu docinho, que ninguém neste mundo corrupto de merda vai... vai...

Ele tremeu na última frase procurando uma medição para suas palavras, porém desistindo de tudo...ele precisava falar aquilo.

-Ninguém...vai amar você tanto quanto eu amo. Não de uma forma doce, nem carinhosa. Mas com poder, com furia, com raiva, com dor... eu não peço desculpas, eu não sinto uma mísera gota de arrependimento na minha alma. Eu quis matar você, eu ia acabar com você da pior forma possível... mas esses seus olhos, essa sua boca...essa sua pele macia escondida por trás daquele jaleco...ah Harleen você não sabe o quanto eu te odiava, mas quando chegou o tão esperado dia, no qual eu mataria você...eu percebi que estavamos conectados, minha alma suja que sempre acreditei pertencer ao inferno estava confortável com você... 

Ele falava enquanto segurava ombros dela em um sinal de aviso.

-Harleen Francês Quinzel... meus demônios, minhas vozes, minha alma, meu lado ruim... todos eles conseguiram se apaixonar por cada parte de você.  Do mesmo jeito que Jack era... do mesmo jeito que eu sou.

-Ele disse agora encarando os olhos azuis e assustados da garota.

-Agora...eu estou com medo.

Quinn disse.

-Eu nunca fiz isso, e nunca farei novamente...mas neste momento, antes que eu me arrependa eu te digo meu podre...

-Eu me liberto pra você, eu sou seu. 

Ele disse ferido, como se uma estaca perfura-se seu corpo, ele se sentia vulnerável, machucado, pela primeira vez... 

"Sempre um maluco otário pela dor."

-Senhor Coringa...

Harley chamou enquanto se aproximava mais do homem e colava seu corpo no dele por baixo da água do chuveiro..

-Eu já me libertei pra você, e me libertarei o quanto for necessário, porque eu nunca neguei meu amor ppr você, e eu sei o quanto é difícil falar isso. Mas eu não quero ferir você, eu te amo... Então pare de falar o quão ruim você é. 

-Você me faz me sentir linda...sexy, poderosa... como uma deusa...

-Então meu "Rei" me deixe te fazer se sentir amado. Porque você é tudo que eu tenho....



Continua....




Notas Finais


Esse capitulo é em homenagem a Julia, autora da fic "The Heir of the Crime" please...favoritem lá tb. Bjuss♥ all the life.

https://spiritfanfics.com/historia/the-heir-of-the-crime-6156046


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...