História Minha Pequena irmãzinha - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Seungri, T.O.P
Tags Drama, Imagine, Incesto, Romance, Vingança
Exibições 194
Palavras 3.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nota básica: Sun-Hee ao lado de G na capa.
Oláááá tô de volta!! eu não vou mais viajar, então trouxe este capitulo para vocês, mas o próximo vai demorar um pouquinho, Ok? ATENÇÃO leiam esse capitulo com atenção porque eu alternei entre dois tempos (porque foi preciso) para não ficar confuso para vocês ok? Era só isso! Boa Leitura!

Capítulo 11 - Obsessão


Fanfic / Fanfiction Minha Pequena irmãzinha - Capítulo 11 - Obsessão

 

P.O.V

 

G-Dragon

 

Eu sabia que a família Choi não esperaria por mais tempo, finalmente, eles vieram atrás de mim. S/N estava comigo na sala quando os desgraçados atiraram na vidraça por isso matarei todos por colocarem a minha boneca em perigo.

 

S/N perguntou a mim o que estava ocorrendo, mas as coisas estavam muito agitadas para respondê-la, então eu a levei para um esconderijo em baixo das escadas, no qual ela não conhece. Ao colocá-la no mesmo percebe-se que a boneca estava muito assustada naquela circunstância tentei confortá-la:

 

– Não saía daqui, Ok? Eu voltarei para lhe buscar. –

 

– E-estou com medo…maninho. – Dizia ela tristemente; encolhida no canto da parede.

 

Apenas ela, somente ela poderia fazer meu coração amolecer naquela situação.

 

– Não tenha…não deixarei ninguém machucá-la. – Disse a ela, logo sofrendo muito tive que trancá-la naquele lugar pequeno.

 

Com a arma nas mãos; seguia apontado-a por todos os lugares da mansão ao chegar na cozinha encontrei um dos homens de Choi, então me esgueirei na parede; trocando tiros com ele.

 

– Senhor..senhor.. – Chamou-me alguém; no ponto eletrônico.

 

– Diga. – Fui breve, acertando o homem que escondia-se atrás do balcão da cozinha.

 

– Senhor… a área norte está limpa ainda faltam as outras. – Respondeu o segurança.

 

– Vamos nos dividir, irei para área sul da mansão… – Ordenei seguindo para piscina.

 

Ao mover-se para a cobertura avistei um homem alto de terno branco ao lado da piscina; ele tinha o dobro do meu tamanho. Ao tentar carregar a arma não tinha mais balas, nisto a joguei no chão optando pela força bruta.

 

– Você só pode estar brincando… – Zombou ele com uma risada prolongada.

Eu dobrei as mangas do paletó com pequenos passos em direção a ele perguntando:

 

– Já ouviu falar no nome G-Dragon? –

 

– Claro! Ele era um dos chefes mafiosos na adolescência.. – Respondeu o homem.

 

– Então, Choi mandou você sem dizê-lo que me enfrentaria? Completo suicídio. – Murmurei.

 

– Como é?!! – Disse o homem afastando-se cada vez que chegava mais perto dele.

 

– Depois de invadir a propriedade da minha família…não tem mais volta. – Disse encarando friamente o desgraçado a minha frente.

 

– Senhor!! – Gritou ele em completo desespero.

 

Chutei seu abdômen que como reação caiu no chão delirando de dor.

 

– Por favor!!Por favor!! Senhor! – Clamou ele repetidamente ao batê-lo com força.

 

Meu rosto mesclava raiva, sentia vontade de matar aquele desgraçado.

 

– Não vai me bater?! Fez eu dobrar as mangas atoa? – Disse observando-o jogado no piso.

 

– Eu não tenho ordens de machucar o G-Dragon! Mas sim sua irmã!– Respondeu ele protegendo o rosto com as mãos.

 

O que está havendo? Seung nunca mandaria alguém machucar a S/N.

 

– Quem o mandou?! – Gritei chutando o homem, logo o peguei pelo colarinho da camisa colocando o homem na borda da piscina.

 

– Eu não posso falar!! Irão me matar!! – Berrou ele fitando a profundidade da piscina.

 

– Você sabe nadar? Porque vai precisar… – Coloquei-o mais perto da borda. –

 

– Essa piscina foi feita para profissionais…-- Murmurei. Em desespero ele concordou em falar:

 

– Ok! Ok! Foi a senhorita Sun-Hee ela me pediu para pegar a garota. –

 

Fiquei muito perplexo e acabei jogando-o na piscina caminhando para fora daquela área. Ele pedia socorro, mas não tenho pena de quem tentar machucar a minha boneca.

 

Está explicado o fato de mandarem poucos homens, mas como Sun-Hee conseguiu este tipo de poder? Não foi com a ajuda de Choi.. ela está usando os seguranças de Yang? Não, não… eles nunca fariam mal a S/N. Ela deve ter os contratado, agora, o que deve ter ocorrido com Seungri e Daesung após deixá-los? Sun-Hee armou para eles.

 

P.O.V

 

Sete anos atrás.

 

Sun-Hee.

 

Nesta noite fria, estava ansiosa pela chegada do G-Dragon, pois, ele chegaria as oito horas. Estava na sala quando observei a maçaneta da porta girar, sim, era ele só podia ser ele abrindo a porta. Meu coração estava acelerado e a respiração ofegante porque hoje será o dia em que ele me mostrará para sua família como sua namorada depois de tanto tempo esse dia finalmente chegou!

 

– Oi, Sun-Hee. – Disse ele abrindo a porta.

 

Ele estava pálido e mesclava preocupação em seu rosto.

 

– Houve algum problema? – Perguntei um pouco nervosa.

 

Ele sentou-se ao meu lado remexendo as madeixas escuras sem parar, certamente, alguma coisa ocorreu.

 

– Não podemos ficar juntos… – Murmurou ele.

 

– Por que?? O que eu fiz??– Perguntei espantada.

 

– Nada.. Sou eu… estou me sentindo estranho ultimamente. – Respondeu G-Dragon com a mão escorando seu rosto; no apoiador do sofá.

 

Não acredito que ele estava usando essa desculpa apenas para não contar sobre nós! Entendo que ele passar por muitos problemas, mas fazer isso comigo?

 

– Não acredito que está fazendo isso! Se não quer contar sobre nós por ser uma garota classe media diga logo! Não me faça de burra!! – Gritei, levantando-se e fitando o mesmo no sofá.

 

– Eu nunca faria isso com você! A questão não é essa! – Gritou G-Dragon; jogando a almofada no chão.

 

– O que é?!! Diga!! – Não aguentava mais segurar; as lágrimas escorriam em meu rosto.

 

– Eu não a amo! --- Gritou ele. – Por que sua opinião mudou tão drasticamente? Você dizia que me amava! – Respondi, logo ele disse:

 

– Isso não é amor…Sun-Hee. – Ele suspirou. – Era apenas desejo que sentimos um pelo outro. – Dizia G-Dragon colocando as mãos em meus ombros.

 

– O que você sabe sobre os meus sentimentos?! O que sabe sobre o amor?! – Disse tirando as mãos dele.

 

– Isto não é amor! Estou sentindo o que é agora! – Gritou ele frustrado.

 

O que ele queria dizer com aquilo? Estava amando outra pessoa em vez de mim?

 

– Com quem você está me traindo? – Perguntei, pois, essa era única coisa que pensava no momento.

 

– Não estou… mas é o que sinto por outra pessoa..se descobrisse me odiaria. – Ele dirigiu-se para porta, mas eu o abracei por trás dizendo:

 

– Não faça isso… eu te amo. –

 

– Sinto muito, Sun-Hee… prefiro fazê-la me odiar do que mantê-la ao meu lado apenas para ser meu porto seguro contra ela. – Foram suas últimas palavras, ele saiu pela porta sem olhar para trás.

 

P.O.V

 

S/N.

 

Eu estava encolhida na parede naquele lugar escuro e apertado me assustava com os barulhos de tiros que vinham do lado de fora. Eu tentava negar, mas os pensamentos diziam a mim que tudo era culpa minha, sim, é verdade tudo que estava acontecendo era minha culpa se eu não tivesse feito aquela cena na frente de todos na festa, talvez isto não aconteceria.

 

Meu coração chegou a pular para fora quando observei a porta sendo aberta, mas ao ver aquele sorriso todas as sensações ruins foram embora eu me sentia protegida com ele ao meu lado foi diante dessa sensação de horror que soube o que era está apaixonada.

 

Ji-Yong pegou na minha mão caminhando rapidamente para fora da mansão perguntei a ele o que estava acontecendo ele disse que conversaríamos mais tarde, realmente, não quero acreditar que foi o Tio Choi que fez isso tudo.

 

Quando passávamos pelo jardim avistei homens-mortos no gramado sentia-me enjoada vendo o sangue jorrado no chão. Ji-Yong tentava me acalmar enquanto colocava-me no carro, mas pude ver seu rosto machucado pelo retrovisor do carro aquilo me deixou acabada como eu deixei duas pessoas que eram amigos terminarem assim?

 

– Para aonde estamos indo? – Perguntei no banco de trás do carro.

 

– Para o meu apartamento, fique calma ninguém conhece o lugar. – Responde Ji-Yong mesclando nervosismo.

 

Eu perguntei sobre os seguranças, mas ele estava tão nervoso que não me respondeu, dirigia o carro em alta velocidade.

 

P.O.V

 

Daesung.

 

Eu sentia meus pés descalços molhados por aquele chão sujo foram as primeiras coisas que vi ao abrir os olhos, logo ao lado da cadeira em que estava amarrado avistei o Seungri seu estado era um pouco pior que o meu, pois, ele não conseguia segurar sua língua e acabou sendo espancado.

 

Tudo aconteceu quando tentamos fazê-la contar a verdade e durante o processo os seguranças dela chegaram e pronto! Estamos neste lugar que não faço a mínima ideia de onde seja.

 

Ouço o ranger do portão ser aberto; Sun-Hee entrava ao lado de seus homens.

 

– Como estão suas merdas?!! – Dizia ela ao se aproxima-se de nós.

 

– Estaríamos melhor se você não estivesse aqui… – Seungri sorria com a boca escorrendo sangue.

Ela segurou nos cabelos de Seungri; puxando-os para trás dizendo:

 

– Não se cansa de apanhar, não é? –

 

Assisti-la torturando o senhor Seungri era deplorável mesmo passando por tudo isso ele mantinha um sorriso no rosto. Eu não tenho nada a ver com essa situação, mas não posso deixar essa mulher acabar com a vida de pessoas que me trataram como um familiar.

 

– P-por que está fazendo isso? Sun-Hee. – Minha voz saiu um pouco falhada, as dores causadas pelos socos em meu rosto estavam insuportáveis.

 

– Porque o G-Dragon acabou com a minha vida!! Me usou para suprimir a obsessão que tinha pela própria irmã!! – Gritava ela a poucos centímetros de distância de mim.

 

– Vingança não vai resolver as coisas… Sun-Hee. – Disse observando o desespero de Sun-Hee.

 

– Não irá?! Eu planejei isso por sete anos!! Sete anos!! – Dizia ela jogando sacolas de comidas no chão. – Isso é para vocês não morrerem de fome… não tenho nada contra vocês, então os soltarei quando isso acabar. – Terminou ela seguindo para fora do local.

 

P.O.V

 

S/N.

 

Na recepção, Ji-Yong pegou as chaves do apartamento que deixou com a recepcionista, após pegarmos o elevador ele me levou para o último andar do prédio onde ficava a suíte. Era uma suíte bem decorada com cortinas de seda impregnadas na parede; uma pequena sala de estar e mais a frente um quarto com uma cama dossel e ao lado um banheiro simples. Durante o tempo que fiquei observando a mesma na sala percebe-se que havia apenas um quarto, então isso significa que dormirei na mesma cama com o Ji-Yong? Meu deus…

 

– Pode ir tomar seu banho agora. – Dizia ele caminhando para sala com uma toalha na cintura e a outra secando os cabelos

 

Neste instante virei meu rosto para o lado e o respondi:

 

– C-certo! –

 

– Então, Por que não levanta para ir ao banheiro? – Perguntou Ji-Yong na minha frente.

 

Toda vez quando tentava virar para frente me deparava com a toalha em sua cintura, então virava o rosto novamente. A risada de Ji-Yong espalhou-se pela sala; ele pôs as mãos nos joelhos enquanto me encarava com um sorriso.

 

– Apenas você me faz rir em um momento como este… – Ji-Yong pegou meu rosto virando de encontro ao seu; ele me observou por uns instantes.

 

– Tente olhar para cima, sua pervertida… – Murmurou Ji-Yong caminhando para o quarto.

 

Após o banho, tive a iniciativa de pegar algumas cobertas que haviam no armário para levá-los ao lugar que dormiria assim que cheguei na sala observei Ji-Yong sentado no sofá de pernas cruzadas; lendo um livro.

 

– O que está fazendo? – Perguntou ele ao ver as cobertas em meus braços.

 

– Estou me preparando para dormir. – Disse. – Eu dormirei na sala. – Foi breve, Ji-Yong; folhando páginas do livro.

 

– Você está cansado, deixe que eu durma na sala. – Coloquei os lençóis ao lado de Ji-Yong.

 

Ji-Yong franziu o cenho, suspirou e disse:

 

– Por que tanta teimosia boneca? – Sabia muito bem que se pedisse carinhosamente ele concordaria, então eu sentei sobre o sofá e agarrei um de seus braços dizendo:

 

– Eu quero dormir aqui hoje, vai passar um filme bom na madrugada…maninho. –

 

Felizmente ele concordou, porém, perguntou qual era o nome do filme eu disse para Ji-Yong e como resposta tive um: “verei este filme com você.” Pronto, estou ferrada! Eu havia mentido sobre o filme era apenas para ele concordar comigo.

 

Era de madrugada, Ji-Yong começou a reclamar sobre a demora do filme, então eu havia decido perguntá-lo sobre o acontecimento de hoje.

 

– Por que não aproveita e me conta sobre aquilo que aconteceu em casa? –

 

Ele hesitou, franziu o cenho, mordeu os lábios e proferiu:

 

– Choi…ele está…-- Ele suspirou. – está atrás de você. –

 

Não entendo o que Ji-Yong está querendo dizer com isso, Por qual motivo ele faria isso? Ficamos em silêncio por um bom tempo, mas quando estava quase dormindo nos ombros de Ji-Yong pude ouvir bem de longe ele dizer:

 

– Desculpe…--

 

P.O.V

 

G-Dragon.

 

Sim, o que fiz agora é errado, omitir a verdade apenas por ciúme apenas para manter ela longe de Seung quero fazê-la odiá-lo também não posso dizer que tive um caso com Sun-Hee quando ela era mais nova e pior que foi para suprimir meus desejos insanos que tinha por ela naquela época. O que fazer em uma situação dessa? Mantê-la ou perdê-la para aquele desgraçado?

 

Contar que Sun-Hee está tentando matá-la por causa do passado? Sun-Hee estava certa ao dizer que sou egoísta, de fato, meu desejo é puro egoismo da minha parte.

 

Peguei-a no colo levando para cama, de repente, na cabeceira o celular tocou assim que a coloquei sobre a cama atendi o mesmo era um dos seguranças de Seungri.

 

– Senhor G-Dragon, O chefe foi sequestrado! – Disse o homem na chamada.

 

– Eu sei, junte todos os homens. – Disse observando S/N remexendo-se na cama. – Amanhã encontraremos ele e Daesung. – Terminei desligando o celular.

 

P.O.V

 

S/N

 

A claridade que vinha da janela me fizeram acordar assim que me sentei na beirada da cama pude observar Ji-Yong dormindo em uma poltrona ao meu lado e pior havia um revólver em sua mão. Peguei o relógio que havia sobre a cabeceira; marcavam exatos seis e trinta.

 

Eu aproveitaria a oportunidade para ir conversar com o Choi em seu apartamento, então me arrumei ligeiramente para não acordá-lo quando estava abrindo a porta Ji-Yong disse:

 

– Aonde vai uma hora dessas? – Ele estava escorado na porta do quarto; seus cabelos levemente bagunçados.

 

– Escola. – Foi a única coisa que me veio em mente.

 

– Sábado?? Escola?? – Respondeu Ji-Yong; cruzando os braços.

 

– Eu vou encontrar minhas amigas na frente da escola. – Disse.

 

– Você está mentindo, estava pensando em ir conversar com Seung? – Ele franziu o cenho e mordia os lábios mesclando raiva.

 

Eu sabia que ele não deixaria se pedisse, então fiquei escorada na porta de costas e sem que ele percebesse coloquei uma das minhas mãos na maçaneta esperando ele se distrair para poder sair.

 

– Pensei em conversa com ele sobre o assunto. – Disse, logo a raiva de Ji-Yong ficou aparente; ele saiu de sua posição apontou para o quarto dizendo:

 

– Volte para o quarto! – Sua voz saiu grave.

 

Comecei destrancar a porta girando a maçaneta, nisto Ji-Yong alertou:

 

– Nem pense em fazer isso. –

 

Ao abrir a porta, Ji-Yong segurou no meu braço com força levando-me para quarto dizendo:

 

– Você não sairá daqui hoje! – Por que eu tenho que ficar? – Disse, agora, sentada na cama.

 

Ji-Yong caminhava para um lado e para outro no quarto; remexia os cabelos a todo instante.

 

– Já não disse? Choi está atrás de você. – Disse Ji-Yong; fitando-me com as mãos na cintura.

 

– Ele não tem motivos para isso, tenho que conversa com ele. – Respondi.

 

Ji-Yong parou na minha frente com os braços na cintura, fitava-me mordendo os lábios.

 

– Não acredita em mim, não é? – Novamente ele caminhava para os dois lados remexendo os cabelos, de repente, ele se ajoelhou na minha frente e a centímetros de distância dizia:

 

– Estou fazendo isso para o seu bem, boneca. – Ele suspirou. – Não sairá daqui hoje, Ok? – Ji-Yong levantou-se saindo do quarto e fechou a porta.

 

Caminhei até a porta, mas quando tentei abri-la percebe-se que Ji-Yong havia trancado.

 

– Não acredito que está fazendo isso!! --- Gritei batendo na porta enquanto tentava abri-la.

 

– Isso é para o seu bem. – Respondeu Ji-Yong.

 

Após minutos, ele foi até a porta, jogou a chave por debaixo e disse:

 

– Resolverei algumas coisas, você ficará em casa trancada. –

 

Ao sair do quarto percebe-se que ele realmente havia trancado a porta da saída.

 

P.O.V

 

Horas depois.

 

G-Dragon.

 

Não havia planejado isso, mas não posso deixá-la se encontrar com aquele desgraçado antes de verificar se ele está ao lado de Sun-Hee por mim espero que esteja, porque somente assim ele sairá da minha relação com a boneca.

 

– Senhor, eles já chegaram. – Disse o secretário atrás da porta.

 

– Mande-os entrar. – Ordenei.

 

Eram alguns dos representantes de Seungri que vieram para a reunião, o vice-líder da gangue; Márlon. Disse que disponibilizaria todos os homens de Seungri para procurá-lo.

 

– Vamos procurar nos antigos depósitos da senhora Yang, Sun-Hee tomou posse dos bens dela, talvez, esteja usando um deles. – Disse a Márlon.

 

– Certo, Choi Seung-hyun está trabalhando com ela? – Perguntou Márlon; sentado na poltrona.

 

– Descobriremos sobre isso. – Disse, logo alguém entrou na porta fechando a mesma com força, era Choi.

 

– Como teve coragem de mandar homens para minha casa?!! É assim que você resolve as coisas?! – Gritou Seung.

 

– Não fui eu, mas sim…Sun-Hee. – Disse encarando friamente Seung.

 

– Como é?!! – Gritou ele, logo Márlon levantou-se dizendo:

 

– Temos a resposta, começaremos agora. – Ele saiu do escritório.

 

Sua presença é insuportável, mas o que posso fazer? Era o único jeito.

 

– Sente-se, explicarei o que está havendo. – Disse a Seung.

Assim que Seung sentou-se na poltrona contei tudo sobre a minha estória com Sun-Hee no começo o mesmo não acreditou, mas após eu contar sobre a tentativa de assassinato de Sun-Hee sua opinião mudou e antes de ir embora o perguntei se ajudaria a pegá-la, mas ele disse:

 

– Esta briga não é minha, se S/N está passando por tudo isso a culpa é sua… vamos ver por quanto tempo manterá ela ao seu lado. –

 

Sete anos atras.

 

G-Dragon.

 

Era imperdoável o que fiz com Sun-Hee ter relações com ela apenas para suprimir meu desejo egoísta, mas não sabia que ela era apaixonada por mim e por conta disso acabei prolongando nosso “relacionamento” escondido.

 

Agora estou passando por essa porta despercebido, como se não fosse ninguém para essa família que apenas pensa em dinheiro, a única coisa que me faz resistir isto tudo é a minha pequena S/N é a única coisa que me faz sorrir após um trabalho sujo naquela gangue.

 

– O que faz aqui uma hora dessas?! Aonde estava seu bastardo?!! – Proferiu a senhora Yang na sala.

 

– Percebeu minha presença? Incrível. – Disse, logo S/N vinha correndo das escadas; ela abraçou minhas pernas.

 

– Como está maninho? – Perguntou ela. – Ótimo e você boneca? – Disse com sorriso forçado.

 

– Sim, sim!! Hoje eu aprendi algumas palavras em inglês! – Respondeu S/N entusiasmada chegava dar pulinhos, tão fofa.

 

Estava cansado, não tinha condições de brincar com ela após a briga que houve na gangue sem contar a discussão que tive com Sun-Hee e ainda tinha os ferimentos no rosto que incomodavam bastante.

 

– Isso é bom! Certo? Amanha conversaremos, dormirei agora. – Disse em direção as escadas.

 

S/N me abraçou por detrás dizendo:

 

– Você disse que me ensinaria hoje…

 

Doía ouvi-la dizer, mas eu tinha que ir dormir.

 

– Amanhã, Ok? Prometo. – Disse subindo as escadas, logo Yang gritou:

 

– Não fique perto desse bastardo! S/N venha agora. –

 

S/N seguiu tristemente Yang, logo eu entrei no meu quarto, tomei um banho, troquei de roupas e deitei na cama. Estava muito cansado por isso acabei dormindo por uns instantes, mas acabei acordando com o pulo que S/N fez na cama.

 

– Não ouviu o que ela disse? Vá para o seu quarto. – Disse com os olhos fechados.

 

– Eu quero conversar um pouco com o maninho. – Respondeu S/N.

 

– Certo, Quer conversar sobre o que? – Perguntei ainda com os olhos fechados.

 

– O maninho disse que traria uma amiguinha hoje, cade ela? – Disse S/N.

 

– Ela não virá mais… não com a posição que viria. – Respondi observando a boneca me fitando a centímetros de distância.

 

– Hum… hoje na escola recebi uma cartinha de amor. – Disse ela brincando com meus cabelos.

 

– Gosta de apanhar? – Perguntei, ela assentiu. – Então jogue fora e não fale mais sobre isso, Ok? –

 

S/N deitou-se sobre o meu abdômen, logo após disse:

 

– Cante uma música de ninar para mim, maninho. – Vá para o seu quarto, não durma aqui. – Respondi vendo a mesma quase dormindo em meus braços.

 

– Por favor… apenas desta vez. – Disse ela. – Eu não sei músicas de ninar. – Respondi.

 

Ela disse que poderia ser uma música que gostasse, então fazendo carinhos em seus cabelos cantei:

 

 

– Você era mais potente do que qualquer coisa… mesmo se você fosse veneno…este lugar sem ti…não me sinto bem… eu quero seus lábios quando você adormece desde do dia em que jurei que só olharia apenas para você…mesmo que sofra fortemente voltarei para você… mesmo que seja loucura… –

 

 


Notas Finais


Gente!! Essa musica não é do G, ok? é de um outro grupo, eu coloquei e dei uma mudadinha porque achei que combinaria mais com o que a estoria está tentando passar, Booom, O que foi isso gente? Eles tiveram um caso? que absurdo!! e ainda por esse motivo? G-Deus..vacilão.. o capitulo ficou grande porque sabem que não quero que a estoria fique muito grande, certo? Espero que tenham gostado e por favor comentem o que acharam isso me inspira e tira meu tedio!! Até o próximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...