História Minha Plebéia - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias André Schürrle, Ashley Tisdale, Marc Bartra, Marco Reus, Mario Götze
Personagens André Schürrle, Ashley Tisdale, Marc Bartra, Marco Reus, Mario Götze, Personagens Originais
Tags Alemanha, André Schürrle, Bvb, Futebol!, Marco Reus, Mario Gotze
Exibições 109
Palavras 3.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Pimentinha


Fanfic / Fanfiction Minha Plebéia - Capítulo 6 - Pimentinha

-Roberta? Você está bem?
Já era a quarta vez que Sara batia na porta do meu quarto. Eu não estava muito bem desde a briga com o Schurrle e não dei as caras fora do quarto por um tempo, o que deixou meus amigos preocupados.
-Estou com dor de cabeça! Depois eu desço! -gritei para despista-la.
Eu não conseguia parar de pensar na forma como tudo tinha acontecido. Eu sabia que de alguma forma havia machucado o André. E uma pequena parte de mim queria pedir desculpas e voltar a vê-lo. Mas a maior parte de mim dizia que eu estava certa, me envolver com ele só traria infelicidade. Essa duvida me corroía. 
Resolvi ligar uma música e tentar pensar. Afinal eu gostava ou não do André? Nem eu sabia mais o que sentia. Ele me deixava confusa.
-Amiga abre aqui? 
Eu me assustei quando vi Sara tentando pular minha janela. Corri para ajudá-la a entrar.
-Sua maluca! -falei apoiando enquanto ela descia e fechava a janela. 
-Você não abria a porta então tomei medidas drásticas.
-Só queria ficar sozinha...
-Por dois dias??? Já estava quase ligando para a polícia te tirar daqui...
-Não exagera, já basta a Laura. 
-Tô falando sério amiga! Estamos preocupados é óbvio que tem algo errado. 
Eu bufei cabisbaixa e fui me sentar. Não adiantava esconder, era melhor falar. 
-É que eu acho que fiz uma merda muito grande Sara
-Eita, o que aconteceu?
Fiz um breve resumo da minha saída com André e minha amiga ouviu atentamente. 
-Sabe que agiu errado né? Mesmo que ele fosse o pior cara do mundo existem formas mais educadas de se dizer um não...
-Eu sei, isso que está me matando. Não é a primeira vez que machuco quem eu gosto. Acho que...eu não sei amar 
-Você só não sabe como expressar seus sentimentos. Olha ser forte é ótimo, mas não mata ninguém ouvir o coração de vez em quando.
-Então eu tenho que ser romântica e melosa como a Laura?
-Não amiga, não precisa deixar de ser nossa pimentinha estressada. Só que seria legal pensar mais antes de agir. Você guarda muita coisa aí dentro -Sara disse apontando para meu coração -Essa magoa toda só te destrói e afasta quem gosta de ti. Só deixe a vida te levar, respira fundo e fique calma. Tenta isso só por um dia, garanto que vai valer a pena 
Sara me abraçou e não consegui evitar chorar. Finalmente meu lado brasileiro estava aparecendo.
-Isso desabafa! Vai fazer bem...
Eu não sei quanto tempo ficamos abraçadas, mas eu agradeci muito a Laura por esse apoio. 
-E agora o que faço com o André?
-Sabe o que tem que fazer não Roberta?
Eu desviei seu olhar. 
-É isso mesmo que pensou. Tem que pedir desculpas 
-Não vou correr atrás dele! Isso é ridículo! 
-Deixa de ser orgulhosa amiga! Isso é necessário.
-Ele vai ficar se achando 
-Não vai não. E mesmo que fique foda-se ele! Pedir desculpas não é se desvalorizar, pelo contrário, é uma atitude muito nobre.
Fiquei emburrada, mas eu no fundo sabia que Sara estava certa. Só que eu não era boa em pedir desculpas, nunca fui, se minha vida vida fosse um filme eu seria uma vilã de primeira. 
-Toma! -disse Sara me dando meu celular. -Vai te fazer bem. Acredita! 
Respirei fundo enquanto minha amiga pegou um lenço e enxugou minhas lágrimas. Eu sabia que não adiantaria ligar para o André, além do mais era melhor fazer isso pessoalmente. Resolvi tentar a tal da Ann, vamos ver se ela quer mesmo me ajudar. 
A modelo não demorou a atender e se mostrou bem feliz pelo meu contato. Kathrin disse que amanhã teria um treino aberto do Dortmund e ela ia dar um jeito de fazer com que eu me encontrasse com André. 
-Me passa teu endereço que vou te buscar de carro. -ela disse. Eu dei a rua e o número da república e Ann prometeu que estaria aqui amanhã. 
-Viu? Não foi o fim do mundo -disse Sara enquanto eu desligava o celular. -Vai dar tudo certo! Agora sai dessa fossa que isso não combina contigo.


No dia seguinte...


Sara havia me tirado do quarto e fez uma rodada de filmes e pipoca para me animar. Naquela noite ninguém fez nenhuma brincadeira ou provocação, eles sabiam que eu precisava de apoio. Kevin, Laura e Sara eram minha família alemã. 
Acabei de me arrumar cedo. Sara fez umas tranças no meu cabelo e resolvi colocar um óculos para dar um estilo. Escolhi como sempre um look rocker e bem discreto. Na hora marcada, Ann buzinou e todos me desejaram sorte. Então fomos direto para o CT do Borussia Dortmund.
-O treino é depois do almoço então o refeitório vai estar vazio -disse Ann estacionando o carro. Vou contigo até lá, depois fica me esperando que vou voltar com o André. O resto é contigo.
-Obrigada Kathrin
Ela sorriu e entramos juntas no CT. A segurança me estranhou, mas ela disse que eu era uma amiga e convidada então ganhei um crachá especial igual ao dela. Assim que a segurança ficou mais escassa nós passamos direto para o refeitório. 
-Vou avisar a dona Marcia que faz a comida que você está aqui. Se não a segurança vai entrar em paranoia. 
Assim que chegamos Ann me apresentou a essa senhora que era a cozinheira, então eu sentei numa mesa e fiquei esperando a Ann voltar. 
A espera era o pior, e eu nem sabia se André viria. O que era irônico já que geralmente eu agia da mesma forma. Fiquei ansiosa, mas eu tinha que esperar e ver no que dava. Enquanto isso repassei mentalmente os conselhos de Sara.


No campo 


Os jogadores estavam entrando para o treino e Ann se apressou para encontrar André antes que o técnico o mandasse fazer algum exercício. Por sorte Schurrle vinha por último e Kathrin o interceptou antes que ele entrasse no campo e fosse visto pelo técnico e a pequena torcida. 
-O que foi? -perguntou André curioso. 
-Pode me ajudar?
-Olha Ann não tô num dia legal para conversar e já estou atrasado para o treino -respondeu Schurrle cabisbaixo. Ele ainda não tinha digerido direito sua última conversa com Roberta. 
-É urgente! A Marcinha está passando mal lá na cozinha! Vem me ajudar a levá-la para o departamento médico. 
André acreditou e Ann sorriu feliz da vida. Ao se aproximarem da porta do refeitório ela empurrou o loiro para dentro e fechou a porta de chave.
-Ei!!! Qual é Ann? -disse Schurrle irritado tentando abrir a porta, mas era inútil. 
-Espera, fui eu que pedi para ela te trazer aqui...
André se virou e encarou espantado o rosto de Roberta. A garota parecia apreensiva, e no coração do jogador havia uma guerra clara entre a felicidade de revê-la e o rancor por suas duras palavras.
-Olha tem todo o direito de não querer me ver o ouvir, mas vou falar mesmo assim porque já deve ter percebido que quando eu quero algo sou bem insistente-Roberta falou enquanto Schurrle deu as costas e se dirigia a saída de funcionários ao fundo. Mas a brasileira seguiu falando mesmo assim.
-Só estou tentando te pedir desculpas. Eu sei que eu errei, não posso apagar o que eu falei, mas eu estou aqui admitindo que fui mal educada, egoísta, queria que me perdoasse. 
André parou, mas permaneceu de costas para Roberta, apenas absorvendo as palavras dela.
-Olha eu só não sabia como explicar naquele momento que eu não estou pronta para me relacionar com alguém. Eu tenho algumas coisas mal resolvidas na minha vida e acabei descontando em ti que não tinha nada a ver. Eu podia ter explicado de uma forma que não o machucasse. Nunca foi minha intenção te ofender. Só queria que soubesse que...eu te admiro muito como jogador, e como pessoa também. 
Roberta terminou de falar muito triste. Ela sentia como se aquilo fosse o fim. Respeitando o espaço do jogador ela se virou e ía saindo quando Schurrle pegou em sua mão a puxou para um abraço. 
-Eu deveria ir embora. Estou passando por cima do meu orgulho, só que eu não suporto nem a ideia de perder você. -disse o jogador.
Roberta sentiu o valor do abraço de André e se permitiu aninhar-se em seus braços. Era uma sensação de carinho e proteção. 
-Acho que nós dois precisamos perdoar. -continuou o jogador e Roberta sorriu. 
-Obrigada! 
-Eu é que tenho que te agradecer por ter aparecido Ro, mesmo que seja para abalar minhas estruturas. 
A brasileira riu enquanto Schurrle a abraçava mais um pouco.
-Eu tenho que ir! Juro que preferia ficar aqui, mas Tuchel vai me matar se eu não aparecer em campo. 
-Vai lá rapaz, eu quero vitória das abelhas e não quero mais te atrapalhar. 
-Não me atrapalha nunca. E não pense que se livrou de mim. Agora mais que nunca vou encher sua paciência roqueira! Me espera depois do treino lá na república?
-A gente está terminando um trabalho...
-Prometo que não vou atrapalhar seus estudos Ro!
-Então está combinado. 
-Amigos? -Schurrle disse estendo sua mão na direção de Roberta. -Que tal recomeçarmos?
-Amigos! -respondeu a morena sorrindo. Assim como Sara havia dito, ela se sentia bem mais leve e feliz.


Mais tarde 


Roberta correu para atender a campainha. Assim como prometido Schurrle veio para vê-la. Ele vestia uma roupa esportiva da Adidas e estava muito bonito. Devia ter tomado banho antes de sair do treino porque ele tinha um cheiro muito bom.
-Entra! O pessoal vai pirar contigo aqui...
-Estou louco para conhecer seus amigos -respondeu o jogador entrando na sala da república. 
-Gente temos visita! -disse Roberta e logo Laura, Sara e Kevin estavam na sala. Assim como o Scooby Doo, o mascote dos garotos, um dog alemão filhote.
-Meu Deuuuuus! É o Schurrle em pessoa! -gritou Laura fazendo todos rirem. 
-Vamos pode pedir uma foto sei que está querendo -brincou Roberta. André claro foi muito gentil e tirou com todos. 
-Estamos fazendo um trabalho, terminando de editar umas imagens da nossa viagem para a Polônia. Entra! -disse Sara -estamos na cozinha. 
André acompanhou os amigos até a cozinha e logo Scooby já veio para seu colo.
-Ele gosta de você Schurrle - brincou Lara ao ver o cachorro cheirando o jogador -viu Roberta? Um ótimo sinal...
Flores apenas revirou os olhos enquanto distribuía refringentes em copos para todos. 
-Experiente. É guaraná! Do Brasil. 
André gostou do sabor e agradeceu. Os jovens se sentaram em volta da mesa central e começaram a trabalhar na edição das imagens. Schurrle é claro acabou do lado de Roberta. 
-Hum posso dar uma sugestão? -interrompeu o jogador -Eu acho que deviam editar tudo em um vídeo. Fica bem fácil de fazer a montagem. 
Então o loiro assumiu o computador e começou a explicar. 
-Não sabia que mexia com isso? -disse Roberta supresa 
-Sou só amador -disse o jogador -Quando tiro fotos para campanhas eu não sou muito de ficar falando com as modelos, elas geralmente são bem chatas e fúteis, então prefiro ficar com o pessoal da edição. Acabei aprendendo alguns truques -Explicou André.
-Amador que nada, isso está ficando muito bom! -elogiou Sara 
-obrigada! Fico feliz em ajudar. Deixa eu ver o resto das imagens 
Roberta abriu um outro notebook mostrando o resto do material. Os cinco ficaram trabalhando até tarde na edição junto com André. Eles conseguiram terminar tudo e fazer um bom trabalho.
-Ficou top! -disse Laura.
-Agora é só enviar para o professor por e-mail.
-Faz isso Kevin! Enquanto isso vou fazer nossa janta. -Respondeu Roberta -Gosta de comida polonesa André? Minhas amigas polacas deixaram um estoque de pirogue de presente. 
Schurrle respondeu que sim e Roberta começou a preparar. Enquanto Sara e Laura foram mais para perto de Kevin a fim de deixar um clima rolar entre o casal. 
Flores estava distraída abrindo o pote com a comida quando André a abraçou por trás deixando-a arrepiada. 
-Quer ajuda? -ele perguntou e Ro o olhou desconfiada.
-Sabe cozinhar jogador?
-Sou praticamente um chef, Montana não sabia nada de cozinha então tive que aprender ou morreria de fome. Acabei pegando gosto.
-Olha, subiu no meu conceito agora. Adoro homem que cozinha. 
-Isso foi uma indireta?
-Não começa de gracinha. Anda faz a salada.
Enquanto Ro esquentava o pirogue, André cortava uma salada e também fazia o suco para acompanhar. Eles pareciam se dar bem juntos e se movimentavam sincronizadamente na cozinha. O resto do pessoal ficou só observando e achando aquilo muito fofo.
Terminada a janta eles se sentaram para comer. Estava delicioso e os cozinheiros foram muito elogiados.
-Já podem ir para o Master Chef! - brincou Sara 
-A eu acho que eu prefiro mais os gramados. -respondeu André e todos riram.
-Por que não assistimos um filme? Para comemorar o trabalho acabado! -sugeriu Laura. 
-Eu topo! -disseram Kevin e Sara em coro.
-Não vai ficar tarde para você André? Deve ter treino amanhã...
-Começa mais tarde. Posso ficar um pouco mais. 
Sendo assim todos arrumaram a cozinha e foram para a sala. Eles se jogaram pelo tapete e espalharam almofadas. O filme escolhido foi de ação, então eles apagaram a luz e começaram a assistir. 
Roberta estava ao lado de André, pela primeira vez mais alta que ele, já que estava em cima de uma almofada. Mas como ela sentou descontraída acabou com o corpo bem junto ao de Schurrle. O jogador começou a fazer carinho em sua mão, fazendo-a se arrepiar. Mas ela não o olhou, ou daria muito na cara dos amigos. Mas como estava parcialmente escuro a morena se permitiu dar a mão a Schurrle e entrelaçou seus dedos carinhosamente. Era meio água com açúcar demais, na opinião de Roberta, mas isso parecia deixar André satisfeito.
Não demorou muito para Laura adormecer, ela não curtia muito filme de ação. Então encostou sua cabeça no ombro de Kevin, que a abraçou satisfeito. Sara olhou dos dois lados e sorriu feliz pelos casais formados por seus amigos. Ela só torcia para que eles conseguissem se entender. 


Quando o filme terminou Laura já dormia em um sono profundo. 
-Vou levar ela para o quarto. -disse Kevin pegando a amiga no colo -Boa noite gente!
Os amigos lhe desejaram boa noite também. 
-Vou arrumar a sala -disse Sara -leva o leite de Scooby Roberta! Aproveita e vai com André e mostra o quintal para ele. 
Ro concordou e foi até a cozinha encher a vasilha de comida do cachorro com leite. 
-Vai indo com o Scooby lá fora por favor André? 
O jogador pegou o filhote no colo e saiu pela porta dos fundos, o jardim era muito bem cuidado e a grama fofinha. Ele se sentou e ficou brincando com o cachorrinho.
-Diga "x" ! -disse Roberta de repente e André a olhou enquanto a brasileira tirava uma foto com seu celular. -Ficou ótima! Depois eu te mando! 
-Gostei muito do Scooby. 
-É raro ele ser receptivo com convidados então sinta-se honrado! -brincou Roberta enquanto dava o leite para o filhote. 
Schurrle sentou-se perto de Roberta que acabou se aninhando em seu abraço enquanto Scooby bebia tranquilo seu leite.
-Eu não queria que essa noite acabasse -disse André olhando para Ro. A moça ficou vermelha. 
-Eu também não, confesso que hoje foi muito bom
O loiro adorou ouvir aquilo, era mais do que ele esperava vindo de Roberta. E o jogador resolveu não desperdiçar sua chance. Carinhosamente ele puxou a morena para um beijo. Seus lábios se entrelaçavam com calma, mas por dentro seus corações ritmavam na mesma batida acelerada. Roberta resolveu pela primeira vez parar de lutar contra esse sentimento novo e correspondeu ao beijo. Ela passou seu braço pelo ombro de Schurrle o trazendo mais para perto de seu corpo. Percebendo que pela primeira vez a garota também queria o beijo, André intensificou o carinho. Ele acariciou o rosto da morena enquanto sua outra mão segurava firme na cintura da garota, por dentro de sua blusa. Ela tinha um corpo gelado, embora seu beijo e o encaixe de seus corpos fossem quentes, e seu beijo provocava fúria no alemão. Como Roberta poderia ser essa mistura louca entre gelo e fogo?
Mas a carícia foi interrompida por Scooby Doo. Ele se meteu no meio do casal fazendo-os sorrir. 
-Acho que você tem um filho ciumento! 
-Viu só André? Para me beijar tem que pedir autorização do Doo né filho? -disse Ro pegando o Dog Alemão no colo e fazendo carinho no animal. 
-A sua sorte é que você é muito fofo -brincou André também acariciando o cachorro enquanto o animal bocejava de sono. 
-Acho que é hora de dormir Scooby -falou Roberta o levando para sua casinha -Boa noite amigão! 
O cachorrinho fez carinho na dona antes de se render ao sono. 
-Acho que também precisamos dormir Schurrle 
-Tem certeza? -brincou o loiro puxando Roberta para mais um abraço e logo depois outro beijo. 
Novamente ela correspondeu, mas eles se separaram quando o fôlego acabou. 
-Não abusa loiro! 
-Tenho que aproveitar seu bom humor! 
Roberta deu um tapa, de brincadeira, no André que sorriu e a agarrou. Mas Roberta fugiu e entrou em casa. O jogador só a alcançou quando já haviam voltado para a sala. 
-A gente combinou de ser amigos lembra? De onde eu venho amigos não se beijam na boca 
-Da para ser amigo e ao mesmo tempo sentir algo mais profundo por alguém. Sabe do que estou falando 
-É sério! Preciso mesmo dormir. Amanhã tenho que acordar cedo para ir a universidade -disse Roberta tentando não pensar nas palavras de André. Mesmo que no fundo ela precisasse admitir que adorou ouvir aquilo. 
-E a gente vai se falar novamente?
-Depende de você -brincou a brasileira e Schurrle riu. 
-Você é sempre assim?
-Acho que é por isso que me chamam de pimentinha 
-acredite querido ela pode ser pior, hoje você pegou um bom dia da Ro -disse Sara reaparecendo na sala 
-Ela fala, mas não vive sem mim -brincou mais uma vez Roberta 
-Então vou ter que te disputar com o Scooby e a agora a Sara? Tá ficando concorrido demais -respondeu André entrando no clima de bom humor. 
-Chegou tarde loiro -Sara falou rindo 
-Calma gente, tem Roberta para todo mundo -disse por fim a brasileira
-Então eu tenho afinal um espaço no seu coração?
-Ainda estou pensando sobre isso, se cozinhar de novo para mim quem sabe...
-Então estão todos convidados para almoçar comigo no sábado. Na minha casa. Vão poder conhecer o cebola, o meu cãozinho. 
-Eu já estou lá! -declarou Sara animada 
-Amiga você não era assim -riu Roberta 
-Ando com brasileiros demais tô começando a deixar de ser alemã 
-Acho que tem que passar mais tempo com essa aqui -brincou Schurrle apontando para Ro 
-Ei - respondeu a brasileira dando um tapa no jogador -Assim eu não vou! 
André então deu selinhos na bochecha de Roberta deixando-a vermelha. 
-Na frente da Sara não... -ela pediu envergonhada 
-Relaxa eu não vi nada -brincou a alemã colocando uma almofada no rosto. Schurrle se aproveitou para beijar Roberta. 
-Tá eu vou! -disse por fim Roberta. -Mas comporte-se ! -Brincou 
-Te espero ansiosamente então 
Roberta revirou os olhos, mas deu um beijo em Schurrle mesmo assim. O jogador saiu feliz da vida em direção ao seu carro. Finalmente as coisas voltaram a dar certo. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...