História Minha Plebéia - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias André Schürrle, Ashley Tisdale, Marc Bartra, Marco Reus, Mario Götze
Personagens André Schürrle, Ashley Tisdale, Marc Bartra, Marco Reus, Mario Götze, Personagens Originais
Tags Alemanha, André Schürrle, Bvb, Futebol!, Marco Reus, Mario Gotze
Exibições 95
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um abraço a [email protected] as [email protected] que acompanham e comentam a fic! :)

Capítulo 7 - Sim?


Fanfic / Fanfiction Minha Plebéia - Capítulo 7 - Sim?

O tempo pareceu voar essa semana. Parte de mim não queria que sábado chegasse. Eu estava nervosa, sabia que esse almoço no Schurrle significava mais do que um encontro entre amigos. Mas por outro lado eu queria revê-lo, então eu ficava nessa indecisão interior enquanto as horas do relógio passavam voando.
-Já está pronta? -perguntou Sara entrando no meu quarto. 
-Sim! -respondi nervosa. Eu usava um vestido preto, jaqueta de couro e maquiagem preta. Não estava chique, mas também nem tão simples. 
-Ótimo! O Kevin já está tirando o carro da garagem. Pegamos o endereço do André ontem, ele ligou quando você estava na universidade. 
-Ok!
-Vamos lá se anima! Isso vai ser legal.
-Será?
-Só vai depender de você.


Na apartamento de Schurrle 


Estava ansioso para ver minha Roberta. Caprichei na cozinha, afinal nós éramos um casal deferente, o homem era quem ía conquistar a garota pela barriga. Mas isso que eu mais admiro na Flores, ela não é convencional.
Eu pedi a empregada que desse um jeito no meu apartamento. Eu não quiz comprar uma casa, já que morava sozinho. Meu lar não tinha nada muito estrambólico como meus amigos, eu gostava de ser simples. 
Acabei de preparar a sobremesa quando a campainha tocou. Meus olhos se iluminaram quando eu a vi novamente. 
-Oi Schu! 
Recebi um beijo na bochecha de Laura e fiquei sem graça, eu havia esquecido como brasileiros eram calorosos.
-E aí cara! Bele?
Kevin me cumprimentou e foi entrando, seguido por Sara que apenas sorriu para mim. Fiquei olhando Ro.
-Não acha que vou ser melosa como a Laurinha né? Alguém precisa ser a pimentinha aqui e colocar ação nesse almoço -disse Flores antes de piscar e entrar, notei que ela estava apenas brincando e eu ri.
-Pelo cheiro está delicioso!
-Essa é nossa Magali - brincou Roberta sobre o comentário de Laura. Elas me explicaram que se tratava de uma personagem de gibi que gostava de comer e nunca engordava. 
-Vamos ver se o Schurrle é tão bom nas panelas quanto nos gramados. -provocou Sara.
-Posso te surpreender -respondi trazendo a travessa com o almoço. 
-Hummm gostei da cara, se o gosto tiver tão bom quanto a aparência!
-Vamos experimentar então. -pediu Laurinha e todos rimos. Enquanto os convidados se serviam eu fui sentar perto de Roberta. Ela sorriu para mim e eu não consegui deixar de ficar feliz. 
O almoço foi agradável. Laura não parava de falar e parecia já de casa, Kevin apenas ria de seus comentários. A Sara parecia ser a mais sensata de todos, enquanto Roberta estava bem calada. Isso me preocupou. Achei que tinha conquistado sua confiança. Para tirar a dúvida e saber o que ela sentia eu servi a sobremesa e mostrei a vista panorâmica da sacada para os amigos da Ro, aproveitei para chamá-la e conversar. 
-Gostou?-perguntei.
-Uma delícia. Admito que leva jeito rapaz, já pode casar -ela brincou. Aproveitei para chegar mais perto e grudar nossos corpos.
-Então você aceita...
Mas fomos inesperadamente interrompidos.
-Que lindo! Roberta vem ver! Estão soltando fogos! 
Laurinha puxou minha roqueira para a sacada. Eu fiquei apenas observando.
-Gente porque não jogamos um pouco? -sugeriu Kevin. 
-Ótima ideia -respondeu Sara -Você tem vídeo game? -ela me perguntou.
-Ter eu até tenho. Mas não sou muito de jogar, foi presente do Reus na verdade...
-A cara dele -disse Ro irônica.
-Relaxa Schu -completou Sara, a essa altura até ela já estava íntima -a Roberta te faz companhia, ela também não joga.
Então os três foram animados escolher um game enquanto eu e Roberta ficamos sentados em bancos altos atras do sofá na torcida. Obviamente eles escolheram Fifa para jogar. Esperei um pouco e aproveitei a deixa para pegar na mão de Roberta e a puxar para a cozinha.
-Então? Você está tão calada, gostou do almoço? -perguntei 
Ela respirou fundo antes de responder.
-Claro que eu gostei, estava mais que ótimo, você tem talento...
-Não falei apenas da comida -continuei puxando seu cabelo para trás e mordendo sua orelha. Fiz ela ficar de frente para mim e lhe dei um beijo. Mas Flores logo me afastou.
-Desculpa 
-O que foi? -perguntei.
Ela parecia tensa. Lhe ofereci refrigerante enquanto esperava que ela contasse.
-Schu eu gostei de conhecer, não vou negar. Mas eu...tenho medo.
Gostei de ouvi-la falando meu apelido. Embora sua preocupação me deixasse tenso.
-O que você teme?
-Sabe você é famoso. Acostumado com tudo isso. Mas eu não! Olha sou só uma estudante. Não sei quais são suas intenções...
-São as melhores eu já provei.
-Mas eu não tô preparada para ser uma wag. Não quero milhões de pessoas nas minhas redes, imprensa fuçando minha vida, minha privacidade roubada. Pensando meu lado, na minha família!
-Calma Ro...
-Seus fãs vão me odiar! Não quero sofrer cyberbullying, sem contar que vão começar a me julgar. E eu com certeza serei criticada por não ter o "perfil" modelo da Victoria Secrets. Schu você é legal, gentil, divertido, mas eu não sou a garota para você. Não sou como essas mulheres. Eu não tô interessada em aparecer em revista, eu só quero estudar, conhecer o mundo, lutar pelas ideais que eu acredito. 
Fiquei mais apaixonado ao ouvi-la falar assim. Ela tinha mais qualidades que qualquer outra que conheci antes. 
-Ro é justamente por você ser diferente que eu te quero ao meu lado. Acha que se eu quisesse alguém como minha ex eu teria terminado? Uma das coisas que mais me marcou quando nos conhecemos foi o fato de você ser uma lutadora. E te ouvir falar assim é inspirador. 
Eu a abracei e a beijei de forma carinhosa para demonstrar que meu afeto era verdadeiro. Que eu estava ali para ela.
-Schu...
-Eu quero que confie em mim Ok? Eu sei que é desagradável essa loucura da fama. Pessoalmente eu odeio isso. Sou um cara tranquilo. Eu não sou como você pensa. Eu quero ter uma companheira, uma mulher que eu tenha orgulho e prazer em apresentar como minha, não uma wag para as revistas. E se me der uma chance vamos achar um jeito de ter uma vida a nossa maneira, juntos.
Eu a beijei novamente e dessa vez Ro correspondeu. Foi uma sensação maravilhosa tê-la plenamente em meus braços. Aprofundei o beijo, tornando-o mais quente, mas Ro interrompeu nossa carícia. 
-Na frente da galera não...
Eu sorri e peguei em sua mão. Depositei um beijo fazendo-a revirar os olhos.
-Você é tão romântico, devia namorar a Laura.
-Opostos se atraem...
Ela me deu um tapa de brincadeira e ficou apoiada na bancada olhando os amigos no sofá. Minha cozinha era conjugada com a sala então podíamos vê-los animados em um jogo cheio de gols. 
-Então -falei me apoiando ao lado de Ro. Eu a olhei profundamente -Aceita namorar comigo senhorita Flores?
Ela me olhou e logo em seguida abriu pela primeira vez um sorriso largo, iluminado com sua alegria latina.
Ro aproximou seu rosto me dando um selinho. Depois piscou e sorriu marotamente.
-Quer ir lá e acabar com eles? -ela disse pegando em minha mão e me empurrando na direção da sala 
-E minha resposta?
Ela riu e falou em meu ouvido. 
-Só se ganhar o Fifa!
A olhei confuso.
-Ai como você é bobo! -riu Ro -eu vou te bater por ser tão fofo sabia? -ela disse apertando minhas bochechas. Depois ela me puxou pelo colarinho e me jogou no sofá ao lado de Kevin 
-Queremos entrar na parada. -ela disse 
-Assim que eu gosto casal -respondeu Kevin me jogando um controle 
Eu olhei para Ro e ela estava sorrindo feliz. Não havia falado nada por Kevin nos ter chamado de casal. Flores picou para mim e me jogou um beijo no ar. Eu sorri feliz quase explodindo de empolgação. Eu sabia que aquilo significava um sim.
-Tá legal rapaz, o jogo é meu e o recorde também -falei encarando Kevin, de brincadeira claro -vou te mostrar como realmente se joga.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...