História Minha Princesa - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Marco Reus
Tags Borussia Dortmund, Futebol!, Marco Reus
Exibições 240
Palavras 999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Um tempo depois


Fanfic / Fanfiction Minha Princesa - Capítulo 11 - Um tempo depois

Repórteres vieram até nós e cercaram Marcela e a mim.

-Marcela! Como foi esse primeiro jogo e qual a sensação de vitória? Vendo ainda que em seu primeiro jogo, marcou três e conseguiu uma virada incrível para o Borussia Dortmund? – Uma repórter colocou um microfone sobre o rosto da garota e perguntava com grandes expectativas.

Marcela sorriu e respondeu com calma.

-Foi ótimo. Nenhum de nós imaginou um resultado assim, somos uma equipe novata e a derrota seria algo normal para nós. Mas corremos atrás do resultado, as garotas se desmotivaram um pouco, por isso tentei lutar até o fim. Para mim, um capitão deve ser o último a desistir. Foi ótimo e inacreditável, não imaginei que marcaria três gols, somente espero resultados assim daqui pra frente, o que não será fácil. – Ela falou tão bonitinho que me deixou bobo, ela era tão educada com os outros.

-Muito obrigada pela resposta, torcemos para que tenha um ótimo futuro de agora em diante. – A mulher se despediu da garota que sorriu e foi para o vestiário.

-E então, Marco – ela e outros repórteres também vieram em minha direção – o que significou a vitória para você hoje? Como está sendo ser um treinador de garotas tão novas e com um futuro incrível pela frente?

-Foi ótimo... É extremamente motivador ter um resultado assim, nos dá a sensação de ‘’dever cumprido’’, mas hoje, os créditos são para as meninas, especialmente para Marcela, que fez um jogo incrível e motivou a todos – sorrio orgulhoso da minha menina.

As perguntas deram fim e recebi inúmeras mensagens com elogios das pessoas. Götze deu uma chuva de elogios e riu muito quando viu que Marcela foi a craque da partida.  

Essa partida foi tão boa que soou como um tiro para o sucesso do clube.

Não demorou muito tempo e conseguimos entrar na Regionalliga. Uma competição inferior a segunda divisão.

Isso era perfeito, tínhamos jogos uma vez por semana, com duas rodadas. Eles eram sempre perto um do outro, o próprio Borussia cedia tudo para promover o clube, até mesmo ajudava em tudo, mas isso só foi quando a popularidade cresceu, desde o amistoso. Era vinte e dois jogos no ano, se tivéssemos sorte, poderíamos entrar para a segunda divisão.

Todos os pais aceitaram e gostaram da ideia das filhas ficarem praticando o esporte e conseguindo sucesso. Exceto os pais de Marcela, que ainda me estranhavam e nunca a viram jogando, durante alguns jogos, todas as meninas eram recebidas por seus familiares que a abraçavam com orgulho, mas Marcela nunca foi recebida por nenhum ente querido.

Um dia, o clube deu a ideia de reunir os pais das meninas para tentarmos criar um vínculo e confiança um do outro. Eles precisavam saber que elas estavam sendo bem cuidadas.

Assim, convidamos os pais para visitar um dos parques do clube e todos almoçarmos juntos.

Conversei com todos e eles pareciam ter confiança comigo. O que era muito bom.

Notei que Marcela não estava com os pais, somente com o irmão mais velho que dessa vez não estava em um hospital.

Ele era mais parecido com um Alemão, tinha cabelos loiros e olhos claros. Era do estilo bonitão. Nada parecido com sua irmã.

Eles estavam conversando debaixo de uma árvore. Quando me aproximei, os olhos do garoto chegaram a brilhar.

-Onde estão seus pa – fui interrompido quando ele levantou e me abraçou forte.

-Você é meu maior ídolo! – Ele disse com todo carinho. Eu o abracei junto e acariciei os cabelos, ele era menor que eu.

-Fico feliz com isso. Você deve ser o Miguel, né? Sua irmã é durona em! – Brinco enquanto ela nos observa confusa. – É a craque da equipe.

-Siim! Minha irmã é demais. Um dia vai ser a melhor do mundo – o que iria demorar... – Deve ser muito legal jogar no Borussia e depois virar um treinador... O Borussia é o melhor time!

Todos que gostam do Borussia são meus amigos. Mesmo eu fazendo parte do time, torcia loucamente e ainda ficava bobo vendo os jogos. Não demorou muito para eu me sentar com o irmão de Marcela e ficar conversando durante um tempão sobre os jogos, no fim, ele era um cara muito legal e divertido. A coitada, ficou meio excluída e somente tomando um milk-shake ao meu lado e olhando para o vazio.

E eu fiquei sabendo sobre tudo, que ele descobriu o câncer enquanto jogava bola e agora não podia fazer muitos esforços, que logo faria uma cirurgia, que seu jogador favorito era o Ronaldo Fenômeno, conheci muito sobre Miguel e acabamos virando amigos, ao contrário de sua irmã, era mais extrovertido e brincalhão. Ganhou simpatia de Götze também.

Um dia, nós dois combinamos de jogar Fifa em sua casa, Mario e eu. Estava bastante calor e ficamos no quarto de Miguel jogando enquanto ele tinha ido comprar algo para seus pais. Era constrangedor ficar numa casa de desconhecidos. E os pais dele eram meio rígidos.

Uma porta que estava ao nosso lado se abriu e isso provocou um grande susto entre nós, havia alguém ali?

Quando ouvimos os passos, uma silhueta se aproximou de nós, seria um fantasma?  Trememos de medo, porém era pior do que imaginávamos.

Marcela saiu da suíte somente de calcinha e sutiã pretos, pela primeira vez, ela perdeu a calma.

-Ah!! – Tampamos o olho e ela deu um grito alto. –Desculpa! Desculpa! – Saímos de lá correndo e estávamos com a bochecha mais vermelha que um morango.

-O que foi isso? – Götze estava morrendo de vergonha e assustado. – Ela nem avisou que estava lá!

Isso foi muito constrangedor, seria estranho falar com ela de novo. Mas ela estava muito bonita.  Tinha uma cintura fininha e um corpo bonitinho, mas nada exagerado. Eu até que gostei do que vi. E pelas risadinhas que Mario deu no fim do dia, deu a entender que ele também gostou.

Marcela ficou dentro de seu quarto e com a porta fechada, deveria estar morrendo de vergonha. Então jogamos FIFA até o anoitecer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...