História Minha Prisioneira (KakaSaku) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Sakura Haruno
Tags Kakasaku, Naruto
Visualizações 257
Palavras 1.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


só lhes digo uma coisa: Kakashi Bad boy hehe
Não se ofendam com o rumo que a historia vai tomar, mas ja era previsto ser assim
beijos

Capítulo 12 - Cruel


Fanfic / Fanfiction Minha Prisioneira (KakaSaku) - Capítulo 12 - Cruel

Sakura Pov.

Nossa, como eu me sentia mal por não poder dar noticias á minha tia, ela devia pensar que eu já estava morta ou que eu havia fugido, três meses que eu estou aqui, sem sair de casa e com Kakashi se recusando a me deixar dar qualquer sinal de vida á ela, tentava discutir com ele, mas não funcionava. Ontem á noite assim que ele chegou, estava furioso e dormiu em outro quarto me deixando só com Prince, hoje eu acordei e fiquei na cama e logo ele apareceu na porta pra me chamar pra tomar café.

-bom dia. –disse me sentando á mesa. Ele apenas me olhou e voltou a cozinhar.

Durante a manhã, ele estava sem dizer nada, apenas me olhava as vezes e permanecia mudo, terminei e pedi pra lavar a louça e ele permitiu, lavava tudo tão distraída que me assustei quando senti seus braços me rodeando, no susto deixei cair um copo e o fiz se afastar.

-me desculpa. –disse me abaixando começando a catar os cacos de vidros.

-Sakura, se afasta daí. –ele me puxou pelo braço me fazendo largar os cacos de vidro. –pode se cortar, vai tomar um banho deixa que eu limpo isso. –disse calmo.

-mas. –tentei contestar, mas ele me olhou sem paciência e de imediato eu me calei.

-me obedece, vai. –me virei e subi as escadas

Fui ao banheiro, tirei as roupas que usava, melhor roupa, peguei o costume de usar as camisas de Kakashi, liguei o chuveiro e entrei nele a temperatura estava ótima, bem quentinha, ensaboei o corpo, lavei os cabelos, escovei o dentes, sai do banheiro com a toalha enrolada no corpo ao abrir a porta dei de cara com Kakashi, ele estava apenas de cueca e com uma toalha nos ombros, corei e baixei o olhar.

-vou tomar banho. –disse e lhe dei passagem pra entrar.

Fui para seu quarto vesti uma calcinha e um sutiã e peguei uma de suas camisas longas e pus no corpo, meu cabelos ainda estavam molhados e eu estava com preguiça de olhar, Kakashi sempre demorava no banho e isso me deixou pensativa, fiquei perambulando pelo quarto dele mexendo nas gavetas até que achei um bloquinho de papel e uma caneta, mordi os lábios e senti Prince roçar na minha perna.

-oi menino. –o peguei no colo o sentando nas minhas pernas.

Olhei para Prince e para sua cólera, e então lembrei que ele ficava solto para andar no bairro, bingo! Peguei um pedaço de papel e escrevi umas palavras, olhei bem o que havia escrito, amassei o papel e coloquei na cólera do Prince, que miou e ronronou fofo.

-espero que dê certo. –ouvi o som do chuveiro do corredor para e pus Prince no chão, me joguei na cama e ouvi Kakashi entrando.

-preciso sair. –foi até o closet pegando umas roupas. –não demoro. –disse sorrindo e eu sorri junto.

Observava ele se trocar, e pela primeira vez notei que ele tinha enormes cicatrizes pelas costas, olhei espantada e quase gritei de horror, mas me mantive calma, olhei pela porta e vi Prince engantinhando para fora do quarto.... oh não, o que eu fiz?

...

Quando Kakashi saiu, eu fiquei sentada na cama perturbada, já havia feito merda, e agora não dava pra reverter Prince, havia sumido com certeza ele, estava fora de casa perambulando pelo bairro, já havia se passado muito tempo e nada de Kakashi. Logo Kakashi chegou e ficou me olhando na porta.

-oi. –disse forçando um sorriso, ele sorriu também

-trouxe pizza, vamos comer? –acenei e ele sumiu

Levantei da cama e andei a passos lentos até a cozinha, Kakashi servia dois copos com coca-cola, fui até a mesa e sentei, Kakashi fez o mesmo ficando sentado a minha frente, havia uma caixa de pizza em cima da mesa, mas estava fechada.

-ué, não vamos comer? –perguntei com um sorriso simples, enquanto ele estava parado.

-abre. –disse um pouco frio e eu estranhei.

-o que? –perguntei sem entender.

-abre a caixa. –na hora que ele falou ouvi um miado e logo Prince pulou no colo dele e ele ficou fazendo carinho no gato, senti um frio percorrer a espinha e com receio abri a caixa de pizza que estava vazia, bom havia um papelzinho dobrado nela e eu senti um pouco de pavor. –leia.

-Kakashi... –minha voz falhou e ele me interrompeu.

-leia o que tá escrito. –rosnou cada palavra.

-t-tá bom. –peguei o papel com os dedos tremendo e o abri devagar começando a ler. –qualquer um que ler esse bilhete, meu nome é Sakura Haruno...me ajude, estou aprisionada em uma casa em frente á um jardim o número é 2098. –Li o bilhete entre gagueijos e sentindo lagrimas escorrerem pelas minha bochechas. –por favor eu...

-CALA A BOCA. –gritou e jogou a mesa com toda força para o lado

Ele se levantou furioso, Prince correu assustado e eu fiquei parada na cadeira com o coração acelerado, Kakashi me olhava com tanto ódio que sentia como se ele pudesse me ferir apenas com o olhar.

-me perdoe. –disse fechando os olhos tremendo os lábios.

-sua puta. –disse com rancor e eu o olhei surpresa. –acho que eu me enganei com você, vou fazer você se arrepender de ter pensando em me deixar.

 

Kakashi Pov.

Dessa vez eu não estava com raiva, eu estava com ódio, antes de sair eu vi Prince e o peguei no colo e quando pensei em leva-lo para ficar fazendo companhia a Sakura encontro um bilhete escrito por ela dizendo que ela estava querendo ajuda pra fugir, como ela pôde? Ela vai pagar.

-Kakashi eu. –ela começou e eu lhe acertei um tapa forte a fazendo virar e cair da cadeira, ela gemeu de dor e virou o rosto me olhando chocada.

-você o quê? Sua putinha egoísta nem pensou em mim, apenas em você, mas isso acabou. –fiquei na frente dela e ela rastejava pelo chão assustada. –tá com medo? –perguntei me agachando e ela me encarava trêmula e acenou com a cabeça sorri e puxei pelos cabelos a fazendo ficar em pé.

-ahhh, me solta. –gritou e eu comecei a arrastá-la para seu antigo quarto.

-cala a boca. –a joguei na cama, ela me olhou com pavor e eu apenas sorri sádico começando a tirar minhas roupas.

-senhor.... –sua voz gélida e medrosa só me fez ficar mais irritado, ela faz besteira e depois tenta me manipular.

-sabe. –comecei puxando seus tornozelos a trazendo pra mim e comecei a arrancar as roupas de seus corpo a deixando nua, ela se debatia chorosa e eu a puxei pelos ombros a machucando. –quieta! –berrei e ela se calou. –acho que você não me ama, se amasse tentaria me entender. –digo e ela se encolhe mais a cada palavra. –te tratei tão bem, mas isso acabou.

Ela abriu a boca pra falar, mas o que saiu de seus lábios vermelhos e macios foi um lindo grito de dor, a penetrei com tanta força e com tanto ódio que quase tive um orgasmo de imediato nem esperei ela me dizer o quanto doía e comecei a movimentar dentro dela com força bruta, ela se debatia e tentava empurrar meu corpo com os braços, mas eu o prendi com minhas mãos e continuei a movimentar dentro dela, seus olhos estavam molhados de lágrimas e suas testa franzida, saiam choros baixinhos de sua boca, sua vagina era tão apertada que me deixava louco, mas vê-la assim frágil e com medo me deixou em transe e logo gozei dentro dela apertando suas cintura e arranhando suas nádegas, jogando meu corpo cansado sob o seu não importava se meu peso a sufocava eu estava exausto.

-delícia. –disse me glorificando feliz.

-s-sai de cima de mim! –berrava me dando tapas leves, sorri e fui me levantanto segurando seus braços. –saai. –tentou desprender os braços, mas ela não conseguia.

-que foi não gostou? –a encarei com malicia e sadismo e ela apenas me olhou com nojo e fez um bico triste e virou o olhar

-s-seu doente miserável, s-seu seu m-monstro! –se encolheu ficando em posição fetal e abraçando o corpo nu com as mãos.

-você despertou o monstro, lindinha. –beijei sua testa e sai da cama pegando minhas roupas do chão. –sem jantar hoje, durma bem. –disse tocando sua perna e ela se encolheu mais.

Sai do quarto e tranquei a porta, andei nu pela casa ainda com ódio, Sakura por um segundo tocou meu coração e me deu paz, mas ela estava apenas planejando isso pra me enganar aquela Puta do caralho! Espero que ela tenha gostado da minha gentileza, agora ela vai conhecer meu lado Cruel!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...