História Minha Prisioneira (KakaSaku) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Sakura Haruno
Tags Kakasaku, Naruto
Visualizações 262
Palavras 1.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


GENTE TERIA POSTADO MAIS CEDO, MAS FIQUEI SEM LUZ E MEU NOTE DESCARREGADO
MAS CORRI PRA POSTAR BEIJOS
VCS SÃO OS MELHORES LEITORES DO MUNDO

Capítulo 13 - Compreensão??


Fanfic / Fanfiction Minha Prisioneira (KakaSaku) - Capítulo 13 - Compreensão??

Sakura Pov.

Bom, acho que agora eu sabia o que sentir por Kakashi, nada, mas nada além de repulsa, nojo, desprezo, ah como eu sou burra! Pensar que ele entenderia minhas razões, que eu apenas queria voltar pra minha vida, não podia ficar presa pra sempre, mas antes ele pelo menos estava carinhoso, gentil, bom agora ele estava frio e mais agressivo, ele continuava e me dar comida, mas se eu me recusasse a comer ou beber ele disse que me bateria, me exigia que usasse vestidos curtos com bastante decote e eu me sentia humilhada demais, já se passou uma semana e eu não sabia como agir, por que ele tem que ser tão cruel? Estava encolhida na cama me cobrindo com o lençol e logo ele aparece.

-boa tarde, princesa. –fala debochado apenas o olho de canto e depois viro o rosto. Filho da puta voltou a usar aquela máscara, ele colocou algo no chão e veio até a cama. –trouxe seu almoço.

-humm. –murmurei baixo e ele sorriu.

-pare de ser tão mimadinha e fria e coma. –falou próximo ao meu ouvido e nessa hora eu me irrito e me levanto bruscamente o empurrando de leve.

-seu hipócrita! Eu sendo fria? Olha o que você tá fazendo. –disse irritada ele me olhava sem expressão.

-e o que eu tô fazendo? –deu de ombros e eu o olhei incrédula, seu corpo hoje estava coberto por uma calça folgada e uma blusa de mangas cumpridas cinzas.

-você... você... –tentava raciocinar, mas não conseguia. –por que tá fazendo isso comigo? –disse com pesar e tristeza.

-ah, não começa... você só tá assim, porque não tá mais dormindo na minha cama. –ele disse com convicção e deboche, minha boca se abriu por surpresa e eu simplesmente agi sem pensar e lhe desferi um tapa.

-eu não sou uma vagabunda, pra ser tratada assim! –dizia cada palavra tentando estapeá-lo, ele se protegia com os braços.

-PARA! –ele saiu da cama e me olhava com raiva. –não abusa da minha paciência. –dizia com tom ameaçativo, ele fechou os olhos e ficou inspirando e expirando varias vezes, logo ele foi até a bandeja. –coma. –fiquei parada na cama o olhando com despeito e ele ficou me encarando, até que jogou os braços pro ar. –ah, coma se quiser, volto mais tarde. –se virou e começou a andar eu me levantei da cama o segurando pelo braço.

-vai me deixar aqui por quanto tempo? –perguntei irritada

-pelo tempo que eu quiser, pra sempre se for preciso. –deu de ombros

-não pode me deixar aqui! –falei o olhando com descrença.

-posso e vou. –tentou me por pro lado, mas por raiva e surpresa pela sua atitude cretina, eu o chutei no joelho e sai correndo.

-aiiii. –ouvi ele gemer de dor enquanto subia as escadas com pressa. –SAKURAAA!!!! –gritou com ira e eu comecei a vagar pela casa apressada, por onde eu ia as janelas estavam fechadas e eram cobertas por um vidro negro.

-merda. –disse com angústia. –tem que ter algum telefone. –comecei a revistar cômodo por cômodo apressada. –ahhhhh. –gritei ao sentir meus cabelos sendo puxados fazendo me ir para trás involuntariamente.

-o que pensa que está fazendo? –perguntou Kakashi me olhando com raiva, me pegou no colo e eu fiquei tentando empurrá-lo, arranhá-lo, mas ele apenas seguia de volta para o quarto bufando.

-me soltaaa. –berrei puxando seus cabelos com força

-uhrg.-ele me jogou na cama e eu fiquei o encarado de joelhos o vi apertar o punhos e o desafiei colocando as mãos na cintura.

-o que vai me bater de novo covarde? –ele baixou o olhar e logo voltou a me encarar.

-você bem que tá merecendo por agir feito uma criança mimada, minha paciência tem limites. –rosnava com o olhar penetrante e logo sorriu. –fica uma gracinha com raiva. –aproximou a mão do meu rosto e eu lhe dei um tapa na mesma.

-não me toque. –cuspi as palavras com desprezo e ele esbravejou furioso.

-acho que preciso te ensinar uma lição pra aprender não me recusar. –me puxou me virando de costas e usou o lençol pra prender minhas mãos nas barras da cama.

-me solta! –berrei puxando os braços, mas não adiantava.

-shiiii, você fica quietinha. –tirou a blusa exibindo seu corpo atlético perfeito e a usou como mordaça me impedindo de contestar ou tentar gritar.

 

Kakashi Pov.

Sakura estava me deixando de cabelo em pé, odiava sua insolência e pior ainda quando ela se recusava meus toques, meus beijos, ela merecia ser castigada por isso, após deixa-la amarrada com os braços na cama e as pernas livres me sentei ficando atrás dela.

-você que causou tudo isso. –disse a olhando ela usava uma vestido curto azul escuro de seda uma calcinha da mesma cor com detalhes em bordado branco. –pena. –disse baixo.

Lhe acertei um tapa forte em uma das nádegas, e ela impulsionou o corpo pra frente e mesmo com minha camisa tapando sua boca pude ouvir um gemido de dor abafado, acertei-lhe outro tapa em outra nádega, seus gritos eram abafados pela “mordaça”, lhe acertei outro e outro tapa, e mesmo quando sua bunda linda e branquinha começou a ficar vermelha, continuei até meus braços ficarem cansados, ela chorava igual um bebê e isso fez meu coração doer. Parei e fiquei trêmulo lembrando de minha infância.

Flash Back on

Um menino, era apenas o que eu era quando o velho nojento que eu chamava de pai, que todas as tardes bebia e me enchia de porrada, o pior dia era quando eu tentava evitar que isso acontecesse.

-pai para. –tentava fugir, mas por ser pequeno não ia muito longe.

-vem aqui, garoto. –o homem me pegou pelo braço e me acertou um soco cai no chão sorte que por ser criança perdi apenas um dente de leite, ele usava uma varinha de bambu pra me acertar vários golpes, e chorar e gritar não adiantava, quando ele terminou eu estava no chão chorando e com dor. –agora vá lavar a louça. –disse e saiu se trancando no quarto.

-e-eu te odeio. –fui aos poucos levantando do chão chorando.

Era o pior momento da minha vida, mas por sorte isso mudou.

Flash back off

 

Sai correndo do quarto e fui até a cozinha procurando pelo Kit de primeiros socorros nos armários quando os achei, peguei uma pomada pra dor e voltei apressado para cuidar de Sakura, ela tinha deitado a cabeça no colchão e tentava puxar os braços, sua bunda estava bem empinada e por mais que eu achasse sexy, ignorei meu desejo me sentei atrás dela de novo e puxei sua calcinha um pouco pra cima.

-hmmmmmmmm. –esbravejou ela reerguendo-se e me olhando por cima dos ombros, seus olhos demonstravam pavor e ela começou a me chutar desesperada.

-para Sakura, não vou te fazer nada. –segurei suas pernas e baixei a mordaça.

-por favor chega! –sua voz estava rouca e ela fungava, abri a pomada e comecei a passar em suas nádegas, de inicio ela relutou, mas logo relaxou, terminei de passar a pomada e soltei suas pernas em seguida seus braços, ela me olhava com surpresa e ficava massageando os pulsos. –você é louco? –disse me analisando eu me aproximei e ela se afastou um pouco.

-eu só quero que me entenda Sakura, não quero ficar sozinho. –disse com sinceridade olhando para o canto, um silêncio se formou, era um silêncio torturante, voltei a olhá-la e ela tinha uma expressão de pena. –GUARDE SUA PENA NÃO PRECISO DELA! –berrei, ela se assustou mas logo ficou normal. –se sentir dor passe isso. –coloquei a pomada em cima da beirada da cama. –e coma, ou vai ficar doente.

Sai do quarto ás pressas e me tranquei no meu quarto, procurei e achei meu maço de cigarros peguei um e o acendi.

-ela nunca vai te amar Kakashi. –disse pra mim mesmo puxando um trago e outro e mais outro até que acabou e lembrei que precisava comprar mais. –merda. –ainda era tarde e só gostava que sair a noite, ótimo, rasguei os lençóis e me joguei na cama. –merda! –soquei o travesseiro.

Sakura Pov.

Oh, então ele só não queria ficar só? Ahhrh que egoísmo, filho da mãe e depois ainda me castiga por achar que eu não o entendo... mas será que ele sempre esteve só? Será que é isso? E se foi isso, awn Sakura ele apenas sofre e nada mais, deitei me de lado na cama sentindo menos dor que antes e fiquei pensando em Kakashi mesmo após me bater ele cuidou de mim.... e isso me deixa confusa, queria apenas entender seus sentimentos e seu jeito louco de ser


Notas Finais


BEIJUSSS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...