História Minha Vida com Vocês - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anti Preconceito, Asaika, Cauan, Drawin, Edwin, Lauan, Mashi, Sasaika, Storm
Visualizações 33
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 66 - O veredito final!


O jogo estava indo bem os Tiger on Fire estavam mandando muito bem. Akashi nem se fala. Esse garoto tem um dom pro basquete.

Asaika/Larrisa/Mayu/Thamires: Vai Akashi! Arrebenta! -os adversários eram terríveis, mas eu estava de olho no garoto que machucou o Akashi e ele estava de olho em mim
Akashi: andem logo seus idiotas! -ele gritava pro pessoal do seu time- faz o bloqueio! -o menino não conseguir deter o adversário e o mesmo fez uma cesta marcando pontos pro Snakes
Larrisa: Droga! Malditos Snakes!
Cauan: fica nervosa não, pode ser ruim pro Larrisa Junior
Larrisa: vai ser menino
Cauan: eu quero menina!
Larrisa: eu quero menino!
Asaika: eu quero prestar atenção no jogo!
Storm: é calem a boca!
Drake: calem a boca vocês! O Junior tá dormindo!
Cauan: ja é minha vez de pegar ele não?
Mayu: é a minha!
Asaika: tsc
Thamires: eu também quero
Asaika: Drake, passa pra Thamires
Drake: a não - ele passou pra ela
Storm: vão parar de ficar compartilhando meu filho- ele pegou das mãos da Thamires- deixa comigo
Asaika: VAI AKASHI!

...


Akashi: tá de sacanagem! Tá jogando feito uma menina! -ele gritou da quadra
Asaika: que ofensa! Eu jogo bem basquete!
Storm: a diferença que você não é menina!
Mayu: como assim?
Asaika: ele quer dizer que sou mulher, no sentido que sou velha- encarei ele
Storm: você que disse isso
Asaika: so traduzi
Bruno: ah cala boca vocês dois! Ele precisa de só uma cesta

Quebra de tempo

O jogo corria bem e só precisávamos de um ponto pra vencer.

Akashi: Seus bunda mole! Prestem atenção! - o cara do outro time estava com a bola- Pega a bola! -o cara do meu time conseguiu tomar a bola- Passa pra mim! Eu tô livre! -ele passou pra mim e o cara que me  agrediu da última vez estava na minha frente, nos encaramos e depois ele desviou o olhar pra arquibancada, ele parecia estava olhando a Asaika- está com algum poblema? -ele ficou calado- para de olhar pra ela! -passei por ele e ele tentou me bloqueiar sem me agredir, mas eu passei ele fiz a cesta, faltando apenas um segundo pra acabar o jogo- aeeeeeeeeee -a arquibancada vibrou e os meus amigos me levantaram e ficaram gritando meu nome. Depois da comemoração deles eu desci e fui até arquibancada
Bruno: mandou bem cara! No meu tempo se dizia! Você é um tigre nato.
Edwin: você falou como um velho!
Bruno: jovem eu não sou
Cauan: tem razão!
Asaika: mandou bem Akashi!
Akashi: valeu, mas tem uma coisa me incomodando
Storm: o que?
Akashi: o garoto que me agrediu da última vez, estava encarando a Asaika
Asaika: vai ver gostou de mim
Cauan: não gosto dele, mas acho que não é por isso que ele te encarou
Asaika: não é por nada! Vamos pra casa

Quebra de tempo

Chegando em casa, Asaika fez uma comida especial e nos sentamos a mesa pra comer, depois que o Bruno avaliou o apartamento

Edwin: e ae você gostou?
Bruno: sim, a única diferença daqui pra minha casa. É que aqui é aconchegante e não tem terreiro com piscina
Asaika: lá tem piscina? -assentiram- que sonho! -encarei ela
Storm: ja sei no que você pensou- ela sorriu maliciosa
Asaika: shiiu- sorri, afinal ela tem fetiches e fantasias bem loucas
Drake: okay, saindo do momento Sasaika. Vamos fazer as trocas da casa?
Thamires: por mim okay
Bruno: por mim também
Asaika: okay então

Dias depois fizemos as trocas da casa, os meninos saíram da suspensão, e só tinha mais um dia de aula antes das férias. Asaika e a Larrisa fizeram o ultrassom. E eu tive que punir a minha mulher porque ela disse pro médico não me revelar o sexo de bebê. Mais depois de uma punição prazerosa, ela acabou revelando entre gemidos que era menino. Ou seja Storm Junior está a caminho. Conseguimos legalizar a guarda do Junior e agora ele tem nossos sobrenomes. Amanhã teremos que deixar o apartamento pois o Bruno vai se mudar e a casa dele está em reforma. Se tudo der certo, vamos viajar amanhã, pra um mês de férias no local onde a Asaika escolheu e obrigou todos a irem. Caso de errado ficaremos em um hotel no centro da cidade. Sai dos meus pensamentos quando a Juiza entrou na sala, Edwin e Drake estão nervosos. Afinal é a última chance deles de terem a guarda da Amanda. Depois que a Juiza se sentou todos fizeram o mesmo e ela encarou todos na sala


Juiza: bom, mediante a tudo que foi dito na última audiência que tivemos, essa nova audiência foi marcada pra que eu desse o meu veredito definitivo. Porém antes de deixar clara a minha decisão, eu gostaria de comentar como tomei essa decisão. Bom, depois daquela audiência que tivemos, eu cancelei todas as minhas atividades após ela, pois eu precisava rever alguns dos meus conceitos. Então naquele dia eu fui pra casa e me pus a pensar, como não cheguei a nenhuma conclusão, subi até o quarto da minha filha e vi a mesma dormindo com seu marido. Fechei a porta do quarto dela e depois me dirigir até o quarto da minha neta, olhei a com cuidado e vi que dormia tranquila. Então ao pensar no pedido que a Amanda fez, eu me dei conta de uma coisa e que a senhora Asaika já havia comentado. Os olhos dela chorando e me pedindo pra deixa lá com vocês Edwin e Drake, não foi um pedido de "por favor eu não quero mais ficar no orfanato" ou "por favor me adote eu preciso de ter país" Não! Não era nada disso! Tudo que ela me pediu foi " por favor me permita ser amada" - ela tirou os ósculos e percebi lágrimas nos olhos dela- então novamente olhei pra minha neta e perguntei, se os pais dela morresse e se eu morresse, a vontade da minha filha e a minha não seria de que ela fosse adotada por simplesmente uma mãe e um pai. Claro que não! Gostaríamos que ela fosse adotada por alguém que a amasse. Imagino que qualquer pai se pudesse saber com quem seus filhos ficariam depois que eles morresse, tenho certeza que eles escolheriam alguém que amasse seus filhos independente de raça, cor, sexo ou religião. Então olhei pra minha neta novamente e vi que mesma sorria. Então foi naquele momento que me dei conta do meu veredito. Minha neta pode dormi em paz e feliz dia a pós dia porque ela tem uma família que a ama. Então venho aqui hoje pra dizer a vocês que esse tribunal não seria justo se não entendesse o clamor daquela garotinha, na verdade não estaríamos fazendo a verdadeira justiça se não permitissos que ela tivesse um lar que a amasse. Então como Juiza eu concedo a guarda da Amanda aos Sr.s Edwin e Drake.

Edwin: Isso!
Drake: conseguimos!
Asaika/Storm: aeeeeeee! - começamos a comemorar e a juíza ficou batendo o martelo
Juiza: Ordem no tribunal! Ordem! - nos acalmamos- senhor Edwin e senhor Drake, após o meu veredito eu quero que comemorem, mais fora do meu tribunal
Edwin: sim, meritíssima
Drake: okay Obrigada
Juiza: só fiz o meu trabalho, agora vão comemorar em família! -Ela sorriu e nós saímos da sala dela
Amanda: Edwin! Drake! -Ela correu até eles que a pegaram no colo, se abraçaram e choraram também
Edwin: finalmente meu sofrimento acabou!
Drake: vamos pra casa!

Notas Finais


Pois é povo podem comemorar! Drawin consegui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...