História Minha Vizinha Estranha - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 23
Palavras 630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Escolar, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora!
Reescrevi esse capítulo milhões de vezes até ficar razoável. Espero que gostem!
Na capa é a Lindsay. Desculpe se eu prometi que seria o Bruce. Achei que combinaria mais nesse capítulo se fosse ela.

Capítulo 8 - Podre


Fanfic / Fanfiction Minha Vizinha Estranha - Capítulo 8 - Podre

Mark desligou o celular.
- Pronto. Já avisei minha mãe.
- Ok - Kevin pegou sua carteira na mochila - Vamos de táxi ou a pé?
- Você não está levando nossa briga a sério, não é? - Mark fitou o primo procurando mais alguma coisa na mochila.
- O quê? Mais é claro que eu estou! Já te expliquei o porquê de eu achar melhor você esquecer dessa Jacqueline, agora nós estamos de boa, não é? - Kevin estendeu um pacote de bolachas.
- Talvez - Mark pegou o pacote todo, ouvindo Kevin soltar um "Ei!" indignado - Mas isso não quer dizer que eu vou parar de gostar dela.
O primo arqueou a sobrancelha.
- Então você admite que gosta dela?
- É claro - corou - Mas isso não importa. Só estou indo na sua casa pra saber mais sobre esse tal de Will Gardner.
- Eu sei - Kevin fez uma careta quando Mark devolveu apenas uma bolacha para ele - E então? Táxi ou a pé?

************************************************

- E então? Quando é que a comida vai ficar pronta?!
"Quando você levantar essa bunda gorda e vir ajudar" Jacqueline ia responder, mas Sarah apertou seu braço para cala-la.
- Já estamos terminando! - Sarah respondeu, depois virou-se para Jacqueline e sussurrou - Não o deixe com raiva! Vai estragar o clima entre ele e a mamãe.
- Tanto faz. O bafo dele estragou o clima faz tempo - ela bateu em Jacques, mas não conseguiu evitar de rir também. Eram esses raros momentos que faziam a morena amar a irmã.
Quando terminaram de preparar o macarrão e a salada, as duas levaram os pratos para a única mesa que havia na casa, onde a mãe e o namorado se beijavam sem um pingo de vergonha.
Pete estava esparramado no sofá vermelho tão sujo quanto ele, bebendo vinho barato em uma taça trincada. Priya estava sentada em seu colo, cochichando palavras obscenas em seu ouvido. Usava um vestido azul justo e curto que lhe dava um ar de vadia, porém bastante elegante.
- Como vocês demoraram! - a mais velha disse em um tom parecido com o de uma criancinha mimada, fazendo bico. Seu jeito de falar estava lento e arrastado, quase tropeçando nas palavras.
- Bêbada de novo, ehm? - Jacqueline disse em um tom decepcionado, entregando os pratos de macarrão para os dois. Pete empurrou Priya de seu colo para agarrar o prato. Recusou o garfo, enfiou a cara no meio do molho e comeu como o cachorro que era.
Priya pareceu realmente magoada, mas logo se recompôs, sentando-se adequadamente e pegando sua porção. De um modo um tanto quanto sutil, ela indicou para que as filhas saíssem de cena. Com um pouco de esforço, Sarah arrastou Jacqueline escada acima até seus quartos para dar privacidade ao casal.
Jacqueline desvencilhou-se da irmã assim que sumiram da vista da mais velha.
- Qual o problema, Jacques? Por que você está tão agressiva recentemente?
- Nada. Só lembrei de algo ruim - respondeu entre dentes. Por um momento ela havia esquecido completamente de Will e Sarah. Agora, toda a raiva acumulada estava fazendo seu coração acelerar, martelando contra suas costelas- Vou tomar banho.
Era uma desculpa típica que a morena usava para escapar de situações irritantes e/ou desconfortáveis. Sarah sabia disso, então deixou ela entrar no banheiro da suíte. Quando a porta se fechou atrás de si, Sarah recostou-se ali e permitiu que seu corpo caísse no chão, cansada.
Encarou o espelho de corpo inteiro na sua frente, fitando a garota de lindos olhos azuis e cabelo loiro e sedoso. Sarah fez uma careta.
- Eu sou podre - murmurou, sentindo a culpa pesar cada vez mais em seu peito - Preciso contar a verdade para Jacques...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...