História Minhas Cartas Para Você - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Cameron Dallas, Cartas, Magcon, Shawn Mendes
Exibições 23
Palavras 802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tô deprimida, tô de luto
Só teve postagem hoje pois já tinha capítulo pronto, agora vai demorar bastante pra qualquer coisa vir pra cá, mas minhas férias talvez comessem segunda então não vai demorar tanto.
Um beijo pra vocês, obrigada por lerem.

Capítulo 12 - Custe o que custar


Shawn

  Eu tenho certeza que bati o recorde mundial de planejamento de viajem, comprei passagens, arrumei mala e até achei um hotel, tudo isso em poucas horas. Agora eu tô no aeroporto pensando nessa loucura que eu estou fazendo ( segundo minha mãe), eu descobri que a garota que eu estou loucamente apaixonado viajou pro outro lado do país por causa de mim, para me evitar, preparei uma viagem em menos de duas horas pra trazê-la de volta, isso enlouquece qualquer um né.

  Chamam meu voo e eu me despeço dos meus pais e de Aaliyah e parto pro portão de embarque, eu estou com a cabeça a mil isso é tão inquietante, o peso das cartas na mochila em minhas costas estão se fazendo mais presentes agora e olha que é só papel.

  Eu preciso dormir mas adivinha, não consigo. Tá, poltronas de avião não são sinônimos de conforto, mas eu durmo em qualquer lugar, qualquer hora. E a Claire sempre implicou muito com isso. O motivo principal não é a cadeira, mas sim todos os pensamentos que me cercam sobre essa viagem: Eu estou fazendo o certo? Ela vai querer falar comigo? Eu vou conseguir trazê-la? O que eu vou falar para o pai dela? Ela percebeu o bobão que eu sou nesse tempo que estava longe?

 Posso estar sendo meio psicótico mas nós não vivemos em contos de fadas onde tudo dá certo, geralmente quando pensamos que tudo está se encaixando o mundo desmorona.

  E com exatamente esses pensamentos o voo passa, e agora enquanto espero minha mala aparecer na esteira estou apavorado, muitas suposições passaram pela minha cabeça durante as cinco horas de voo, devia ter dormido, se o tivesse feito com certeza não estaria este momento como  monte de bosta ambulante com medo.

 E como um bom covarde decidi que não vou falar com a Claire hoje, está tarde e como eu disse antes eu estou com um cagaço imenso de falar com ela, provavelmente ela vai bater a porta na minha cara quando me vir ou fazer muito pior. Ela foi pro outro lado do país pra não me ver mais, ela com certeza pode me expulsar da casa dela e me mandar de volta pra Toronto.

  Eu já disse que estou morto de cansaço? Pois é, assim que entro pelas portas do hotel percebo que não aguento mas nenhum pensamento sequer rondando minha cabeça, isso é bom. Procuro o meu quarto após falar com a recepcionista, nem sei como fiz isso.

  O quarto é totalmente simples e aconchegante, só de vê-lo me deu uma vontade enorme de dormir, e é exatamente isso o que faço. Termino de botar a mala em um cantinho tiro os sapatos e pá, olá cama macia, caí no sono na hora em que minha cabeça tocou o travesseiro.

(...)
  
 Aqui estou eu, na frente do endereço que a mãe da Claire me deu dizendo que é o do seu ex marido, o John. Ele sempre foi muito legal comigo, ele falava que eu e a Claire ainda iriamos parar de frescura e admitir que gostávamos um do outro, e agora estou aqui pra isso, que engraçado não? Decido parar de enrolar e apertar a campainha, e logo o John a abre

-  Shawn??

- Err, Oi senhor

-  Não acredito que voltou com essa mania de me chamar de senhor, vamos entre fique à vontade

-  Desculpa, estou nervoso- digo enquanto entro e sento no sofá

- Por causa da Claire??

- Sim

- Você veio pra cá atrás dela??- ele pergunta assustado

- Basicamente

- Eu não entendo o por que dela ter fugido de você

- Eu sei mas não sei, é complicado demais para entender- desabafo, é exatamente isso, eu não tenho certeza do por que dela ter fugido, só vim atrás dela

- Eu entendo - ele ri com minha confusão - O  quarto dela é a primeira porta do corredor, espero que consiga tirá-la de lá, desde que chegou ela mal sai.

- Muito obrigado senh... John, licença

- Boa sorte Shawn, sempre achei que vocês combinavam

Lhe lancei um sorriso e fui para as escadas, é eu estou nervoso, chego no andar de cima e logo localizo seu quarto, paro, respiro, tomo coragem, bato à porta

- Já tomei o café pai- ela grita lá de dentro, mas vem até a porta e a abre- o senhor sabe que eu... - ela me encara vejo a confusão se espalhar pelos seus olhos - acordo muito cedo.- ela termina puxando o ar esbaforida.

- Claire eu preciso falar com você

- O que você está fazendo aqui?? - sua voz era fria, mas eu sabia que era fingimento, eu a conhecia mais do que ninguém, e eu a faria me ouvir custe o que custar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...