História Minhas Escolhas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Exibições 44
Palavras 4.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Magia, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIIIIIIIIIII MINA-SANNNNNNNNN!!!!!!!!!!!!!!! DESCULPE A DEMORA.
Tai o cap! boa leiura! e dsculpe qualquer erro ortorafico :3

Capítulo 11 - O céu perde uma estrela.


Fanfic / Fanfiction Minhas Escolhas - Capítulo 11 - O céu perde uma estrela.

Lucy chorava muito em no meu ombro enquanto nosso abraço continuava, não queria solta-lá de jeito nenhum, eu queria ficar lá com ela para sempre.

- Vejo que você já acordou, não é mesmo? –disse Porlyusica com um sorriso no rosto. –Esta sentido alguma coisa? –perguntou.

Lucy – Só um pouco de dor de cabeça. –disse Lucy colocando novamente sua mão m sua testa.

- Tome esse chá. –dava o chá para Luce. –Vai aliviar mais a dor.

Lucy – Ariagto. –disse com um sorriso no rosto que em deixava menos triste.

- Agora descanse, você precisa acumular o Maximo de energia. Natsu-san você poderia pegar uma vasilha com água que esta em cima da mesa por favor? –perguntou eu assenti. Fui em direção à cozinha e peguei a vasilha junto com um pano que estava dentro dela, fui andando até o quanto, mas quando estou prestes a entrar escuto Luce perguntar algo.

Lucy – Porlyusica-san, é verdade o que o Natsu em contou? –perguntou com uma voz triste, logo depois dessa pergunta ouço Porlyusica da um suspiro.

- Infelizmente sim... –disse com uma feição triste. –Sim Lucy-san, é verdade.

Lucy – Entendi... –ela abaixou a cabeça e antes que alguém pudesse falar algo eu entrei na sala.

Natsu – Aqui esta. –disse entregando a vasilha nas mãos de Porlyusica .

- Arigato Natsu-san. –ela pegou o pano e espremeu e colocou na testa da Luce. –Bom , agora tenho que sair  Natsu-san fique aqui com a Luce caso ela precise de ajuda, ta bom? –perguntou.

Natsu – Ok, esta bem. –responde e logo depois ela pegou maleta e saiu dixando u e a Lucy a sós no quarto, eu encarava a Luce e a Luce me encarava assim formando um silêncio completo. Der repente a Luce se encolia no cobertor com uma carinha de coelho sem cenoura. –Amo quando você faz essa carinha! –disse correndo para perto de si, depositando vários beijos na boca, bochecha, testa. Ela estava sorrindo... Aquele sorriso que faz meu coração encher de alegria. –Eu te amo Luce...-disse encostando minha testa na sua.

Lucy – Igualmente Natsu. –disse beijando minha bochecha. Eu vou estar com ela até o mundo finalmente ferrar minha vida a tirando de mim,mas enquanto isso não chegar irei aproveitar cada segundo ao seu lado, ao lado da pessoa que eu amo.

LEVY P. O. V

Ai meu...KAMISAMA!!!  O que eu vou fazer?! Pular de um prédio?! Ser atropelada por um carro?! Eu não tenho o que eu vestir!!!!!!!!!!!!!

Vocês devem estar boiando, né? Bom, vou explicar. Depois que a Lu-chan foi para sua casa com Natsu, eu fiquei tipo 1h com um sorriso no rosto por causa das coisas românticas que o Natsu falou para Lucy. Der repente o Gajeel chega perto de mim e pergunta se eu to bem e é claro que eu falei que sim e do nada ele começa a corar e meu coração começa a bater mais forte. Então ele pergunta se eu quero sair com ele! Foi nesse momento que eu fiquei sem chão, mas eu concerteza disse sim então agora  nesse momento eu estou procurando algo para vestir, mas adivinha eu não encontrei nada! Que inferno!

Eu até pensei  em vestir o Kimono que eu comprei ontem com a Lu-chan, mas eu estava guardando ele para o festival que a propósito vai ser amanhã. Meu quarto estava uma bagunça, roupas, fitas de cabelo e sapatos jogados por todos os lados.

Depois de mil décadas eu finalmente decide o que iria vestir para esse....Encontro! Corei. Bom, optei por uma blusa azul com uma saia preta ate um pouco acima das coxas com minha típica fita laranja. Em minha opinião eu estava fofinha com aquela botinha branca que eu esta usando.

                                                   ~. ~

Quando cheguei na guild, o Gajeel já estava lá me esperando, corri em sua direção e dei um ‘’oi’’ para ele que o mesmo retribuiu.

Sem mais demoras, saímos da frente da guild e fomos em direção a um restaurante qualquer. Sentamos em uma mesa sem dar uma palavra então resolvi quebrar o silêncio.

Levy – Então, como você teve essa? –que pergunta horrorosa Levy!

Gajeel – Er...Pois é né, como eu tive essa ideia? –disse coçando a cabeça.

- Já decidiram o que vão comer? –perguntou a garçonete com um sorriso no rosto, logo demos a ela nossos pedidos e ela foi embora deixando eu e o Gajeel sozinhos... Sem dar nenhuma palavra novamente. Passamos esse ‘’encontro’’ inteiro praticamente só falando: ‘’A noite esta linda.’’ ou ‘’A comida estava ótima!’’

Que merda! Nunca sonhe como vai ser um encontro, por que no final não é nada que você pensa. Depois de tudo isso, ele disse que queria me levar a um lugar especial, eu pra falar a verdade não estava muito animada, eu estava com sono e muito sono, mas não pude recusar então aceitei ele me levar a esse lugar especial.

                                                         ~. ~

Depois de andarmos pra caramba nós finalmente chegamos ao tal lugar especial. Ele tirou as vendas dos meus olhos e sim, eu estava vendada, quando ele tirou fiquei de verdade impressionada. Nós estávamos no meio d uma floresta que eu não conhecia sentados em uma toalha de piquenique com varias rosas de variadas cores ao nosso redor.

Levy – Gajeel... –ele fez shii para mim e fez um sinal para eu olhar para cima, quando fui erguer minha cabeça meus olhos brilharam com a cena maravilhosa que eles estavam avistando. A vista magnífica da lua com as estrelas ao seu redor, eu poderia ficar a noite inteira olhando para aquele céu. Der repente sinto as mão do Gajeel em meu ombro me obrigando a olha-lo.

Gejeel – Er...Levy eu queria te pedir uma coisa. –disse passando sua mão em sua nuca. Ai meu kami, não acredito que ele vai pedir a aquio! Alguém me sugura!

Lvy – P-pode flar.

Gajeel – Eu não vou falar muito, e sim vou logo falar de uma vez...- ela ta corando, ela ta vermelho, ta saindo fumaça da cabeça dele, ele vai explodir! –Levy! Você quer nomorar comigo?! –AI MEU KAMISAMA! ELE ME PEDIU MSMO O QU EU ESTAVA PENSANDO!! PELO MENOS ALGO BEM ACONTECEU NESSE ENCONTRO!!

Levy – Nossa Gajeel...Você me pegou de surpresa agora. –disse sorrindo.

Gajeel – Tudo bem. Eu sabia que você não iria aceitar mesmo... –disse abaixando a cabeça.

Levy – Não, não, não! Não é o que você esta pensando! Er...quero dizer que sim, aceito o pedido. –disse quase vomitando as palavras de tão nervosa. Meu coração estava a mil, parecia que ia sair de dentro de mim para m dar um tapa e falar: ‘’Acorda!’’ Depois de eu mesma ter dado um tapa em mim, me deparei com uma cena que não sairia da minha cabeça nunca mais. O Gajeel estava me olhando com um olhar de apaixonado para mim! Só faltava eu pegar fogo!

Gajeel – Estou feliz baixinha... –disse com um sorriso muito fofo no rosto. –Muito feliz!! –Do nada ele corre em minha direção e me abraça. Não sinto mais meu pés no chão, pois ele me carregou e depois ficou e girando, nós rimos por um bom tempo. Sentindo suas mãos quentes segurando minha cintura fina, parecia até um sonho. Tipo você querer uma pedra como amiga e um pedaço de macarrão concede seu desejo, a sensação que você iria ter é a mesma que eu estou tendo (eu acho*-*). –Minha baixinha. –disse roçando seu nariz no meu, tive um arrepio dos pés até o último fio de cabelo.

Levy – Me belisca...? –falei bem baixo.

Gajeel – Hã? –perguntou confuso.

Levy – Me belisca, por que acho que isso é um sonho! –falei dando um abraço nele. Arigato Gajeel. –disse limpando pequenas lagrimas.

Gajeel – Eu que preciso agradecer por você existir. –PARA, PARA, PARA TUDO! Essas palavras acabaram de sair da boca do Gajeel?! Não resisti, lagrimas começaram a cair sem parar, mas não eram lagrimas de tristeza e sim de falicidade, muita muita felicidade. Por algum estúpido impulso eu beijei ele, EU BEIJEI ELE!! De primeiro ele ficou surpreso pela minha ação, mas depois ele entrou no ritmo da dança. Foi um beijo calmo, sem malicia, afinal era o primeiro beijo de nós dois. –Te amo baixinha.

Levy – Te amo muralha.

AUTORA P.O. V

Casa de Porlyusica. Quarto de Lucy.

Lucy – Nastu, eu vou te fazer uma pergunta e quero que você e responda sinceramente. –disse seria.

Natsu – Pode mandar.

Lucy – Q-qual...-gaguejou corada. –Qual o tamanho do seu amor por mim?! –disse nervosa não olhando nos olhos do rosado. Ele ficou u pouco surpreso coma pergunta, mas logo um sorriso brotou em seus lábios.

Natsu – Do tamanho do mundo, universo, galáxias!! –falou o rosado a abraçando. Ele começou a trocar carinhos com ela. Lucy só sorria e seu coração se alegrava em saber que tinha uma pessoa que a amava muito ao seu lado naquele momento.

Mais também sabia que aquela pessoa que estava ao seu lado sorrindo, iria ficar aos prantos por sua causa. A loira se sentia culpada por ser tão fraca ao ponto de não conseguir se defender. Ela sabia que uma coisa terrível não estava tão longe de acontecer, sabia que aquela alegria era passageira, sabia que iria....morrer. Logo aquele sorriso alegre que estava em seu rosto sumiu, e Natsu percebeu isso.

Natsu – Lucy? Algum problema? Esta sentindo alguma dor? –perguntou preocupado.

Lucy – Não, não é nada. Eu estou com um pouco de sono. –disse a loira bocejando.

Natsu – Ok pode dormir você precisa descansar. –disse bagunçando seu cabelo que apropósito estava um caus. –Eu vou ficar aqui te observando.

Lucy – Não Natsu, eu estou melhor você pode ir La na guild. –disse sorrindo.

Natsu – Tem certeza? Não quero que você comece a sentir uma dor  eu não poder ajudar.

Lucy – Eu estou bem papai, não vai acontecer nada. –disse passando a mão no rosto do rosado que a pegou e beijou.

Natsu – Ok eu vou lá, mas vai ser bem rápido jaja eu volto. –falou se levantando e indo em direção a porta, quando chegou perto olhou para a loira. –Eu falo para eles sobre esse asunto? –perguntou.

Lucy – Não melhor não. Pra não preocupa-los.

Natsu – Ok. Até daqui a pouco. –disse saindo por fim.

Lucy – Até... –falou baixo. –Não posso o deixar saber... -disse serrando os punhos com os olhos marejados. –Não p-posso... –lagrimas já desciam sobre seu rosto relevando sua face triste.

Flashback On:

 Lucy – Porlyusica-san...Você esta escondendo algo? –perguntou a loira.

- E por que eu estaria escondendo algo criança? –perguntou colocando o pano úmido na testa de loira.

Lucy – Você esta agindo um pouco estranha.

- Natsu-san ainda não voltou, né? –olhou para a porta. –É bom ele não saber disso mesmo. –disse seria.

Lucy – Não saber o que?

- Lucy-san, u relamente não sei o que esta ocorrendo com você, mas não poderei impedir. –disse com um olhar frio.

Lucy – C-como assim? –perguntou assustada.

- Com essa perda de magia e energia, não poderemos impedir... –suou frio. Não querendo continuar o que estava falando fechou a boca e um selêncio nasceu no local, a loira não poderia mais esperar queria saber qual era o seu indesejável destino.

Lucy - Onegai Porlyusica-san me diga logo. –disse triste. Logo a mais velha suspirou e virou para a loira pegando em sua mão.

- Lucy não poderemos impedir... sua morte que não esta distante de si. –disse olhando fixamente para a loira que estava com seus olhos arregalados pelas palavras de Porlyusica.

Lucy – Quanto tempo você acha que eu tenho...? –disse olhando para sua marca da guild.

- Não muito, eu acho que uma semana ou até dias, mas eu não sei ao certo. –disse apertando a mão da loira.

Lucy – Que vida mais injusta... –disse limpando algumas lagrimas que caíra sobre seu rosto. – É melhor o Natsu não saber disso, não quero ver ele mais preocupado do    que ele já estar.

- Como desejar. –falou com tristeza em seus olhos.

Flashback Off.

 Depois de relembrar essas cenas, a loira soltou um sorriso forçado e olhou para a janela que tinha a vista de um céu bem estrelado.

Lucy – Que droga... –falou por fim e se ajeitou na cama para dormir.

Guilda:

Na guilda todas as pessoas estavam ocupadas fazendo as decorações da mesma. Natsu chegou e logo se impressionou com a decoração da guilda, cheias de estralas no teto, parecia que estava ao ar livre. Fitas rosas e amarelas e de varias outras cores espalhadas por cada canto da guilda.

Gray – Natsu! –chamou o moreno fazendo o rosado sair de seu trânse.

Natsu – Gray. Vocês arrasaram na decoração, né?

Gray – Claro! Todos então esperando para logo chegar amanhã, até mesmo eu.

Natsu – É. Daqui eu consigo ver a sua imaginação de como será amanhã. –falou dando um pequeno soco no ombro do amigo.

Gray – E então como vai coma loirinha? –disse com um olhar malicioso dando cotoveladas no braço do rosado.

Natsu – Luce? Ela esta bem. –mentiu. –Está em na minha casa. Não queria deixar ela sozinha na casa dela. –suou frio.

Erza – Vocês já estão morando juntos?! –disse a ruiva com os olhos brilhando.

Natsu – Não é b_ foi interrompido pela ruiva.

Erza – Natsu! Não seja tão bruto com ela e nem tão gentil!! E assim ela vai se apaixonar mais ainda por você!! –disse autoritária com os punhos fechados olhando para a face corada do rosado.

Natsu – E-ei!! O que você pensa que fazemos?! –perguntou corado.

Erza – Não sei. O que vocês fazem? –perguntou curiosa.

Levy – NATSUUUUUUUUUUUUU!!! –gritou a azulada pulando em cima do rosado.

Gajeel – Vai com calma baixinha! –disse ajudando a azulada levantar.

Levy – Desculpe, mas eu quero muito falar com a Lu-chan. Você sabe onde ela se meteu Natsu? Eu fui a casa dela, mas ela não estava lá. –perguntou se levantando e ajudando Natsu a levantar. Depois Natsu suou frio, não sabia o que responder. Então teve que optar para a opção que todos optam quando não podem demorar para responder. E essa opção era inventar qualquer coisa que vim em sua cabeça.

Natsu – Ela sem querer comeu uma frutinha do sono e desde manhã ela esta dormindo, só acordou para beber água e comer e depois dormiu de novo. O que Natsu?! Serio?! Não tinha coisa melhor para falar?! E qual é dessa de FRUTINHA DO SONO?! –pensou.

Levy – Serio?! Agora mesmo que eu quero vela! –disse preocupada.

Natsu – Você melhorou tanto as coisas Natsu!! Isso não é de si preocupar

 Levy. Lucy esta ótima, tudo bem? –falou com o rosto encharcado de tanto suor.

Levy – Sim, mas te certeza que ela esta bem?

Natsu – Claro Levy. A Lucy é muito mais forte do que você pensa! –sorriu forçado, muito, muito forçado.

Levy – Ah...Então tudo bem. Fale pra ela que quero muito fala com ela! –disse alegre.

Natsu – Claro!

Levy – Então certo. Já vou, BOA NOITE PESSOAL!! –disse acenando para todos da guilda, recebendo um ‘’boa noite’’ de volta. Enrroscou um de seus braços nos braços de Gajeel, assim saindo da guilda.

Natsu – O que aqueles dois...A esquece tenho que voltar pra casa! –falo o rosado correndo em direção a porta de guilda saindo logo em seguida correndo para a casa de Porlyusica. Correu como se sua vida dependesse daquela corrida até chegar ao seu destino. Abriu a porta e foi imediatamente ao quarto de Lucy que se encontrava dormindo tranquilamente. –Ai kamisama....Me preocupei por nada...-deu um sorriso e se aproximou da loira sentando ao lado da cama a observando enquanto dormia, fazendo carinho em seu rosto ainda mantendo o sorriso, mas sua face triste. –Por que isso teve logo que acontecer com você Luce? Se pudesse daria minha própria vida para seu bem, daria sem delongas, faria qualquer coisa por você. Por que você foi a primeira pessoa pela qual eu me apaixonei perdidamente...sniff* -secou as lagrimas que tinham acabado de cair. Seu coração estava partido por toda essa historia, não gostava de pensar em nenhuma possibilidade de ela falecer. Der repente a loira pôs sua mão em cima da mão do rosado que se encontrava em seu rosto, abriu os olhos lentamente com um sorriso fraco no rosto.

Lucy – E-eu estou....m-muito feliz em o-ouvir isso. –disse com certa dificuldade fazendo o rosado não entender por que de sua voz sair tão fraca e suas mãos tremendo com seus olhos entreabertos.

Natsu – Luce! O que aconteceu com você?! –perguntou exaltado.

Lucy – Não é nada, eu estou bem. –disse respirando ofegante como se estivesse acabado de sair de uma corrida.

Natsu – Não esta nada bem! Aconteceu alguma coisa?!

Lucy – Eu estava com sede então me levantei para pegar um copo de água. –falou com um olhar triste. -Desculpa... –logo o rosado percebeu que estava gritando com a loira e deu uma tapa em sua testa e pegou nas mãos de Lucy.

Natsu – Ah Luce, não precisa se desculpar. Não foi culpa sua na verdade eu que deveria pedir desculpas. Eu não devia ter deixado ela sozinha!

Lucy – Esta tudo bem veja eu estou bem. Você não precisa ser meu guarda 24h por dia. –brincou bagunçando o cabelo do rosado que tirou a mão da loira de sua cabeça e começou a beija-la. –Para, assim você me deixa envergonhada. –puxou rapidamente sua mão e logo se cobriu completamente com o lençol.

Natsu – Vou fazer você ficar com mais vergonha ainda! –falou se aproximando do ouvido da loira. –A-m-o-r-z-i-n-h-o<3  -falou com uma voz sedutora fazendo a loira arrepiar.

Lucy – S-sai Natsu! –falou empurrando o rosado que só ria da situação.

Natsu – Ta, eu paro. –falou tirando o lençol de cima do rosto da loira. –Que nada! –puxou a loira para perto de si e selou seus lábios em um beijo demorado. Um beijo cheio de saudades, carinho, felicidade e alegria. O beijo foi se desfazendo aos poucos deixando a loira um pouco sem graça quando o rosado a olhou nos olhos.

Lucy – Seu idiota. –empurrou o rosado novamente, mas ela não teve sucesso ao fazer isso, pois ele foi se aproximando ainda mais da loira. –Obrigado...obrigado por entrar na minha vida Natsu. –falou a loira acariciando o rosto do rosado.

Natsu – O que aconteceu com você, Luce? Nunca você falou essas coisas para mim. –disse confuso.

Lucy – Ué? Não posso ser romântica? Aproveita enquanto eu estou assim.

Natsu – Vou aproveitar. Concerteza! –disse rindo. –Agora vamos dormir, já esta tarde. Amanhã vou perguntar a Porlyusica se você pode ir a guilda para se divertir um pouco. –disse o rosado enrolando uma mexa do cabelo da loira sem seu dedo.

Lucy – Hai! Boa noite.

Nastu – Otima noite.

Natsu p.o. v

Já era de tarde e eu e Luce estávamos almoçando. Antes de Porlyusica sair para não sei aonde pede dela se a Luce poderia ir a guilda hoje a noite, para ela se divertir um pouco. Mas só depois de 5h pedindo de joelhos no milho ela deixo, só que ela falou que se a luce sentir qualquer mal estar era para eu leva-la imediatamente para de volta para casa.

Neste momento Luce esta se arrumando e eu só vesti um kimono preto com alguns detalhes em vermelho. Escutei a porta ser aberta e quando Luce saiu senti vontade de não deixar mais ela ir na festa por que MAVIS DO CÉU!! ELA ESTAVA UMA DIVINDADE!!

Ela usava um kimono curto preto e branco com flores. Eu a elogiei tanto que ela pediu para eu calar a boca para podermos ir logo à festa.

Natsu – Vamos, minha brilhante estrela. –disse pegando em sua mão. Fomos em direção a festa conversando vários assuntos e a cada 1 segundo eu perguntava se ela estava se sentindo bem e ela sempre dizia ‘’sim’’ ou ‘’se eu senti algo eu falo’’ ou ‘’Se você perguntar isso mais uma vez, eu vou fazer você se sentir mal!’’

Chegando La todos olharam para Luce me deixando um pouco incomodado, mas na verdae todos foram em direção a ela perguntando se ela estava bem ou se aconteceu alguma coisa, resumindo: eles estavam MUITO preocupados. Depois de muito tempo dizendo que ela estava bem, nós fomos nos encontrar com o nosso grupo.

Natsu – Iai pessoal.

Lucy – Oi gente. Como vão? –cumprimento Luce.

Levy – Lu-chan! Eu tava preocupada! –disse Levy pulando no pescoço de Luce. –Nunca mais faz isso! Se você quer sumir pelo menos me leva junto!

Lucy – Gomen Levy-chan, eu estava muito ocupada. Juro nunca mais preocupar você. –falou doce.

Levy – Ok! Lembre-se que você jurou! –disse desfazendo o abraço e olhando direito agora para Levy. Ela ta muito bonita também. –Você ficou uma deusa nesse kimono Lu-chan. –falou com os olhos brilhando.

Lucy – Você também Levy-chan! Você ta uma deusa também, se eu fosse um homem, iria te sequestrar. –brincou e eu dei uma gargalhada.

Natsu – Ouviu né? Ferro ambulante. –falei olhando para Gajeel.

Gajeel – O que tem eu nessa historia?! –perguntou um pouco corado. Desconfiei isso e percebe que o cheiro da Levy tava um pouco estranho.

Natsu – AH NÃO ACREDITO?! –disse colocando a mão na boca. –Você e a Levy estão juntos!!! –disse com uma voz fina, só por bagunça.

- Hã?! –disseram os dois juntos.

Gajeel – C-como v-você descobriu?! –perguntou com fumaça saindo da cabeça. O que ele é agora? Uma chaminé por acaso?

Natsu – O seu cheiro esta infestado no corpo da Levy. –quando falei isso todos olharam para a Levy e o Gajeel que estavam parecendo um tomate.

Gajeel – Ta eu confesso. –disse alevantando suas mãos. –Ontem eu pedi a Baixinha em namoro, mas o que tem? O rosinha ta praticamente casado com a loirinha e vocês não falam nada. Então não me julguem! –disse desviando o olhar para o lado. Olhei para a Luce e ela estava enroscando seus dedos um no outro e estava muito corada. Filho da mãe! Fez a Luce ficar com vergonha!

Levy – Muralha!! –muralha? Pera...(analisando)...(analisando)...\*0*/ ENTENDI!!

Natsu – Mu-muralha....hahahahaha!! –comecei a rir que nem uma hiena e todos começaram a rir de mim iguais a uma hiena.

Erza – Chega! Temos uma missão a fezer! –disse Erza com a auela voz que faz até o capeta ficar com medo.

Gray – E...Qual s-seria? –perguntou tremendo. A Erza deu uma risada maligna e depois um olhou com um olhar de que iria vir merda.

Erza – Se divertir ao Maximo! E BEBER MUITO!! –gritou com uma cerveja na mão, tratei logo de tirar eu e a Luce daquela roda. Fomos andando até as partes onde ficavam as guloseimas e as bebidas, peguei um copo e suco para mim e outro para Luce que parecia estar um pouco suada. Comecei a me preocupar.

Natsu – Esta tudo bem? –perguntei.

Luce – Esta. Não se preocupe comigo, vamos curti um pouco o festival. –disse ofegante. Parecia que ela tinha corrido muito por que seu rosto estava um pouco vermelho, sua respiração ofegante e ela estava suada.

Peguei em sua mão e a levei para um lugar mais afastado do povo, a sentei no banco e depois sentei ao seu lado. Coloquei minha mão sobre sua testa e ela estava fervendo de febre.

Natsu – Você não esta nada bem! Vamos para a casa da Porlyusica agora! –disse pegando sua não novamente a levantando, mas ela se soltou e voltou a se sentar. –Luce.

Lucy – Dai....daijobu. –disse com dificuldade. –V-amos aproveitar... a festa. –falou se segurando no banco. Sem esperar mais nada a peguei nos meu braços e sai correndo para a casa de Porlyusica. Luce ainda estava suando mais só que agora o corpo dela estava esfriando mais do que o normal.

Onegai Luce, resista!

Autora P.O. V

Natsu corria desesperadamente em direção a casa de Porlyusica com Luce em seus braços. Depois de pouco tempo eles chegaram, imediatamente o rosado colocou a loira sobre sua cama e foi a procura da mais velha.

Natsu – Porlyusica-san! Porlyusica-san!

- Natsu! O que aconteceu?! –perguntou exaltada.

Natsu – A Luce! Por favor ajude a Luce! –implorou o rosado.

- Onde ela esta? –perguntou.

Natsu – No quarto. –disse apontando para o quarto. Ambos foram apressados para dentro do quarto e quando entraram a loira havia vomitado sangue e isso fez com que Natsu arregalasse os olhos já marejados. Luce! –correu em direção a loira e pegou em sua mão fria.

- Natsu-san, tenho que pedir que se retire.

Natsu – O que?!

- Por favor! Juro que farei o impossível para ela viver! –disse olhando para a loira. –Onegai. –o rosado assentiu com a cabeça e depositou um beijo na testa da loira.

Natsu – Estarei te esperando Luce. –disse por fim e se levantou para sair qundo é segurando pela mão da loira. Luce?

Lucy – N-atsu...quero q-que me...p-prometa uma...coisa. –disse com muita dificuldade.

Natsu – O que?! Qualquer coisa?! –disse voltando a segurar na mão da loira.

Lucy – Prometa que você vai sorrir, mesmo que o mundo vire de cabeça para baixo v-você vai sorrir. –disse acariciando o rosto do rosado que esta chorando.

Natsu – Prometo! Eu prometo! –falou aos prantos.

Lucy – A-arigato. Lembre-se...você p-prometeu... –falou com uma voz fraca, seus olhos iam se fechando devagar e sua respiração ia acalmando até a força que suas mãos estavam fazendo para continuar a segurar as mãos do rosado de desfazerem. Logo o rosado entrou em pânico.

Natsu – Luce?...Luce!Luce! –gritou o rosado apertando as mãos da loira. –não pode ser...

Guilda:

Na mesma hora que o coração da loira deu sua ultima batida todos sentiram uma pontada em seus corações. Ninguém entendeu aquela sensação, mas tinha algo que dizia que não era algo bom.

Levy, Gajeel, Erza, Gray, Wendy, Happy e Charla foram em direção a casa de Porlyusica. E eles sabiam que a noticia que iriam receber não era uma das melhores, mas mesmo assim seguiram caminha.

Tudo que é bom tem seu lado ruim. A vida tem a morte, a felicidade tem a tristeza e o céu tem suas estrelas perdidas...


Notas Finais


e então...GOSTARAM?! ODIARAM?!
Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...