História Miraculous - A origem de Chat Blanc - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Miraculous
Exibições 60
Palavras 820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


desculpe a demora, tive alguns problemas. mais tudo volta ao normal hoje
boa leitura

Capítulo 14 - Final Part 1


 

3 meses depois

Marinette/ Ladybug on

 Nunca havia tido tanto caos em Paris, ele realmente disse e fez, três meses de caos e desordem em paris, ele saia e espalhava terror, uma vez ele simplesmente entrou na prisão e espancou todos os guardas.

Paris não estavam a salva, ele literalmente e meu maior inimigo, o pior e mais perigoso vilão que Paris teve.

Alya estava em coma ainda, e sem qualquer chance de acordar, isso me deixava muito nervosa, saber que ele fez isso com minha melhor amiga e eu não posso fazer nada, ele e melhor do que eu em tudo, ele espalhou o terror, e ate eu estou com medo.

Mais isso não e desculpa para não agir, eu vou continuar e acharei um jeito de trazer meu Chat noir devolta nem que isso custe a minha vida.

Adrien/ chat Blanc on

Era final de ano, escola havia acabado e finalmente poderia passar um tempo bem sozinho com meu pai.

Aquele sujeito acha que pode me dizer o que fazer e quando fazer. Eu quero mesmo destruir tudo que Ladybug protegeu.

Tudo o que ela faz contra mim e em vão, tanto esforço em tentativas fúteis de me para.

Mais eu quero, eu quero mais por que está e minha vontade.

Destruir Ladybug seria um exagero?

Hoje as coisas mudam para sempre.

- Plagg transforma-me – digo e logo entra meu pai – o que você quer? – digo em um tom serio

- O que pensa que vai fazer? – diz ele

- Apenas meu trabalho de destruir ladybug

- Não, acabou Adrien, Chat blanc morre hoje

- Não mesmo, você fez isso comigo agora vivera com a sua consciência pesada para sempre e quando eu voltar com as mãos cheias de sangue, não pense que apenas batera no meu ombro agradecendo e dizer que valeu a pena pois não valeu.... Paris foi muito ruim para mim desde a morte da mamãe... espero que os fins justifiquem os meios... por que se não der certo você perdera tudo meu pai – digo saindo pela janela

Dizem que os fins não justificam os meios ... será... tanta coisa que fiz tudo para trazer minha mãe de volta.

Estou cansado. Tudo acaba hoje.

 

 

Me sinto quebrado

Caindo em pedaços

Porque sei que estou fora e não consigo voltar

Toda a minha insanidade eu preciso provar

Não dá

Eu já deixei me dominar

Uma fera fora da jaula, quem pode controlar?

Sinto que estou mais forte e nem eu posso parar

Você não pode mais me ver

Pois tem alguém no meu lugar

 

Cheguei a um extremo

Posso até estar morrendo e eu já quero isso mesmo

O errado é tão certo e o certo é tão errado

O mal que me faz bem é o que me deixa alucinado

 

E quem vai entender? (quem vai entender)

Se quero pra mim morrer

Eu odeio o que virei, mas me faz sentir tão bem

Pois quando estou nas sombras sou forte como ninguém

 

Estava no alto de um prédio era noite, quando sou derrubado ate o chão, caindo com tudo.

- grrrr.... – Exclamo me levantando

- Sua merda branca – diz Ladybug com o ioiô em mãos

- Olha a boca, que ser um mal exemplo para as criancinhas?

- Cala a boca – diz ela tacando o ioiô e me acertando no rosto

Ela se aproxima e me golpeia no estomago e logo me acerta no rosto

- hrgg...  Devagar my lady mal consigo me defender

- Cansei de brinca Chat .... Hoje só um de nós sairá vencedor

- eh? Então seria eu

Saco meu bastão e continuamos a luta. Lutávamos quando de repente cinco viaturas da polícia chegaram onde estávamos

- Parado Chat blanc – diz um policial

- Para tras eu estou tratando disso ele e perigoso demais – diz Ladybug

- atirem nele – ordenou o policial e todos começaram

- NAOOOO – disse ladybug

Eu comecei a desviar e correr para me proteger. Estava subindo o prédio quando um tiro me acertou lateralmente abaixo da costela

- AHHHHH – eu cai, mais não perdi tempo e continuei fugindo

Enquanto corria continuavam a atirar e outro tiro pega em minha perna antes que eu dobrasse a esquina

Ladybug on

- Cessar-fogo, vamos atrás dele – disse o policial

- Ele e perigoso senhor deixe isso comigo – digo

- Lamento mais agora e com a gente, temos ordens de mata-lo se for necessário

- Se o pegarem antes de mim – digo sacando o ioiô

Por cima teria uma visão melhor, eu segui os rastros de sague até um prédio velho no centro, no qual estava com aviso de predio de desabamento.

Ao chegar na porta logo a polícia vem junto

- Por favor me de 20 minutos e eu acabo com isso

- Sinto muito eu já disse

- Vamos ele já está ferido será rápido

Ele respirou

- 20 Minutos nada mais nada menos – diz ele e eu entro 


Notas Finais


continuara


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...