História Miraculous - As aventuras de Lady Bug - Amor revelado - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Lady Bug, Miraculous, Romance
Visualizações 448
Palavras 2.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia galerinha amante de Miraculous! Segue mais um capítulo pra vocês. A música que me inspirou para escrever esse capítulo é a In the rain, música da própria série (cena da chuva). A letra é a tradução da versão em inglês. Para quem estava com saudades de Adrienette! Espero que gostem. Boa leitura!

Capítulo 20 - In the rain


Fanfic / Fanfiction Miraculous - As aventuras de Lady Bug - Amor revelado - Capítulo 20 - In the rain

Ela estava na escadaria da escola de novo. Olhava admirada a chuva torrencial no cair da tarde

Mas estava transformada agora. O uniforme vermelho de bolinhas petras a identificaria facilmente.
Ela era a heroína de Paris, Lady Bug.

Em meio ao som constante dos pingos de chuva caindo no chão, ela podia ouvir ao longe os acordes da canção que conhecia muito bem. E isso a fazia  pensar nele...

Porque simplesmente não conseguia esquecê-lo? Os olhos de esmeralda nunca deixavam seu pensamento.

“Você pensa em mim?

O que sou para Ti?

Chegue mais perto de mim

Você não pode ver que eu estou sempre aqui?”

De repente ela virou-se e lá estava ele, caminhando em sua direção. Adrien chegou bem perto da escadaria, estendeu-lhe o guarda chuva e sorriu. Aquele sorriso que abalava suas estruturas e lhe roubava o chão.

“Você não pode ver e eu não sei o que fazer

Mas mesmo assim eu nunca vou desistir

Eu desejo desvendar meu verdadeiro eu para você

Tenho certeza de que algum dia vou desmascarar a verdade do meu coração

E dizer-te finalmente...”
Ela queria dizer a Adrien o quanto o amava, mas as palavras simplesmente não saíam.
Ouviu seus brincos apitarem pela última vez e em desespero olhou para ele que não desgrudava o olhar da sua face.
A luz brilhante envolveu seu corpo fazendo com que voltasse a ser Marinette. Ela viu nas íris verdes aquilo que mais temia... Decepção
.
Ele lhe deu as costas e foi embora.
Grossas lágrimas caíram pelo rosto de Marinette e se misturaram a chuva quando ela saiu correndo debaixo do temporal sem rumo, sem esperança... Seu amor mais uma vez rejeitado.

No dia seguinte na sala de aula, Marinette se concentrava na prova de história, enquanto tentava ignorar a dor que latejava em sua cabeça devido à queda da noite anterior. Sentia-se com sorte por ter conseguido esconder o curativo por baixo dos cabelos que estavam soltos. Como havia um tempinho que ela não os cortava, as madeixas haviam crescido rapidamente e já alcançavam um pouco abaixo dos ombros. Colocara ainda uma tiara vermelha para que os fios não caíssem nos olhos.
Alya a elogiara dizendo que estava linda e insiuara discretamente que ela teria mudado o visual para “causar” no ensaio com um certo modelo loiro de olhos verdes naquela tarde. Marinette bufou, revirando os olhos. Alya parecia ter esquecido completamente que Adrien estava comprometido secretamente com a megera da Chloé. Aliás, não era uma questão de ter se esquecido, ela duvidava completamente do fato e Marinette não conseguia entender porque a ruiva tinha tanta certeza de que o maldito beijo que presenciara havia sido uma armação da loira.

Virou-se e deu uma olhadela nos fios dourados a sua frente. Adrien também parecia estar concentrado na prova. Como ela chegara atrasada mais uma vez devido à noite mal dormida, não tivera chance de sequer ficar olhando muito pra ele.

- Muito bem pessoal! - A Srta. Bustier anunciou, arrancando Marinette de seus devaneios - Aqueles que já tiverem terminado a prova podem me entregar e sair para o intervalo.

Poucos minutos depois Adrien levantou-se, entregou a prova e saiu, não sem antes dar uma olhada na direção de Marinette, que para variar, estava com o olhar vidrado nele. Ele lhe deu uma piscada e sorriu lindamente. Marinette sentiu seu rosto esquentar e tratou de abaixar logo a cabeça se afundando nas questões da prova que ainda lhe faltavam.

Quando finalmente saiu junto com os últimos alunos, encontrou-se com Alya e Nino no pátio.

- Finalmente amiga! – A ruiva caçoou sem dó – Estava tão difícil assim?

- Mais ou menos. Pior é me concentrar nas questões e driblar essa dor de cabeça...

- Porque você não vai à enfermaria Marinette? – Nino aconselhou entre uma golada e outra de refrigerante

Ela fez uma careta.

- Não gosto de ficar tomando remédios. Daqui a pouco passa...

- Você só precisa passar um tempinho com aquele garoto que está vindo ali – Alya disse maliciosa, virando o rosto de Marinette na direção de Adrien.

O modelo foi parado no meio do caminho por uma série de garotas pedindo seu autógrafo na mais nova revista de moda que continha suas fotos em trajes de inverno. Marinette também não havia resisitido e comprado a revista. Como sempre ele estava lindo!

Ele permanecia impassível diante do olhar apaixonado que as fãs lhe lançavam, assinando as revistas com rapidez, sempre gentil e atencioso, mas distante. Marinette conhecia muito bem aquele olhar! Ele realmente não apreciava sua fama e dar autógrafos era uma mera chateação, nada de prazeroso para o loiro.
De repente ele olhou pra frente e fitou os olhos dela, terminando de assinar a última revista com o olhar preso em Marinette.
Sorriu e caminhou em direção aos amigos.

Oh céus, lá vamos nós!

- Oi pessoal! – Ele cumprimentou – Tudo bem Marinette?

Ela tinha a impressão que ele sempre estava perguntando se ela estava bem. Devia estar sempre com uma cara de assustada ou de doente perto dele, pensou desanimada.

- Sim... Só um pouco de dor de cabeça.

- Devia ir à enfermaria – Ela pensou ter visto preocupação nas íris verdes.

- Foi o que eu disse... – Nino concordou

- Vamos, eu te levo – ele lhe estendeu a mão

- N-não precisa, já vai passar.

- Anda Marinette! Vai com o Adrien – Alya a empurrou quase que nos braços do modelo – Não pode ficar sentindo dores esperando passar. Tem que se cuidar!

Diante daquela pressão ela acabou cedendo e aceitou a companhia do loiro que a conduziu pelo braço até a enfermaria.
A dor na cabeça estava bem forte e ela teve que explicar para a enfermeira sobre o ferimento diante dos olhos atentos de Adrien. A enfermeira fez um novo curativo e deu-lhe remédio para dor, dizendo que era normal sentir dor de cabeça após uma pancada forte.
Eles saíram da enfermaria e iam caminhando para a sala de aula quando Adrien lhe perguntou:

- Como foi que você se machucou Mari?

- E-eu... Cai na cozinha, subi para pegar... nem me lembro mais o que no armário e a cadeira escorregou. Eu bati a cabeça no balcão – mentiu e sentiu seu rosto esquentar.

Adrien lembrou-se do acidente de Lady Bug na noite anterior, o ferimento bem parecido com o de Marinette, quase que no mesmo lugar. Não era muita coincidência?
Olhou para o rosto ruborizado da garota a seu lado. Os cabelos soltos cor de ébano tinham um brilho espetacular e eram muito macios como ele já havia comprovado. Se parasse para analisar, Marinette tinha traços muito semelhantes ao de Lady Bug... Mas suas personalidades eram bem diferentes. Balançou a cabeça em negação. Estava ficando louco por amar as duas garotas que provavelmente seu coração já estava querendo lhe pregar peças o levando a considerar a possibilidade das duas ser a mesma pessoa. Mas ele não tinha tanta sorte assim.
Ele deu uma risadinha

- Isso é a sua cara Mari...

- É mesmo? Seu engraçadinho! – Ela lhe deu um soco leve no ombro e riu também

Ao final da aula Adrien deixou combinado com Marinette que a encontraria na sala de música da escola logo após sua aula de esgrima.

Ela foi para casa almoçar, mas estava tão ansiosa que quase nem comeu e voltou para o colégio caminhando a passos largos. Tikki percebeu sua ansiedade quando ela entrou no vestiário feminino

- Acalme-se Marinette, você está muito nervosa!

- Minha vontade é sair correndo daqui Tikki! Ai, porque eu fui concordar com essa apresentação? Eu não vou conseguir fazer isso de novo!

- Para com isso Marinette, você vai conseguir sim! Confie em si mesma.

- É difícil confiar em mim depois de tudo que aconteceu... Eu ainda o amo Tikki!

A joaninha se compadeceu da garota, mas sabia que ela precisava seguir o caminho da maturidade. Sua vida e sua missão dependiam disso, ainda que ela não tivesse total conhecimento.

- Pare de pensar no que passou Marinette e siga em frente. Agora não dá para voltar atrás!

Ela respirou fundo. Tocou no pingente de gatinho da gargantilha que Chat lhe dera há alguns dias.
Como sentia falta daquele gato estúpido!

- Tem razão Tikki! Não posso voltar atrás agora. Vamos lá!

- Essa é minha garota! – A kuami voltou ao seu lugar dentro da bolsinha

Marinette estava adiantada para o ensaio devido à grande ansiedade que lhe acometera. Entrou na sala de música e não havia ninguém. Ela ficou perambulando pelo enorme cômodo onde havia vários instrumentos, desde os mais simples até os mais exóticos.
A escola contava com excelentes professores de instrumento e canto. Um incentivo a mais para os alunos desenvolverem suas habilidades musicais.
Ela viu o belo piano preto que Adrien havia usado no dia do trabalho de história. Doces lembranças vieram a sua mente. Passou a mão suavemente sobre as teclas que ele dedilhara com tanta maestria naquele dia. Ele era incrível! Tocava maravilhosamente, com tanta classe e elegância! Suspirou.
Você está andando em terreno perigoso Marinette Dupain Cheng! Recriminou-se mentalmente.

Ela andou um pouco mais pela sala acarpetada e aproximou-se das estantes pedestais onde estavam algumas partituras. Ela conhecia a maioria daquelas canções. Enquanto folheava tentando encontrar alguma que lhe agradasse, seu sonho da noite anterior invadiu sua mente com a força de um relâmpago. Ela fechou os olhos lembrando-se da canção que parecia ser tema de seus dois últimos sonhos.
Sem perceber já estava cantando

 Eu já vi dias de chuva com melancolia pura e sem limites

Esse dia ainda toca tão claramente, eu sinto a sua vibrante agitação

Não consigo apagar a memória do meu coração

Tão calmante o verde suave do seu olhar

Eu olho e sonho...

Adrien a encontrou assim, cantando com voz suave e melodiosa uma canção que ele nunca tinha ouvido. Ela estava de costas para a porta e não percebeu ele entrar.

Você pensa em mim?

O que sou para Ti?

Chegue mais perto de mim

Você não pode ver que eu estou sempre aqui?

Você anda pela estrada e me deixa para trás

Eu puxo todas as minhas forças, apenas para mostrar um sorriso escondido

Ele recostou-se na porta e ficou ali parado apenas ouvindo a doce voz que inebriava seus sentidos. Começou a prestar atenção na letra da música que ela cantava. Era linda e triste ao mesmo tempo.
Um amor não correspondido... O coração do modelo falhou uma batida.

Você não pode ver e eu não sei o que fazer

Mas mesmo assim eu nunca vou desistir

Eu desejo desvendar meu verdadeiro eu para você

Tenho certeza de que algum dia vou desmascarar a verdade do meu coração

E dizer-te finalmente...

Ela voltou ao início da canção que não era muito longa. Estava tão absorta cantando, provavelmente os olhos estavam fechados que sequer o ouviu sentar-se ao piano. Ele começou a dedilhar as teclas, tentando pegar a melodia que ela cantava.

Ela virou-se devagar, ainda cantando e fitou-lhe os olhos. Ele tocava, mas cometia alguns deslizes, não apenas por não conhecer a música, mas também porque havia se perdido nos oceanos profundos que eram os olhos de Marinette.

Você não pode ver e eu não sei o que fazer

Mas mesmo assim eu nunca vou desistir

Eu desejo desvendar meu verdadeiro eu para você

Tenho certeza de que algum dia vou desmascarar a verdade do meu coração

E dizer-te finalmente...

Ela parou e desviou o olhar ruborizando. Aquela canção representava sua história com Adrien Agreste.
Desde aquele primeiro dia... O momento que nunca lhe saía da memória. Naquela tarde chuvosa os olhos de esmeralda a fitaram intensamente pela primeira vez... A chuva do lado de fora nem se comparava com a tempestade que se formara em seu interior naquele momento. O coração batia descompassado e por mais clichê que pudesse ser, ela sabia que tinha sido amor a primeira vista! Puro e simples. Ela o amou a partir daquele momento.
Mas ele nunca a notara, não a via... Ela estava sempre ali a seu lado, mas ele não percebia...
E ela não sabia o que fazer, nem como lhe dizer o que se passava em seu coração... Não sabia como dizer que o amava... Apesar de tudo, ainda o amava!

- Mari... – Ele a chamou suavemente trazendo-a de volta ao presente

Ela voltou a olhar pra ele. Como poderia arrancar aquele sentimento tão forte do seu coração?

- Você... t-tocou a m-música... você a c-conhece?

Ele percebeu que a canção a deixara emocionada e a ele também porque de repente ficou difícil controlar as batidas do coração e aquela já conhecida avalanche de sentimentos que o invadia, fazendo-o perder o fôlego toda vez que fitava as íris azuis.

- Eu nunca a tinha ouvido, mas tentei acompanhar a melodia que você cantava. Como ela se chama?

Ela sorriu, mas ele notou a tristeza em seus olhos

- Eu também não sei. Nunca a tinha ouvido antes de... - Ela parou, pensando em como iria explicar aquilo. Era no mínimo estranho.

Ele a olhou interrogativo

- De?

Ela corou e pôs uma das mãos na nuca

- Você vai rir ou me achar maluca....

- Como assim? Claro que não vou rir e muito menos pensar que é maluca... Me conte! Está me deixando curioso

Ela suspirou

- Eu não conhecia a música até... Sonhar com ela.

- Sério? – Ela assentiu e ele continuou intrigado – Está me dizendo que essa música que você estava cantando é proveniente de um sonho?

- Sim. Eu procurei na internet. A música não existe... Apenas aqui – apontou para sua própria cabeça

- Então vamos representá-la! Isso vai ser demais! Uma composição sua...

Ela riu

- Não posso dizer que a composição é minha! Eu não criei essa música, apenas sonhei com ela. É diferente.

- Mesmo assim! O sonho foi seu, logo, a música veio de você. Eu gostaria muito de trabalhar na melodia dela, por favor Mari!

Marinette não havia pensado em outra música e aquela não lhe saía da cabeça e dos seus sonhos. Ela não entendia como aquela música surgira ou porque... No entanto mais uma vez se via ali com Adrien, em uma oportunidade única de cantar pra ele declarando seu amor e indiretamente retirando sua máscara.

- Está bem! Vamos trabalhar com essa música. Na verdade já está quase tudo na minha cabeça, mas é claro que você pode dar sua opinião e... Fazer do seu jeito também.

Ele sorriu satisfeito por ela ter concordado

- Obrigado Mari... Vamos fazer isso juntos. Que nome quer dar a música?

Ela pensou e decidiu que o nome deveria ter um significado que representasse o dia mais marcante da sua vida até aquele momento. O dia em que se apaixonou por Adrien...

- Eu gosto de In the Rain (Na chuva)

- Perfeito! – Ele pegou uma folha e começou a fazer anotações – Então vamos começar!

Passaram a tarde toda trabalhando na melodia da música. Marinette cantava da forma como havia se lembrado que era no sonho e Adrien ia reproduzindo as notas, fazendo alguns ajustes aqui e ali. Ele não lhe perguntara como havia sido o sonho e ela agradecia por isso. Seria no mínimo constrangedor contar que ficava sonhando com ele quase todas as noites.

Depois de mais de duas horas de ensaio, eles se deram por satisfeitos.

- Acho que começamos muito bem essa música! - Ele disse animado - No próximo ensaio provavelmente terminaremos toda a melodia.

Ela assentiu e levantou-se da cadeira que estava posicionada ao lado do piano onde passara a maior parte da tarde.
Estava com seu equilíbrio abalado por ter ficado tanto tempo próxima a Adrien, sentindo seu perfume, observando suas mãos e sua expressão quando tocava, o brilho nos olhos quando registrava na partitura as notas da música. A música que estavam fazendo juntos, pensou.

Adrien se levantou junto com ela. A pungente necessidade de tocá-la havia ultrapassado o limite que ele podia suportar.
Pegou nas mãos de Marinette fitando os olhos azuis. Ele sentia tanta saudade de tê-la nos braços, de acariciar-lhe os cabelos e beijar a boca rosada e macia, sentindo o gosto doce dos seus lábios que chegava a doer!
 Aquelas duas horas ao lado dela, ouvindo-a cantar aquela música, haviam acabado com seu controle. A única coisa que o impedia de trazê-la para seus braços e se perder em seus lábios era o medo de ser rejeitado por ela. Sentia o corpo dela se enrijecer pelo simples fato de ter pegado em suas mãos. Ele não queria afastá-la, queria reconquistá-la. Mas depois de tê-la tão rendida em seus braços quando a visitara como Chat Noir, era difícil controlar-se agora e manter a distância. Respirou fundo reuninndo toda força que conseguiu e falou suavemente

- O gorila já deve estar me esperando lá fora. Eu te deixo em casa.

- Não precisa se incomodar Adrien, é perto, chego em casa num instante.

- Não é incômodo algum. É um prazer e uma forma de agradecer por estar aqui e me deixar fazer essa música junto com você.

Ela suspirou, ele sempre conseguia convênce-la de qualquer coisa que quisesse! Que poder era esse que Adrien exercia sobre ela?

- Está bem – ela aquiesceu – Obrigada...

Adrien a deixou em casa e cedendo a força do desejo, despediu-se de Marinette com um beijo no canto dos lábios, quase um selinho. Ela não pode evitar ficar corada.

Entrou em casa suspirando. Estava encrencada!
Ir a um baile com Adrien Agreste, cantar enquanto ele tocava a música que representava seus sentimentos secretos por ele e ainda manter o controle sobre suas emoções? Onde ela estava com a cabeça quando pensou que isso daria certo?


Notas Finais


Gostaria de agradecer a todos que favoritaram, deram notas e os comentários incríveis!
Vocês são demais! Amo ler cada comentário e fico muito feliz com as diversas opiniões sobre a história.
Até o próximo capítulo! Forte abraço!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...