História Miraculous Chimie (2° temporada) - Capítulo 4


Escrita por: ~, ~anacysmil e ~Brugrazzi

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Adrinette, Chat Noir, Hentai, Ladrien, Ladybug, Ladynoir, Marichat, Miraculous, Tikki
Visualizações 54
Palavras 1.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, nós ficamos um bom tempo sem postar, por causa das férias e das provas. Massa se voltamos com tudooooo rumo a segunda temporadaaaaaa. Semana que vem tem maissss

Capítulo 4 - Nossas Intrigas


Fanfic / Fanfiction Miraculous Chimie (2° temporada) - Capítulo 4 - Nossas Intrigas

POV's Marinette

 

 

Abri os olhos tentando me acostumar com a luz do quarto. Por um momento me assustei por não ver as paredes rosas ou minha mãe me chamando para o café. Isso ficou para trás, agora eu estou na faculdade.

 

Alya estava escovando os dentes no banheiro, o que me deu oportunidade de falar com Tikki.

 

Marinette- Tikki?

 

Minha pequena Kwami saiu de baixo da cama e vou rapidamente até o cookie que estava na minha mão.

 

Tikki- Não é só porque você está na faculdade que você tem que deixar de me alimentar!

 

Ela me deu lingua e em seguida sentou no meu colo.

 

Tikki- Você já vai sair?

 

Marinette- Sim, hoje é o primeiro dia de aula. Que a propósito, não posso me atrasar!

 

O barulho de água correndo parou de ecoar dentro da porta, provavelmente Alya sairia dali logo.

 

Marinette- Tikki, se esconde! Vai pra dentro da minha bolsa!

 

Alya saiu do banheiro já vestida para aula.

 

Alya- Marinette, você ainda não se vestiu? Faltam 10 minutos pra aula começar!

 

Droga! Por eu sempre tenho que me atrasar?!

 

Corri para o banheiro e em menos de cinco minutos estavamos no corredor indo pra primeira aula. Alya percebeu que minha cara não estava nada boa.

 

Alya- Marinette! Eu já disse que as pegadinhas que os veteranos fazem com os calouros só existêm em filmes!

 

Marinette- Mas, e se eles rasparem meu cabelo ou tacarem ovo na minha cara!?

 

Eu disse quando estavamos chegando na porta da sala. Nossa primeira aula, seria exclusivamente para calouros, um tipo de boas vindas.

 

Alya- Fala sério, Marinette!

 

Ela começou a rir da minha cara.

 

Marinette- Que ótima amiga você é...

 

Olhei com cara de desaprovação e começamos a rir juntas.

 

Aquela sala de aula era diferente de tudo que eu já havia visto. Ela parecia mais um enorme anfiteatro ou um auditório. Vimos os meninos sentados em cadeiras mas no meio e fomos até lá.

 

Adrien me deu um selinho e me sentei ao lado dele. Alguns segundos depois, Chloe e Renè entraram de mãos dadas no auditório e logo que nos avistaram, foram em nossa direção.

 

Os dois estavam morando em uma apartamento perto do Campus. Eu nunca tinha visto meu primo tão feliz e Chloe estava tão mudada, agora ela passou de chata e insuportável para doce e gentil. O que fez ela entrar no nosso ciclo de amigos.

 

Chloe- Oi, Gente!

 

Alya- Ei, como estão as coisas da mudança?

 

Renè- A maioria das caixas já chegou no apartamento, mas alguns moveis ainda estão vindo.

 

Quando todos já estavam sentados, uma garota, que logo indentifiquei com Alícia, a Presidente do Corpo Estudantil.

 

O auditório estava particularmente cheio. Os rostos anciosos e animados, me deixavam cada vez com mais espectativa.

 

Alícia- Bom Dia! Alguns de vocês já me conhecem, mas para os que não, meu nome é Alícia La Martine, Prsidente do Grêmio Estudantil.

 

Alguns murmúrios ecoaram na sala, provavelmente sobre o fato dela ser filha da nova prefeita.

 

Alícia- Por isso eu peço desculpas desde de já.

 

Fiquei confusa por um momento. Por que elas estava pedindo desculpas?

 

Alícia- Eu juro que eu fui obrigada a fazer isso.

 

De repente a porta da sala se escancarou em um grande estrondo. Vários alunos com armas de tinta entraram correndo e logo se espalharam pelos corredores entre as fileiras.

 

Olhei para Alya horrizada e disse baixinho para ela:

 

Marinette- Eles são... Veteranos! Deus! Eu te avisei...

 

Um meninos alto de cabelos morenos, parecia ser líder deles, gritou:

 

??- Todos de costas para parede!

 

Os Veteranos começaram a nos empurar até a parede da sala. Olhei para Adrien deseperada, mas ele parecia estar se divertindo muito com a situação. O líder voltou a falar:

 

??- Meu nome é Raoul, Capitão do time de futebol da CDP! E vocês, sinto muito em dizer... vocês são os Calouros que vão sofrer hoje!

 

Um garoto tentou fugir mas logo foi acertado por vários tiros de tinta, não o deixando sair.

 

Raoul- Ora ora. Já temos um fugitivo? Pessoal, amarrem ele no mastro da bandeira!

 

Logo varios alunos sairam com o fugitivo. Eu realmente estava começando a ficar com medo, mas Adrien só sorria cada vez mais. Por isso enquanto estavamos na parede me aconcheguei em seus braços pra me sentie falsamente segura.

 

Raoul- Primeira regra: Vocês servem os Veteranos até fazerem seis meses na faculdade!

 

Deus! Onde eu fui me meter?!

 

Raoul- Segunda regra- Hoje vocês teram um dia de... muita diversão, então nada de tentar fugir dos Veteranos!

 

 

-----quebra de tempo-----

 

Passamos o dia todo correndo em volta da faculdade, nos sujamos de tinta, tacaram ovo na gente e um pobre coitado teve o cabelo raspado. Mas, sabe que no fim foi bem legal.

 

Agora estamos todos na frente da faculdade, a noite sobre uma das torres do prédio antigo. Nunca tinha reparado, mas a vista da faculdade era incrível. Como ela ficava em uma parte elevada da cidade, conseguiamos ver toda Paris do Campus.

 

Todos cansados e ofegantes viam a última atração do dia, o garoto amarado no mastro da bandeira ia receber vários jatos de tinta.

 

Alya estava com a cabelo cheio de casca de ovo e outros não estavam muito diferentes. Mas, Adrien estava com tanta tinta no cabelo que era incapaz de reconhecer os fios brancos.

 

Enquanto estavamos sentados no gramado ele me puxou para si num abraço quente e cheio de tinta.

 

Enquanto o menino gritava a cada balão cheio de tinta que era jogado contra ele, Adrien susurou no meu ouvido:

 

Adrien- Eu te amo.

 

Marinette- Eu também te amo.

 

Dei um selinho nele e voltei a assistir o espetáculo.

 

Quando tudo estava quase acabando fui beber uma água perto de onde estavamos, quando o tal Raoul chegou perto de mim.

 

Raoul- Então, você é a tal garota com medo de molhar a blusa de tinta?

 

Ele riu e recaiu os olhos sobre mim novamente vendo como eu estava.

 

Raoul- Parece que não deu muito certo a julgar pela sua cara.

 

Ele pegou um copo plástico e o encheu.

 

Marinette- É crueldade o que vocês fazem com os pobres coitados do Calouros...

 

Eu disse ironicamente o que arrancou uma risada de ambos.

 

Raoul- Você chamou minha atenção a manhã toda, sabe...

 

Parei de sorrir por um momento. Aquele garoto estava dando em cima de mim?

 

Raoul- Qual é seu nome?

 

Marinette- M-Marinette.

 

Ele se aproximava cada vez mais.

 

Raoul- É um lindo nome...

 

Ele passou a mão pelas mechas do meu cabelo.

 

Raoul- Pena que está toda cheia de tinta...

 

De repente senti braços familiares envolverem minha cintura e um certo Agreste com uma cara bem séria.

 

Adrien- Vamos, docinho?

 

Ele me tirou de perto do garoto rapidamente e até um pouco bruto.

 

Adrien- Quem era aquele garoto?

 

Marinette- Um tal de Raoul, aí.

 

Adrien- Ele tava te incomodando?

 

Marinette- Não. Só estavamos conversando.

 

Adrien- Ele estava dando em cima de você?

 

Marinette- Adrien! O que está acontecendo?

 

De repente ele pareceu se tocar e olhou para o chão envergonhado.

 

Adrien- Hm... Desculpa. É que eu pensei que vocês dois...

 

Surpreendi ele com um beijo e acariciei sua bochecha.

 

Marinette- Ei, você sabe que eu sou só sua, né?

 

Adrien- E eu sou todo seu.

 

Trocamos carícias e alguns beijos enquanto as pegadinhas com os calouros terminavam.

 

Alya- Olha, gente!

 

Mais adiante, na vista do jardim via-se um akuma perto de uma das pontes do Rio Sena. Parece que está na hora da Ladybug entrar em ação.

 

 

POV's Chat Noir

 

Para ser franco, estava com saudade dos akumas atacando a cidade. Um pouco de ação nunca faz mal.

 

O vilão dessa vez parecia mais uma amoeba gigante do que um ser humano, ele lançava algum tipo de ácido pela boca, o que já fez um belo estrago na cidade. No topo de sua cabeça, havia uma pequena coroa, provavelmente é ali que o akuma está.

 

Rapidamente Volpina tocou sua flauta, o montro iludir-se que estava em uma jaula. Queen Bee jogou seu peão na coroa do Akumatizado fazendo a cair e logo amortecendo sua queda pelo o escudo do Turtle.

 

Para fechar com chave de ouro Ladybug purificou o akuma e lancou seu LadyCharm.

 

Depois da luta fomos até o topo da torre Eifel. O lugar havia se tornada típico para nossas reuniãozinhas, Paris já estava escura coms pequenos pontos brilhantes no céu.

 

Ladybug- O que acharam da nova prefeita?

 

Queen- Ela me pareceu um tanto séria, não?

 

Turtle- Aposto que logo logo ela vai convocar uma reunião com a gente.

 

Chat- Por que?

 

Turtle- Ora! Somos os heróis da cidade! Ela deve querer nos conhecer.

 

Volpina- Ou não. Se ela for tão ignorante como Andrè Bourgeois, estamos fritos.

 

Todos rimos e continuamos a olhar o céu estrelado.

 

Chat- Onde acham que vamos estar daqui há dez anos?

 

Queen- Será que continuaremos a defender Paris?

 

Turtle- Acho que até lá já vamos ter derrotado todos os vilões.

 

Ladybug- Mas, e depois? O que vamos fazer depois que não existirem mais akumas o perigo para combater?

 

De repente o clima ficou tenso. Ninguém sabia como responder ao certo essa pergunta.

 

Volpina- Sabe onde eu vou estar daqui há dez anos?

 

Todos voltaram a atenção para ela.

 

Volpina- Numa picina de hidromassagem na minha mansão.

 

Os heróis voltaram a rir, descontraindo o tema tenso. Mas ninguém sabia ao certo como lidar com essa realidade.

 

POV's Alya

 

Depois de voltar da luta contra o akuma, Marinette estava no banheiro. Já era quase meia-noite. A porta do se abriu rapidamente revelando minha amiga com uma toalha enrolada na cabeça e com a escova de dentes na boca.

 

 

Marinette- Eu te disse que as brincadeiras com calouros existiam!

 

Alya- Ok, ok... Eu admito, dessa vez você estava certa.

 

Marinette- Você deveria me dar uns 20 euros só por duvidar de mim.

 

Ela riu apontando a escova de dente para mim.

 

Alya- Eu não vou te dar nenhum centavo!

 

Disse jogando o travesseiro nela, o que rapidamente resultou em uma guerra.

 

POV's Tikki

 

Enquanto Marinette e Alya estavam brincando de guerra de travesseiro eu e Trixx estavamos de baixo da cama.

 

Tikki- Há quanto tempo você está com Alya?

 

Trixx- Desde o início do ano. Eu nunca imaginei que a Marinette era a Ladybug!

 

Tikki- É loucura como elas são melhores amigas na vida real e parceiras no campo de batalha, sem saber a identidade uma da outra!

 

Trixx- Você acha que isso vai durar?

 

Tikki- Não. No final todos se descobrem, sempre foi assim.

 

De repente Trixx me abraçou fortemente.

 

Trixx- É bom rever um Kwami depois de tanto tempo. Sabe quantos eu fiquei sem encontrar um portador sequer? 250!

 

Tikki- É ver você também, Trixx

 

Rimos baixinho enquanto a gritaria rolava solta em cima da cama.

 

Tikki- Elas já passaram por tanta coisa...

 

Trixx- E não foi nem metade do que as espera.

 

Tikki- Sabe qual é parte mais difícil de ser um Kwami? É que nós não podemos falar para os portadores quando somos entregues que eles sofreram.

 

Trixx- E como sofreram.




Notas Finais


Semana que vem tem mais galera. O q estão achando dos heróis na faculdade??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...