História Miraculous: Civil War II - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Tikki
Tags Adrinette, Chat Noir, Civil War, Ladrien, Ladybug, Ladynoir, Marichat, Miraculous, Peacock, Queen Bee, Tortue, Volpina
Exibições 317
Palavras 1.086
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa Leitura!!!

Capítulo 3 - Measures


Fanfic / Fanfiction Miraculous: Civil War II - Capítulo 3 - Measures

Mas também, Mari. Você foi um pouco insensível. - Alya opinou - O Adrien só quis te salvar, porque ele te ama. Assim como você ama e faria o mesmo por ele.

— Ela tem razão. - Lila concordou.

— Pessoal, vocês têm que entender o lado da Marinette também. - Chloé sentou ao lado da amiga - Imaginem se vocês estivessem prestes a impedir algo do tipo e alguém puxasse vocês? Sei que é um gesto de carinho salvá-la, mas eu entendo o ponto que ela está levantando também.

— Obrigada Chloé. - a azulada sorriu. - Vou conversar com Adrien mais tarde.

— Certo. E sobre aquela tarefa que Mestre Fu te deu antes de viajar? - a morena questionou curiosa e Marinette mordeu o lábio inferior.

— Não encontrei ninguém ainda. - elas desanimaram - Mas ele me disse que isso poderia levar algum tempo.

— Entendo. Bem, antes tarde do que nunca, não é mesmo? - elas riram.

— Ele falou algo a mais sobre o livro dos Miraculous? - Lila comentou.

— Nada além do que já sabemos. Ele não conseguiu decifrar tudo, por isso viajou para um local onde ele conseguirá tudo com mais calma. - Marinette explicou.

— Eu estou doida pra saber qual é a minha melhoria! - Chloé exclamou e as três concordaram.

— Infelizmente já está na minha hora. - Alya ficou de pé.

— E na minha também. - Lila a acompanhou.

— Já vão? - a loira questionou fazendo uma careta triste assim como Marinette. - Precisam mesmo?

— Sim, pois minha mãe inventou de vender alguns petiscos para um aniversário e eu vou ter que ajudá-la.

— E eu preciso cuidar da minha irmã.

— Quer carona? - Lila assentiu.

— Pode ser. - as duas se despediram de Marinette e Chloé e logo saíram.

— Tem certeza que tudo bem eu dormir aqui? Quero dizer, devido as circunstâncias atuais. - a loira disse sem graça.

— Sem problemas. Eu briguei com o Adrien, não é bem o fim do mundo. - riu sem humor. - Agora que tal um filme?
*

— Ainda não acho uma boa ideia.

— Marinette, você não pode fugir do Adrien pra sempre. - Chloé arrastou a amiga para dentro da escola - Vamos logo se não vamos nos atrasar.

As duas passaram pela porta e notaram que Adrien já estava sentado no seu lugar com uma cara de poucos amigos. Marinette engoliu em seco enquanto passava por ele. Antes que sentasse ao lado de Alya, voltou para trás e parou na frente da mesa dele.

— Eu... Quero me desculpar.

— Tá. Eu também.

— Ai que tédio! - disse Sabrina - Depois vocês conversam, casalzinho.

— Fica na sua Sabrina! - Chloé disparou. A loira agora sentava com Lila e sua antiga melhor amiga não tinha gostado da aproximação da Bourgeois com outras pessoas e decidiu virar a "nova Chloé" como muitos chamavam e ainda fazia o coitado do Nathanaël de empregado.

— Tá se achando defensora dos fracos e oprimidos, Chloé?

— Meninas! Parem por favor. - a professora entrou na sala acabando com a discussão - Todos em seus lugares.

— Depois conversamos. - a azulada falou e por fim sentou na cadeira para uma longa e entediante aula. O pior de tudo é que eles não teriam intervalo por causa de um provão que fariam. Mas em compensação seriam liberados mais cedo.
*

— Tô falando Nino, a número quatro era letra C. - Alya falou e o namorado negou.

— Não, era letra B.

— Ih gente, coloquei letra A. - Lila coçou a nuca entrando na discussão. Enquanto isso Marinette se mantinha paralela a discussão e esperava Adrien sair.

— Ali, o Adrien saiu. Vamos perguntar pra ele. - Nino foi até o amigo. - Qual era a resposta da questão quatro?

— Letra E. - os três voltaram a discutir e Marinette foi até o namorado.

— Sei que fui idiota, insensível, infantil e boba. Por favor, me desculpa por ter dito aquelas coisas. Eu devia ter entendido seu lado e não ter brigado com você por isso. - disparou.

— Está tudo bem. Não consigo ficar brigado com você. - ele sorriu de leve e puxou a garota para um beijo.

— Gente! - Alya chegou perto - Desculpa atrapalhar, mas tem roubo acontecendo no Museu do Louvre e eles estão com reféns. - apontou para o celular e bem na hora três viaturas passaram em alta velocidade.

— Vamos lá. - os seis se transformaram e saíram por cima dos prédios. - Qual o plano? - Marinette e Adrien se entreolharam. Os dois tinham um plano, mas queriam que o outro dissesse.

— Que tal assim? Eu e Peacock vamos pela frente distraí-los, Tortue e Queen Bee ficam de apoio dos lados e Ladybug e Chat Noir salvam os reféns pelo telhado. O que acham? - Volpina sugeriu e todos concordaram.

O plano estava correndo do jeito esperado. Ladybug e Chat Noir derrubaram alguns dos criminosos que estavam dentro do Museu e estavam retirando os reféns. Porém as coisas começaram a dar errado quando mais vigilantes apareceram no intuito de ajudar, no entanto entraram no local quebrando as janelas, o que chamou a a atenção dos demais bandidos.

—Viemos ajudar. - Blueboy disparou.

— SE AFASTEM DELES OU EU ATIRO! - um dos bandidos apontou uma arma para um senhor.

— Pff! Ele tá blefando! - Batwing sussurrou para Alpha que deu um sorriso de canto e avançou pra cima do criminoso, porém esse foi mais rápido e disparou.

Pareceu que tudo ficou em câmera lenta no momento em que a bala percorria o caminho até o senhor que estava apavorado no chão, e para Nino de fato estava que havia acionado seu poder.

Já que o herói não estava tão próximo, a única coisa que pode fazer foi colocar seu escudo na frente.

Depois que tudo voltou ao normal para ele, Ladybug piscou os olhos e viu que Nino por pouco conseguiu salvar o senhor. A azulada partiu para cima do bandido em uma velocidade desconhecida por ela mesma e chutou a arma do mesmo para cima, em seguida girou o corpo e acertou um chute forte no rosto do cara que caiu desacordado.

— Ladybug, me d-desculpe, eu n-não sabi... - Alpha tentou se explicar mas foi cortado pela joaninha.

— Não é a mim que você deve desculpas. E sim ao senhor que quase foi morto por sua incompetência.

— Acho que não precisa falar desse jeito... - Chat chegou ao lado da namorada, mas a mesma apenas respirou fundo e se preparou para sair para fora.

— Isso está saindo do controle. Providências precisam ser tomadas.


Notas Finais


Eu sei que o capítulo de TASB está demorando a sair, mas é que eu estou escrevendo e falta alguns detalhes pra finalizar ><
Espero que tenham gostado <3 Kittykisses xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...