História Miraculous: Civil War II - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Tikki
Tags Adrinette, Chat Noir, Civil War, Ladrien, Ladybug, Ladynoir, Marichat, Miraculous, Peacock, Queen Bee, Tortue, Volpina
Exibições 302
Palavras 1.258
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa Leitura!!!

Capítulo 4 - Deciding and Acting


Fanfic / Fanfiction Miraculous: Civil War II - Capítulo 4 - Deciding and Acting

Ladybug convocou uma reunião com seus parceiros, no topo da Torre Eiffel, pouco antes da ronda noturna.

— Sobre o que quer conversar? - Lila indagou.

— Bem, sobre a situação a qual Paris está passando. - Marinette explicou - Precisamos falar com o prefeito D'Argencourt para que alguma decisão seja tomada.

— Não estou querendo contrariar, mas não é você que não queria a prefeitura nos controlando? - Alya se aproximou.

— Não estou falando de nos controlar. Mas algo precisa ser feito. Essa situação de novos vigilantes e novos vilões surgindo, mesmo que sem poderes, está saindo fora do controle.

— Eu não acho tanto ruim. Essas pessoas estão saindo na rua inspirados por nós. - Adrien discordou.

— Exato. - disse Lila - Acredito que as pessoas têm o direito de se defenderem sozinhas.

— Sabemos disso. Mas o que a Ladybug quis dizer, é que toda noite existem brigas de inúmeros vigilantes mascarados. E sempre alguém se machuca feio. - Chloé explicou.

— Inclusive, as pessoas estão com medo de sair à noite. - Nino justificou.

— Bem, continuo achando desnecessário essa preocupação toda. - o loiro deu de ombros e cruzou os braços.

— Se você não está preocupado com sua cidade, eu estou. - Marinette rebateu dando as costas - O que acham de votar? - os heróis concordaram - Quem é a favor de falar com o prefeito D'Argencourt para que ele tome alguma providência? - Ladybug, Queen Bee e Tortue levantaram as mãos. - Alya? - a azulada ficou surpresa por sua amiga não concordar com ela.

— Nino? - já Adrien passava pelo mesmo com o amigo.

— Foi mal, Mari. Mas estou com o Chat nessa. Não vejo problema nessa situação.

— Como que não? - Nino disse indignado - Pessoas morreram po causa do Viper. E outra, aquele senhor teria levado um tiro por irresponsabilidade nos novos vigilantes.

— Todos nós erramos no começo. Não é, my lady? - Adrien lançou um olhar sugestivo.

— Está se referindo a primeira vez que lutamos juntos?

— E que você não capturou o akuma, aí ele se multiplicou e acabou transformando quase todo mundo em pedra? Sim, estou sim.

— Você também não me ajudou. Sequer parou para ouvir seu kwami e quase foi esmagado por ter usado seu poder de forma incorreta.

— Ah! Agora você quer apontar os erros? Se não me engano você fez com que o Max a Chloé e a Lila fossem akumatizadas.

— E você fez com que o Theo fosse akumatizado por causa do seu ciúme bobo de uma relação que nem existia ainda.

— Ah, e com a Lila não foi ciúme?

— Mas pelo menos eu não menti para nenhum desses três. Eu não falei que te namorava, apenas desmenti o que ela disse.

— Ai, parem! - Alya gritou - Brigar por coisas que já aconteceram não é a melhor solução.

— Espero que entenda dessa vez. - disse Adrien para Marinette que respirou fundo com os punhos cerrados.

— Quer calar a boca?

— Já falei que brigar não é a solução, caramba! - Alya se revoltou com os amigos.

— Talvez seja melhor deixar eles discutirem, assim pelo menos movimenta o relacionamento deles. - o moreno cruzou os braços e escorou-se na estrutura da Torre.

— O que você quis dizer com isso? - Alya também cruzou os braços indignada.

— Que a única coisa com a qual você se importa é aquele maldito blog! Nunca pode sair ou passar o mínimo de tempo comigo.

— Não sabia que você era tão carente assim.

— Não sou carente. Você que se tornou chata demais.

— O que você disse?

— Chega! - Lila gritou, chamando a atenção dos cinco para si - Parem com isso! Vamos fazer o que viemos fazer.

— Então, falar com o prefeito D'Argencourt ou não? - a loira abriu os braços.

— Sim!

— Não! - Ladybug e Chat Noir falaram ao mesmo tempo e depois olharam um para o outro. - Quer mesmo brigar por isso?

— Não é questão de brigar. Eu estou defendendo uma causa pelo bem de Paris.

— Pelo bem de Paris ou o seu? Porque todos sabemos que você detesta quando as rondas noturnas demoram para terminar. - Marinette estava cada vez mais brava com Adrien.

— Está me chamando de preguiçosa?

— Eu não disse nada, mas se foi o que você entendeu... - a azulada tentou se segurar, mas simplesmente explodiu.

— Quer saber de uma coisa? Eu, Queen Bee e Tortue vamos falar com o prefeito D'Argencourt com sua aprovação ou não. Não me interessa o que você pensa sobre o assunto!

— Você não pode fazer algo sem a aprovação da maioria da equipe! - a discussão foi interrompida por uma pessoa gritando de baixo.

— Pessoal! - os seis heróis olharam do topo e se depararam com Batwing, Alpha, Blueboy e mais heróis. - Tá acontecendo uma briga sinistra! Precisamos de ajuda pra parar os caras, são não alguém vai se machucar. - Ladybug lançou um olhar bravo a Chat Noir.

— Já estamos indo! - o felino gritou de volta - Depois continuamos. - os seis desceram da Torre e foram com os vigilantes até a briga.

— Se não for intromissão demais, o que há com você e o Chat para estarem tão indiferentes um com o outro? - Batwing perguntou para Ladybug.

— Bem, ele não concorda que devemos falar com o prefeito D'Argencourt sobre esse negócio de vigilantes estar saindo do controle.

— E porque ele não concordaria? Sem controle, o caos reina.

— Exatamente! Não pensei que fosse concordar comigo.

— Não é questão de concordar, e sim de saber o que é melhor para nossa cidade. - a heroína parou para pensar um instante.

— Eu disse a mesma coisa a ele, porém nada entra naquela cabeça-dura.
*

Marinette respirou fundo e entrou na sala de aula. Encarar Adrien depois da discussão na noite anterior, não seria nada fácil.

Pra sua sorte, o garoto estava deitado na mesa e não viu a namorada entrar. A azulada encarou Alya que tinha um olhar triste.

— Oi.

— Oi. - as duas simplesmente disseram isso não falaram mais nada. A aula toda o silêncio reinou entre o grupo de amigos.

Quando Marinette chegou em casa, ligou para Nino e Chloé, se transformou e os encontrou na frente da prefeitura.

— Tem certeza que devemos falar com o prefeito sem o Chat Noir, a Peacock e a Volpina? - o moreno questionou antes que Ladybug abrisse a porta, fazendo com que a mesma parasse e baixasse a cabeça.

— Ele não vai me ouvir. É melhor desse jeito. - a heroína finalmente abriu a porta, adentrando a prefeitura. - Por favor, eu gostaria de falar com prefeito Armand D'Argencourt.

— Sinto, muito mas ele está ocupado. - a recepcionista respondeu sem nem levantar o olhar para o trio.

— Diga que Ladybug, Queen Bee e Tortue precisam falar com ele. - a mulher olhou para ela com desdém.

— Acha que só porque são famosos têm alguma exclusividade? - a azulada bateu o punho na mesa, fazendo a mulher dar um pulo.

— É um assunto urgente que envolve a sua segurança e de Paris. Nesse caso, sim, eu acho que tenho exclusividade. 
*

— Eu não acredito que ela fez isso! - Adrien exclamou indignado, observando ao longe, Ladybug, Tortue e Queen Bee entrando na prefeitura.

— Não acredito que o Nino teve coragem! - Alya cruzou os braços ao lado de Adrien. - Agora é guerra!

— Pessoal, vocês realmente querem criar uma nova guerra por causa disso? - Lila tentou acalmar os amigos.

— Se for necessário, sim. - o loiro falou - Metade da equipe nos apunhalou pelas costas. Não podemos deixar isso dessa maneira.


Notas Finais


E a treta está começando :v O que acharam da possível mudança de lado de Alya e Nino?
Então pessoal, sobre o especial de Halloween, vai sair, mas não exatamente como eu queria. Eu na verdade, queria um terror pesado mesmo, mas como nunca fiz nada do gênero, saiu como um suspense apenas. Tudo bem pra vocês?
O especial de Halloween do ano que vem será terror mesmo, pois aí já vou ter estudado mais sobre o gênero. Já que esse não estava nos meus planos, eu fiz porque me pediram e eu achei interessante diferenciar um pouco.
Espero que tenham gostado <3 Kittykisses xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...