História Miraculous: O poder de um miraculous! - Capítulo 66


Escrita por: ~ e ~BunnyNoir

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabrina, Tikki
Tags Ladychat, Miraculous
Exibições 165
Palavras 1.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tan tan tannnn

Capítulo 66 - Vai ficar tudo bem...


 - Alya...? - Nino parou de caminhar. - O que foi? - Nino apontou para o horizonte. Uma fumaça preta pairava mais adiante. - ESPERA? AQUILO... É FOGO? - Não é pra lá que fica a cabana onde a Mari e o Adrien estão? ?! Os dois se olharam espantados e começaram a correr em direção a mesma. Já dentro da cabana Mari e Adrien batiam desesperadamente na porta gritando por ajuda. Ao tocar nas maçanetas Adrien gritou de dor e se afastou. Elas estavam muito quentes por conta do fogo. Não demorou muito para que a fumaça começasse a engolir o local fazendo com que os jovens fossem mais e mais para trás ficando completamente encurralados. Eles se olharam com afiliação, ambos pensando em ideias de como escapar dali sem precisar se transformar um na frente do outro. Mari suspirou profundamente. - Não tem outro jeito... Eu vou ter que... - Dizia ela baixinho tocando em seus brincos, Até que Adrien levantou a voz. - Ali! - Disse ele apontando para janela que Mari " usou " para ver se alguém estava por perto. - Se pergamos um peso e quebrarmos o vidro você consegue escapar! - Disse ele usando seu cachecol na boca para não inalar a fumaça. - Ma- mas... E você? - Perguntou Mari extremamente preocupada com o rapaz. - Eu vou ficar bem! Você pode trazer ajuda! - Não... Não... Eu não posso... -Disse ela tocando em sua orelha, precisadamnete em seu brinco. Ao sentir sua bolsa se mexendo ela virou-se frente e abriu de leve para ver o que Tikki queria. - Ei... Se você sair vai poder se tranformar e salva-lo, e tudo isso sem precisar revelar sua identidade. - Disse a pequenina em tom baixo. Mari suspirou e apenas fechou os olhos em concordância, mas a expressão de tristeza era muito visível. Ao se virar de volta para Adrien o garoto se aproximou. Mari entrou em pânico e ficou nervosa. - Se você está preocupada comigo, não se preocupe eu vou ficar bem! Eu te prometo! - Disse ele com um enorme sorriso no rosto. Mari estava corada e seus olhos arregalados. Ele pegou na mão da garota e olhou em seus olhos. - Você confia em mim? - Mari não se conteve, um minuto de silêncio dominou o lugar, apenas os rangidos das madeiras estalando por conta do fogo que se alastrava eram ouvidos, então o silêncio foi quebrado pelo beijo roubado de Mari em Adrien. Enquanto e menina estava determinada o garoto se assustou, não esperando nem um pouco por aquilo. Seus olhos estavam arregalados e suas bochechas coradas. Ao solta-lo Marinette ficou envergonhada, cobriu seu rosto com as mãos e começou a murmurar. - Desculpa... Desculpa... E-eu... Não sei por que fiz isso... Argh! - Mari parecia muito constrangida, nem ela esperava tomar a iniciativa de um beijo com Adrien. Adrien notou a angustia da garota e tirou suas mãos de seu rosto, logo em seguida segurou o mesmo. Ele olhou no fundo dos olhos da garota que ainda estava muito vermelha. - Tá tudo bem, ok? - Ele sorriu e deu-lhe um beijo também. Não demorou muito para que Mari se entregasse ao beijo. Ambos estavam corados e seus corações estavam disparados. - A-agora é melhor você ir... - Disse Adrien ao solta-la. Ele estava muito nervoso e sem graça. Mari que parecia um tomate de tão Vermelha apenas assentiu com a cabeça e foi até as caixas que ela usou mais cedo para yer acesso a janela do galpão. Já lá em cima, Adrien jogou um peso pequeno de musculação meio desgastado para Mari que não teve muitas dificuldades em agarra-lo. Ela olhou para ele lá de cima e ele para ela, ambos sorriram. Mari quebrou o vidro da janela tirou um pouco dos cacos para não se machucar. - Vamos logo salvar seu amor! - Disse Tikki animada saindo da bolsa e voando do lado de fora pra não ser vista. - Vamos! - Respondeu Mari corada e com um enorme sorriso no rosto. Era alto de onde Mari estava até o chão, mas isso não a intimidou! Ao se jogar ela já gritou para que Tikki a transformasse, então ao chegar ao chão já era a Ladybug! Plagg saiu do casaco de Adrien. - Hummmmmmm! Pelo visto você já esqueceu a Ladybug! - Disse o pequeno gato preto em tom de malícia para seu portador. - Na-Não sei do que você tá falando! Não temos tempo pra isso, Plagg, mostrar as garras! Do lado de fora Ladybug correu para frente do galpão. Último lugar que viu o akumatizado aparecer. E lá estava ele. Parado em cima de uma árvore com o arco de flechas fulminantes ainda atirando contra o galpão. - Ela vai ser minha... Ela vai ser minha... - Ficou repetindo o vilão sem parar para sí mesmo. Ao se aproximar mais um pouco a super heroína gritou: - AI! QUEM VOCÊ PENSA QUE É? VOCÊ TEM NOÇÃO DO QUE TÁ FAZENDO? - Ladybug... - Disse o vilão com ódio. - Então ela apareceu mesmo... Interessante... Tente pegar seu miraculous eu tive um plano! - Disse Lila que observava tudo pelos olhos do vilão. - VOCÊ NÃO VAI ME DERROTAR DESSA VEZ! - Disse o akumatizado. - É o que veremos... - Respondeu a joaninha com determinação. Com seu ioiô mágico que usou para criar seu escudo rotatória ela foi se aproximando do vilão. Não importava quantas flechas de fogo ele jogasse não eram suficientes para para-la. Com sua velocidade incrível Ladybug foi capaz de escalar uma árvore apenas correndo sobre a mesma, assim ficando de frente para o vilão que estava uma árvore a frente. - Te peguei! - Disse a heroína confiante. Perto dali Alya e Nino finalmente podiam ver o que acontecia. Eles viram o galpão parcialmente em chamas. - CARACA O QUE TÁ PEGANDO AQUI? - Exclamou Nino assustado. Alya pode ver Ladybug posicionada em uma árvore logo mais a sua esquerda. - Não é a Ma... Ladybug ali? - Disse ela apontando para onde os dois combatentes estavam. - Não é aquele galpão que estão nossos amigos?! - Perguntou Nino. - Sim ! O Adrien ainda deve estar lá dentro! - E a Mari, né? ! - Sim... E Mari! - Vamos logo! - Disse Nino tomando a frente mas foi parado por Alya que segurou em seu braço. - Ei!! Calma! O que você pensa que tá fazendo? Não é só chegar lá e pronto! Tem muito fogo , você nem vai conseguir chegar perto! Precisamos de ajuda ! - Nino ficou pensativo por um instante. - Tem razão... Você vai atrás dos professores e eu fico aqui! - O que? ! Não, não e não! Eu não vou deixar você aqui sozinho! Meus amigos também estão lá dentro! - Respondeu Alya furiosa . Nino segurou a garota pelos ombros. - Alya, por favor, uma vez na sua vida não seja teimosa! Escuta quem te quer bem! Eu to pedindo sua ajuda! Eu não to tentando bancar o herói nem nada disso eu só quero que ajudemos nossos amigos, e vai ser melhor se você for atrás dos professores ! Entende? - Alya suspirou e assentiu com ele. - Tudo bem... Vou o mais rápido possível! Você ... Fique bem... Tá? - Eu vou! - Respondeu e sorrindo, Alya sorriu de volta e foi correndo para trilha atrás de ajuda. Nino voltou-se a cena com determinação. O vilão se sentiu encurraldo mas num ato de inteligência ele jogou um flecha para cima, assim que Ladybug olhou para ver onde iria parar. O vilão aproveitou essa distração para usar sua mesa para apagar o galho onde heroína se encontrava. Quando a garota se deu conta já estava no chão. O vilão voltou a usar suas flechas para acertar a Super heroína. Mas rapidamente ele voltou a usar seu ioiô como escudo, porém o vilão aumentou a velocidade com que jogava as flechas impedindo ela de se levantar deixando a super joaninha apenas na defensiva. - Uma hora seu braço vai cansar! Ela não respondeu mas não se daria por vencida facilmente além do mais com a vida de Adrien em risco. De repente as flechas cessaram por conta do Vilão voltar sua atenção pra alguém que chamava pelo seu nome. Era nino. - AI! NATHANIEL?! O QUE TÁ PEGANDO CARA? POR QUE VOCÊ TÁ ASSIM? MACHUCANDO MEUS AMIGOS? NOSSOS AMIGOS ALIÁS! - Começou a discursar Nino se aproximando do vilão. Ele apenas o olhou com indiferença e mirou no garoto que parou de andar. - Opa... Não era o que eu esperava... - Não se meta! - Disse ele. - ESSA NÃO! NINO! - Gritou Ladybug se levantando e jogando seu ioiô para puxar Nino dali. A flecha e ioiô foram que quase ao mesmo tempo... Nino não sabia o que chegaria primeiro. Inesperadamente alguém se jogou em cima do jovem dj, fazendo-o rolar pelo chão evitando de ser atingido pela flecha e não precisando do ioiô. Ao ver de quem sem tratava Nino deu de cara com Chat Noir! - Olá, você Não deveria brincar com fogo, principiante com pessoas que podem usa -lo contra você! - Disse o gato preto. Ladybug suspirou aliviada enquanto o vilão exalava raiva. - Chat Noir... Meus amigos estão presos lá dentro! - Disse Nino angustiado. Chat olhou para o galpão e voltou a olhar para Nino. - Fica tranquilo! Vamos salva-los! Agora arrume um lugar seguro e se esconda! - Ok... - Nino correu para alguns arbustos. Chat foi ao encontro de Ladybug. - Que saudades de você, My Lady. - Disse ele se posicionando ao laso da garota em modo de ataque. - Que bom que veio, você sempre aparece na hora certa! Ambos sorriram e olharam determinados para o vilão... 


Notas Finais


;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...