História Mirai no Monogatari - Capítulo 91


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Boruto, Himawari, Hinata, Naruto, Outros, Sarada
Exibições 191
Palavras 6.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O meu aniversario é amanhã, mas vocês é que ganham um capitulo de presente (em troca em quero muitos reviews/comentários)
O templo Engakujin revela-se diante dos nossos personagens, todas as atenções estão voltadas para este exame chuunin.
.
E por favor leiam as notas finais, eu tenho um recado para meus queridos leitores.

Capítulo 91 - Capitulo 78 O Templo Engakujin.


Fanfic / Fanfiction Mirai no Monogatari - Capítulo 91 - Capitulo 78 O Templo Engakujin.

Capitulo 78 – O Templo Engakujin.

 

 

- Esse lugar me dá arrepios – comentou um dos jounins observando a construção.

- Até onde sabemos ele tem quase 800 anos – disse outro – mais um pouco e ele seria da época do Rikudou Sennin – por que o Hokage-dono escolheu este lugar para um teste do exame chuunin?

- Nosso Hokage não é de pensar muito, ele deve ter dado a ideia, e alguém cuidou disso – disse um jounin da folha – suspeito que tenha sido o conselheiro Shikamaru.

 

Os jounins das vilas aliadas observavam o grande templo, ele foi incrustrado na rocha solida de uma montanha e tinha uma atmosfera assustadora, ninjas rastreadores podiam sentir uma presença estranha em seu interior, mas todos eles receberam ordens de manter-se distante do lugar, por isso o acampamento dos ninjas foi montado a 500m de distância.

 

- Capitão, ele chegou – anunciou um jounin da rocha.

- Ótimo, vamos recebê-lo – disse o jounin da folha.

 

Os jounins dentro da tenda saíram e foram receber o recém chegado, a visão do Uchiha Sasuke trazia alivio para alguns e tensão para outros, o jounin da nuvem em particular ainda o desprezava pelo que ele fez ao antigo Raikage e seu irmão.

 

- Que bom que chegou Sasuke-san, com você no comando nós...

- Não vim para assumir o comando, eu vim para garantir que ninguém se meta a besta nesse teste – cortou ele – eu só vou interferir se uma ameaça surgir, do contrário eu prefiro ficar distante.

 

A presença do Sasuke era só uma garantia, cada vila enviou 5 ninjas sendo um jounin em cada time, os jounins permaneciam perto do templo, enquanto os outros faziam a varredura ao redor, quando os gennins chegassem eles deveriam se registrar no acampamento e assim as vilas ficariam sabendo.

 

- A proposito, o jounin da nevoa não está aqui? – perguntou Sasuke olhando ao redor.

- SASUKE!!! – gritou alguém pulando nas costas dele.

- Que diabos!? Karin!? Saia de cima de mim!! – gritou ele com uma mulher sobre ele.

 

Os outros jounins viam aquela cena estranhando, um dos ninjas mais fortes do mundo estava com uma mulher agarrada em suas costas enquanto ele parecia estar tentando se livrar dela, somente após alguns minutos é que ele a tirou de suas costas e a pôs no chão.

 

- Você é a jounin enviada pelo Mizukage? – perguntou Sasuke após arrumar seu colete.

- Exato, como a melhor rastreadora do mundo e ninja médica eu fui designada para isso – respondeu ela recuperando a compostura – nos três dias que estou aqui não detectei nada estranho.

- E sobre aquele plano secreto? – perguntou ele.

 

Imediatamente Karin mudou sua expressão para algo mais sério, apenas Sasuke e os jounins presentes sabiam de um plano secundário que usaria o exame chuunin como camuflagem.

 

- O jinchuuriki do Sanbi está vindo disfarçado de participante, fora nós aqui dentro apenas os dois gennins com ele sabem disso – respondeu ela – um time da ANBU o está acompanhando de perto.

 

Os 5 Kages puseram em pratica uma aposta arriscada: usar o jinchuuriki do Sanbi como isca para atrair um certo alvo, se o plano desse certo a organização que roubou o Nanabi poderia aparecer para tentar sequestra-lo.

Assim o jinchuuriki do Sanbi foi falsamente inscrito no exame chuunin e adicionado a um time, ele se dirigia para o local do exame como se estivesse escondendo sua identidade, tal plano além de atrair os inimigos poderia ajudar a expor qualquer vazamento de informação que por ventura existisse.

 

- Queremos que o inimigo apareça, mas não queremos que ele pegue o Hyuto – dizia Karin – se pisarmos na bola os 5 Kages vão comer o nosso couro.

- O mais provável é que não vão aparecer, a identidade dos jinchuurikis é ultrassecreta, se eles fossem alvos saberíamos de onde vazou a informação – dizia Sasuke – e mesmo que eles não saibam que é uma armadilha hesitariam em atacar sem planejamento.

- Se qualquer um que não for um gennins aparecer por aqui eu vou ficar sabendo – dizia Karin – então fiquem tranquilos, se eles vierem nós vamos pega-los!

- Se eu ficar por perto ninguém vai ter coragem de aparecer, então eu vou sair de vista – dizia Sasuke – vou montar acampamento no alto da montanha, me chamem se algo acontecer.

 

Sasuke pegou um dos rádios secretos da aliança, com uma mochila nas costas ele seguiu em direção ao topo da montanha onde ficava o templo, enquanto andava Karin andava ao seu lado.

 

- Eu fiquei sabendo que sua filha está participando – comentou Karin – está orgulhoso dela não é?

- Com o treinamento que teve esse teste será moleza para ela – respondeu Sasuke – isso se o baka-Boruto não a atrasar.

- hehehehe será que você fala isso por experiência própria? – brincou ela.

 

Sasuke sorriu discretamente, ao lembrar de tudo o que passou no exame chuunin ele relembrou quando começou a ver de perto o crescimento do seu companheiro Naruto, e ao mesmo tempo seus primeiros passos em direção à escuridão, hoje ele lembra com carinho daquela época.

 

- Hei Sasuke, o que é essa coisa dentro deste lugar? – perguntou Karin um pouco hesitante – é um chakra bem sinistro, tipo o seu quando estava de mau humor.

- Você não leu o conto? O monge Jihei veio aqui para enfrentar um demônio – respondeu Sasuke observando o lugar com seu doujutsu.

 

***************************************

 

- Então é aqui? – dizia Boruto olhando o imenso portão de ferro.

 

Basara e Sarada do seu lado andaram juntos em direção ao portão, como se fossem esperados o portão começou a se abrir revelando um enorme pátio próprio para treinamento.

Logo no pátio eles foram recebidos por uma comitiva de monges, os monges do país do fogo recebiam treinamento ninja junto com o treinamento monástico, alguns deles conseguiam ser mais fortes que jounins, e devido a sua integridade eles recebiam muito prestigio no passado.

 

- Vocês vieram pelo exame chuunin? – perguntou o que parecia ser o líder – fomos informados pelo seu Hokage, meu nome é Kaijoko e sou o líder responsável pelo templo.

- Somos o time 9 de Konoha, sob a liderança do jounin Sorata – informou Sarada – Basara, Uzumaki Boruto e Uchiha Sarada.

- Sejam bem vindos, vocês são o primeiro time de Konoha a chegar aqui – cumprimentou o monge.

- É sério? Isso foi muito fácil! – comemorou Boruto empolgado – eu não pensei que a primeira etapa fosse assim tão fácil!

- Você é idiota Boruto? Não ouviu o que eu disse? – reclamou Sarada – chegar aqui é só o primeiro passo para acharmos o verdadeiro tempo.

- O que!? Quer dizer que este não é o nosso objetivo!? – gritou Boruto horrorizado.

- hahahaha de fato foi daqui que o monge Jihei partiu em sua jornada – explicava o monge – e foi para cá que ele retornou após a conclusão.

- Viemos aqui para descobrir o caminho que o monge Jihei tomou – explicava Sarada – o templo Engakujin estará no final dele.

- E como vamos fazer isso? – perguntou Basara interessado.

- Acredito que o templo mantem os registros históricos de todos que passaram por aqui não é? – perguntava Sarada encarando o monge.

- Exatamente minha jovem, temos toda a historia escrita pelo próprio Jihei – explicou ele – os gennins que chegarem até aqui em busca dessa informação podem encontra-la em nosso acervo.

- Então o que estamos esperando? Vamos logo olhar isso e cair fora daqui – dizia Boruto já indo em direção ao templo.

- Acho que não será tão simples assim – disse Basara segurando-o pelo colarinho.

- Suponho que temos que preencher algum requisito para obter a informação – disse Sarada.

- Você está certa minha jovem, nós do templo do fogo concordamos em ajudar o Hokage-dono com seu exame – explicava ele – em troca dele ajudar com nosso treinamento, gostaríamos de testar o desenvolvimento dos nossos jovens com os jovens das 5 nações shinobis.

 

Sarada já imaginava isso quando viu três aprendizes com a mesma idade que eles, os jovens aprendizes tinha a cabeça raspada e se vestiam iguais, e ao aproximarem-se curvaram-se em cumprimento, os três já dominavam o uso do chakra assim como os movimentos shaolin.

 

- Se estiver tudo bem para vocês queremos propor uma batalha – dizia o monge – um contra um, só o necessário para mostrarem suas habilidades.

- Será um prazer ajuda-los com isso – disse Sarada.

- Por mim tudo bem, eu recebi treinamento de meditação para controlar meu poder – disse Basara – acho que seria legal enfrentar um monge.

- Se é o que precisamos fazer pra dar o fora daqui... – Boruto agia com indiferença.

 

Os três concordaram em participar do teste, na verdade não era obrigatório que participassem, eles poderiam simplesmente ir embora e procurar pistas em outro lugar.

Foi decidido que seria uma luta de um contra um em turnos e uma partida de melhor de três, após jogarem na sorte foi decidido que Sarada seria a primeira a participar, ela se posicionou no centro do pátio junto com seu adversário, o jovem juntou as mãos numa oração e curvou-se para ela, Sarada repetiu o gesto em respeito.

 

- É a sua primeira vez enfrentando um ninja? – perguntou ela entrando em posição de luta.

- Sim, espero que seja uma experiência gratificante – respondeu ele confiante.

 

O jovem monge notou que os olhos de Sarada ficaram vermelhos, imaginando que isso era algum tipo de jutsu ele avançou para o ataque, mas o que aconteceu diante dele era incompreensível.

A distância entre ele e Sarada era de 5m, concentrando o chakra nos pés ele poderia percorrer essa distância em pouco mais de um segundo, com seu treinamento dele deveria ser capaz de acompanhar sua adversaria, mas este não foi o caso.

Enquanto avançava para atacar Sarada simplesmente sumiu de sua vista, mesmo tendo olhos treinados para acompanhar movimentos rápidos ele simplesmente a viu sumir da sua frente, para logo em seguida sentir um forte impacto em sua nuca, Sarada que tinha sumido de sua vista aplicara um golpe com a lateral da mão em sua nuca arrancando a consciência dele.

 

- Parece que esse genjutsu funcionou também – dizia ela ajeitando o óculos.

- Ah cara, perder sem saber como deve ser bem frustrante – comentou Basara.

- A Sarada tá ficando muito boa em usar esses olhos – dizia Boruto com calafrios.

 

O genjutsu que Sarada usou em seu adversário era bem complexo considerando o seu nível, do ponto de vista do garoto a Sarada tinha se movido anormalmente rápido, mas para todos os outros era ele quem se movia lentamente, o genjutsu atrasava o tempo de reação entre o corpo e a mente, por isso ele se movia como se estivesse embaixo d’agua, além disso ele teve atraso em seu tempo de reação dos sentidos, por isso para ele Sarada é quem tinha se movido super rápido.

 

- Entendo, nossos aprendizes receberam treinamento básico contra ninjutsu, mas nunca treinamos contra genjutsu – dizia o líder dos monges – e isso é o sharingan não é? Eu ainda era jovem quando lutei contra um Uchiha, que nostálgico ver estes olhos...

 

O velho monge coçou a barba lembrando do passado, ele enfrentou um Uchiha quando tinha pouco mais de 20 anos, foi a mais dura luta que teve, ainda que aparentemente seu adversário não o levou a sério, no fim o monge foi derrotado e reiniciou seu treinamento.

 

- Se não estiver satisfeito com o resultado podemos...

- Não se preocupe com isso, não havia uma regra proibindo genjutsus não é? – disse ele – isso apenas significa que nossos aprendizes precisam trabalhar mais a sua mente.

 

A luta seguinte seria realizada pelo Boruto, assim como Sarada ele foi para o centro do pátio e foi cumprimentado pelo seu adversário, já Boruto apenas respondeu informalmente e ficou de guarda baixa, em um instante ele levou um pontapé na cara fazendo-o voar.

 

- Esse idiota! Sempre subestimando o adversário – reclamou Sarada assistindo sentada.

- Ora vamos, uma coisa dessas não é o bastante para o Boruto – disse Basara sentado ao lado dela.

 

Como ele havia dito o Boruto levantou, ele coçou o lugar atingido limpando o rosto e fez uma expressão mais séria, com um selo ele fez três kage bunshins que se espalharam e cercaram o adversário que manteve-se de guarda.

Cercado por bunshins o jovem monge teve dificuldades em revidar os ataques de todos os lados, quando ele finalmente baixou a guarda Boruto o atacou com o mesmo golpe mandando-o longe, o jovem monge caiu no chão e os clones desapareceram.

 

- Isso não está nem um pouco interessante – disse Sarada cruzando os braços e suspirando.

- O que é? Eu usei um ninjutsu assim como você usou um genjutsu! – reclamou ele.

- Não pense que me derrotou com isso, você é o filho do Hokage não é? – desafiava o jovem – então eu espero algo bem mais impressionante que isso!

 

Sarada apertou os dentes quando viu a expressão do Boruto, num instante o Uzumaki avançou cruzando a distância entre ele e o oponente, ao mesmo tempo ele produziu um rasenga e o tacou no chão criando uma explosão e abrindo uma cratera junto com uma nuvem de poeira.

 

- Tá bom pra você? – perguntou Boruto com raiva.

 

O jovem monge havia sido empurrado 2m para o lado, no chão ele olhava para a cratera e se imaginava sendo atingido, depois disso ele perdeu toda a vontade de lutar e caiu fora.

 

- Parece que temos que trabalhar mais na disciplina dele – lamentava o monge – muito bem, vocês já venceram duas lutas, ainda querem continuar? – perguntou o velho monge.

- Se não for um incômodo eu gostaria de lutar – disse Basara levantando a mão.

 

O monge aprovou o espirito de Basara e o chamou para o centro do pátio, o ultimo jovem monge selecionado foi para o centro e o cumprimentou, Basara respondeu da mesma forma.

A luta dos dois resumiu-se a taijutsu, ambos trocavam golpes onde Basara ganhava pela força e resistência, enquanto que o monge ganhava pela técnica, após 5 minutos de luta o jovem monge estava ofegante enquanto que Basara continuava bem.

 

- O resultado dessa luta já está claro – disse o velho monge – muito obrigado por ter ajudado no treinamento.

- Tem certeza? Ele me atingiu muito mais do que eu a ele – disse Basara.

- Mas você está se recuperando não é? Nesse ritmo você estará ileso quando o jovem Injika cair exausto – explicou ele – lutar com determinação é bom, mas lutar batalhas perdidas é imprudência, um lutador precisa saber a diferença entre coragem e imprudência.

 

O jovem monge recuperou o fôlego e curvou-se me respeito ao seu adversário, seu taijutsu era superior ao de Basara, mas a resistência natural do outro seguida por uma recuperação absurda fazia desta luta uma mera questão de tempo, se não havia nada a aprender com isso era inútil, foi isso que concluiu o líder dos monges.

 

- Meus parabéns, vocês três passaram no teste – elogiava o velho monge – eu informarem Konoha sobre isso, então sintam-se livres para pesquisar a localização do templo Engakujin.

- Pesquisar? Eu pensei que você ia nos dizer... – disse Boruto desolado.

 

O velho monge sorriu, e logo em seguida o trio se viu dentro de uma biblioteca, cheia de pergaminhos e livros empoeirados o trio viu que gastaria horas para achar a informação que procuravam, rapidamente o desanimo se abateu até sobre Sarada.

 

- Eu vou preparar chá e bolinhos para vocês – anunciou o velho monge saindo.

 

********************************

 

- Quantos gennins já partiram? – perguntou Gaara.

- Inscrevemos 15 times, mas até agora apenas 8 deles parecem ter descoberto a localização do templo – respondeu Hanako – não sei dizer se isso é um bom resultado, e nem quantos times vão completar o primeiro teste.

- É um bom resultado sim, normalmente cada etapa do exame chuunin elimina metade dos participantes – respondeu ele – no final se dois ou três times chegarem as finais será muito.

 

O exame chuunin era implacável à sua maneira, todos os anos as vilas enviavam uma média de 9 times para participar, e geralmente apenas um chegava as finais.

Dessa vez em particular o exame foi maior que o esperado e por isso as expectativas eram maiores, Gaara e Hanako torciam para que um dos seus vencesse a batalha final e elevasse o nome de sua vila sobre todas as outras.

 

- Exame chuunin... hoje é uma competição amigável que traz orgulho à todos, mas no meu tempo era uma batalha de vida ou morte por benefícios à sua vila – dizia Gaara olhando uma foto antiga – o proposito original era como uma guerra limitada para apaziguar os ânimos entre as vilas.

- Hoje parece mais uma gincana, embora algumas mortes ocorram – disse Hanako – quando eu participei tive que matar um adversário na segunda fase, não é a mesma coisa que matar um inimigo durante uma missão.

 

Gaara ficou imaginando o que ela pensaria do passado sombrio dele, na época de gennin Gaara matava seus adversários por prazer, pelo simples fato de estarem vivos e em seu caminho, hoje ele fazia o possível para compensar essas mortes e trazer luz ao mundo, para que nunca mais surgisse alguém como ele.

 

- “Você viu a luta daquele gennin? Ele vai ser um ninja incrível quando crescer” – dizia Hanako repetindo o que costuma ouvir – as pessoas comuns assistem as finais do exame, mas não imaginam toda a historia por trás disso.

- Gloria pessoal, orgulho shinobi, sede por poder, patriotismo... inúmeras razões levam alguém a arriscar a vida no exame – dizia Gaara – todos tem algo a provar ou conquistar.

- Eu participei por gratidão, pela vila que me recebeu e me deu valor – dizia Hanako – posso ter nascido em Iwagakure mas é aqui que meu coração pertence.

 

E foi difícil convencer o conselho sobre isso, Hanako nasceu em Iwagakure e fez o seu treinamento do reiton em Kumogakure, muitos temiam que ela fosse uma espiã e que iria submeter Sunagakure às outras vilas, mas no final talvez não houvesse uma pessoa com mais amor pela vila da areia do que ela.

 

- O prazo final se aproxima, espero que mais dos nossos gennins descubram o caminho para Engakujin – dizia Hanako mexendo no seu computador.

 

Gaara abriu a porta dupla da varanda dela, mesmo que ele não pudesse ver sabia que havia dois agentes da ANBU ali escondidos, seu irmão Kankurou designou aqueles que ele conhecia pessoalmente para a função de guardiões.

De repente uma sombra passou voando sobre ele, por uns segundos Gaara se pôs em alerta lembrando da invasão do Deidara da Akatsuki, mas quando a sombra foi embora Gaara suspirou aliviado olhando-a ir em direção ao horizonte.

 

- Aquele não é o... hehehe parece que mais um time entrou no jogo – disse Hanako após vir ver o que era.

 

*********************************

 

- Monges malditos, perdemos meia-hora com aquelas lutas bestas, e mais 4 horas lendo pergaminhos velhos! – reclamou Boruto – e tudo para conseguir um resumo de uma pagina!

- É importante ter todas as informações disponíveis, não podemos cometer nenhum erro – avisou Sarada olhando um mapa – já usamos quase metade do tempo disponível, se errarmos a localização não teríamos tempo para pesquisar tudo de novo e começar uma nova busca.

 

Sarada circulava no mapa todos os locais narrados na historia, traçava uma trajetória e calculava com base nas informações a velocidade com que o monge Jihei se movia, após muitos cálculos e estimativas ela fez uma circulo no mapa onde acreditava ser a localização do templo.

 

- Mas por que aí? Não tem nada aí – disse Basara examinando o mapa.

- Exatamente, se o templo Engakujin fosse conhecido ele estaria marcado em mapas ou registros históricos – explicava ela – sendo o contrario significa que ele está escondido em uma região onde não vive ninguém e nem é rota conhecida.

 

Os três olhavam o circulo no mapa, seria ali onde estaria o primeiro passo para um novo nível, pensando nisso eles já imaginavam como seria dali em diante, se poderiam se tornar chuunins e futuramente jounins.

 

- Quanto tempo vamos levar para chegar lá? – perguntou Boruto.

- De onde estamos vamos levar um dia e meio, mas eu recomendo que a gente vá com calma – explicou Sarada – não sabemos que obstáculos ou desafios encontraremos no caminho, ir com calma ajudará a preservar nossas forças.

- Que seja, vamos levar dois dias então – disse Boruto – e quanto tempo precisamos pra voltar pra Konoha?

- De lá levaremos 4 dias, supondo que gastemos um dia inteiro no templo teremos tempo de sobra – respondeu Sarada – mas no pior cenário possível podemos estar no limite do tempo.

- E qual seria o pior cenário possível? – perguntou Basara.

- Que ao chegarmos lá recebamos uma nova missão – explicou Sarada – e essa nova missão consuma uma semana para ser realizada.

 

Esse cenário era tão assustador que eles não queriam cogita-lo, por isso deixaram essa preocupação de lado e se concentraram em descansar, por isso a fogueira acesa assava carne presas em galhos, seria o jantar deles antes de uma boa noite de sono no acampamento.

 

- Podemos contar com você pra tomar conta de nós? – pediu Sarada.

- Não se preocupe, eu pedi aos animais locais para me avisarem se algum humano se aproximar – respondeu Basara – e se for uma presença muito forte eu mesmo sentirei.

 

Os três já tinham montado a tenda e estavam se preparando para dormir, Sarada ainda armou alguns fios de aço em volta como manda o manual, depois de se deitarem Boruto ficou olhando a pequena lanterna presa no teto da tenda, era a única iluminação que tinham.

 

- hun... eu estive pensando, por que eu sempre durmo no meio? – perguntou Basara casualmente – não que eu ache ruim, só estou curioso.

- Porque você é inofensivo – respondeu Sarada virando pro lado.

- Hun? O que isso quer dizer? – e quando ele não teve resposta virou para o Boruto – o que ela quer dizer com isso?

- Hunf! Como se eu tivesse interesse numa quatro-olhos sem curvas – resmungou ele virando pro outro lado também.

 

Basara continuou sem entender o que estava rolando, mas logo ele ouviu o chiado e viu o brilho, Sarada estava manifestando o chidori enquanto rosnava violentamente, o jovem começou a suar imaginando se ele sobreviveria a esse fogo cruzado, já Boruto do outro lado tremia e batia os dentes imaginando o chidori perfurando suas costas.

 

- b-be-bem, o que importa é que estamos perto de completar a primeira fase – dizia Basara tentando impedir uma tragédia – talvez devêssemos pensar em como será a 2º fase.

- Não é preciso pensar muito – dizia Sarada respirando fundo pra se acalmar – se é Konoha que está promovendo o exame, então a 2º fase só pode ser aquela.

 

Sarada ia explicar mas Basara entrou em alerta, ele sentiu a presença de humanos por perto e rapidamente saiu da tenda, ativando a primeira fase da sua transformação ele ampliou seus sentidos e detectou os invasores do perímetro.

 

- Consegue dizer quem é? – perguntou Boruto em alerta ao lado dele.

- Sim, não pensei que nos encontraríamos aqui – disse Basara suspirando mais leve – podemos ajuda-los em alguma coisa?

 

De uma moita um trio apareceu, era o ino-shika-cho que tinha vindo até eles, os três cumprimentaram Basara e Boruto e perguntaram por Sarada, esta saiu da tenda e os cumprimentou rapidamente, Chochou foi até ela e surpreendendo a todos deu um cascudo bem forte na amiga.

 

- aiaiaiaai o que está tentando fazer? Esmigalhar o meu crânio!? – reclamou Sarada com as mãos na cabeça.

- Isso é o troco por aquela hora! – reclamou Chochou cruzando os braços – que sacanagem você fez comigo!

- Tá bom, eu merecia essa – dizia Sarada com os olhos lacrimejando pelo dor.

- hehe quando o Inojin disse que deixou a Chochou sozinha com você imaginei que ia dar nisso – dizia Shikadai – tá tão desesperada assim por pistas do templo?

- Olha só quem fala, você tem sorte de ser filho do organizador, mesmo que ele não tenha lhe dado informações privilegiadas você sabe como ele pensa – reclamou Sarada.

- Bom, é verdade que eu sei como meu pai pensa, mas eu localizei o templo de outro jeito – disse ele tirando algo da mochila – tinha uma pista que eu acho que nem ele pensou.

 

Ele jogou algo para Boruto, este pegou o que ele jogou e verificou que era um mangá, folheando as paginas ele viu que era a historia de um monge ninja que enfrentava uma legião do mal.

 

- Espera, isso quer dizer que... – Sarada estava tremendo pela mistura de sentimentos agora.

- Eu não sei se meu pai sabe, mas alguém fez um mangá inspirado na historia do monge Jihei – respondeu Shikadai – ele foi publicado no país do relâmpago, acho que os ninjas da nuvem estão com uma vantagem inesperada.

 

Todo mundo olhou para Sarada, as pálpebras dela estavam tremendo e ela inteira parecia pálida, sem dizer nada ela se virou e foi até uma arvore, inesperadamente ela usou o seu chidori para abrir um rombo na árvore.

 

- Eu leio contos, romances e transcrição de relatórios, investiguei a biblioteca inteira e a resposta estava num mangá!!?? – gritava ela furiosa – eu acumulo conhecimento há 5 anos e um idiota pode encontrar uma informação vital num mangá!!??

- Eu espero que a parte do idiota não esteja se referindo a mim – comentou Shikadai balançando a cabeça.

- Deixa ela, daqui a pouco ela se acalma – dizia Boruto – só temos que ficar fora da sua vista quando quiser matar alguma coisa.

 

Seguindo o conselho eles deixaram Sarada destruindo o que sobrou da árvore, enquanto isso eles se reuniram para discutir o que fazer daqui em diante, após alguns minutos de ira Sarada juntou-se a eles e pediu desculpas para Chochou por ter usado um genjutsu nela, Chochou concordou desde que Sarada pagasse uma rodada na churrascaria pra ela.

 

- Como foi que vocês nos encontraram? – perguntou Basara.

- Do templo do fogo para o templo Engakujin, esta seria a rota mais curta – explicou Inojin – bom, por coincidência saindo de Konoha para lá nós também passaríamos por aqui.

- E por que nos procuraram se nós passamos a perna em vocês? – perguntou Boruto.

- Como se eu fosse esquentar por algo assim, nós só viemos aqui pra Chochou descontar sua raiva – explicou Shikadai – mas já que estamos indo pro mesmo lugar queríamos propor um acordo.

- Oh? E o que vocês poderiam querer de nós? – perguntou Sarada.

- Nada demais, só queremos dividir o trabalho – respondeu Shikadai – podemos leva-los ao templo com o jutsu do Inojin, e em troca vocês abrem o caminho pra nós.

- É uma troca justa considerando que vamos lhe poupar tempo – disse Inojin – fora que vocês ainda nos devem pela informação.

 

Não havia motivos para rejeitar a oferta, o único problema era saber por que eles queriam alguém pra ir na frente, mas já que todos tinham o mesmo objetivo não seria um problema.

 

- Muito bem, nos levem até lá e deixem com a gente – disse Sarada com a aprovação dos outros.

 

***********************************

 

- Parece que todos os nossos times vão conseguir chegar lá – disse Darui olhando o relatório.

- Quem diria que um mangaká tinha feito uma historia baseada nessa lenda – disse Shee ao seu lado.

- Me desculpe por termos essa vantagem – disse Darui – mas essa é só a primeira fase, temos que ver como nossos garotos vão se sair dali em diante.

 

Os dois seguiam pelo corredor em direção ao escritório, no caminho eles encontraram um trio de garotas, Darui ao vê-las suspirou imaginando a situação que seria, Shee segurou a risada da cara que ele fez quando a garota do meio o cumprimentou.

 

- Engai-dono, o que posso fazer por você? – perguntou Darui com um sorriso amarelo.

- Olá Raikage-sama, eu vim trazer meus projetos para você avaliar – dizia a moça diante dele.

- “O quão insistente ela é?” – perguntou-se Darui suando frio.

 

A mulher diante dele era uma dos jounins de elite da vila, além de forte ela também era muito inteligente e tinha um grande tino para administração, na verdade muitos insistiam que ela deveria ser a próxima Raikage, as outras duas com ela eram suas companheiras de time e suas ajudantes, apesar de ainda serem chuunins.

 

- Olha Engai-dono, eu gostaria muito de avaliar seus projetos de reestruturação da vila, mas estamos no meio do exame chuunin agora – dizia ele pra escapar disso – mas pode deixar que assim que terminarmos o exame eu lerei seus relatórios.

- Eu imaginei que você diria isso, por isso trouxe este outro relatório sobre o desenvolvimento dos gennins nos últimos 10 anos – disse ela entregando outra pasta – depois que ler você pode comparar com os resultados que teremos este ano.

- Muito obrigado, você realmente se dedica pelo bem da vila – dizia ele suando frio.

- Tudo para alcançar o posto de Raikage, pretendo ser nomeada ano que vem – disse ela com um olhar afiado.

- Está mesmo com pressa não é? Engai-dono? – perguntou Shee.

- Por varias gerações a nossa vila tem sido governada por homens brutos e ignorantes, mas isso acaba agora – dizia ela apertando o punho – eu serei a primeira Raikage mulher, vou alcançar feitos maiores que a Tsunade ou a Mei!!

 

As outras duas atrás batiam palmas com a empolgação dela, Engai acreditava que conseguiria por Kumogakure acima de Konoha em 10 anos se fosse nomeada Raikage logo, para isso ela aprimorava seu ninjutsu único e também a sua inteligência, na vila já havia dezenas de ninjas apoiando sua campanha para ser nomeada.

 

- Eu realmente gosto de seu entusiasmo, mas não vai ser radicalizando que você vai conseguir a nomeação – dizia Darui.

- Fala sério, Engai-sama só não foi nomeada antes porque éramos crianças naquela época – dizia uma das colegas dela.

- Isso mesmo! Engai-sama até conseguiu recrutar ninjas especiais para a vila – dizia outra – foi ideia dela o remanejamento dos ninjas certos para o intercâmbio!

- Relaxem meninas, no final os meus feitos falarão por mim – disse Engai – acho que minha maior conquista vai ser acabar com o que restou da Juugetsu.

- Espere, você falou da Juugetsu? – perguntou Darui surpreso – o que uma coisa tem a ver com a outra?

- Como vocês 5 Kages são relaxados, só porque o líder da Juugetsu morreu não quer dizer que a organização se tornou inofensiva – dizia ela – eu tomei a liberdade de estender minha rede de informações, eu estou no rastro dos membros restantes.

- A base da organização fica em uma dimensão desconhecida, Uchiha Sasuke viaja constantemente visitando dimensões e procurando por eles – dizia Darui – você está dizendo que tem meios de fazer uma busca melhor?

- Digamos que eu tenho meus próprios contatos – respondeu ela – até mais tarde Raikage-sama, estou ansiosa pelo fim do exame chuunin.

 

Darui suspirou pesadamente sobre isso, ela podia estar pensando no bem da vila da nuvem, mas definitivamente era uma pessoa problemática.

 

*******************************

 

- Estamos chegando – avisou Inojin.

 

Os pássaros de tinta do Inojin carregavam seus passageiros, uma dupla em cada um voando alto para não serem percebidos em terra.

O local do destino estava diante deles, um conjunto de montanhas que mais pareciam dentes de uma besta, Sarada imaginou que um lugar assustador assim afastaria pessoas comuns que falariam sobre o lugar.

 

- Aquilo ali é a bandeira da aliança shinobi? – perguntou Inojin olhando pelo binoculo.

 

A bandeira branca com a shuriken de 5 pontas, era o símbolo da aliança shinobi quando eles realizavam ações em conjunto, nesse caso os ninjas enviados estavam trabalhando para o exame chuunin como um todo.

 

- Devem ser os organizadores, vamos descer lá – disse Shikadai.

 

Os times rapidamente desceram e pousaram na frente da grande tenda, assim que chegaram eles logo foram recepcionados pelo jounin da folha, como organizador ele estava usando a bandana da aliança em vez da tradicional folha.

 

- Meus parabéns por chegarem até aqui – elogiou ele – foi muito difícil achar este lugar?

- Foi cansativo – respondeu Boruto.

- E frustrante – respondeu Sarada lembrando do mangá.

 

O jounin da folha olhou para aqueles dois times, ele gostaria muito de parabeniza-los corretamente, mas sendo um dos organizadores ele precisava ser imparcial, então ele só se limitou a recebê-los bem.

 

- Aposto que fomos os primeiros a chegar não é? – disse Boruto empolgado – duvido que tenha algum time mais rápido que a gente.

- Que nada, uns 20 times já chegaram aqui – disse o jounin da areia que estava preenchendo uma papelada.

- Idiota! Não podemos dar esse tipo de informação! – gritou o jounin da folha.

 

O jounin da areia rapidamente tapou a boca, ele era um ótimo ninja mas tinha a mania de falar sem pensar, para os gennins essa informação era valiosa, ajudava a definir o que poderia estar esperando por eles, mas foi uma surpresa saber que tantos times já tinha conseguido chegar nos últimos 15 dias.

 

- Bem, de qualquer jeito vocês chegaram aqui mas ainda não acabou – disse o jounin da folha – vocês precisam cumprir mais uma missão para encerrar a primeira fase do exame chuunin.

- Aiai o que vem agora? – perguntou Boruto chateado.

- Antes disso eu preciso que vocês preencham esses papeis – dizia o ninja da areia – precisamos registrar a chegada de vocês, e também consentimento para continuarem, afinal agora vocês estarão arriscando suas vidas.

 

Arriscar a vida era a palavra-chave, o jounin da areia entregou um papel com detalhes para cada um dos gennins enquanto ele próprio preenchia uma papelada geral, todos viam no documento a parte onde deveriam assinar seu nome e nº de registro, assim se eles chegassem a morrer não haveria reclamações de qualquer parte.

 

- Isso é meio assustador... – dizia Chochou engolindo em seco.

- Não se preocupe, já passamos por coisas piores – dizia Sarada tocando o ombro dela.

 

Alguns deles estavam hesitantes, mas logo acompanharam os outros, preencheram seus dados no papel e entregaram para o responsável que conferiu, após constatar que tava tudo em ordem ele passou a dar as instruções.

 

- Se desejam continuar vocês devem entrar no templo Engakujin agora – começou ele – lá dentro vocês deverão procurar alguns pergaminhos, cada pergaminho contem desafios classificados em ranks D, C, B, A e S.

- Espera, isso meio que parece com... – Boruto recebeu um beliscão por interferir na explicação.

- Como eu estava dizendo, se completarem o desafio no pergaminho vocês ganharão pontos – continuava o jounin – o pergaminho rank D vale 1 ponto, o pergaminho rank C vale 2 pontos, o pergaminho rank B vale 3 pontos, o pergaminho rank A vale 6 pontos, e finalmente o pergaminho rank S vale 10 pontos.

- Quantos pontos precisamos juntar para passar? – perguntou Basara.

- No mínimo 6 pontos, mas vocês podem passar o limite livremente – explicou ele – porém, vocês não podem trazer mais que três pergaminhos para fora do templo.

- Então eu tenho uma pergunta, se falharmos em cumprir o desafio do pergaminho iremos morrer? – perguntou Sarada seriamente.

- Isso depende exclusivamente de vocês, encontrem os pergaminhos, cumpram os desafios dentro deles e acumulem pontos – terminava o jounin – uma vez que vocês tenham 6 ou mais pontos venham aqui para registrarmos a conclusão do teste.

 

A atmosfera dentro da tenda ficou pesada, os gennins deixaram a tenda e seguiram em direção ao templo, ele estava há 500m mas parecia muito mais longe no momento.

 

- Não tenham medo, seja lá o que tiver nesses pergaminhos nós vamos encarar – dizia Boruto confiante.

- Ele tem razão, podemos medir a dificuldade dos pergaminhos começando de baixo para cima – sugeriu Inojin – se pegarmos um pergaminho rank D, C e B teremos pontos suficientes para passar na prova.

- Isso é ser ingênuo demais, estes desafios tem como função reduzir o numero de candidatos, o que significa que só os melhores passarão – explicou Shikadai – além disso há um problema com essa pontuação.

- Um problema? Mas é fácil de alcançar não é? – perguntou Chochou.

- Aquele jounin deixou claro que podemos passar do limite desde que não tenhamos mais que três pergaminhos – continuou Shikadai – ele praticamente disse que quer que tentemos conseguir mais que 6 pontos, pode ter uma pegadinha nisso.

- Sabe, eu li sobre um exame chuunin que teve alguns anos atrás, eu acho que eles querem saber se seguiremos as instruções à risca ou vamos tentar ser ousados – comentou Basara – ou talvez eles queiram saber como pretendemos acumular pontos.

- Eu concordo com ele, existe mais por trás desse teste do que podemos ver – disse Sarada – eles estão testando todas as nossas qualificações como shinobi, desde nossa coragem até nossa astucia, mas também nossa prudência e interpretação de ordens.

- Afinal, devemos conseguir mais pontos ou não? Qual é a escolha certa? – perguntou Boruto irritado.

- Não tente pensar demais nisso, sua cabeça não foi feita pra isso – disse Sasuke sentado numa pedra – concentre-se em fazer o que você pode fazer.

- Papai!? O que está fazendo aqui? – perguntou Sarada.

- Estou fazendo a guarda do lugar, e nem deveria estar falando com vocês – disse ele – de modo que não deixem isso vazar por aí.

- Fique só olhando tio, vamos passar nesse teste rapidinho – disse Boruto.

- Isso mesmo papai, apenas fique olhando – pediu Sarada – este é meu primeiro passo para ser uma Hokage.

 

Novamente Sasuke viu a sombra do seu time 7 nestes jovens, havia algumas diferença é claro, mas no geral era muito similar, os outros também lembravam seus velhos companheiros de academia, e por isso Sasuke ficou feliz em vê-los tão unidos.

 

- Muito bem, vejo vocês de novo em Konoha – disse ele se levantando – agora andem e passem nesse teste de uma vez.

 

Sasuke sumiu num shunshin no jutsu, quando o Uchiha desapareceu os dois times se viraram para o grande portão, ele continuava sinistro e ameaçador, mas os gennins engoliram o medo e entraram, de longe Sasuke gostaria de tê-los avisado sobre os perigos de lá, mas ele sabia que isso só destruiria o crescimento deles.

 

 

Continua.


Notas Finais


Na capa temos a jounin da nuvem Engai.
.
Muito bem pessoal, devido a algumas circunstancias eu iniciei uma campanha para arrecadar fundos, o dinheiro será usado para comprar um PC novo e assim eu poder continuar tanto com meu trabalho pessoal como também as minhas fanfics, já que meu PC sempre está morrendo e causando prejuízo.
Para isso eu abri uma conta poupança da caixa, se alguém quiser contribuir com qualquer valor será bem vindo e terá minha gratidão, para aqueles que quiserem ajudar segue abaixo os dados da conta:
- nome: Lenielson Santos.
- agencia: 3532
- operação: 013
- conta: 0028509-1
.
Qualquer duvida entre em contato comigo pelo facebook ou por mensagem privada aqui mesmo, desde já eu agradeço a generosidade de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...