História Mirror Of Dreams - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ação, Drama, Espelho, Londres, Sonhos, Viagem, Vicios
Exibições 17
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


as férias chegando e eu ficando mais livre, essa semana está sendo uma verdadeira loucura, provas, consulta médica, estou com o diagnóstico de ansiedade e então só piora, enfim, vamos falar de coisa boa, vamos de capítulo novo!

Capítulo 42 - Fire


Fanfic / Fanfiction Mirror Of Dreams - Capítulo 42 - Fire

Dez mil dólares era um pouco de exagero, considerando que com Perrie eu não havia gasto nem a metade em acessórios com frases de efeito.

Apanhei a sacola com a caixa das pulseiras e o estojo com o presente, entrei no carro. Tudo voltou ao normal na joalheria e pessoas puderam entrar.

- Onde quer ir? - O motorista perguntou.

- Shopping. Vai ser rápido.

- Okay. - E ele pisou no acelerador.

Nova York em uma visão muito rápida, em borrões de prédios, como viajar no tempo. Próximo dali - por pura sorte - havia um bom shopping, então economizei tempo. Lá foi meu segurança conter a enxurrada de meninas a me verem sair do carro.

Procurei ser simpático parando para tirar fotos com algumas e dando autógrafos também, outras davam um jeito de conseguir já que estavam mais longe, e justamente sentia pena delas, algo como "Queria ter tempo para abraçar todas.". Fui direto ao ponto e dirigi-me até a loja da Victoria's Secret, um ilusionismo entrar naquele lugar totalmente feminino e correr o risco de ser atingindo por uma avalanche de mulheres nuas. Escolhi um lingerie novo e lindo que combinasse com Nowlez, e um kit de perfumes para Perrie, já que, sequer ela me beijava nos lábios, o suficiente para eu ter noção de que roupa íntima seria um presente muito indiscreto, minha jornada pelo centro de compras terminou após eu adquirir um sapato que ouvi dizer ser um stiletto, preto com acabamento verniz número 36 e um milkshake.

Voltei para o hotel, tudo estava silencioso no quarto, guardei a joia rapidamente no cofre atrás de um dos quadros por segurança. Obviamente Fernanda não estava ali, senão já teria me abordado com um beijo, mas onde estaria? Ouço no mesmo momento risadas vindas de fora, o cartão sendo passado na porta e logo ela entra sem perceber minha presença, vestindo um short provocante e a parte de cima de um biquíni; seus cabelos se mantiam no lugar com meu óculos de sol.

- Zayn?!

- Foi para a piscina?

- Sim, quis me distrair um pouco.

- Que bom que se divertiu. Vou descansar um pouco, e depois desço para fazer musculação. - Sentei-me no sofá.

- Ficarei por aqui.

- Okay então. Preciso falar algo importante, Nowlez, minha família vai vir para Nova York no domingo.

- Fico feliz por você.

-  É só isso que você diz?

- Ninguém mais pode saber sobre nós, e você sabe muito bem disso.

- Meu primo já sabe sobre nós, os Riach sabem, a equipe de segurança inteira...

- É diferente Zayn, você vai chegar na sua mãe e dizer que sou só uma ficante? As pessoas não apresentam... - A interrompi.

- Você é minha namorada agora.

- Conta outra.

- Estou dizendo a verdade. - Ela me fitou com aquele olhar amoroso e sentou-se ao meu lado. 

- Promete que ficaremos juntos até o nosso para sempre acabar? 

- Prometo. - Segurei sua mão contra meu peito, a beijando na testa.

 

Sexta-feira, 10 de agosto de 2013.

Fernanda's P.O.V.

Manhã do dia anterior ao baile, Zayn era meu namorado, por pouco tempo, mas eu podia curtir cada momento como um chocolate que derrete na boca, ele havia saído cedo, para se exercitar, eu deveria fazer o mesmo, porém a preguiça era maior. Preferi ficar no quarto bebendo um tal suco de clorofila horrível e assistindo televisão. Tudo estava muito calmo, pela segunda vez em três semanas consegui me sentir uma pessoa normal.

- Ei, Zayn... - Reconheci a voz de Harry que de algum jeito havia entrado ali.

- O Zayn não está.

- Fernanda? Como assim? - Ele veio correndo até a sala de estar.

- Fique a vontade. - Indiquei para que ele sentasse ao meu lado no sofá.

- Vocês reconciliaram de verdade?

- Sim, somos namorados. - Coloquei a mão sobre o rosto ainda incrédula com o que eu estava dizendo, era mais do que demais.

- Inacreditável Nowlez. - Ele riu.

- Tem alguma coisa em que eu possa ajudar? - Bebi um gole do detestável suco.

- Porque você está bebendo esse suco horrível?

- Sei lá, o Zayn disse que era bom.

- Uma pinóia. Jogue isso fora, vamos pedir uma vitamina de banana.

[...]

Harry assinou a conta do pedido, dois copos quase transbordando, ele me alcançou um deles e brindamos rindo da situação. Na televisão passava o noticiário local, a previsão do tempo, delitos pela cidade, curiosidades e algo inesperado.

- ...A Embaixada do Brasil publicou essa semana a foto de uma jovem brasileira desaparecida no distrito de Nova York, seu nome ainda não foi divulgado. Quaisquer informações favor entrar em contato com a polícia. - O repórter anunciou seguido de um retrato falado meu.

- Meu Deus. - Levantei do sofá colocando a mão sobre o coração.

- Precisamos mudar você. - Harry tirou o celular do bolso.

- Quem fez isso? - Pergunto apavorada, e ouvimos batidas a porta.

- Vá para dentro do closet. - Ele me orienta, enquanto coloca o celular próximo da orelha. Eu corro para me esconder. Styles atende a porta calmamente.

- Cadê ela? - A voz feminina me fez gelar por inteiro. Aquela breve dor de barriga dentro do armário, eu estava nervosa e não era para menos.

- Ela quem? - Eu espio por uma minúscula fresta. Harry permite a entrada de Perrie na suíte.

- Fernanda Nowlez. Zayn trouxe ela para Nova York que eu sei.

- Ela pode estar em qualquer lugar não necessariamente aqui.

- Posso saber o que está acontecendo? - Zayn estranha o fato de a porta estar aberta, ele estava suado e sem camisa. Harry fecha a porta.

- Você quer mesmo saber? - Perrie questiona deixando a bolsa sobre o sofá. - Sua namoradinha está sendo procurada.

- Que namoradinha? - Malik revida.

- Não se faça de idiota Zayn, quer pôr tudo a perder? Não vou me estressar de novo com aquela gente por sua causa.

- Não tem ninguém aqui. Eu já disse. - Ele responde alterado. Encontro seu revólver no bolso interno de um dos smoking. Perrie de repente sai me procurando pelo quarto, atrás das cortinas, embaixo da cama...

- Viu? Ninguém aqui. - Harry empurra meu sutiã com o pé para debaixo do sofá.

- Okay. - Ela olhou para os lados, e apanhou sua bolsa.

- Zayn não iria colocar uma mulher aqui dentro Perrie, seria loucura.

- Você tem razão Harry. - Ela caminhou até o closet, tirei a munição da arma, e me preparei. Suas mãos tocaram a porta e ela abriu de forma brusca. - Aqui... - Coloquei o cano da arma vazia em sua testa. 

- Bom dia. Senta aí. - Eu a guiei até o sofá com o revólver em sua cabeça.

- Fernanda Nowlez. - Me encarou, e eu apertei a arma contra sua cabeça.

- Não faça isso. - Zayn disse do outro lado com as mãos para cima, e Harry estava assustado.

- Ninguém me diz o que fazer. - E puxei o gatilho que não disparou bala alguma. Ela gritou e tampei sua boca. Harry mordeu o lábio para não rir, e dei uma piscadela para eles para que entendessem que era apenas para assustá-la. Zayn olhou para os lados.

- O que quer que faça? Quer meu celular, minhas coisas? Leve, pode levar...

- Não, você não está entendendo! - Exclamei e ela gritou tampando a própria boca. - Cante o hino nacional do Brasil comigo.

- Oh say can you see... - Ela arrisca, e seu olhar sinaliza um pedido de ajuda para Zayn e Harry.

- Eu disse do Brasil não dos Estados Unidos! - Gritei e ela se ajoelhou no chão. - Repita comigo, Deus abençoe a América.

- De-eus... Abençoe... - Gaguejou nervosa.

- Abençoe o que? - Perguntei firme, tentando não rir.

- ...A América. - Finalizou.

- Okay, ótimo, você se saiu muito bem. - Perrie assentiu quase chorando. - Tudo bem, agora você vai levantar e jurar pela sua vida, que não me viu, ou sequer ouviu falar no meu nome.

- Juro, que não vi, e nem ouvi falar. - Respondeu quase tropeçando nas palavras.

- Ótimo, e se abrir a boca para falar alguma coisa... - Ameacei.

- Não se atreveria. - Perrie me encarou, seu queixo levantou em minha direção com as lágrimas escorrendo por seu rosto e a fúria saindo por suas palavras, com a janela aberta o vento fazia de meus cabelos rebeldes indomáveis.

- ...Passarei o resto da minha vida na cadeia e você no inferno, porque eu vou te matar. - Encostei a arma em sua testa e levantei o queixo assim como ela, travei o maxilar.

- Vou embora. - A soltei e ela tomou posse de sua bolsa.

- Acho bom. E não bote mais os pés aqui. - Coloquei o revólver na cintura.

Fui até os dois e sussurrei no ouvido da loira. - Essa é a parte em que você sai correndo e chorando pelos corredores. - Perrie tira os saltos e sai pela porta rapidamente, me olhando amedrontada. Logo limpei minhas digitais com uma toalha e joguei o revólver no chão.

- Porque fez isso? - Zayn me perguntou.

- Eu estava blefando, a arma estava vazia. A quem prefere salvar? Ela ou você? Acha que a gestão vai poupá-lo se souberem que está me acobertando?

- Não precisava. - Ele disse sentando no sofá branco.

- Zayn, era a única alternativa. Se Perrie contar para alguém poderia ser fatal. - Harry me defendeu.

- Estou sendo procurada pela polícia, por acharem que estou desaparecida. 

Minha mãe havia colocado mais uma pedra em meu caminho, a denúncia tornava tudo mais difícil, a polícia dos EUA nunca dorme, e com isso eu teria de me tornar invisível aos olhos deles.

- Sei que Perrie sofre com a gestão tanto quanto você Zayn, mas isso é para a nossa segurança, eles iriam jogá-lo na prisão.

- Tudo bem, vou tentar manter o espírito esportivo.

- O celular da Lou está na caixa postal. Precisamos mudar o seu visual, e precisamos dela para isso. - Ele deu um sorriso misterioso me analisando.


Notas Finais


bem, eu fiquei nervosa para escrever esse capítulo por conta de alguém aí ser fã da Perrie e talvez não se sentir muito confortável ao ler, mas é tudo uma grande brincadeira, eu não sou hater da Perrie, já fui, mas não sou mais, e acho ela uma artista maravilhosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...