História Mirror Of Dreams - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ação, Drama, Espelho, Londres, Sonhos, Viagem, Vicios
Exibições 16
Palavras 991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 44 - Um Lugar Ao Sol


Fanfic / Fanfiction Mirror Of Dreams - Capítulo 44 - Um Lugar Ao Sol

O que me levou ao estado de tristeza foi Zayn estar bravo comigo, se lutei por minha vida e por ele também. Enfim, levantei, revirei o frigobar e os armários na  busca por uma bebida alcoólica para misturar ao meu chá, não dava para aguentar tanta coisa em um dia só.

Me acomodei em uma poltrona elegante, segurando o pires, passei o dedo por entre a asa de porcelana branca trazendo a mistura até próximo de meus lábios, eu a bebo sentindo queimar minha garganta, como uma lady, lambo os lábios com o doce sabor do chá quase que totalmente disperso em meio ao álcool.

Deixo a xícara sobre o aparador, alcanço o telefone e disco número por número vagarosamente,  meu desejo é o almoço, eis que ouço o barulho do cartão e Zayn entra na porta empurrando um carrinho cheio de pratos e copos sobre ele, comida para um dia inteiro, algumas sacolas. Coloco o telefone de volta no gancho discretamente, sem me virar, olho para o quadro na parede, é uma fotografia de Audrey Heppburn em seu traje de bonequinha de luxo, era como se ela olhasse para mim através do vidro, devia ser mais uma ilusão de ótica.

- Vamos comer ou não? - Ele pergunta e me viro lentamente naquela sintonia de diva Hollywoodiana.

- Resolveu enfim falar comigo. - Disse eu.

- Vai ficar tudo bem. - Organiza os pratos colocando-os sobre a mesa e vem até mim com a expressão séria, envolveu minha cintura e tudo o que se pode ouvir foi nossa respiração. Me equilibrei sobre a ponta dos pés para apoiar minha cabeça em seu ombro.

Zayn trouxe sua mão até onde pudesse acariciar meu rosto, então fiz carinho em seu cabelo e ele me beijou.

"Lábios doces, o magnetismo, dois toques suaves, o colidir de duas faces, a sensação que dá arrepio...", e meu subconsciente anotava tudo em seu diário, sentado embaixo de uma bela árvore com os raios de sol batendo na aba de seu chapéu cor de rosa.

- Eu pensei em ir para algum lugar especial, não me sinto muito a vontade de ficar nesse hotel, parece que as câmeras estão aqui dentro. - Soltou-me e puxou a cadeira para eu me sentar, havia de ter feito aulas com o francês misterioso. 

- E vamos para o armário? - Ironizei apanhando os talheres delicadamente.

- Tenho uma ideia melhor. - Bebeu um gole de água gaseificada. E começamos a comer trocando olhares até que cai na risada e quase me engasguei, fail, quebrei o momento romântico e Zayn desviou o olhar provavelmente pensando no quão louca sempre fui. Respirei fundo e degluti devagar.

- Fernanda? - Ele perguntou e assenti gesticulando um ok. Após terminarmos de almoçar escovamos os dentes juntos.

- O que vamos fazer agora? - Perguntei ao perceber que estava pensativo.

- Pegue suas coisas, mas só o essencial.

- E esse monte de comida? - Fui até o closet tirando as peças de roupas mais versáteis e minhas favoritas como as calças jeans.

- Vamos deixar aqui até que o serviço de quarto venha recolher, a menos que queira levar alguma coisa para a viagem. Quero fingir que estive aqui durante o dia todo.

O que será que Malik estava planejando? Se ele não queria ficar no hotel onde ele estava protegido por seguranças nos andares de cima e de baixo ao quarto dele, porque iriamos para outro? Ele pegou as sacolas de papel no carrinho, e as colocou dentro de uma mochila.

- Coloque suas coisas dentro de uma das minhas mochilas de couro, você vai dentro da mala ela é grande.

- Mas o quê? - Fiquei incrédula.

- Dentro da mala. - Ele ordenou e fiz o combinado, organizando minhas coisas, era absurdo, mas para minha segurança. Com tudo pronto, fiz a "boneca de pano" e entrei na bendita mala. Zayn fechou deixando uma parte aberta para que eu pudesse respirar. Ele demorou um pouco até me levar disfarçada de bagagem, não era nada romântico.

Senti como se fosse levada para dentro do elevador, a sensação era um tanto angustiante, minha altura não era o principal problema, mas passei a entender o conceito de claustrofobia, era escuro e sufocante, gemi e Zayn deu um leve chute na mala, silenciei, mais alguns instantes e tudo parou, ouvi que alguém se aproximava.

- Muito cuidado ao manusear, nela está um relógio de madeira, uma relíquia imaculável. - Sua voz estava diferente, como se estivesse disfarçando. E alguém me levantou me pondo em uma superfície macia, o ar ficou denso e quase não conseguia respirar, com isso a temperatura subiu e comecei a suar incontrolavelmente. Ouvi a porta ser fechada, e outra aberta que logo se fechou e a partida foi dada, mas continuei sufocada.

- Zayn! - Exclamei com o pouco de fôlego que ainda tinha.

- Espere só mais um pouco. Vai ser rápido. - Ele acelerou e rapidamente estacionou em algum lugar. A mala foi aberta e me sentei dentro dela, cataloguei aquele como o segundo pior momento da minha vida, pois o primeiro havia sido o meu chorar sobre um caixão cheio de pedras que representava meu pai, o corpo sumiu e nunca se soube onde foi parar. Passei as mãos no rosto, no cabelo, tentando me sentir viva fisicamente, só então olhei para Zayn, e ele estava de barba comprida, óculos e boné. Passei para o banco da frente e ele me beijou aproximando nossos corpos, o afastei devagar recuperando o ar.

- Para onde vamos? - Perguntei colocando o cinto de segurança.

- Um lugar ao sol. Tem haver com Lana Del Rey. - Disse misterioso.

- Desde quando você escuta Lana Del Rey? - Cruzei os braços.

- Fiquei curioso e escutei o álbum mais recente. - Sorriu.

Malik e suas confidências loucas, um lugar ao sol? Até o final da viagem eu teria de decifrar esse código.


Notas Finais


então né


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...