História Mirrors - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Namijn, Taeseok, Vhope
Exibições 117
Palavras 4.750
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi galera!
Minha segunda fic one-shot, espero que gostem!
É a minha primeira vez que eu escrevo lemon, então..... sorryy se não estiver do agrado.
eu reaallmente espero que vocês gostem.
A música é Mirros - Justin Timberlake!
vejo vcs nas notas finais!

Capítulo 1 - Mirrors


Fanfic / Fanfiction Mirrors - Capítulo 1 - Mirrors

Mirrors

Hoseok já estava cansado do estado deplorável que se encontrava todas as noites.

Cansado.

Magoado.

Incorrespondido.

Bêbado.

Já se tornara parte daquele bar sujo e ao mesmo tempo aconchegante enquanto lamentava o sentimento rejeitado pelo melhor amigo. Quando não está no bar, está em algum lugar com uma garrafa barata de cerveja. Provavelmente no parque onde conheceu o dono de suas manhãs, tardes e noites.

Não que isso fosse relativamente um problema, pois adorava pensar sobre o loiro... Mas o mais velho já estava cansado e magoado o suficiente para saber que Taehyung era tão lerdo para não perceber os sentimentos nutridos pelo ruivo.

Encarava o líquido transparente dentro do copo que segurava, a fim de tentar se desprender dos pensamentos que sempre eram voltados ao loiro. Como um maltrafo daqueles conseguia controlar sua cabeça daquela forma?

Soltando um suspiro pesado, levantou-se da cadeira e se desvencilhou do balcão onde estava apoiado a fim de tomar um ar porta à fora. Incrivelmente, não havia bebido tanto quanto às outras madrugadas, não havia quebrado mais copos e não havia se lamentado tanto. Sua cabeça estava tão cheia de problemas que não raciocinava direito. Claramente estava acabado e não sabia mais que rumo tomar.

Enconstou-se no batente da porta do bar e se permitiu a soltar um suspiro longo e pesado. Precisava de um tempo para pensar sobre o rumo que sua vida estava tomando e faria isso agora. O ruivo estava na época de férias e faltava quinze dias para as aulas da faculdade retornarem, então não seria problema algum tirar algum tempo de ‘folga sentimental’ no interior de Seul?

Enquanto retirava o aparelho telefônico de seu bolso, sentiu uma frente fria encostar na sua pele pálida e castigada pelas olheiras fundas, resultado de noites em branco compondo.

Incrivelmente Hoseok tinha um talento para compor melodias e versos, o que o fez cursar artes e música na faculdade. Era um dos sete alunos promissores  da incrível classe de cento e cinquenta alunos, que por coincidência do destino, Taehyung se encontrava. O ruivo e o loiro gostavam de trocar ideias de melodias e até mesmo duetavam seus versos.

Muitas vezes os versos de Hoseok falavam sobre amor incorrespondido.

Todas as vezes.

Discou o telefone de Kim Namjoon, o seu amigo mais ‘íntimo’ que por muitas vezes acabava atraindo ciúmes de Taehyung.

Que o Hoseok não se dava conta.

- Alô Nam? – pigarreou Hoseok quando o outro aceitou a ligação.

- Problemas no paraíso, Hoseok? – saiu uma voz do outro lado da linha, a qual não era a de Namjoon.

- Jin? – perguntou o mais novo entre Seokjin e Namjoon – Cadê o Nam?

- Ah, oi Hobi! Eu tô com o Namjoon aqui na chácara dos pais dele. Ele tá tomando banho agora.

- Á essa hora? – indagou Hoseok, levantando a manga e olhando no seu relógio, praguejando indignadado – São duas da manhã!

- Ahh, - riu novamente Jin do outro lado – É que a gente estava se divertindo.

Hoseok sentiu o rosto ruborizar com os pensamentos impuros que tomaram-lhe a cabeça.

- N-não precisa dizer coisas desnecessárias hyung! – ouviu risos – Eu gostaria de saber se eu poderia passar o fim de semana aí com vocês.

- Mas é claro! – o ruivo suspirou aliviado – arruma as suas coisas que amanhã... Ops hoje, você vêm aqui. Que horas você vai chegar? Eu vou ajeitar um lanche.

- Por volta do meio-dia – o mais novo começou a andar em direção do apartamento, se desvencilhiando do batente da porta, caminhando com passos largos até a sua residência.

- Ok. – escutou Jin. – Não me diga que você tava no bar? Tô escutando barulho de carro aí, Jung Hoseok!

- Tá, tá – resmungou Hoseok, que já se encontrava perto de seu apartamento. Vantagem de beber em um bar perto de sua ‘casa’. – deixa de bancar o chato. Agora vou tô indo e já to aí em menos de algumas horas.

- Olha Hoseok! Se você estiv-

O ruivo não deixou o mais velho terminar a frase pois já havia chegado em seu apartamento, deitando-se no sofá e desfrutando de uma boa noite ou madrugada de sono.

___________________________________________________________________________________

 

Acordou com o barulho de uma campainha melodiando em seus ouvidos. Não poderia ter um tempo de paz! Levantou-se por obrigação, com uma dor de cabeça horrível e caminhou até a porta, praguejando palavras desconexas e inaudíveis. Estava com uma aparência horrível e parecia um saco de arroz de tão mole que estava. Não queria falar com ninguém naquele momento, só queria descansar em paz, já que algum tempo depois teria que ir para a chácara do Namjoon.

- Olha Yoongi, eu sei que somos vizinhos, mas se você não aguenta eu chegando tarde da noite, não são nem oito ho- falou encostando a lateral de seu corpo no batente da porta enquanto coçava a região dos olhos.

Mas não era Yoongi que estava ali.

Saberia que era Yoongi pela aura negra que pairaria o local, mas era uma aura misteriosa.

- Quem dera eu fosse o Yoongi, Hobi! – falou Taehyung, com um semblante impecável e invejável.

- O que você esta fazendo aqui? – perguntou o mais velho do dois, um pouco rude demais – Que mochilas são ess-

- Bom dia para você também, bela adormecida – riu baixo, abafando o mesmo com a mão esquerda. – Está esquecido, querido Hobi? – falou com um tom desentendido, colocando a mão direita em cima da cabeça de Hosoek.

- Primeiramente, não vai deixar eu entrar? – falou o loiro ofendido, entretudo com um expressão divertida nos olhos. – Ah, que pena hyung. Você não vai para a chácara dos pais do Nam?

Hoseok levantou a postura encarando perplexamente Taehyung que entrava desleixado dentro da sua casa.

- Como eu sabia que você estava naquele bar repugnante de novo – soltou o loiro sem o tom divertido, fazendo uma expressão de nojo – preparei a sua mochila com as roupas que você deixou lá em casa. – falou sentando no sofá onde o mais velho dormiu, enquanto encarava intensamente o perfil do ruivo, que ainda mantinha a expressão de perplexidade.

“O Jin vai me pagar” – pensou Hoseok, fechando a porta do apartamento.

___________________________________________________________________________________

 

Taehyung estava desembarcando do ônibus que os levaram até a chácara de Namjoon, enquanto percebia desde a saída do apartamento alguma coisa estranha com o seus hyung.

Não conversaram muito desde que entraram dentro do ônibus, deixando-o o loiro um pouco desconfortável.

Mais desconfortável ainda quando Hoseok adormeceu e deitou-se em seu colo.

Realmente o ruivo não sabia das emoções que o mesmo causava no interior do mais novo, muito menos sabia que o mesmo bebia para tentar esquecer a paixão platônica pelo mais velho. Parecia que ambos tinham telepatia oposta, pois os dois ligaram para Namjoon, pedindo a mesma coisa, ao mesmo tempo. Enquanto Namjoon atendia o loiro, Seokjin atendia Hoseok.

___________________________________________________________________________________

O amigo mais próximo de Taehyung depois de Hoseok é Park Jimin, o qual fala sobre todas as frustações amorosas sobre sua paixão ao mais velho. Jimin sempre tentou ajudar o loiro com base nas suas próprias experiências amorosas.

Uma pena que nenhuma delas ajudaram de alguma forma relevante Taehyung. Park Jimin teve algum caso com o mais novo do grupo de amigos de Hoseok e Taehyung, chamado Jeon Jungkook.

- Oi! Alô! – Hoseok estralava os dedos em frente ao rosto do loiro que encarava o nada, pensando se realmente foi uma boa ideia vir junto com Hoseok para a chácara. O motivo era tentar esquece-lo, e a ironia e que agora caminhavam juntos em direção à enorme casa de madeira bege perto da rodoviária.

Não que fosse algum problema conviver com o Hoseok.

Era uma tragédia.

Claro, uma tragédia amorosa. Ambos adoravam a companhia um do outro, mas de algum tempo para cá, os dois vem nutrindo um sentimento simultâneo de paixão, cuidado, fidelidade, carinho.

___________________________________________________________________________________

- Como vocês já conhecem aqui, podem ficar à vontade – Namjoon referenciou-se com os braços pela casa, arrancando risos dos outros três ali presentes.  – Eu e o Taehyung vamos ligar a lareira ali na sala. – os dois levantaram-se das respectivas camas de Hoseok e Taehyung, caminhando em direção da porta. - Amor, vocês podem fazer algo para a gente comer? Sabe como é né, é muito esforço ligar a lareira.

- Só vou avisando que se o Hoseok quebrar ou colocar fogo em alguma coisa aqui... – Seokjin tagarelou estalando a língua em direção ao Hoseok, que no momento estava com uma expressão estranha pela melosidade do casal.

Do casal assumido.

Taehyung soltou um riso anasalado enquanto seguia até a sala de estar junto com o Namjoon, deixando Jin e Hoseok sozinhos no quarto.

- Vou esganar vocês até a morte! – Hoseok fez menção de se levantar da poltrona que compunhava o ambiente do quarto, indo na direção de Jin, que só soube gargalhar da expressão que o ruivo fez.

- Você está apaixonadinho por ele. Eu e o Nam só estamos fazendo um favor para vocês. – soltou outra gargalhada enquanto levantava-se da cama que pertencia ao  ruivo.

- Sério agora – suspirou pesadamente Hoseok, encarando com uma feição preocupada o rosto do de cabelos rosa, fazendo o mesmo cessar as risadas – ele gosta de mim? Por que eu não aguento mais encher a cara e  ficar com outros caras por causa dele.

Jin levantou-se e ajoelhou-se em frente ao ruivo, colocando suas mãos em cima das mãos de Hoseok.

- Hobi, você é muito lerdo. – resmungou o rosado, ocasionando uma expressão confusa do rosto do mais novo dos dois  – da mesma forma que o Monge Tae também é. – soltou outro suspiro. – só espera. – repreendeu Jin, encarando carinhosamente Hoseok. - Agora vem, vamos fazer maravilhosos Kimbap’s para eles. – disse o rosado, mudando totalmente o assunto.

O assunto que não saía da cabeça do alaranjado.

___________________________________________________________________________________

O loiro não conseguia mais dormir.

Não sabia se era pelo fato de que o seu amado platônico estava dormindo junto a si ou se era pela fato de estar gostando da proximidade, mesmo sabendo que iria de machucar depois.

Como o ruivo ainda não desconfiou sobre meu carinho a mais por ele?

Como ainda não desconfiou seus olhares, sua respiração descompassada, seus sorrisos tímidos quando estava perto dele?

Ah, como isso machucava o loiro.

Cuidadosamente, o mesmo levantou-se da cama para não acordar Hoseok que deitava junto a si. Não queria atrapalhar o mais velho. Era uma das primeiras vezes, desde algum tempo para cá, que via seu hyung dormir tranquilamente e como uma pedra.

Caminhou com os pés desnudos pela madeira de carvalho, saindo do quarto onde residia até o quarto em que Namjoon e Jin dormiam, a fim de conversar com o rosado, mas foi impedido por sons e rangidos vindos do mesmo.

“Que diabos está acontecendo?” – pensou Taehyung, enquanto caminhava pelo corredor. Quanto mais caminhava, mais próximo ficava do quarto e mais nítido ficava os sons de rangidos, ofegos e gemidos?

Parou em frente à porta entre aberta.

Ficou perplexo pela visão que teve.

Jin estava em cima do corpo suado de Namjoon, o qual estava segurando os braços do rosado em uma posição convidativa.

Taehyung cambaleou para trás e percebeu o que estava acontecendo. Mas não pode evitar que sentiu uma pontada estranha em seu baixo ventre. O loiro escondeu-se atrás da porta, enquanto ainda ofegava pela visão que teve alguns segundos atrás.

Mais gemidos.

Mais dor no baixo ventre.

Mais rangidos.

Mais dor no baixo ventre.

Mais estocadas.

Mais dor no baixo ventre.

Encostou-se na parede ao lado da porta e não deixou de olhar para o volume que crescia entre as suas pernas. Voltou a olhar entre a porta e encarar a cena de um Jin delirando de prazer.

Sabia que olhar seus hyungs fazendo sexo era errado, mas eles não deveriam ter transado com outros caras pensando em outro. Não faria mal.

Mais gemidos.

Taehyung levou sua mão direita até seu membro por cima da calça e começou a toca-lo.

Pensando em Hosoek.

Um gemido rouco escapou de seus lábios, que mesclou-se junto aos gemidos de seus melhores amigos do quarto ao lado. O que estava fazendo era errado. Tinha consciência disso.

Mas era mais errado pensar em Hoseok?

Soltou outro gemido quando tocou na sua área sensível, revirando os olhos com apenas esse contato.

Mais rangidos.

Mal percebeu quando Hoseok o chamou atrás de si, preocupado com os gritos que vinham do corredor.

- Taehyung o quê você está fazen- parou subitamente quando viu o mais novo se tocando encostado no batente da porta.

Hoseok sentiu seu membro quando o loiro soltou outro gemido, e mais outro.

- Mas que merd – olhou para o membro em suas calças e percebeu que com apenas dois gemidos Taehyung o deixou desse jeito. Ruborizou quando levantou o olhar e encontrou os olhos do loiro encarando-o intensamente.

Outro gemido.

Taehyung continuou se tocando enquanto encarava o ruivo na sua frente. Soltou mais um gemido quando percebeu o volume que havia se formado entre as pernas de Hoseok.

Mais estocadas.

Hoseok

A pouca sanidade que me tinha dissipou-se quando vi Taehyung se tocando no meio do corredor.

Já não me bastava as madrugadas pensamento no loiro, não bastava nas mensagens subliminares que eu mandava para ele e não bastava também ver uma cena totalmente maravilhosa e erótica na minha frente.

- Foda-se! – caminhei na direção do loiro, pegando-o pelo braço e levantando-o de frente para mim. Minhas entranhas já aclamavam por atenção e eu não iria mais aguentar. Encarei Taehyung quando o mesmo me olhava intensamente, abrindo em seguida um sorriso quadrado.

Aquele sorriso... Lembro-me perfeitamente do primeiro dia que o vi. Um sorriso inocente, quadrado e jovial.

Quantas vezes eu parava para observar este mesmo sorriso?

- Foda-se – respondeu, aproximando seu rosto do meu, o deixando com milímetros de distância. Minha respiração que já estava ofegante, nesse momento ficou mais. Como que queria esse homem.

- Eu não aguento mais, Taehyung. - suspirei, olhando diretamente dentro de seus olhos. Estava sendo sincero comigo mesmo. Por que jogar fora uma oportunidade que nunca mais viria novamente? - Eu s-

- Shhh, - sussurrou - eu não aguento à mais tempo que você.

Seu cabelo estava desgranhado, sua boca entre aberta, seu cabelo e seu corpo suados...

Sempre quis esse homem.

Mais gemidos.

Acabei com esse espaço que estava nos atrapalhando e colei nossos lábios.

Que lábios macios.

Eu sempre sonhei com esses lábios.

Eles são tão macios... Nem o whisky que tomava conseguia criar esse efeito sobre mim.

Engajei nossas línguas em um beijo desesperado , colando nossos quadris, fazendo eu e Taehyung gemermos. Suas mãos subiam e desciam descontrolavelmente pelo peito desnudo, enquanto as minhas rodeavam seus pescoço em busca de mais contato com a boca.

Infelizmente ou felizmente nossos quadris friccionaram-se em busca de mais contato ocasionando um gemido alto que saia da boca de Taehyung, que ia me enlouquecendo mais e mais.

Juntei minhas forças e o peguei no colo o e o levando para o nosso quarto.

Dessa vez foi a minha vez de gemer, o loiro trilhava um caminho de chupões e beijos molhados pelo meu pescoço, fazendo-me delirar de prazer.

- Finalmente... – Taehyung gemeu no meu ouvido, que em seguida foi levemente mordido no lóbulo da orelha, me deixando sem ar.

Quando chegamos  no quarto, o coloquei com delicadeza na minha cama, subindo em cima de seu quadril.

Tomei seus lábios mais uma vez em um beijo intenso enquanto roçava nossos membros já despertos e ia descendo pelo seu maxilar até chegar em seu pescoço com beijos, gemidos e chupões que iriam deixar marcas.

Tirei o mais rápido possível a camisa do pijama que o mesmo vestia, pois queria manter o contato quente de nossas peles suadas  juntas.

Senti suas costas arquearem quando trilhei com beijos seu peito malhado indo em direção ao seu mamilo esquerdo, deixando um beijo molhado no mesmo.

Outro gemido quando agarrei suas coxas fartas  com a boca e comecei a lambe-las como se fosse o último pedaço de carne que eu veria na terra.

Parei subitamente o que estava fazendo e encarei sua feição. Taehyung estava com os olhos virados em prazer, sua testa e suas mechas louras molhadas por conta do suor e sua respiração ofegante.

Tudo por minha causa.

Quantas vezes sonhei com esse dia...

- Por favo-or hyun-g!

Sua súplica foi  ápice para mim. Seus gemidos já estavam me fazendo delirar, e esse pedido quase me fez ir às alturas.

Arranquei sua cueca boxer, que já estava molhada pelo pré-gozo e abocanhei seu membro sem nenhuma cerimônia, fazendo-o arquear mais uma vez as costas e gemer meu nome.

O meu nome.

Com minhas mãos, peguei sei membro e auxiliei junto a minha boca, o fazendo gemer palavras inaudíveis e suspiros sôfregos.

- Mais rá-pi-do HYUNG!

Seus dedos emanharam junto ao meu cabelo já suado, fazendo eu seguir o seu ritmo. De vez em quando lambia a ponta com mais vontade, apertava seus testículos com a mão que sobrou e arranhava meus dentes na sua estrutura.

Mais urros.

Mais gemidos.

Só isso já estava me levando á loucura.

Senti que o loiro estava a ponto de gozar quando apertou com mais força meu cabelo e gemeu meu nome tão alto que Jin e Namjoon escutariam. Na verdade que acho que até os vizinhos escutaram.

Seu gosto agridoce jorrou na minha boca, fazendo-me engolir rapidamente. Levantei-me diante de seu tronco e ataquei seus lábios com desejo.

O desejo que antes estava reprimido.

Compartilhei seu próprio gosto enquanto nos beijávamos, entre gemidos, sussurros e toques.

Suas mãos arranhavam minhas costas, seu quadril remexia diante o meu e mais um gemido me faria suplicar por um toque.

Taehyung inverteu nossas posições. Agora o loiro estava por cima e me olhava intensamente, Seu rosto era só iluminado pela luz que a janela trazia da lua, que refletia nos olhos castanhos. Seu cabelo estava suado e despenteado em sua testa, sues olhos carregavam luxúria e seu peito desnudo estava brilhante.

- Quanto tempo eu esperei por isso hyung – falou rouco perto do meu lóbulo, enquanto friccionva nossos quadris com vontade – quanto eu esperei...

Agora fora a minha vez de arquear as costas e soltar um urro.

Taehyung passou suas mãos pelo meu abdômen e lambeu cada gominho que o meu tinha, chagando até a minha região que precisava de atenção redobrada no momento.

Nossa, como ele estava sexy.

Levou seus dois dedos indicadores ate minha boca, pedindo para que eu lambesse. O fiz e o mesmo levou até a sua própria entrada.

Ele soltou um gemido quando introduziu os dois dedos em si próprio.

Como ele estava lindo.

Essa visão era dos deuses.

- Mais rápido Tae, por favor... – supliquei manhoso enquanto o mesmo retirou os dedos de sua entrada e levou a mesma até o meu membro ereto. Minhas mãos arrancavam o lençol, podia jurar que meus dedos estavam brancos de tanta força que segurava o tecido branco.

Soltei outro gemido quando o mesmo agarrou o meu membro e o levou até a sua boca. Lambeu minha glande, me deixando totalmente sem ar.

Nossos olhares se cruzaram e eu senti outro sentimento além de desejo ali.

Eu senti carinho.

Cuidado.

E amor.

Esse sentimento... Muito melhor que o álcool.

Sem mais espera, meu membro entrou em sua entrada, fazendo o mesmo expressar uma careta de dor.

- Hey, Ta-

- Continua. Por favor... – suplicou me encarando. Me apoiei nos cotovelos e aproximei nossos rostos em um beijo calmante e apaixonado.

Comecei com movimentos lentos e precisos, enquanto ouvia gemidos e sussurros desconexos vindos do loiro.

- Quã-o aper- ah! – Urrei quando acertei meu ponto G, fazendo, instintivamente, meus quadris rebolarem em direção à entrada dele.

- Mais rápido! Hyun-g... – gemeu entre palavras distintas, fazendo meu quadril se impulsionar para cima mais velozmente. Gememos juntos quando agarrei seu membro e comecei a masturba-lo enquanto estocava. Senti que ele já estava chegando no ápice junto comigo, quando fincou suas mãos nas minhas coxas e arqueou suas costas procurando por mais contato.

- Hoseok!

Taehyung gritou quando alcancei seu Éden, que logo em seguida foi o meu.

Seu corpo subia e descia ofegante em cima de mim, o que não durou muito tempo, pois nos dois já estávamos deitados um do lado do outro, nos encarando.

Seus olhos transmitiam uma coisa que eu não via á muito tempo...

Conforto?

Não.

Cumplicidade?

Talvez...

Amor?

- Eu te amo. – falei enquanto juntávamos nossos corpos, fazendo seu rosto ser novamente  ser iluminado pela luz da lua.

- Eu também te amo. – colei nossos lábios em um beijo calmo, sereno e carinhoso. Sua língua moldava-se na minha como se fossemos feitos um para o outro. Separei nossas bocas com um suspiro de desaprovação do loiro, encostando nossas testas.

- Me diz que isso não é um sonho... - suspirei pesadamente, enquanto desfrutava da proximidade de Taehyung. - me diz que isso é real.

- Então você também sente borboletas no estômago? - perguntou sorrindo. Seus olhos formaram dois riscos e seu maxilar travou em um formato quadrado.

Se eu estudasse matemática, seria algo parecido com geometria quadrátida. Se isso existe...

Soltei um riso anasalado, encarando suas orbes castanhas. Sua voz saíra tão inocente que eu derreti mais uma vez aos encantos do Taehyung.

- Eu sinto elefantes. - sorri - não, na verdade eu sinto leões.

Senti o loiro soltar uma risada abafada, enquanto eu admirava sua voz melodiosa.

- Eu só te falei apenas uma vez que os leões eram meus animais favoritos.

- Eu lembro perfeitamente do dia. - respondi simplista.

___________________________________________________________________________________

Ficamos nos encarando, apreciando a beleza de cada um quando, infelizmente ou felizmente, Taehyung quebra o silêncio.

- Eu sempre quis cantar uma música que fiz para você... Eu posso?. – sussurrou devagar, como se fosse um segredo muito importante.

E realmente era. Ele era muito importante. Ele é.

- Cante. – supliquei, enquanto encarava seus olhos intensamente.

Não é que você é algo para admirar

Porque o seu brilho é algo como um espelho

E eu não posso deixar de reparar

Você reflete neste meu coração

Se você um dia se sentir sozinha e

A luz intensa tornar difícil me encontrar

Saiba apenas que eu estou sempre

Paralelamente do outro lado

Porque com a sua mão na minha mão

E um bolso cheio de alma

Posso dizer que não há lugar aonde não podemos ir

Apenas ponha a sua mão no vidro

Estarei aqui tentando puxar você

Você só tem de ser forte

Porque eu não quero perder você agora

Estou olhando bem para a minha outra metade

O vazio que se instalou em meu coração

É um espaço que agora você guarda

Mostre-me como lutar pelo momento de agora

E eu vou lhe dizer, baby, isso foi fácil

Voltar para você uma vez que entendi

Que você estava aqui o tempo todo

É como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Eu não poderia ficar maior

Com mais ninguém ao meu lado

E agora está claro como esta promessa

Que estamos fazendo

Dois reflexos em um

Porque é como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Olhando de volta para mim

Você é especial, uma original

Porque não parece assim tão simples

E eu não posso deixar olhar, porque

Vejo a verdade em algum lugar nos seus olhos

Nunca poderei mudar sem você

Você me reflete, amo isso em você

E, se eu pudesse, eu

Olharia para nós o tempo todo

Porque com a sua mão na minha mão

E um bolso cheio de alma

Posso dizer, não há lugar aonde não podemos ir

Ponha apenas a sua mão no vidro

Estarei aqui tentando puxar você

Você só tem de ser forte

Porque eu não quero perder você agora

Estou olhando bem para a minha outra metade

O vazio que se instalou em meu coração

É um espaço que agora você guarda

Mostre-me como lutar pelo momento de agora

E eu vou lhe dizer, baby, isso foi fácil

Voltar para você uma vez que entendi

Que você estava aqui o tempo todo

É como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Eu não poderia ficar maior

Com mais ninguém ao meu lado

E agora está claro como esta promessa

Que estamos fazendo

Dois reflexos em um

Porque é como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Olhando de volta para mim

Ontem é história

E amanhã é um mistério

Posso ver você olhando de volta para mim

Mantenha seus olhos em mim

Mantenha seus olhos em mim

Porque eu não quero perder você agora

Estou olhando bem para a minha outra metade

O vazio que se instalou em meu coração

É um espaço que agora você guarda

Mostre-me como lutar pelo momento de agora

E eu vou lhe dizer, baby, isso foi fácil

Voltar para você uma vez que entendi

Que você estava aqui o tempo todo

É como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Eu não poderia ficar maior

Com mais ninguém ao meu lado

E agora está claro como esta promessa

Que estamos fazendo

Dois reflexos em um

Porque é como se você fosse o meu espelho

Meu espelho olhando de volta para mim

Olhando de volta para mim

Você é, você é o amor da minha vida

Baby, você é a inspiração para esta preciosa canção

E só quero ver o seu rosto se iluminar quando você me desperta

Então agora digo adeus ao velho eu, ele já foi embora

E não posso esperar, esperar para levar você para casa

Só para lhe contar, você é

Você é, você é o amor da minha vida

Garoto você é o meu reflexo, tudo o que vejo é você

Meu reflexo, em tudo o que faço

Você é o meu reflexo e tudo o que vejo é você

Meu reflexo, em tudo o que faço

Você é, você é o amor da minha vida

 

3 anos depois

 

- Amor, vem aqui? – gritei da cozinha, onde estava eu e o Jin, preparando alguns docinhos e mimos para uma surpresa muito especial. – KIM TAEHYUNG!

- Aish Hobi, espera um pouco! – resmungou enquanto corria feito um louco até chager na cozinha. Como ele consegue ser fofo e brabo ao mesmo tempo? – Quê foi amor?

Jin soltou uma risada, que foi acompanhada pela minha.

Quem diria, que há três anos atrás, Kim Seokjin seria o nosso cúpido.

Soltei mais uma gargalhada com a lembrança e me aproximei do loiro que estava com as mãos nos joelhos e com uma expressão assustada.

- Aconteceu alguma coisa? – perguntou aflito me encarando com certo receio. Namjoon se aproximou á nós e sorria feito um bobo, junto comigo e com Jin. – Tem alguma coisa que eu não estou sabendo aqui?

Olhei com certo receio para os demais e ambos sorriram com ternura. Me virei para Taehyung que me encarava com uma cara de poucos amigos.

- Há exatamente três anos, aconteceu a noite mais feliz da minha vida. – Taehyung me encarava com expectativa – Há exatamente três anos o Jin fez alguma coisa que prestou e juntou a gente – Jin me deu um leve soquinho – e naquela época eu era um fracote e idiota. Eu ficava me lamentado uma coisa que eu achava que não era real em um bar, mas que na verdade era mais real que o tudo que eu já vi no mundo. Esse sentimento que guardo por você é uma coisa extremamente valiosa, e eu sei que para você também é. Então, antes que eu perca a coragem...

Kim Taehyung: meu amor, meu alien, meu 4D...

Casa comigo

ou melhor... Vamos nos "refletir"?

Kim Taehyung estava com uma cara de pleno choque. Me encarava com o suor caindo pelo seu rosto enquanto me encarava profundamente. Jin e Namjoon esperavam com expectativa uma resposta como um sim, ou até na pior das hipóteses um não.

Mas para a minha felicidade, foi a melhor resposta que eu já tive na minha vida.

- Cadê os anéis? – sorriu quadrado, aquele sorriso que me fez apaixonar, aquele olhar castanho intenso, aquele cabelo que agora está rebelde, aquele tudo... Seus olhos estavam pulando de alegria, assim como os meus. Cai em prantos e comecei a chorar igual o Jin quando o seu Kimchi queima. – Sabe, eu sou capricorniano... Eu quero um casamento muuuuito caro, ok? – respondeu simples, mas uma resposta cheia de amor, cumplicidade, felicidade e...

Amizade.

O começo de tudo.

Mirrors

 

 


Notas Finais


Eaí, o que acharam? desculpe qualquer erro...
Então, a minha escrita é boa, o que eu tenho que melhorar? Quero críticas...
Vocês aceitariam mais fic escritas por mim? Outro shipps? Sei lá?
Hahaha, comentem!
Beijimnhossssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...