História Miss Independence - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Exibições 460
Palavras 3.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Helloooo!!!!

Tudo bem pessoas???? Achei que ia conseguir postar semana passada, mas né? Vida adulta... Nem aproveitei bem o feriado...
Só queria dizer que o episódio de hoje me quebrou as pernas, ainda estou catando meus pedacinhos pelo chão. TT Coisa mais linda!!!

Bom, vamos ler que hoje tem interação entre Sasuke e Sakura!

Capítulo 3 - Terceiro Encontro


O inverno demorara mais para dar as caras naquele ano, mas assim que chegou mostrou que não teria compaixão. Sasuke gostava dos dias frios, podia usar blusas de moletom, ficar no quarto jogando videogame sem passar calor. Só era ruim porque não tinha vontade de sair de casa.

― Naruto já chegou, filho. ― Mikoto colocou a cabeça na porta do quarto dele e disse rapidamente. ― Coloca mais uma blusa, Sasuke!

Ele passou a mão no rosto, estava louco pra sentar na sua poltrona e jogar seu jogo novo, até chamou o Naruto pra fazê-lo parar de querer ficar saindo, mas parecia que havia um complô entre o loiro e a sua mãe. Pegou uma jaqueta e colocou por cima da blusa azul que gostava de usar.

Naruto levantou assim que o amigo apareceu na sala. Sasuke ergueu as sobrancelhas quando o viu parecendo usar todas as roupas que havia em seu guarda-roupas.

― Hey, maldito! O Shikamaru já mandou umas cem mensagens apressando a gente. Lá tá enchendo.

Os dois foram a pé para o café que havia no bairro ao lado. Não era muito longe, mas o vento frio desestimulava a caminhada. Nas férias de inverno, esse café ficava aberto até tarde e servia o melhor chocolate quente da cidade. Sasuke odiava doces, mas aceitou sair para a mãe não pensar que ele estivesse entrando em depressão ou algo do tipo. Ele sempre foi caladão, até entendia o porquê de tanta atenção, mas ele achava tão desnecessário.

Mais cedo havia recebido foto de Itachi na praia com o pai, haviam viajado e na legenda ele dizia que só faltava o maninho pra ficar perfeito. Seria legal estar com Itachi, e não iria reclamar de ter algumas meninas de biquini passeando a sua frente. Mas, era estranho demais, não sabia explicar. Parecia errado.

― Sasuke, disfarça.

Sasuke olhou para Naruto sem compreender o tom baixo do amigo. Viu os olhos azuis olhando para o chão arregalados.

― Pega o celular, olha pro céu, coça o saco… disfarça! ― Naruto praticamente berrava em sussurro.

― Sasuke!

Em qualquer outra circunstância com certeza já teria entendido de primeira o desespero de Naruto, mas estava tão distraído que foi compreender o que acontecia quando a voz dela gritou seu nome.

― Inferno. ― seu resmungo não saiu tão baixo e a garota loira desfez o sorriso na mesma hora.

Sasuke coçou a cabeça já se preparando, a viu abrir a boca inconformada, as amigas atrás dela olhavam-no com reprovação adolescente.

― Continua um ridículo. É melhor parar de ficar atrás de mim, seu babaca. ― Shion, sua ex namorada, disse no maior grau de orgulho que tinha e saiu do café com as amigas atrás de si.

― Nossa, ― Naruto começou a rir enquanto Sasuke balançava a cabeça abrindo a porta do lugar para entrarem ― que maluca. Mas olha o lado bom, agora não tem como ela mentir pras amigas que vocês estão juntos.

Sasuke tinha que concordar com aquilo, era um saco ter alguma amiga dela o esperando em algum canto da escola para aconselhar sobre a “briguinha” que tiveram.

Assim que deram o primeiro passo, foram abraçados pelo calor do vapor de chocolates e cafés quentinhos, cheiro de canela e cacau. Haviam várias mesinhas dispostas pelo café, Shikamaru acenava de longe com Neji sentado ao seu lado.

A chegada até lá demorou um pouco, porque Naruto tinha a feia mania de parar e conversar com qualquer um que cumprimentasse, o problema era que aquilo estava tão lotado que se Naruto empacava na sua frente, ele também ficava parado.

Na mesa não falavam nada útil. Naruto já havia contado sobre a breve interação com Shion na porta do café e Neji ria.

― Ela tá saindo com aquele gringo que tá fazendo intercâmbio, saca? ― O Hyuga disse mexendo seu cappuccino com uma elegância nata.

― O de cabelo branco? Aquele esquisito irritante? ― Naruto berrou enfiando uma porção de mini cookies na boca.

― Sim, sim. O tal de Sunetsu.

― Suigetsu. ― Shikamaru corrigiu Neji, mas nem parecia estar atento a conversa.

― Isso, esse aí. Ela foi em casa esses dias e falou alto o bastante pra eu ouvir. ― o Hyuuga bufou e olhou para Sasuke que o observava calado e com as sobrancelhas juntas.

― O que ela foi fazer na sua casa? ― O Uchiha não entendia aquela ligação.

Neji encostou-se mais na cadeira que sentava e soprou o cappuccino dando um gole.

― Acho que é amiga da Hinata, mas é certo que foi lá só pra eu ouvir isso e te contar.

― Tô falando, ela é maluca! ― Naruto não tinha muitos argumentos.

Sasuke deu de ombros, esperava seu misto quente e sua coca-cola quando viu a garota de cabelos cor de rosa na fila do caixa. Estava exatamente como se lembrava de vê-la sempre, com uma jaqueta jeans e os cabelos curtos soltos e um pouco desalinhados. Ela parecia pouco à vontade, encolhida entre os grupos que conversavam na fila. Talvez por estar sozinha, ele pensou. Percebeu o nariz e as bochechas mais avermelhados e os braços em volta do corpo.

― O destino é maravilhoso. ― a voz do Shikamaru chamou a atenção de Sasuke.

― Seu viado, você chamou a gente aqui porque sabia que ela viria! ― Naruto acusou.

Não foi difícil ver de quem Shikamaru falava. Temari acabava de entrar com duas amigas, sorrindo bastante e conversando. Sasuke olhou para Shikamaru um instante e o olho nem desviava, ela se aproximava.

― Hey, garotos. ― Ela os reconheceu e voltou a conversar com as amigas e se sentou do outro lado.

Shikamaru virou-se quando ela começou a cumprimentar as outras pessoas na mesa. Suspirou e pareceu voltar para a realidade em sua própria mesa. Sasuke bebericava sua bebida gelada e olhava ao redor, sem querer foi parar na fila mais uma vez, ela estava pedindo e parecia um pouco impaciente. A viu pegar o menor copo para viagem e dar o dinheiro na mão da atendente sorridente, esperou que a moça contasse e sorriu quando viu que tinha exatamente aquela quantia.

― Hey, aquela não é a menina daquele dia? ― Naruto apontou para ela que desviava das pessoas querendo chegar até a porta.

― A do cabelo rosa? ― Neji perguntou terminando seu cappuccino em seguida.

― Sim, ela é amiga da sua prima, né? ― Naruto perguntou um pouco afobado.

Ela saiu pela porta e Sasuke voltou sua atenção a Neji.

― Acho que sim. Já as vi conversando. ― Respondeu sem importância.

― Qual o nome dela? ― A pergunta súbita veio de Sasuke.

― Nome de flor… ― Neji coçou a testa tentando lembrar. ― Sakura. Isso, o nome dela é Sakura.

Sasuke balançou a cabeça absorvendo aquele nome. Era um nome comum para alguém que parecia tão peculiar.

― Ela estuda desde quando no nosso colégio? ― Perguntou mais uma vez e Neji deu de ombros.

― Cara, acho que desde sempre. Não sei. Sei que ela é um ano mais nova e anda com a Yamanaka e a prima do Naruto.

― Karin? Prima de terceiro grau. ― O loiro resmungou e pediu uns pretzels.

Sasuke ergueu as sobrancelhas e voltou a bebericar seu refrigerante tentando lembrar-se daquela menina nos outros anos na escola. Sentiu que estava sendo observado, olhou diretamente para Shikamaru. O Nara suspirou dando um sorriso triste ao Uchiha e erguendo o copo num brinde.

 

◆◇◆

 

Naruto era intolerante à lactose. Ele sabia, Sasuke sabia, Neji sabia, Shikamaru havia esquecido. Depois de três canecas fumegantes de chocolate quente com marshmallows, o estômago começou a dar piti e Neji teve que levar ele às pressas para casa. Neji era um ano mais velho, o motorista da galera. Shikamaru morava perto dele e aceitou a carona sem pestanejar, já Sasuke preferiu voltar a pé, queria ligar para Itachi antes de chegar em casa.

Ainda não era tão tarde, mas poucas pessoas andavam pelas ruas de Konoha por causa do frio. A maioria eram casais bem agarrados aquecendo um ao outro. Sasuke não olhava para ninguém, permanecia com o celular na orelha escutando chamar até cair na caixa postal. Guardou o aparelho no bolso e deixou as mãos lá dentro, estava frio e tinha esquecido suas luvas.

Sentiu os foninhos de ouvido no seu bolso, ficou tentado a escutar uma música, mas estava sozinho e era noite, precisava ficar atento. Assim sendo, começou a cantarolar Knocking on heavens door somente para si.

Nas mãos carregava um saco de papel com muffins que havia comprado para a mãe. Logo não havia mais pessoas pelo caminho, estava perto do parque. Apenas o barulho da sacola era mais alto que o de seus pés. Ainda cantarolava baixinho, tentando não pensar em nada que não fosse a letra da música quando algo lhe chamou atenção.

Viu alguém andando entre as árvores, andando rápido. Teria saído dali, não queria se meter em problemas, mas foram os cabelos cor de rosa que o fizeram seguir o mesmo caminho.

― Hey! ― gritou a vendo correr entre as árvores.

Aquilo era estranho. Olhou ao redor, procurando alguém que a estivesse perseguindo. Apertou o saco de papel na mão e correu atrás dela.

Passou pela árvore que ela havia circulado e teve que parar de supetão para não acabar atropelando ela. A garota estava com os braços cruzados e o olhava séria. O copo de chocolate estava em sua mão.

― O que é?

Sasuke deu um passo para trás, dando espaço confortável para os dois. Ele olhou ao redor e depois para ela. Tinha olhos verdes, grandes e expressivos, a ponta do nariz e as bochechas continuavam vermelhas.

― Você tá bem? ― Era estranho perguntar aquilo para alguém que não conhecia, mas fazia parte da honra masculina garantir a segurança de uma mulher, não?

― Claro que estou bem. ― a resposta foi ríspida, os olhos verdes não desviavam ferozes dos seus.

Sasuke começou a se empertigar, não gostava de interação, ainda mais com pessoas complicadas. O ar saiu como névoa densa de sua boca quando soltou para se acalmar. Aquela situação era estranha demais. Mas ao invés de sair logo dali, insistiu.

― Eu vi você correndo, achei que estivesse fugindo de alguém.

― Estava mesmo. ― Respondeu na mesma hora. Sasuke ergueu as sobrancelhas surpreso. ― De você. Eu te vi no café.

― Por que eu estaria te perseguindo? Eu nem te conheço. ― Sasuke se defendeu mostrando quão absurdo aquilo era.

― Essa é uma ótima pergunta. ― Ela riu azeda ― Não é a primeira vez que você aparece do nada e fica me olhando.

Sasuke ficou sem reação. Havia de concordar com aquilo, mas a culpa não era dele, ela que se metia no caminho dele e agia estranho. Coçou a nuca e pensou que seria melhor deixar ela ali e ir pra casa. Estava se preparando para sair quando reparou como ela estava. Usava uma calça jeans clara, botas gastas e apenas a jaqueta jeans bem fechada. Os braços continuavam cruzados, uma das mãos segurava o copo térmico de viagem e o outro fechava-se dentro da manga da jaqueta. Ela deu um gole na bebida, impaciente, e deu uma leve tremida. Sasuke não precisava pensar muito pra saber que ela estava morrendo de frio.

― Está indo para casa? ― A ver vulnerável o fez desistir de partir.

― Não.

Ele percebeu os olhos desviarem para o chão e o corpo tremer mais um pouco. Ela não estava de braços cruzados para parecer durona, estava com frio.

Sasuke reconheceu no rosto dela ele mesmo quando seu pai pegou suas coisas e partiu. Ela não queria voltar, e com certeza havia motivo para aquilo.

Suspirou derrotado e tirou a jaqueta que usava por cima da blusa de moletom. O frio foi instantâneo, assim como a surpresa que tomou o rosto dela.

― Vista isso, eu não preciso. ― Ela deu um passo para trás e negou feroz com a cabeça.

― Minha blusa é mais grossa que a sua, se vai ficar aqui fora é melhor não morrer congelada. ― Sasuke mantinha-se sério. Naruto dizia que ninguém negava nada a Sasuke quando ele falava daquele jeito, era um tanto intimidador. Resolveu testar. ― Anda logo.

― Como é?

Sasuke teve vontade de rir, foi inexplicável, mas a cara de indignação dela e as sobrancelhas claras se enrugando foram muito engraçados. Ele se conteve e apertou a boca.

― Não seja irritante. ― Estendeu a blusa por cima dos ombros dela. De primeiro momento ela deu um meio passo para trás, arredia, mas logo relaxou e terminou de colocar a blusa.

― Obrigada.

O agradecimento saiu tão baixo, tão sem firmeza que Sasuke só respondeu com um aceno curto e se escorou na árvore atrás de si. Ela o olhou por mais um tempo.

― Você vai ficar aí?

― Vou.

― Eu não vou roubar sua blusa.

― Eu sei.

― Então, por quê?

― Não quero voltar para casa agora. ― Sasuke respondeu e viu as feições desconfiadas se transformarem em identificação.

Ela assentiu e voltou a tomar seu chocolate, o ofereceu por educação e ele negou. A observava beber o resto, imaginava que já tivesse esfriado desde a hora que ela havia comprado. Agora que ela estava com a sua blusa, pôde confirmar que ela estava usando a bebida para se manter aquecida.

Os dois mantiveram-se em silêncio. Ela olhava o chão, mexendo os pés de vez em quando enquanto Sasuke mantinha-se com as mãos dentro do bolso observando os movimentos dos pés dela. Calculava em sua mente quanto tempo havia se passado desde que a vira no café. Quase umas duas horas, talvez. Pegou o saco de papel e abriu pegando um muffin, não gostava daquilo, mas sabia que ela não aceitaria se achasse que é uma boa ação.

― Me ajuda a acabar com isso? ― ofereceu o saco à ela.

Ele pensou que ela não aceitaria, mas estendeu a mão e pegou um dos que havia lá dentro dando uma boa dentada. Ela se mantinha um pouco longe, enrolada em sua blusa e parecia um pouco sem jeito. Talvez ela não se sentisse à vontade com o silêncio, ou pela companhia mesmo, pensou Sasuke.

Enquanto ela comia ele a olhava. Ela tinha um rosto tão delicado quando não encarava daquele jeito. Percebeu que tinha covinhas dependendo de como ela mastigava. Era bonita, não do tipo que chamaria sua atenção de primeira como Shion havia feito, mas era bonita do tipo que não se cansaria de olhar. Ele desviou os olhos quando ela percebeu que ele a olhava demais e fechou a cara mais uma vez.

Para o alívio de Sasuke, o seu celular começou a tocar. Viu que era Itachi e atendeu na hora. Perguntou como estavam as férias, como era a praia, mas tudo de modo curto, mais por educação. Queria mostrar a Itachi que ele estava bem, independente das preocupações que a mãe pudesse ter enchido a cabeça do irmão. Itachi estava empolgado, contava sobre tudo com detalhes, sobre as mulheres que conheceu e sobre as coisas que aprontou, sem perceber Sasuke se viu rindo. Esqueceu que estava entre as árvores do parque com uma garota que mal conhecia.

Não tinha explicação, mas não gostava que o vissem rindo. Imediatamente olhou para ela, mas Sakura olhava para o outro lado, parecendo mais interessada no muffin que comia. Ele limpou a garganta e se recompôs, as palhaçadas de Itachi conseguiam tirar a carranca que tinha desde neném, como dizia o mais velho. Viu ela apertar os lábios e desviar os olhos quando o olhou e viu que ele a olhava de volta.

― Ok, amanhã me liga então. Já aproveita e fala com a mãe. Tá, tchau.

Sasuke ainda ficou um tempo olhando para a tela do celular, era uma forma de fugir do clima constrangedor entre os dois. Não haviam trocado uma só palavra amigável desde que ela aceitara ele ali. Viu as horas e imaginou que a mãe ficaria preocupada, e também já era tarde para até mesmo ela estar sozinha lá fora.

― Então, Sakura, quer que eu te leve até em casa? Mora perto?

Guardou o celular no bolso e quando não obteve resposta olhou para cima e a viu mais uma vez com aquele olhar.

― Eu não te disse o meu nome. ― Ela acusou se mexendo um pouco.

Sasuke respirou fundo mais uma vez. Ela era arisca, qualquer coisa que dissesse seria bem analisado.

― Neji, o primo da Hinata, te viu no café e disse que esse era seu nome.

Sakura assentiu, mas parecia incomodada com a chance de ter sido assunto numa mesa de desconhecidos.

― Eu moro ali ― apontou para uma rua adjacente perto do parque ― Não precisa me levar até lá.

Sasuke confirmou com a cabeça e começou a seguir ela para fora das árvores. Ela virou-se para devolver o saco de papel e ele percebeu que ainda haviam sobrado uns três dos seis que comprara. Sakura fez menção de tirar a blusa, mas Sasuke, num reflexo, tocou o ombro dela impedindo.

― Amanhã você me devolve. ― Ele teve uma leve impressão que ela ainda precisaria.

― Não é como se eu fosse me encontrar com você. ― Ela tirou a blusa e fez o melhor que pôde para mostrar que estava bem.

Sasuke suspirou e colocou a blusa dobrada no braço.

― Você sabe o meu nome, mas eu não sei o seu. ― Ela parecia sem jeito, se encolhendo um pouco sem perceber e desviando os olhos pro chão, mas não deixava aquele tom defensivo.

― Sasuke. Sasuke Uchiha.

― Sakura Haruno. ― Ela sorriu fraco e começou a andar de costas para a direção que disse ser sua casa.

― Então, boa noite ― Ela ergueu uma mão rapidamente e acenou fraco. Parecia aliviada por ir embora. ― Obrigada por… tudo, Sasuke.

E se virou, correndo pela ruas frias e se embrenhando na rua até desaparecer.


 

betado por MillaSenpai

 


Notas Finais


O que acharam???? To gostando muito de escrever ela. To deixando a vida me levar nessa fic hahahaha só pra passar o tempo mesmo e to mto feliz com o retorno de vcs! Obrigada mesmo!

Até o próximo então ;) Pan ama vcs!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...