História Missão Rafa - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Morte, Vida
Visualizações 7
Palavras 1.995
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


amanhã vem mais , bjs <3

Capítulo 7 - Velha infância


     Faz exatamente uma semana que eu e Rafa estamos saindo, e pouco a pouco eu descubro mais sobre ele e percebo algumas mudanças por exemplo parar de usar preto o tempo todo, e depois que descobri sobre seu talento para desenhos eu fiquei impressionada, ele faz desenhos bem realistas e muito bem feitos nos mínimos detalhes, assim que Mayara retornou de viagem ela logo voltou a encher a casa com suas cantorias e seus ataques de estrelismo.

_como assim você e o Rodrigo estão saindo e eu sou a ultima a saber ?

_fala serio Mayara eu e ele só saímos algumas vezes se quer criticar alguém critique a Mari ela ta saindo a um tempão com um cara que nem sei o nome – disse Alice apontando para mim

_quem? Fala logo ruiva

_o nome dele é Rafael e nos somos só amigos

_amigos?-elas falaram juntas

_meus pais também eram amigos e olha eu aqui – disse Mayara com um sorriso idiota na cara _agora fala, ele é gostoso?

_ele é bonitinho –disse com um sorrisinho de lado, Rafa não faz o estilo galã de cinema mas ate que ele tem um certo charme com aquele olhar marcante e agora que cortou o cabelo ficou ainda mais bonito.

    Elas começaram a rir e eu foi para o meu quarto, meu quarto não tem nada de muito especial uma cama uma escrivaninha e um guarda roupa ainda assim mantenho tudo em seu devido lugar , em tons de rosa claro com quadros divertidos nas paredes, alguns com frases de musica outros com paisagens mais alegres, uma cortina branca e o que mais chama atenção é o pisca-pisca na parede dando um belo destaque ao quarto, a casa de Rafa é o oposto do meu estilo, é tudo muito cinza, tudo muito fechado e aqueles desenhos realmente me assustaram em sua maioria eram desenhos de monstros terríveis ou de feras mitológicas, eu não vi nenhum desenho com uma pessoa de verdade tirando o que ele fez de mim ele conseguiu ate mesmo captar as minhas poucas sardas, eu fiquei lisonjeada com aquele desenho admito, olho para a folha que escondo em uma caixinha, aquela que escrevi a “missão Rafa” e vi que o meu plano está dando certo, ele pouco a pouco está se tornando um amigo, mas ainda assim ele custa a se entregar ele ainda é muito fechado, ainda me da muitas respostas vagas e ainda não me apresentou a um amigo, que não seja seu irmão, será que ele não tem amigos?, e ate agora a única coisa que sei que ele gosta de fazer é desenhar. Alice entrou no quarto com uma maletinha na mão e me chamou para fazer um dia de SPA.

_fiz uma mascara facial de abacate e ainda comprei esse hidratante com um cheiro muito bom

_ótimo – disse guardando a folha no lugar _e a Mayara?

_ela foi na faculdade estudar com uma galera do curso dela, só volta para o jantar

      Fizemos um trato completo, limpamos tudo, do cabelo a unhas, pele ... Cobri o rosto com aquela mascara de abacate eu ri quando me vi no espelho, na mesma hora tirei um snap e mandei para Rafa com a legenda “buu”.

_agora fala a verdade, você ficou com o Rodrigo nosso visinho- perguntei animada.

    Ela abriu um sorrisinho e mordeu o lábio.

_sim , a gente ta saindo a algum tempo- ela da uma olhada no celular e vejo seus olhos saltarem de orbita num impulso eu me inclino para ver o que é “Guilherme Souza ficou noivo de Flavia Silveira” ele vai se casar ...

   Me levanto e vou ate o banheiro sem olhar para trás e começo a enxaguar aquela mascara chorando , eu sou muito idiota nos dois terminamos, eu não tenho mais nada com ele e ainda assim me sinto mal por isso, eu e o Guilherme começamos a namorar no ultimo ano do colégio, viemos pra cá juntos com tantos planos e de repente a vida me deu uma porrada dessas, eu gostava tanto dele no inicio, nos fazíamos tanta coisa juntos, tínhamos nossa própria musica, nossa lugar favorito no cinema,nosso plano de viajar para Cancun, nosso plano de um dia ter um filho e tudo isso já era, ele foi uma das poucas pessoas que falei sobre a minha irmã e agora isso, no dia em que terminamos ele disse que estava na hora de partimos para outra, que ainda tinha consideração por mim e que não queria me machucar, pena que agora é tarde demais.

***

    Alice e Mayara tentaram de tudo para me convencer a ir para uma boate, mas não estou nem um pouco afim, ambas saíram muito bem arrumadas me deixando sozinha, em vinte minutos o interfone toca e pela janela vejo uma loira perto de uma BMW, só pode ser a Vanessa, quando eu a vi de perto ela parecia mais uma super modelo com um vestido curto estampado longos brincos de ouro e uma maquiagem perfeita.

_oi, desculpa aparecer assim mas eu queria te fazer um convite

_pode entrar

_obrigada

     Vanessa entrou e se sentou na beirada do sofá.

_bom Mari eu vim aqui por que eu e o Pedro sempre tentamos convencer o Rafa a sair conosco, ou ate mesmo conhecer a minha família já que eu e o Pedro estamos em um relacionamento serio a algum tempo e eles são tudo um para o outro

_como assim?Ele ate me contou sobre o pai dele mas achei que a mãe estivesse viva

_ele te contou sobre isso? – ela perguntou assustada , confirmei com a cabeça mais confusa do que tudo _ bom... eu queria lhe convidar para uma festa, o meu aniversario é na semana que vem e vou dar uma festa a fantasia queria muito que você fosse com o Rafa claro

     Uma festa? Essa garota é muito rica vai ser no mínimo um festão, mas ela me lançou um sorriso tão convincente que não tive como dizer não.
_eu vou, mas não garanto que vá gostar do meu presente – disse

_só sua presença já me vale muito, agora o que me diz de ir ate o AP do Rafa, Pedro está La agora, a gente podia sair para uma pizzaria

_pode ser, me ajuda a escolher uma roupa

_claro

    Eu não tenho muitas roupas chiques, na verdade na maioria são muito simples, por isso peguei “emprestado”  um vestido preto da Mayara e calcei um salto da Alice, elas vão me matar, isso se o salto não me matar antes eu odeio andar de salto mas já que vou andar de carro com a “Barbie” tenho que ir mais produzida, quanto a maquiagem deixei que a Vanessa fizesse já que eu não fiz um curso de alto maquiagem em Paris, eu fiquei muito surpresa com o resultado final, eu nunca gostei de usar muita maquiagem mas a que ela fez me deixou incrível.

_meu deus, eu amei- disse me olhando no espelho, ela passou uma sombra meio coral cintilante nos olhos com um batom meio rosado a combinação ficou maravilhosa

_que isso Mari, você já é bonita naturalmente eu só realcei isso, agora vamos antes que eles se matem

    Pegamos a avenida principal para chegar no AP do Rafa, no caminho passamos de frente a uma boate assim que Vanessa parou no sinal vermelho vários caras da fila tentaram chamar atenção dela mas quando eu vi bem no meio da fila uma loira de cabelo cacheado eu reconheci a Mayara e Alice com seu cabelo preto preso em um coque, elas me encararam abobadas dei apenas um tchazinho e nem reparei quando o sinal abriu.

     Ao chegar no andar do AP de Rafa já ouvi os gritos de ambos os irmãos, apertei o passo assim que passei pela porta vi o Rafa com nada alem de uma tolha enrolada na cintura, dei um gritinho e me virei tampando os olhos.

_veste alguma coisa logo – disse vermelha de vergonha, Pedro se sentou ao lado de Vanessa enquanto eu ia ate o quarto do Rafa, bati na porta nervosa e ela se abriu graças a deus ele vestiu uma calça
_desculpa por aquilo- ele disse

_a culpa foi minha, não deveria ter entrado sem avisar

      Eu nunca tinha reparado tão bem nele, o cabelo castanho escuro, os olhos negros e a pele morena, ele pode não ter um corpo bem definido, mas ate que não é tão ruim, ele é pouco acima do peso mas quase não se nota.

_ta bonita Mari só que ...

_o que?

_prefiro você sem maquiagem

_agradeça a sua cunhada

     Ele se aproximou ate ficarmos bem colados e pos a mão na cômoda atrás de mim, ele olhou fundo nos meus olhos por um momento antes da porta se abrir e Pedro entrar pegando nos dois em um quase flagra, me afastei devagar completamente envergonhada.

_desculpa eu... eu te espero na sala – disse saindo do quarto

****

_então me fala Mari,de onde se conhecem? – perguntou Vanessa servindo um copo de refrigerante para o namorado

     Encarei o Rafa por uns segundos e vi o quanto ele parecia tenso.

_no final de uma festa ... eu o vi numa ponte

_numa ponte ,serio?

_foi – ele disse cabisbaixo

_o que estavam fazendo lá?

     Impedindo que ele se mate.

_nada demais – disse

_fala serio Mari pode contar

_nos podemos mudar de assunto, Pedro já tratou suas hemorróidas? – disse Rafa pegando todo mundo de surpresa, Pedro ficou branco, vi que ambos se preparavam para se atracar e segurei a mão do Rafa.

_vem comigo – disse o puxando.

       Levei o Rafa ate a entrada do restaurante, esperei ate chegarmos perto do estacionamento.

_porque fez aquilo?-ele perguntou

_o que?

_você não contou pra ninguém sobre o que ... eu estava fazendo na ponte

_não

_porque não?

_eu deveria? Somos amigos, amigos guardam segredos uns dos outros – ele me encarou com um brilho nos olhos e se aproximou um pouco mais.

_então me conta um segredo seu, uma coisa que ninguém mais saiba- ele sussurrou.

_tenho medo do escuro, por isso sempre durmo com o abajur

_quantos anos você tem? – ele perguntou sorrindo.

_o suficiente para ser dona da sua vida

_ainda se lembra disso?

_eu vou cuidar muito bem dela, já que não a quer mais pelo menos ate o dia que estiver pronto

_pronto pra que?

       Pedro deixou o restaurante batendo o pé com Vanessa logo atrás, ele se aproximou de nós furioso.

_eu já paguei a conta por isso já vou, obrigado por estragar o jantar – disse Pedro olhando fixamente para o irmão.

_desculpa Mari, quer que eu te deixe em casa? – perguntou Vanessa com uma carinha de cachorrinho triste

_não precisa eu vou levar ela em casa- respondeu Rafa antes que eu pudesse dizer alguma coisa .

***

     Rafa dirigiu em silencio durante todo o trajeto, eu preciso fazer alguma coisa, dizer alguma coisa.

_quer ir na minha casa ?- disse

     Ao chegar no AP com Rafa percebi que nem Aline, nem Mayara tinham dado as caras, Rafa começou a andar meio sem rumo pelo apartamento, vi quando ele começou a observar as fotos nas paredes e sem aviso algum ele foi ate o meu quarto.

_parece o quarto de uma menina de 6 anos

_engraçadinho

_você toca? –ele disse tirando meu antigo violão de trás da cortina

_um pouco

_toca pra mim- ele disse me entregando o violão.

_eu não toco a muito tempo

_toca logo

    Me sentei na cadeira e ele na minha cama me olhando como uma cara de quem está esperando, primeiro afinei o violão, testei todas as cordas, comecei a tocar velha infância e no momento em que comecei a cantar eu me entreguei completamente para a musica, esqueci de tudo e me entreguei completamente a cada acorde, assim que acabei eu vi os olhos dele se arregalarem, deixei o violão de lado e me recompus.

_o que acha? – pergunto

_bom ... bom ... eu tenho que ir , desculpa 


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...