História Mistakes - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo
Personagens Júlio Cocielo
Tags Cocielo, Fanfic, Igorcavalari, Julio, Juliococielo
Exibições 21
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


boa leitura 😊

Capítulo 5 - 5. São Paulo


— Opaaaaa. - ele falou e a Rebeca me encarou na hora. - Cê veio mesmo. - ele falou indo em direção a Mariana e eu fiquei sem entender. - — Amor, essa é a Mari.

— A que roubou o coração do Igor? - todos ignoravam minha presença e eu já estava nervosa. 

— Não sei disso. - ela falou rindo. Julio, olhou rápido pra mim e voltou a atenção pra eles. 

— Roubou sim meu coração é todo dela. - Julio fez um sinal pro Igor - Amor, apresenta a Lu pra eles. - ela encarou o Igor e ela entendeu. 

— Gente, essa é a Luiza, minha melhor amiga, ela veio com a gente, o Igor falou que não tinha problema. 

— Prazer. - o Julio falou e eu só queria socar a cara dele. A vontade de chorar era enorme. A Rebeca sorriu e me deu um beijo no rosto. 

— Bom, queria ficar mais, mas hoje vou viajar com meus pais, ebaaaa. - ela fingiu empolgação. To indo lá. Foi um prazer conhecer vocês duas. - ela deu um tchauzinho. 

— Vou levar ela em casa e já volto. - Julio falou com o Igor e saiu. Mariana e Igor me encararam quando o Julio saiu da casa.

— Eu juro que eu não sabia que ela tava aqui. - Igor falou.

— Relaxa cara. - forcei um sorriso mas a lágrima escorreu. Mari me abraçou. - Sabe o que doeu? Ele fingir que não me conhecia sabe?  Que ódio que eu tô.

— Julio às vezes vacila. - Igor falou.

— Foda-se ele também, vai ter muita gente nessa festa, eu vou pegar todo mundo.

— Ele vai morrer. - Igor falou rindo. 

—Enfim... - Mari sentou no sofá e eu sentei do lado dela. 

— Vamos mais tarde num barzinho muito top. 

— Opa, beber, quero. - Mariana falou. 

Mariana

Olhei e a a Luiza estava longe. Aquilo de fato chateou ela. 

— Miga, quer dormir? - ela afirmou com a cabeça. 

— Deita lá no quarto do Julio. - Igor falou. 

— Vai indo que eu já vou. - falei e ela foi andando.

— Ela ta gostando mesmo desse cuzão né? 

— Sim... 

— Julio é foda.

— Vou ficar lá com ela ta? 

— Ta bem. - ele me beijou e eu fui pro quarto.

— Pra piorar o quarto dele exala esse cheiro. - Luiza falou.

— Que cheiro? 

— O cheiro dele... - a gente deitou na cama. - Será que eles transaram na merda dessa cama? 

— Só dorme.

— Me promete que só vai sair desse quarto quando eu acordar?

— Prometo amiga. - ela me abraçou forte e apagou. 

Luiza

Acordei com a Mari apagada do meu lado e o Julio tentando não fazer barulho pegando um negócio no quarto. Fechei os olhos e fingi que tava dormindo. Ele saiu do quarto.

— Mari. - chamei baixo e a balancei.

— Hm. 

— Acorda.

— Que horas são?

— Não tenho ideia.

— Quer ir pra sala? 

— Temos que ir né? - falei e levantei. Ela levantou também e fomos pra sala. Assim que entramos na sala Julio me encarou. 

— A gente pode conversar?

— Oxi, cê me conhece? - falei debochando. 

— Luiza.

— Julio. 

— Por favor. 

— Vai ser rápido. - fui andando na frente dele e podia sentir ele olhando pra minha bunda.

— Bela calça. - ele falou quando entramos no quarto.

— Era isso?

— Linda, me desculpa sério. Ela insistiu pra gente se ver antes dela viajar, ela quis vir pra cá porque o pai dela tava em casa e ele não me curte muito. 

— Pai sente quando a pessoa não presta. - ele coçou a cabeça. 

— Anjo, me desculpa, sério...

— Precisava fingir que não me conhecia? 

— Eu ia falar que te conhecia de onde? Ela é muito desconfiada, ia sacar logo. 

— Você me tratou como qualquer coisa.

— Você sabe que não é qualquer coisa... - fiquei em silêncio - Se eu não fizesse questão eu nem iria te chamar e insistir pra você vir. - dei um sorrisinho. - Não fica chateada comigo não. - ele foi chegando perto. - Linda. - nos beijamos. Que saudade eu tava desse beijo. Ele foi me guiando até a cama e eu me separei.

— Não. 

— O que? 

— Não vou transar nesse lençol que você transou com a sua namorada.

— Você ta de sacanagem, ne? - sorri e saí do quarto. Ele veio atrás e me abraçou pela cintura, andamos assim até a sala.

— Você me deve uma cerveja, sabia que eles não iam transar.

— Cara, ah não.

— Obrigada por confiar em mim miga. 

— Só não transou por causa do lençol. - Julio falou.

— Cala a boca.

— Ahhhh, então eu ganhei. - Igor falou.

— Negativo, eu não dei, você deve uma cerveja a ela. - falei.

— Falando em cerveja, vamos logo pro bar. - Julio falou. Peguei meu celular, coloquei dinheiro, cartão e identidade dentro da capinha do celular e saímos. Chegamos no bar na Av. Paulista. O Teddy e o Lucas Inutilismo estavam lá. 

— Opa, eu sou o Lucas. - ele falou me cumprimentando. 

— Oi, prazer Luiza. - falei e demos um beijinho no rosto.

— Eu também sou Lucas, mas todo mundo me chama de Teddy, mas você pode me chamar do que você quiser. - Julio olhou e não falou absolutamente nada. Óbvio, até porque os amigos sabiam que ele namorava. Sorri.

— Eu sou Luiza, sou amiga da Mari e você também pode me chamar do que quiser. - falei rindo. 

— Ótimo bebê. - ele falou e todos riram, menos Julio. Mariana me olhou e depois olhou pro Julio, voltou a me olhar e eu dei os ombros. - Senta aqui. - Teddy indicou o seu lado. Sentei e o Julio sentou do meu outro lado. Oba, que situação legal.

— Que que cê vai querer beber? - Julio me perguntou. 

— Cerveja mesmo. - Julio afirmou com a cabeça. Ele tava sério.

— Amigo. - ele chamou o garçom e o mesmo anotou os pedidos. Entrelacei minha mão com a do Julio por debaixo da mesa. Ele sorriu e ajeitou o boné, amava quando ele fazia isso.

— Mas então, quantos anos você tem? - Julio soltou minha mão e eu virei meio de lado. 

— Ah, tenho 15. - falei rindo.

— Ta zoando né? 

— É sério.

— Eu não acredito.

— Num é sério? - falei com a Mari.

— É sério sim.

— Nossa, meu Deus, não parece mesmo. - nisso as bebidas chegaram. Passamos a noite assim. Julio parecia incomodado demais comigo e com o Teddy e eu não sabia o que fazer. Não vou negar que queria ficar com o Teddy, mas será que era errado? Nisso o Julio e o Teddy colocaram a mão na minha perna quase que ao mesmo tempo. 

— Vamos? - Mari falou pro Igor, eram umas cinco horas da manhã.

— Vamos linda. Bora gente? 

— Vamos. - Julio falou alisando minha coxa. Levantei.

— Posso falar com você? - Teddy perguntou. 

— Claro. 

— Vamos te esperar no carro. - Julio falou. 

— Pode deixar que eu deixo ela... Se ela quiser, claro. - eles me encararam. Olhei pra Mariana e pro Igor e eles se seguravam pra não rir.

— Ah, tanto faz.

— Ta. - Julio falou e deu as costas.

Julio 

— Ta com ciúmes Julio? - Igor começou a me irritar enquanto íamos pro carro.

— Vai tomar no cu. - falei. Qual era a dela hein? Ta, eu namorava, não podia cobrar nada, mas ela veio pra ficar comigo. Nossa, eu queria muito da um pau no Teddy, filho da puta talarico.

— O Julio ta puto mesmo? - escutei a mina do Igor falando mais baixo.

— Ah sei lá, ele é maluco. - Igor respondeu. Entrei no carro e o Igor sentou do meu lado. 

— Relaxa cara, as vezes eles vão só conversar.

— Foda-se, eu tô me fodendo pra eles. - ouvi a Mariana soltar uma risadinha. 

— Ih, coincidência, porque eles também devem estar fodendo. - Igor falou rindo. O ignorei e continuei dirigindo. Chegamos em casa, Mariana foi tomar banho. - Irmão, ta puto? 

— Ah cara, tô, pra caralho. 

— Mas por que? — Eu sei que eu não tenho moral, mas eu me incomodo. A mina vem pra tecnicamente ficar comigo...

— Pera aí, se você quisesse ficar com ela, a gente comprava cerveja e bebia em casa. No momento que você chamou os meninos e foi pra um barzinho, vocês não iam ficar juntos. Cara, sério, isso não vai dar certo. 

— Eu gosto dela.

— Quem gosta não faz isso. Se gostasse, terminava com a Rebeca e ficava com a Lu.

— Eu gosto de Rebeca e curto a Luiza.

— Curte comer a Luiza. A Luiza é gostosa e fode bem, é só isso. Só que a mina gosta de você, isso que você não entende.

— Porra, eu vou fazer o que? 

— Deixar ela seguir o baile.

— Ah cara... - nisso a Mariana apareceu na sala. 

— Vou lá, pensa no que eu te falei. - Igor foi pro banheiro e eu fiquei na sala. Ia esperar a Luiza. Mari e Igor iam dormir no quarto do lado do meu e eu dormiria com a Luiza. Quer dizer, acho que depois disso eu não iria dormir com ela. Aproveitei pra trocar o lençol e arrumei a cama pra quando ela chegasse. Resolvi tomar um banho e depois de uma hora ela chegou. 

— Desculpa a hora. - ela entrou.


Notas Finais


voltei, dsclp a demora
nao deixem de deixar a opinião de voces


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...