História Mistic Leews - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Tags Bruxa, Lobisomem, Romance, Sexo, Sobrenatural, Terror, Vampiro
Exibições 11
Palavras 1.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ta aí mais um cap. ♡

Capítulo 4 - Oregon


Fanfic / Fanfiction Mistic Leews - Capítulo 4 - Oregon


...Meu corpo estremece, meu estômago se embrulha e meu coração bate forte...


Era uma mulher. 
Me aproximo devagar dela e me abaixo, estento o braço para toca-la mas ela se levanta rapidamente e, com um pulo fico em pé. 
Era a mulher idêntica a mim.
Dou alguns passos para trás mas ela se aproxima mesmo assim. 
-Quem... Quem é você? -falo, quase engasgando.
-Meu nome é Avalon e você Anjeline, você é minha -diz se aproximando e dando-me um beijo.
A empurro e cuspo no chão. Depressa, corro até a moto e acelero.
Já perdendo a garota de vista, me concentro em chegar no Oregon.
Vejo uma grande placa escrito "Bem vindo a Mistic Leews".Sigo em frente e, mais depois, vejo o lugar. 
É grande, dois andares e tem um grande portão aberto na frente. Alguns garotos estavam bebendo cerveja encostados no muro.
Estaciono a moto, tiro o capacete e balanço o cabelo, tipo aquelas cenas de filme mesmo. Desço da moto. Um garoto loiro de olhos verdes se aproxima.
-Oi ruivinha -diz e os outro assoviam e fazem piadinhas idiotas.
O Ignoro e me viro mas quando estou prestes a entrar o garoto me puxa por trás, agarra minha cintura e fala no meu ouvido:
-Poxa, vai me ignorar. -diz.
Me viro para ele, agarro a gola de sua camiseta, o puxo para perto.                                                                  ---Eu não sou essas vadias que você pega, usa e joga fora, eu sou dificil gato. -digo com um sorriso malicioso.
O empurro e paro na porta. O lugar é cheio de luzes e a musica é alta. Atravesso a multidão e paro perto de uma escada que dá para o segundo andar.             Pego o celular.
SMS  On:
ANJ: Cheguei aki. Onde vc ta?
VICK: Você foi? :o Pensei que você não levaria a serio.
ANJ: Tá, mas eu levei. Cade vc?
VICK: Anj, foi só uma brincadeira. Eu tava jogando vdd ou desafio com Britany e Dylan, e ele me desafiou a ligar pra alguém e eu pensei em ligar pra vc pq achei q ñ ia levar a sério aí eu ñ soube como continuar e ele pegou o cel e terminou. PF Ñ ME MATA, TE AMOH <3 
-ANJ: Perfeito Vicktoria! Perfeito! Mas até que o lugar é animado.Ah, vc ta perdendo de ver os caras gostosos daki :* 
-VICK: Olha que bom, te fiz um favor. :3
SMS OFF.
Guardo o celular, pego a carteira de cigarros, e o isqueiro. Sento no primeiro degrau e tiro um cigarro da carteira, coloco na boca e quando  vou acender, uma garota loira aparece.
-Moça -diz apontando para uma placa ao lado escrito "PROIBIDO FUMAR". Tiro o cigarro da boca.
-Cara, a maioria aqui ta bebendo mas "fumar é proibido"?. -pergunto.
Ela da de ombros e sai.
Levanto da escada, atravesso a multidão outra vez, saio do Oregon e paro perto do muro. Acendo o cigarro e dou duas tragadas. Tenho a sensação de estar sendo observada. Olho para o lado e vejo uma pessoa encostada em uma árvore em meio as sombras alí perto.                                                                  
. Dou mais algumas tragadas. Meu estômago se embrulha. 
Olho de novo e vejo que a pessoa vem se aproximando. 
Jogo o cigarro no chão e caminho até chegar na porta mas a pessoa continua atrás de mim. 
Acelero o passo e atravesso a multidão. 
Vou olhando para trás enquanto me afasto. 
Trombo com o loiro e quase caio. Ele me segura.
-Calma gatinha, parece que viu um fantasma. -Diz alto, pois o som é estrondante.
Sorrio nervosa e o puxo para minha frente tentando me esconder mas ao mesmo tempo ver quem é a pessoa.                                                                                    É Conor.
-Você ainda não me disse seu nome -diz
-Éh... Anjeline -falo olhando para Conor, que está me procurando entre a multidão.
-Sou Ethan...-diz
Mas antes de  terminar, o beijo puxando-o para o fundo do Oregon, onde está a escada. Ele me encosta na parede e me ergue então, agarro seu pescoço e laço sua sintura com minhas pernas. Ele sobe as escada comigo. No andar de cima tem um corredor que dá para umas 6 portas. Então ele abre uma delas, entra, fecha e me joga na cama.
Ele sobe em cima de mim, tira minha jaqueta e me da mais um beijo caloroso. Retribuo com a mesma intensidade e tiro sua camiseta. Confesso que estava gostando. Ele vai traçando uma linha de beijos até parar no meu pescoço e alí, deposita vários chupões. Fecho os olhos e solto um gemido. Quando abro os olhos vejo os pés de alguém na fresta em baixo da porta e na mesma hora da murros nela que, por puco achei que a porra seria quebrada.
Ethan levanta.
-Não -digo me levantando -deixa que eu atendo -completo
Abro a porta  e logo a fecho atrás de mim.
É Conor. Meu coração acelera.
-Por que está fugindo de mim? -pergunta com seu olhar frio e sério
Engulo em seco.
-E-eu não estou fugindo de você -falo, me odiando por ter gaguejado.
-Ah não? Então do nada você sobe aqui com o cara tentando me despistar? -diz, agora com aquele sorriso que me irrita.
-O quê? Desde quando você se importa, eu não posso mais transar com quem eu quero? -digo irritada, mas logo me arrependo de ter dito.
Desvio o olhar.
-Olha, eu não me importo para quem você quer dar mas, se você prefere ficar com seu garotão aí, eu entendo. -diz com o sorriso sínico.
Dou um tapa em seu rosto.
-Você não tem o direito de falar assim comigo e ele não é "meu garotão". -falo, de braços cruzados, o fulminando com o olhar.
Conor coloca a mão no lugar onde bati e me olha com aquele sorriso.
-Okay, mas você sabe que temos um assunto a tratar. -diz
O encaro por uns 5 segundos e decido.
Abro a porta do quarto e entro.
-Ethan... - falo sem jeito. -Não vai rolar -completo, já esperando alguma frase do tipo: "Ah, qual é" mas ele apenas se levanta da cama, agarra minha sintura e me beija.
-Te vejo de novo? -fala, por fim.
Abro um sorriso.
-Quem sabe...
Trocamos números de telefone, pego minha jaqueta e saio do quarto. Conor já não está alí. Desço a escada e atravesso pela milésima vez a multidão, saio para fora e o encontro encostado na minha moto, digo, na moto de Samm.
Procuro o molho de chaves no bolso mas não encontro e quando vejo, Conor está o balançando no ar.
-Hey - digo
Tento pegar. Sem sucesso.
-Devolve minhas chaves! -falo, sem paciência.
-Suas chaves? -pergunta, arqueando uma sombrancelha.
-Éh... Sim! Minhas chaves, devolve! -falo, pois ele não saberia que era de Samm.
-Ãhm... Não. -diz com seu sorrisinho patetico. -Agora, eu é que vou dirigir. -diz
-O quê? Não, eu não vou a lugar algum, muito menos com você.  -digo, irritada
-Anda, vamos  se não vou ter que te obrigar a ir.
-Já disse que não e você não vai me obrigar! -falo, cruzando os braços.
Conor me puxa e me prende contra a moto. Meu corpo vacila e quase perco o equilíbrio. Seu corpo fica colado ao meu e isso me provoca uma onda de calor. Olho no fundo daqueles olhos azuis hipnotizantes.
-Não duvide de mim anjo. -fala, com um tom desafiador.
Fecho os olhos por um momento.
-Tah.. Então vamos.. -digo, sem jeito.
Ele sobe na moto e eu vou atrás.  Envolvo sua cintura.
 


Notas Finais


Então é isso, espero poder postar mais alguns cap. esta semana!♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...