História Místicos - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anjos, Dragão, Fallen, Fantasia, Fênix
Exibições 2
Palavras 955
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 19 - Ele Retornou


      Quando Kaime caiu no chão com a adaga em uma das mãos um feche de luz criou-se bem ali no centro de comercio dos mortos. Esse feche levou-se até o céu e mais além se tivesse ao para ir além. Amanda e Meron ficaram impressionados com o que estavam vendo, todos estavam. O feche criou um tremor rápido no chão e logo rachaduras enorme que engoliram o corpo de Kaime.

Amanda tentou pegar o corpo de Kaime, mas foi jogada para longe; caindo de costas no chão. Meron correu para perto de Amanda.

- Está tudo bem, Meron – disse Amanda com um sorriso para esconder a dor. Ela se levantou com muita dor, mas não conseguia esconder a dor que estava sentindo por Kaime.

Ela viu como Kaime queria lutar pelo perdão de James, mas James jogou aquela adaga como se Kaime não tivesse sido nada para ele. Amanda estava realmente sentida com aquilo que tinha ocorrido.

- Eu sei como parar esse feche – disse Meron com sua voz inocente.

- Meron você não pode... – mas ele correu tão rápido que Amanda não conseguiu pegá-lo. Amanda correu para o feche novamente tentando resgatar Meron, mas uma força mágica não estava deixando ela ultrapassar. – Não!

Meron tinha sido engolido pelo feche como uma abelha por uma planta carnívora. Amanda soltou um grito quando viu aquilo, ele ouviu um leve grito de criança além do feche. Aquilo fez sua cabeça doer mais do que no dia em o veneno correu por todo seu corpo e a matou, levando ela para o Subterrâneo. Roubar um filho dos braços da mãe foi o pior pecado que Amanda ou qualquer poderia cometer.

Ela vendo Meron sendo engolido e morto pelo feche fez Amanda lembrar de como o garotinho que ela tinha salvado tinha crescido. Ela colocou-se a chorar em frente ao feche e ninguém parecia notar que ela estava chorando.

Ela tinha conhecido Kaime fazia pouco tempo, questão de dias, mas sentiu como se já tivesse conhecido ele há anos. Ela sentiu na necessidade de ajudá-lo, o mesmo foi com Meron.

Amanda viu que do feche de luz veio um homem que trajava uma roupa leve de couro, sua pele era cheia de escamas com algumas manchas verdes. Seus olhos eram amarelos com fendas escuras com a noite sem estrelas. Ele era alto, e em seus braços trazia uma pessoa.

Era Kaime.

Amanda sentiu-se feliz ao Kaime nos braços daquele homem. Ele olhou para Amanda e sorriu gentilmente, Amanda conhecia aquele homem. Ela tampou a boca para abafar o grito.

- Sim – disse o homem uma voz cortante. – Caliban está de volta.

Amanda não sabia o que dizer naquele momento. Ela sabia que aquele era Caliban, pois já tinha o visto pessoalmente antes de batalhar com Ariel e morrer com Zkan enfiada no coração.

- Não é possível! – Amanda finalmente conseguiu dizer. – Como? - Ela não estava conseguindo aceitar o fato de que Kaime e Meron tinham morrido e Caliban retornara.

- Não sei como explicar – explicou Caliban. – Agradeço pelo que você com meu filho mesmo antes dele saber falar alguma coisa – ele parecia gentil ao dizer aquilo. – E por Meron. Muito obrigado por me ajudar. Ajudar Kaime em principio, morrer no lugar onde o pai surgiu a muito tempo atrás é num tanto poético, não acha?

- Me ajudar?

Amanda não entendeu de primeiro, mas tudo em suas lembranças fez sentido. Meron era Caliban, numa forma onde ele podia viver com pouco poder. Dizem que quando a Fênix Mística não renascesse das cinzas para recomeçar o ciclo da Maldição o ser que criou a Maldição poderia retornar, caso estivesse morto se isso acontecesse. E isso aconteceu.

Pelo que Kaime tinha contado Kyara era descendente do filho perdido de Ariel e Caliban, mas como Kaime poderia ser filho de Caliban e Ariel? A explicação era muito simples, pelos na cabeça de Amanda. Amanda tinha roubado o bebê de Ariel antes mesmo dela poder saborear ser mãe, quando estava para fugir com o bebê e seu amado para longe dali foram atacados por Ariel por flechas envenenadas. Amanda conseguiu passar pelo portal, onde conseguiu passar com a criança, mas Gabriel, seu amado, tinha ficado para trás, mas ela não sabia o que tinha acontecido com o bebê depois disso, pois a morte a tomou antes que pudesse respirar o ar da Superfície.

Maika, seu amigo, ficou com a criança e a criou, mas não sabia como a criança tinha crescido.

O sangue do primogênito derramado poderá trazer os belos antigos aos seus tempos de gloria, diziam os sacerdotes que morreram e foram para o Subterrâneo. Kaime foi morto por James no Subterrâneo. Maika era versado com magia, então ele pode ter feito alguns feitiços e mantido o bebê em segurança sem crescer por alguns anos, até sua morte chegar.

- Kaime é seu filho? – perguntou Amanda para Caliban com a voz trêmula.

- Quem você acha que ajudou Maika com os feitiços para proteger o bebê? – falou Caliban colocando Kaime no chão. – Sim, ele é meu filho.

Kaime parecia dormir deitado ali no chão com as mãos sobre o peito. Amanda sentiu a dor da perda dentro dela.

- Já que ele meu filho – disse Caliban estendendo as mãos sobre o corpo de Kaime –, tenho que mantê-lo vivo para que possamos ter esse momento de pai e filho.

Linhas verdes saíram das mãos de Caliban e foram rondando o corpo de Kaime quase levitando ele do chão. Amanda olhou aquilo impressionada. Depois que aquilo acabou os olhos de Kaime abriram.

O filho de Ariel e Caliban estava de volta à vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...