Hist√≥ria MISTRESS OF SOULS ūüö¨ūüíł - Cap√≠tulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Mistress
Exibi√ß√Ķes 4
Palavras 1.655
Terminada N√£o
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
G√™neros: Ação, Bishoujo, Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta hist√≥ria s√£o apenas alus√Ķes a pessoas reais e nenhuma das situa√ß√Ķes e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma fic√ß√£o. Os eventuais personagens originais desta hist√≥ria s√£o de minha propriedade intelectual. Hist√≥ria sem fins lucrativos, feita apenas de f√£ para f√£ sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem. 🎈

Capítulo 1 - Collins...Jullyen Collins.


Fanfic / Fanfiction MISTRESS OF SOULS 🚬💸 - Cap√≠tulo 1 - Collins...Jullyen Collins.

Amanheceu. O sol estava lindo, os pássaros cantavam, as abelhas zumbindo, crianças brincando, tudo seria ótimo....MENTIRA!!!. Talvez seria o dia seria ótimo se a pessoa que no qual estivesse passando esse dia não fosse eu.
Uma menina que mora no Canadá com o pai traficante, sem a mãe, tudo bem, até ai só a vida de uma canadense normal, mas isso é fácil, claro, se essa menina fosse linda, popular e tals, mas esse não era o meu caso, obviamente.
Ah quase me esqueci, me chamo Jullyen Collins, tenho 17 anos e sou filha do Jay Collins, ou mais conhecido, Jay das almas, estranho né? pois é!. A vida não é tão fácil assim para alguem como eu, pesando 200, nerd e atualmente conhecida como: " Big J", apelido nada carinhoso, não é mesmo?. Mas de longe eu não era tão zoada assim, eu tinha os cabelos pretos e os olhos azuis, isso era menos pior, mas perto das meninas da escola, isso não era nada. É aquele famoso bullying, se voce for gorda e usar óculos, voce já não tem nenhuma qualidade, ainda mais no ensino médio. A propósito, meu pai é o maior traficante do Canadá, só para lembrar.

- Droga! - eu estava super atrasada para a aula e provavelmente se eu faltasse pela 20 vez, meu pai iria me dar um belo de um sermão.
  Sai correndo pro banheiro, fiz minha higiene matinal, coloquei qualquer roupa do meu armário, sai em disparada do quarto e levei um tombo imenso naquela escada, porra do dia que resolvi ficar no segundo andar de uma mansão maior que a da Beyoncé.
- Droga! mil vezes droga!.- Me recompus e fui direto pra cozinha.
Comi um pouco de cereal, e fui em busca das chaves do carro, mas não achei.

-Pai? Paaaaaaai?- gritei pela casa inteira.- Paaaai? aparece porra!- gritei mais uma vez e nada.

Subi os largos degraus da escada e no quarto andar já estava ofegante: "ele tinha que ter um quarto justo no 6 andar?".
Chegando no quarto, bati a porta, e nada. Bati mais uma vez, e nada. Porra! dei um murro mas ninguém abriu, desisti e abri eu mesma e me dei de cara com algo que não queria ter visto. Meu pai em uma relação com uma mulher mais velha que minha vó.
- Porra Jullyen! Deixa eu em paz!- berrou meu pai assim que me viu.
- As chaves do carro, por favor!-gritei-Ah não ser que voce quer que eu falte na escola e...- ele tacou as chaves em cima de mim e mandou eu fechar a porta.
Sai igual um furacão, e fui direto para a garagem. Entrei no carro, e percebi que por mais mulheres que meu pai trazia para aquele lugar, ele ainda continha o cheiro de minha mãe, e isso me doía no peito. Ela havia morrido quando eu tinha apenas 13 anos, e isso foi muito ruim para mim na época, já que ela era a única que me apoiava. Mas o mais certo agora era esquecer, pois ela nunca voltaria.
Liguei o carro, dei partida e fui em direção a minha linda escola: Black Manchest.
Fazendo o caminho para a escola, parei para analisar certas coisas da minha vida, eu era rica mas ao mesmo tempo pobre. Quer dizer, meu pai é rico, eu sou pobre. Meu pai, maior traficante do Canadá, vendia drogas, e ganhava a vida contrabandeando. Ele era mais conhecido, mais rico, mais garanhão, mais tudo. Por mais que ele fosse sujo, eu o amava. E muito. Ele me deu apoio apos a morte da mamãe, e isso me fortaleceu, mais do que deveria.
Sai dos meus pensamentos, quando já estava perto da escola. Ao chegar, estacionei o carro, e fui arrastar minhas correntes ao inferno, bleh.
Entrei na sala, e sentei no fundo como de costume, não gostava de ninguém de la, por isso não fazia questão de falar com ninguém, a não ser por uma excessão: Johnny! Meu amigo do time de futebol, o mais lindo também. Falando no diabo...

-Oi gata! - ele disse brincalhão- Voce vem sempre aqui?- ele fez um olhar sexy e engraçado.
- Oi, hum, venho.- disse tentando não rir.- Estraguei sua cantada né?- comecei a gargalhar alto e Johnny também.
-Idiota- murmurou ele em meio aos risos.- Você é estraga prazeres sabia? Agora me diz.. O que voce acha se seu amigo lindo, POPULAR...- ele deu enfase no popular, babaca.- namorar a Chloé?.
Eu ri alto, parecendo uma hiena, sei lá. Foi tao alto que o professor olhou para mim autoritário, insinuando para que eu parasse de rir e assim o fiz.

- Ta falando serio?-indaguei rindo baixo.
- Sim, porque?- perguntou ele confuso.
- Ela é a garota mais metida, ridícula, linda confesso, e puta dessa escola!- grasnei
- Eu sei, mas eu gosto dela mesmo sendo metida, ridícula,linda e puta!- ele disse com uma voz engraçada.
- É, se é o que voce sente, vai que vai!- disse entusiasmada.
- E é por isso que eu te amo.- disse ele com os olhos brilhando me fazendo corar.
- Amo você.- eu disse quase sussurrando.
Apos a aula chata e tediante de história, bateu o sinal do intervalo. Johnny chegou do meu lado e sussurrou em meus ouvidos:
-Vamos princesa.
-Okay príncipe Johnny.
As vezes me pegava pensando em como ele gostava de mim. Ele era alto, moreno dos olhos claros, e de um físico maravilhoso. Ele era tudo e mais um pouco, o que ele viu em mim que era pouco e mais um nada?! não sei, mas eu não era apaixonada por ele, não mesmo. Eu amava o ajudante do diretor, ele havia entrado na escola há 2 meses, e já havia roubado meu coração ( clichê eu sei, mas é verdade). Seu nome era Justin. Justin Drew Bieber. Ele era lindo, tinha os cabelos dourados, os olhos caramelados, tinha tatuagens no braço, e também tinha o físico de dar inveja. Mas quem eu era perto dele? todas as meninas amavam Justin, e ate eu, mesmo ele zoando comigo todo dia. Justin era o quebra corações das menininhas indefesas, que no caso, eu era uma delas.
-Jullyen? Jullyen? Terra chamando Jullyen- falou Johnny no meu ouvido.
- Oi- disse com a voz fraca.
- Você esta em transe faz meia hora. Voce esta bem?- ele disse com um olhar preocupado.
- Eu só... só estou pensando, não é nada demais. Relaxa- disse com um sorriso fraco.
- Assim espero mocinha!- disse ele dando uma cotovelada em mim.

Ate que então eu ouvi meu nome sendo chamado, ao virar vi a diretora Elisabeth, me encarando com um olhar sério ( dali só iria sair merda). Levantei-me da mesa em que estava e fui em sua direção. Atrás de mim Justin gritou: " Vai lá Big J cuidar da sua Big merda", e todos rindo junto com ele. Não sei o que eu ainda via nele. Segui a diretora com a cabeça baixa, segurando o choro.
Ao entrar na sala vi meu pai girando na cadeira, a diretora nem soube disfarçar que estava babando por ele. Também, meu pai era lindo, tinha os olhos azuis na cor do mar limpo, cabelo castanho escuro, quase preto, e era todo bronzeado e malhado.
Cocei a garganta falsamente para ela parar de seca-lo.

-Ah...Hum, é..Jullyen, seu pai veio aqui para conversar com você.- disse ela corando- Vou deixa-los a sós.
-Obrigado Elisabeth- disse sem graça.  Sem mais delongas, olhei para meu pai e disse:
- Aconteceu algo? Voce nunca vem me visitar, voce parece apreensivo.- disse com a voz embargada.
-Jullyen.. é que tem um inimigo meu querendo me matar e pegar tudo o que eu tenho, que também é você! Ele esta na sua escola, tome cuidado, eu vim aqui as escondidas, o nome dele é...- ele estava dizendo quando foi interrompido pela diretora.
-Aahn, Jullyen, voce tem que subir para a aula de natação, voce é obrigada a participar por causa do excesso de faltas,  a não ser que voce queira repetir.- ela falou seria
- Como quiser- disse com os olhos marejados mas ainda séria.
Sai da sala quando a ultima coisa que eu vi foi meu pai suar frio.

Agora era aula de natação, sai desesperada para a área das piscinas, conversar com a professora Anna que eu não iria fazer porque, porque, porque...ah, eu estava com dor de barriga, qualquer desculpa seria valha.
-Então Professora Anna... hoje eu não irei fazer a aula porque...- disse olhando em seus olhos.
- PORQUE NADA JULLYEN!- berrou a professora Anna- essa já é a 192828 desculpa das desculpas que voce me da! Chega, vai fazer sim, sem mais.- berrou Anna.
Caralho, mil vezes caralho. Eu odiava maiô, odiava piscina, me odiava. Af.
Vesti- me rapidamente, e fui a primeira a entrar na piscina. Fiquei encostada na beirada esperando os outros alunos.
Quando todos entraram, começou o jogo: vôlei na piscina, que original. Estava pensando, talvez alto demais que a agua espirrou em minha face e um som de algo batendo na agua estrondou pela piscina. Alguem havia jogado a bola para eu pegar.
- Voce não consegue segurar uma bola Garota- berrou Chloé do outro lado da rede- Ah claro, voce não consegue segurar suas próprias gorduras quem dira uma bola.- ela riu e todos em volta dela riram. Comecei a chorar, e todos riram ainda mais, menos Johnny que observava tudo em silencio. Sai da piscina e levei um escorregão e todos gritaram em coro: "Big J, Big J, Big J". Fui direto ao vestiário, e sem mais delongas, vasculhei pela minha bolsa para ver se achava uma lâmina, e la estava ela. Sem pensar duas vezes, peguei-a e afundei-a em meus pulsos, fazendo jorrar sangue para todos os lados. E aos poucos, minha visão foi ficando turva, e assim, eu desmaiei, ouvindo por último Johnny gritar pedindo socorro.


Notas Finais


PERA PERA! não é essa sofrencia toda minha gente. Logo melhora, se liga no próximo capítulo, que vai ter muitas novidades.
Obrigado. 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usu√°rios deixam de postar por falta de coment√°rios, estimule o trabalho deles, deixando um coment√°rio.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...