História Mitw - Um Amor Verdadeiro Nunca Morre - Capítulo 34


Escrita por: ~, ~Porra_Army e ~unicornbabe

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Maria Luiza Ramos (MoonKase), Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Felipe "Febatista" Batista, Felps, Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Mike, MoonKase, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellps, Felipe Batista, Felipe Z, Gabriela, Gaburi, Isa, João Vitor, Jvtista, Ketty, Lisa, Livia, Maria Di Natale, Maria Luísa, Mikhael Lynniker, Mitw, Moontty, Pedro Rezende, Rafael Lange, Sayuri, Tarik Pacagnan
Exibições 90
Palavras 770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Yay, como vocês tão?
Eu avisei que ia ter capítulo bônus,
Eu tô com uma puta vontade de escrever,
Não tinha o que fazer porque eu já tinha corrigido a fanfic toda, então surgiu a idéia: "porque não fazer capítulo bônus?"
Então aqui estoy
Boa leitura <3

Capítulo 34 - Funeral (Capítulo Bônus)


    POV Tarik Pacagnan

  Quando você está vivo e vai em funerais é um clima tão estranho. Mas quando você tá morto, e assiste o seu funeral, não vou fazer draminha, é ridículo e patético. Pessoas que nunca ligaram pra sua existência estão ali, se lamentando e chorando falsamente.

— Oh, ele era tão bom. - murmurava uma garota que nunca falou comigo.

Odeio funerais, havia poucas pessoas, então ele chegou com ela. Lindos, mas despedaçados ao mesmo tempo, qual o tamanho do impacto que a morte de alguém pode causar? Ele usava um moletom preto e uma calça jeans junto com um vans também preto, ela uma blusa de alça preta acompanhada de um casaco jeans, uma calça e sapatilha.

Logo eles saíram e eu fui atrás, me posicionei no meio deles e peguei em suas mãos, ambos se entreolharam.

  — Tarik? - Maria murmurou e eu lhe lancei um sorriso de conforto.

  — Você... Você também Maria? - as lágrimas começam a rolar e seus olhos expressam felicidade, mas a dor ainda está lá.

  — O quê? Não, espera... - solto suas mãos e eles continuam me olhando - Vocês... Vocês podem me ver e me sentir?

  — Oh Tarik, oh sim, sim, sim - Maria me abraça e eu sinto o calor de seu corpo contra minha pele gélida. Ela me solta e Mike ainda me olha, com as mãos nos bolsos do moletom e um pequeno sorriso. Eu vou até ele e abraço-o, inalando seu cheiro.

  — Você vai me deixar de novo? - ele sussurra em meu ouvido

  — Não, eu nunca te deixei e nunca vou deixar - sussurro de volta e aperto ele contra meu corpo, sentindo boas vibrações e alguns minutos depois nos separamos.

  — Vamos? - Maria fala estendendo a mão para mim e eu a pego, nós seguimos em frente e começamos a andar pelo parque vazio, alguns minutos depois Mike vai buscar um lanche e nos deixa sozinho.

  
        POV Maria

   — Como foi? Digo... Como é passar dessa para a melhor? - digo dando uma pequena risada pela expressão clichê dada a ''morrer''.

  — Você sente cada movimento do seu corpo indo embora, você sente e revê tudo que já viveu, cada sentimento passa pelo seu corpo e depois que você fecha os olhos você se encontra onde deseja, você pode ir onde quiser, você pode ver quem quiser, você pode encontrar pessoas que já foram... Eu encontrei eles. - ele diz olhando fixamente para o chão.

   — Seus... Digo, nossos pais?

   — Sim, eles sempre estiveram aos nossos lados, eles tem um ao outro e encontraram a famosa paz.

   — Outras pessoas conseguem te ver?

   — Acho que não. - depois de um tempo em silêncio, ele pergunta - Quem eram aquelas pessoas se lamentando pela minha morte? Eu nunca vi elas na vida.

    — Aquilo foi ridículo né? - dou risada junto com ele - Aquela menina nunca te viu, que droga.

        
      POV Mikhael Lynniker

     Quando voltei eles estavam rindo por conta da menina que não conhecia o Pac mas estava chorando por ele, me sentei com eles e continuamos conversando até anoitecer.

   — Vamos para casa?

   — Vamos, está frio e eu tô precisando dormir. - Maria disse bocejando, nos levantamos e fomos para o carro, Pac veio ao meu lado e Maria no banco de trás, estava cansada e acabou dormindo, estacionei e desci do carro pegando ela no colo.

    — Hey, poderia abrir a porta pra mim? - falei baixinho e ele assentiu, pegou a chave no meu bolso e abriu a porta, entrei levando Maria para sua cama e indo para meu quarto onde Tarik estava observando uma foto nossa.

    — Eu senti sua falta. - falei abraçando ele por trás.

   — Eu também. - ele se virou pra mim e me beijou, um beijo doce, paramos por falta de ar e ele encostou sua testa na minha. - Eu te amo, Mikhael Lynniker.

     Ele dormiu de conchinha comigo e quase todo esse sentimento de felicidade foi embora quando acordei e ele não estava ali, mas o mesmo voltou quando ouvi ele conversando com Maria na cozinha.

     Foi assim por dois anos, acordava, entrava em desespero e via ele na cozinha junto com Maria. Ou então, acordava e via ele me observando. Até o exato dia em que eu morri com ela.

   E me juntei a ele.

   Realmente, um amor verdadeiro nunca morre.


Notas Finais


E AÍ?
QUE TAL?
Tava inspirada.
:) A fanfic inteira foi corrigida, então se ainda houver algum erro em qualquer capítulo me avisa okay?
Eu sei que mais ninguém lê a fanfic, mas eu quero deixar tudo bonitinho para no futuro eu reler e ver que era organizada ou então tentava parecer organizada.
Não me canso de agradecer a vocês.
Família super hétero, é eterna.
Eu amo todo mundo <3
Beijos, e feliz dia das crianças!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...