História MITW - Você Me Pertence - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Personagens Originais
Tags Mike, Mikhael Linnyker, Mitw, Pac, Pactw, Tarik Pacanhan
Exibições 252
Palavras 3.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal, mas um Cap pra caçapa!
Ta bem legal e tbm julgo um pouco atrevido e engraçado..
E tbm queria indicar uma fanfic que eu estou amando no momento que da "sun-hee-miah" ela é Larry e tipo é muito boa mesmo ela é no mundo ABO (Alafas,Betas,Omegas) e tudo mais. Se não me engano tem um pouco de magia, mas nada muito conto de fadas e minimalista ta? Bom Vou deixa o Link da fic no final..

Capítulo 24 - Cap 24 - Meteor


Leiam as notas pfv!

Boa Leitura :3

-xXx-

 

— Bom..que tal comermos? Já esta tudo pronto..

— Eu acho uma boa ideia! O cheiro esta magnifico..

Marck diz fazendo minha mãe rir com as mãos na frente da boca. Descobri de onde vinha essa minha mania da mão na boca! As mãos do homem vão de encontro a cintura da minha mãe que segura suas mãos os direcionando a cozinha..

— To de olho em vocês dois em..

Digo e ambos riem voltando os olhares para mim e Mike que ainda estávamos sento ao sofá, o mesmo afagava meus cabelos enquanto eu olhava a TV.

— Acho que os papeis estão trocados não acha Tarik?

— Não, to de olho em vocês mesmo..

— Você é pirado garoto!

Gargalho deitado com a cabeça sobre o colo de Mike que me fitava intensamente e um sorriso satisfatório nos lábios. Abro os olhos após acalmar as risadas e olha-ló..

— Ta tudo bem Mike? 

— Sim, é que você fica mais lindo sorrindo..

— Ta me deixando com vergonha seu bobo..

Ele ri do meu estado, bochechas coradas e o rosto escondido pelas mãos. Sinto ser puxado para sentar em seu colo e suas mãos rodeiam minha cintura. Olho pela brechas dos dedos e o vejo sorri negando com a cabeça..

— Vocês vão ficar o resto da vida ai? Vem antes que esfrie..

É ouvido o chamado de minha mãe que estava na mesa já com Marck..

— Mike, essa história do Mack..é tão triste. Eu tenho medo de passar por isso..

— Sim, definitivamente é. Mas lembre que ele que faz o bem ajudando várias pessoas, Um sonho que era de Dilam que se tornou o sonho dele, realizado agora, e lembre também que eu sempre te protegerei de todo mau que nós cerca.. Vai fica tudo bem..

— Eu temo Make...

— Eu também te amo pequeno..

Seguro o maxilar alheio, delineando os traços do mesmo até a ponta do queixo levantando levemente sua cabeça até meus lábios e o beijando castamente, apenas um encostamento de lábios. A língua de Mike passa por meu lábio, deixo ele entra brevemente mas nós separo..

— Hey, estamos na minha casa e temos visita lembra?

— Você me deixa atiçado! Não vejo a hora dessa viajem para Londres chega..

— Quanto a isso, pretende falar ainda hoje com minha mãe sim?

— Claro, partiremos amanhã cedo..

Fico boquiaberto com o apreçamento do homem. 

— Mike e se minha mãe não deixa eu ir? Como você adianta essas passagens sem ao menos confirmação da minha ida?

— Por que eu sei que ela vai deixa. Certeza!

Balanço a cabeça negativamente enquanto reviro os olhos o beijando novamente..

— Vamos então?

— Vá você primeiro vou logo atrás..

— Tá...espera, se eu for na frente você vai olha minha bunda?

Ele põe a mão no queixo afagando o local, provavelmente formulando uma resposta. Como se precisasse de uma! É obvio que esse pervertidinho vai olha minha bunda..

— Humm...sim, eu vou.

— Tarado.. Ai Mike!

Me levanto e lhe dou as costa e logo em seguida sinto uma palmada na minha nádega direita. Ele ria da minha cara toda vermelha e eu lhe lanço uma das almofadas marrom do sofá em sua cara, ele a pega e abafa as risadas com ela..

— Anda vem logo seu..seu.. Arrgh, vem logo homem.

O arrasto em direção a mesa onde minha mãe coloca um macarrão com molho branco, tacos, uma paella de camarões e frutos do mar. Ela sempre surpreende, bem que aquele ditado faz sentido "Melhor forma de fisga um homem é pelo estomago", se bem que minha mãe fez isso por com o Mike.

— Pensei que não vinham! Anda sente-se.. 

— Ouve uns contra tempos com o Mike lá na sala, mas algo que já resolvemos. Nada de mais..

O olho de canto encarando seu sorriso atrevido brinca em seus lábios enquanto minha mãe o servia e ele agradece a mesma que sorri. Todos servidos, e literalmente estava tudo perfeito além de uma mãe maravilhosa, cozinha bem pra um senhor caralho. Todos já estavam satisfeito enquanto minha mãe trazia a sobre mesa, sorvete de creme caseiro com  Petit Gateau. Uma ideia atrevida e um tanto arriscada passa por minha mente nada santa no momento, Mike parece tão satisfeito com a sobre mesa que chega ser exitante. Subo minha mão, que estava em seu joelho, até a altura da cocha próxima a virilha. Encontro seu membro, pré ereto, oque um sorvete faz em! Aperto seu volume entre meus dedos, fechando-os em volta do membro por sima dos tecidos e o mesmo geme me olhando repreendedor e logo chamando a atenção de todos a mesa. Meu estado era vitorioso por dentro, mas não poderia mostra-ló no momento..

— Ta tudo bem querido? 

Minha mãe pergunta o olhando confuso, talvez achasse que tinha algo de errado. Ma o mesmo não formulava palavras..

— Sim, sim...claro, é que esse sorvete caseiro é tão bom que não me contive... É, ta tudo bem..

— Obrigado, se quiser eu lhe trago mais. 

Ele recusa, sorrindo para minha mãe e me olhando em seguida me vendo rir baixinho de cabeça baixa. Levanto o olhar lhe encaro seu olha dizia algo que eu já descifrar "Resolvo com você depois." Se seria bom? Julgo que sim, mas vindo de Mike poderia ser maravilhoso em todos os sentidos. Todos sentados a mesa ainda para conversa, estava um ambiente e um dialogo agradável a todos..

— Então Mikhael, como dizia.. Abrimos mais um estabelecimento na cidade e mais duas filiais em Los Angeles. 

— Isso é ótimo! 

— Sim, mas quanto ao seu pai? A tempos que não vejo aquele homem..

— Também já faz alguns meses que não os vejo. Tiveram que ir morar com meus avós por conta da saúdes dos mesmo. Mas vezes e outras eles aparecem por aqui.

— Oh claro..

Minha mãe que lavavas as louças para não acumular tanta para depois se senta e se junta a nossa conversa. Acho que esse seria o momento para que Mike a pergunta sobre a viajem. E dito e feito, aquele era o momento então ele raspa a garganta e prontificando-se.

— É dona Ana..é, gostaria de lhe fazer um pedido.

— Pois faça então, tentarei lhe ajuda no que puder querido..

A atenção dela e de Marck era voltada a nós dois, eu fitava a o tecido preto e cinza da mesa fazendo votas e voltas com o dedo sobre o tecido fino. Mike resolve continuar e da seguimento ao argumento entre ambos de uma forma cautelosa tentando a todo custo agradar minha mãe.

— É, eu terei de fazer uma viajem a Londres a trabalho, e eu terei alguns dias para aproveitar como folga e gostaria, é claro se a senhorita permitir, gostaria de levar Tarik para me acompanhar..

Seu olhar se alternava entre mim e Mike, ela olha a Marck que assente positivamente com a cabeça voltando o olhar novamente a nós..

— Você gostaria de ir Tarik?

— A querer, querer mesmo eu não sei mas se a senhora deixa-se eu poderia pensar né. 

Digo como se não me importasse, com o dedo circulando o tecido da mesa, Mike me olha risonho e incrédulo. E minha mãe ri da minha suposta falta de interesse.

— Eu deixo você ir. Haverá algum problema Mikhael?

— De forma alguma.. E você precisa de algum tempinho pra pensar ?

— Não, acho que não. Eu vou com você..

Digo e enlaço meus braços em seu pescoço que quase não da a volta por conta da distancia, e digamos que também eu não seja tão grande assim..

— Tenho que arrumar minhas malas? 

— Seria bom, sairemos amanhã, mas tenho que passar na empresa para pegar uns documentos. Você prefere ficar aqui e te pego amanhã?

Me aproximo de seu ouvido com intuito de sussurrar algo só ale mesmo ouça.

 "Posso ir com você se quiser, pelo que parece, os dois ai estão com planos pra essa noite. Se é que me entende.."

— "Eu adoraria sua companhia, e eu também tenho planos pra nós. Se é que me entende.."

Ele sussurra de volta me dando uma piscadela sexy, o meu Deus! Mordo o lábio inferior só de imaginar seus planos para a gente..

— Oque os dois tanto sussurram ai? Tarik...

— Nada de mais mãe, é que o Mike perguntou sobre meu passaporte, não é Mike?

— Oh, é claro. Sim foi isso que perguntei..

Ela semi serra os olhos para a gente, como se desconfiasse de algo, ela sabia que posso ser santo, meigo e delicado. Mas quando eu aprontava não tinha nada disso..

— Tudo bem, eu vou pegar seus documentos e passaporte. Não acha melhor ir arruma suas malas não? Suponho que você irá dormi fora. Sempre me deixando sozinha.

— Mas veja pelo lado bom, agora a senhora esta bem acompanhada. Não é Marck?

— Eu que estou bem acompanhado querido..

Ele diz e encara minha mãe que não contem as risadinhas fracas e as bochechas que ficam o contante rubor vermelho de vergonha que só os Pacanhan tem.

— Seria pedir muito um beijinho entre vocês..

— Menino! Vai arruma suas malas logo antes que eu arranca suas orelhas fora! Mike por favor leva esse menino logo..

— Pode deixa..

— A mãe...Eita!

Quando eu ia termina minha fala, sinto ser suspendido, Mike havia levantado e me colocado em seu ombro com minha barriga no mesmo e suas mãos nas minhas cochas dianteiras. Nós levando rumo as escadas direto para o meu quarto ele me joga na cama mas o puxo junto o fazendo ficar por cima. Seguro a gola da sua camisa trazendo sua boca até a minha, levanto meu quadril até a altura do seu criando uma fricção entre ambos, meu lábio inferior é mordiscado varias vezes e minha língua surrada várias vezes pela sua que acada contato era uma sensação nova. O ar logo pede espaço e nós separamos, sua cabeça paira ao lado da minha, retomo meu folego aos poucos, lambo seu pescoço e capturo seu lóbulo com os dentes o fazendo gemer rouco. Por Deus! Será que esse homem não tenha nada que faça que não seja sexy? Ele joga seu quadril contra o emu roçando ambas ereções que clamavam por espaço dentro dos tecidos apertados, solta uma lufada de ar pelas narinas pesadas que dilatam com a passagem de ar. Minhas mãos passeavam entre seus cabelos os desarrumando, ele distribui beijos por meu rosto me fazendo sorri e belisca seus lábios por uma última vez..

— Não acha melhor arruma suas malas logo? Podem estranhar nossa demora..

— Também acho, mas quem liga?

— Sua mãe, ela pode entrar aqui com seus documentos a qualquer momento.

— Ok, vamos arrumar minhas malas. Preciso de muita coisa?

— Não, creio que não, mas casacos serão necessários. Digamos que Londres costuma ser um pouco fria..

— Tudo bem, pode pegar minhas malas de baixo da cama?Por favor..

— Claro..

Não levaria muita coisa, algumas calças, camisas, roupa intima e alguns agasalhos grossos e pesados. Alguns foram Mike que dera quando fizemos aquelas "comprinhas". Minhas malas estavam postas em sima da cama, ou bem a mala, não precisaria de muita coisa então uma coube tudo, uma outra de mão para coisas de higiene pessoal. Fecho as as duas e Mike as carregas até a sala as deixando próximas a porta de entrada, voltamos a sala e minha mãe esta nós braços de Marck, enquanto ambos olhavam um documentário qualquer que passara em um dos canais da TV a cabo. Oh! Eu havia me esquecido, após o novo emprego de minha mãe as coisas melhoraram, as dividas foram pagas, compramos um TV nova e bem maior e agora o restante que sobrava tirando o gasto com roupas e comida era guardado na poupança para a compra de um novo carro. Bom mas minha vontade de ajuda-la não era passageira, eu queria minha mãe mas feliz do agora..

— Filho, aqui estão documentos, passaporte e Mike por favor. Fique de olho nessa criança, veja se ele esta comendo nos horários certos, e filho não se afaste de Mikhael por favor. Você lembra...

— Sim mãe lembro, o dia no parque, que eu me distrai com os balões gigantes e a senhora me procurou por meia hora.. Vai fica tudo bem, eu te garanto.

— Tudo bem, mas cuidado em.. Olho nele Linnyker..

— Pode deixa..

Me despeso de minha, não daria para passar aqui antes de ir por conta do horário do voo, fazemos um pequenino drama. Abraço minha mãe da mesma forma que abraço ela, abraço Marck. Chegando na casa de Mike, vou direto ao banheiro e tomo um banho, minhas malas estavam no canto do quarto, e Mike já estava deitado a cama.

— Espero que você saiba que oque fez em sua casa, vai ter troco..

— A é? Adoro..

Ele sorri sacana enquanto olhava direto para o livro, me posiciono deitando ao seu lado, ele logo fecha o livro marcando a página e apagando o abajur ao seu lado. Lhe dou as costa e logo braços me envolvem pela cintura juntando ambos os corpos. 

— Boa noite Ursão..

— Boa noite baby..

Tratamos de dormi cedo, sem safadezas, apenas alguns beijos pois teríamos de acorda cedo no outro o dia além de termos passar no escritório antes de pegarmos o voo. Logo amanhece e o despertador marcas cinco da manhã, a claridade lá fora é quase nula, os primeiros raios quase não se vê por ser cedo ainda ou tarde? Que seja! Agora tenho que acorda o urso da hibernação..

— Mike acorda...Mike, vamos seu trator velho que ronca para um senhor caralho..

Nada acorda esse home, o embalo mais algumas vezes, ele dizia algumas coisas desconexas mas nada de acorda. Em um estalo me veio algo, subo sobre seu corpo e beijo seu pescoço e rebolo sobre seu membro o sentindo-o rígido e ereto entre minhas nádegas..

— Que forma mais bela de se acorda alguém..

— Agora você acorda né seu satiríase (pessoa viciada em sexo)! Agora vamos levante, temos duas horas para nós arrumarmos, fazer suas malas e pegar um avião.. Não vou falar de novo Linnyker..

— Mas tava..

— Levante logo dai! 

Ele logo aparece atrás de mim pelo reflexo do espelho do banheiro enquanto escovava os dentes, me abaixo para lavar os rosto e enxágua a boca de creme dental.. Ele logo estava nu adentrando ao box, vejo apenas a parte de trás do seu corpo e os músculos das costas se contraindo por estar se despreguiçando e o Deus! Que bunda é essa. Mordo o lábio inferior num ato pervertido..

— Vai fica me secando ou vai vim se juntar a mim?

— As duas coisas..

Retiro minhas roupas e adentro no box junto ale, alguns beijos e maços de baixo do chuveiro como sempre acontece, nosso banho é rápido por conta do tempo, saímos e nós vestimos. Enquanto Mike se vestia eu preparava suas malas..

— Quer que eu ponha mais um casaco em sua mala?

— Pode ser, mas me ajuda com esses botões por favor!

Ele tentava abotoar a camisa, alguns botões acima do buraco certo e outro abaixo. Abotoo da forma correta, me viro no closet e pego mais algumas camisas e calças sociais e as coloco dentro da mala a fechando em seguida. Solto uma lufada de ar em vitória por ter terminado.

— Pronto já podemos ir..

— Vamos então? temos que passar na empresa logo e ir para o aeroporto..

O relógio marcava seis e quinze, nosso voo sai as sete e vinte então digamos que temos tempo. Entramos na Range Rover branca e seguimos para a empresa, o caminho foi feito em pouco tempo, o horário avia pouco transito, o carro para em frente o prédio e ele me olha..

— Quer vir o prefere me espera aqui.

— Eu subo com você se quiser..

— Vamos então.

Desço do carro e ele me espera do outro lado, me posiciono do seu lado e ele segura mina mão entrelaçando nossos dedos os mantendo firmes a si. Entramos e já havia um pessoal pronto pra trabalhar, alguns em seus respectivos lugar de trabalho. Olhares se voltam até nós, mas ignorados com sucesso, o elevador chega e entramos no mesmo e visão panorâmica nós mostrava a cidade ainda sem presença do sol, alguns poste acesos outros apagados. O elevador chaga ao destino e nós descemos, seguimos até o fim do corredor onde vemos Valquiria ou Val como eu a chamo..

— Bom dia Vaquiria.. Luke deixou os relatórios para Londres? 

— Bom dia Sr Linnyker, sim ele deixou, os coloqueis em sua mesa..

— Amor espera só um pouco já venho tá?

Ele segura meu rosto com suas mãos e me da um selinho e entra a sua sala a procura dos "relatórios"..

— Bom dia Val!

— Bom dia Sr Ta..

A olho repreensivo a lembrando do que eu a lhe disse várias veses..

— Tarik. É o costume sabe.. Ma como vai com o Mikhael?

— Vai bem, vamos fazer uma viagem para Londres hoje! Acredita? 

— Oh, claro mas...

Aquela voz irritante soa entre nossa conversa, só de ouvi-lo já ranjo os dentes na vontade de joga-lo daqui de cima. Serzinho  mas inconveniente!

— Bom dia Valquiria, conversando no trabalho que feio.. E você, eu nem tia te notado ai..

Lhe dou um sorriso sínico e nada amigável, retorço os dedos das mãos, as mesmas penicavam na vontade de soca-lo até o cranio afundar para dentro daquela cabeça de Kinder-Ovo! 

— Bem Val como dizia, vamos fazer uma viagem para Londres e tipo vai ser espetacular..

— Vai ser mesmo querido!

— Primeira viajem né, entendo, foi assim quando fui para Tokio com Mikhael em uma das filiais lá.. Mas sabe oque seria legal mesmo se eu fosse com você..

O fito incrédulo com tal resposta e opinião que ele dera sem ao mesmo ninguém pedir. Esse cara não se enxerga mesmo! Parece que tem um rei na barriga, serzinho inconveniente e desafora dos infernos. Calma Tari, você é muito novo para ter rugas de expressão por conta desse cara chato. Então formulo uma resposta a ele..

— Hum sabe oque seria mais legal ainda!? Um meteoro, aqui o -digo apalpando o topo da cabeça- bem aqui o, na sua cabeça. No meio da sua cabeça, legal né! Não?

Logo Mike sai de seu escritório com papeis em mãos sem mesmo notar a presença de Luke..

— Pronto amor, já podemos ir não queremos chegar atrasados e perde o voo não é mesmo?

— Sim, claro. Vamos "amor"! Thau Val..

— Thau querido..

Saímos e deixamos lá, Valquiria mexia no computador anotando algo enquanto o olhar de Luke queimava em nossas costas.

— Garoto mais abusado..

— Ué Luke, um meteoro em sua cabeça cairia muito bem não é mesmo?

— Vai fazer seu trabalho Valquiria..

— Estou fazendo meu lindo, quanto a você não posso dizer o mesmo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, deixem suas opiniões, comentem É SERIO COMENTEM '-'. Beijos do Gui até o próximo Cap e Fuii!

Link da fic da diva "sun-hee-miah" - https://spiritfanfics.com/historia/the-moon-said--larry-stylinson-6529995


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...