História Mobile Monsters (Mobimon) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Digimon, Jogo, Pokémon, Rpg, Sobrevivencia, Survival
Visualizações 1
Palavras 2.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Shounen, Survival, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - 11 Territórios


- Wow! - exclamou ela surpresa ao ver que o cachorro havia acabado de atirar uma labareda de fogo pela boca. - Mandou bem, Hi-chan!

Lara não sabia explicar a lógica, mas adicionar aquele ponto pelo celular em “Latido” fez com que Hi-chan aprendesse a usar essa técnica “Latido Flamejante”, talvez ele sempre soubesse fazê-la e foi tudo apenas coincidência, mas se fosse levar a sério tudo que estava acontecendo, ficava realmente difícil de acreditar em coincidências.

Olhando novamente os pontos que tinha para distribuir, Lara colocou mais um em “Especialidade”, que de acordo com a informação dada pelo aplicativo era o atributo referente a força que o seu monstro tinha para ataques com suas habilidades especiais, no caso de Hi-chan isso deveria tornar seus golpes de fogo mais poderosos.

Voltando para a parte da ficha de Hi-chan referente a sua saúde, Lara começava a se sentir um pouco preocupada, pois antes o que dizia “perfeitamente saudável”, agora estava dizendo “ferido”, olhando os detalhes da informação ela dizia que Hi-chan estava com um corte aberto no peito provocando um sangramento baixo. Ele se feriu tentando ajudá-la, e ela não faz a menor ideia de como conseguiria tratar desse ferimento na situação em que estava, isso rapidamente lhe levou ao pensamento de que caso ficasse ferida aqui, não saberia o que fazer a respeito. Nesse momento Lara sentiu um leve arrependimento em não ter tido interesse em medicina, saber desenhar não iria ajudá-la em nada estando perdida numa montanha.

- Hi-chan, venha aqui, deixe-me ver esse seu machucado - falou a garota para o cachorro, que permaneceu parado no mesmo lugar e voltou a rosnar para frente, olhando na mesma direção do Feuchien, Lara viu o Seether voltar a ficar de pé. - Mas essa coisa não desiste?

Quando voltou a se levantar, dessa vez a pele vermelha do lagarto ficou ainda mais intensa do que antes, sinal de que ele deveria estar muito quente. A criatura abriu a boca e gritou enfurecido enquanto a ponta da sua cauda se abriu e começou a disparar rajadas de fogo com quase o dobro do tamanho dele.

Percebendo a ameaça, Hi-chan correu na direção do réptil fazendo seu colete de chamas queimar com ainda mais intensidade, o Seether como contra-ataque disparou na direção do cachorro as chamas de sua cauda, já preparado para isso, Hi-chan saltou para o lado e continuou correndo até o lagarto, mas este permaneceu mirando-o com seu lança-chamas impedindo o Feuchien de se aproximar.

Era agoniante para Lara observar tudo aquilo sem conseguir fazer nada, ela viveu a vida inteira em um apartamento e nunca teve um animal de estimação, seu contato com eles sempre foi através da casa de outras pessoas e jamais havia visto uma briga entre dois animais sem ser por filmes ou pelo ZoomTube.

Presenciar esse combate bem na sua frente lhe dava uma sensação semelhante a de quando o time de SoL para quem torce jogou a final do campeonato brasileiro, mas aqui todos os sentimentos estavam multiplicados, seu coração estava acelerado de uma forma que sequer sabia se seria capaz de contar quantos batimentos estava tendo por minuto e seu estômago embrulhado lhe fez ter a sensação de estar com um buraco negro na barriga, quando será que foi a última vez que comeu?

Todo esse sentimento intenso seria porque ela estava assustada com a aparição daquele lagarto gigante e sabia da ameaça que ele lhe oferecia ali ou será que era porque algo dentro dela se importava com Hi-chan e não queria vê-lo se ferindo bem na sua frente?

Enquanto corria do lança-chamas do Seether, Hi-chan tropeçou em uma pedra no caminho e acabou por cair no chão, sendo em seguida coberto por completo pelo fogo do réptil. Lara gritou o nome dele e levou as mãos a cabeça. O pequeno cachorro permaneceu caído no chão soltando latidos de dor enquanto as chamas do Seether cobriam seu corpo e lhe faziam debater-se no chão.

Incapaz de ver aquilo acontecer sem fazer nada, Lara correu na direção do lagarto vermelho e chutou a cabeça dele com toda a força que conseguia juntar, ela não sabia dizer de onde veio essa coragem, mas não importava, pois o importante é que seu chute havia jogado o réptil contra uma pedra e o impediu de continuar ateando fogo em Hi-chan.

Lara gritou logo depois de acertar o chute no lagarto, a parte do seu pé que havia tocado o animal queimou como se tivesse chutado uma panela de água fervendo, sentindo a dor se intensificar em seu pé ela rapidamente caiu de bunda no chão e segurou a perna enquanto resmungava de dor.

Suas mãos tremiam, suas pernas tremiam, sentiu todo seu corpo começar a formigar começando pela barriga e estendendo-se para as pontas do seu dedo e até mesmo do seu nariz. Ela respirava ofegante enquanto olhava o lagarto se contorcer e voltar a ficar de pé, ela conseguiu salvar Hi-chan, mas o que iria ajudá-la agora se nem mesmo é capaz de correr?

- Por favor, deixe a gente em paz - implorou ela enquanto lágrimas escorriam de seus olhos. - Por que isso está acontecendo? O que eu fiz a você para merecer isso?

Mas falar com um monstro que solta fogo pela cauda não parecia estar trazendo resultados, suas perguntas continuariam sem respostas e o Seether ainda mais irritado gritou novamente para a humana, abrindo sua cauda para disparar para cima uma quantidade de fogo tão grande que deixava Lara sem reação. Quando o réptil mirou seu lança-chamas na direção de Lara, ela sabia que aquele seria o seu fim.

Ela não podia vencer aquilo, era era só uma nerd adolescente e tudo isso era real, o monstro na sua frente era real, a queimadura em seu pé era real, o lugar onde estava era real. Lara fechou os olhos e rezou para que tudo aquilo não passasse de um sonho, tinha que ser um sonho, esta era a sua última esperança, a sua única esperança…

Então o som de um latido lhe fez abrir os olhos novamente e ver Hi-chan agarrando o pescoço do Seether enquanto chamas explodiam de sua boca e atingiam o lagarto a queima-roupa, o cachorro derrubou o réptil no chão e o arrastou enquanto balançava a cabeça com violência deixando a sua presa desnorteada e fazendo-a soltar alguns sons de dor. Aos poucos o corpo do lagarto foi se debatendo com menos intensidade até parar por completo, naquele momento Lara sabia que ele havia morrido.

O colete de chamas de Hi-chan se apagou e ele soltou o pescoço do Seether, em seguida caindo de lado próximo ao corpo sem vida do outro animal. Lara levantou do chão e correu depressa na direção do cachorro mesmo mancando de dor.

- Hi-chan, não morra! - disse assim que colocou o cachorro em seus braços e sentou no chão. Ele estava quente, mas talvez isso fosse normal para um Feuchien.

Apesar de ferido e ofegante, Hi-chan começou a lamber o braço da humana enquanto abanava o rabo, tal atitude fez Lara abrir um sorriso e deixar mais algumas lágrimas escaparem.

- Obrigada - agradeceu ela dando um abraço no animal.

Ao abraçá-lo ela sentiu o sangue do ferimento de Hi-chan molhar seu peito, ele estava ferido e o mínimo que ela poderia fazer é tentar de alguma forma cuidar desse machucado. Puxando a mochila para frente, Lara a abriu novamente para ver o que de dentro dela poderia ajudar. Hi-chan latiu para ela no momento em que a mochila foi aberta.

- O que foi? - perguntou ela olhando para o cachorro, que ficou de pé e colocou a cabeça dentro da mochila, tirando de lá de dentro a garrafa branca com água. - Você deve estar com sede… Ok, vou dar um pouco pra você.

Depois de tirar a garrafa da boca de Hi-chan, Lara abriu-a e colocou um pouquinho da água dentro da tampa da garrafa, levando-a em seguida para que o cachorro pudesse beber por ali. Se as coisas naquele momento já não estavam bizarras o suficiente, ver os ferimentos de Hi-chan se fecharem enquanto ele bebia daquela água foi um choque tão grande quanto um cachorro flamejante e um lagarto que atira fogo pelo rabo.

- Eu não to acreditando nisso… - soltou ela olhando para a garrafa branca em sua mão.

Ainda sentindo a dor da queimadura em seu pé e depois de ver os ferimentos de Hi-chan se fecharem ao beber só um pouco daquela água, Lara não pensou duas vezes em beber um gole da garrafa, era algo que valia a pena arriscar. E não, ela não estava doida quando viu os machucados de Hi-chan desaparecerem, pois segundos depois de beber daquela água a queimadura em seu pé começou a cicatrizar com velocidade sem deixar qualquer marca.

- Se eu ainda não estou doida, eu com certeza vou ficar daqui a pouco, porque tudo isso que está acontecendo aqui não faz o menor sentido! - disse em voz alta para ela mesma. Hi-chan latiu para ela e começou a se esfregar nela enquanto abanava o rabo.

De fato tudo que aconteceu com ela desde que acordou neste lugar ia contra as lógicas que já havia estabelecido durante toda a sua vida, tudo era surreal de uma forma tão grande que era como se não estivesse mais no mundo que conhecia. Olhando mais uma vez para o celular, Lara percebeu que uma nova notificação havia surgido na tela.

 

Hi-chan subiu para o nível 2!

 

Nível 2? Que merda é essa? Ela realmente estava dentro de um jogo de RPG? Como ela veio parar aqui? Porque ela veio parar aqui? Tudo isso tem relação com aquele aplicativo Mobile Monsters que apareceu no seu celular? Ao lembrar disso, Lara percebeu que Hi-chan e toda essa temática de fogo dos Feuchiens lembrava muito o último desenho que havia feito no aplicativo antes de dormir, seria então eles uma criação dela? Eram perguntas demais e todas elas não tinham respostas exatas, a primeira mensagem que leu ao pegar este celular dizia que para conseguir respostas ela precisava completar uma das três missões… Então ela realmente terá que participar desse jogo, mas diferente do que estava pensando, ele não é um reality show, mas sim um survival.

Ao subir para o nível 2, Hi-chan ganhou mais 1 ponto para se distribuído nos seus status e na árvore de técnicas. Nos status ela escolheu novamente melhorar a “Especialidade” de Hi-chan, enquanto na árvore de técnicas achou melhor colocar o ponto em “Briga”, se mais monstros como esse lagarto aparecerem será uma boa que Hi-chan saiba como brigar.

- Rafa disse que esse aplicativo não podia ser removido, mas será que se eu tivesse formatado o celular… - antes de completar a frase, Lara arregalou os olhos e começou a abrir a boca como se tivessem lhe contado algo muito chocante. - O Rafa também tinha esse aplicativo no celular, será que ele também está aqui? - falou em voz alta olhando para Hi-chan, que olhou para ela de volta e inclinou a cabeça levemente para o lado.

Fechando a garrafa de água com força para ela não entornar nem mesmo uma gota, Lara guardou-a de volta na mochila e voltou a ficar de pé, agitando o pé direito um pouco para ter certeza de que a queimadura havia ido embora.

- Se ele também tinha o aplicativo então ele deve ser um dos cem participantes! Ele deve estar aqui em algum lugar - falou ela olhando para a montanha onde estava. - O celular disse que isso é uma região vulcânica, não é? Talvez ele esteja mais para cima, se acharmos uma forma de ir subindo talvez não demore tanto para encontrá-lo - concluiu ela olhando para cima enquanto colocava a mão sobre os olhos por causa do sol.

E o celular vibrou mais uma vez.

 

---

Evento Global

Mochilas Negras foram espalhadas pelos territórios, o conteúdo delas pode ser útil. Boa sorte.

 

Tundra: 3/3

Savana: 3/3

Litoral: 2/2

Colinas do Oeste: 2/2

Floresta Tropical: 5/5

Floresta Densa: 10/10

Pantano: 3/3

Montanhas do Leste: 3/3

Região Vulcânica: 2/2

Deserto: 2/2

Floresta Negra: 15/15

---

 

- Evento Global? - comentou enquanto lia o que a mensagem lhe dizia.

Apesar da mensagem que o celular lhe entregou ter uma intenção positiva, o efeito que ela teve sobre Lara foi exatamente o contrário. Como assim territórios? A mensagem estava listando onze e alguns deles eram geograficamente impossíveis de coexistir fora de uma distância de milhares de quilômetros.

Mais dúvidas surgiram na cabeça de Lara, que rapidamente olhou para o lado oposto da montanha onde estava e correu em direção ao horizonte até chegar no limite do terreno onde estava e se deparar com um penhasco de muitos metros de altura, mas tal altura era o de menos, pois o que conseguiu ver estando ali era o que fazia a garota se surpreender.

Logo a frente dela havia um enorme deserto de areia, e não importava o quanto ela olhasse para o horizonte não era possível ver o fim dele. Caso ela olhasse para a direita o deserto ainda se estendia, mas se olhasse para a esquerda, bem lá no fundo ela conseguia enxergar uma vegetação esverdeada, havia uma floresta ali.

Essa montanha vulcânica não era o único lugar que esse jogo abrangia, havia muito mais lugares ali e se há alguns segundos atrás ela sentiu a esperança em encontrar um amigo nessa confusão toda, olhar para essa paisagem foi como tomar um banho de água fria. Procurar alguém dentro desse lugar seria como procurar uma agulha em um palheiro.

- Mas onde diabos é que eu estou?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...