História Momentos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Hajime Iwaizumi, Tooru Oikawa
Tags Comedia, Haikyuu, Iwaizumi Hajime, Iwaoi, Oiiwa, Oikawa Tooru
Exibições 131
Palavras 1.746
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heey people! Bem, apareci muito antes do esperado, não? Ah, um pequeno aviso: esse cap é como se fosse um breve flashback, ou seja, isso tudo aconteceu antes do cap anterior. E o por que de eu ter feito isso? Bom, isso é segredo haahahaha.

Obs: As palavras entre aspas são os pensamentos dos personagens.
Obs 2: Esse cap foi revisado por alto, então me perdoem pelos prováveis erros.
Obs 3: De agora em diante, as personalidades dos personagens estaram um pouco modificadas, isso foi necessário pro decorrer da história, 'kay?
Obs 4: Well, como dizer isso... Bem, eu estou muito, muito, MUITO agradecida pelos favoritos 'kay? E também agradeço de coração a quem leu ou ao menos a quem está acompanhando, isso já é de uma ajuda imensa!

Bom, sem mais delongas, vamos à história Enjoy!

Capítulo 2 - Confuso


25 de fevereiro, 07:48 da manhã.
- Oikawa


Confuso


Oikawa andava apressadamente pelos corredores, ignorando os gritos histéricos e totalmente desnecessários das garotas, e por vezes, esbarrando nos outros alunos.

Sentia os olhares pesarem sobre as suas costas como se perguntassem o que estava havendo. Mas nem mesmo ele sabia o que estava acontecendo. Naquele momento, Oikawa só desejava uma única coisa: desaparecer. Entretanto, pra onde ia havia alunos. Bom, era normal já que ainda estava na escola mas, esperava um pouco mais de privacidade. Algumas garotas simplesmente o paravam no corredor, perguntando o por que dele estar andando tão apressadamente e com uma feição tão irritada, em resposta, Oikawa apenas forçava um sorriso e dizia estar tudo bem, que estava sentindo apenas um mal estar.

Mas era óbvio que havia algo a mais. E esse 'algo a mais' tinha nome e sobrenome, e ainda era o motivo do seu estresse e do andado ligeiro pelos corredores. Iwaizumi Hajime.

Só de pensar nele sentia a raiva crescer no seu âmago. E esse era o problema - não o problema em si, essa já era outro assunto -. Não saber o motivo de estar sentindo tanta raiva. Iwaizumi era seu amigo, se conheciam desde que eram crianças; brincavam e se aventuravam juntos, descobriam coisa novas, sorriam e choravam juntos. Se tinham quase como irmãos! Em todos os momentos importantes da sua vida o spiker se fizera presente.

Mas hoje algo estava diferente, terrivelmente errado. Ambos tinham o costume de irem para a escola juntos por morarem perto um do outro, entretanto, quando o levantador demorava demais para se arrumar, o moreno ia na frente, e eles só se encontravam depois. Foi o que aconteceu.

Após chegar - quase que atrasado - na escola, Oikawa rapidamente deixou suas coisas na mesa e correu para a sala do amigo que, felizmente, era bem perto da sua. Assim que chegou na entrada da sala 5, sentiu o sorriso estampado no seu rosto ir aos poucos sumindo, dando lugar para uma feicão séria e levemente irritada. Iwaizumi ria - algo muito raro e desnecessário ao seu ver, preferia vê-lo sério - despreucupado ao lado de alguns garotos, como se os conhecesse à decádas. Intímos demais. Mas não parava só por ai, um deles simplesmente o abraçou pelo ombro, e pior, o moreno não fez nada para afastá-lo, pelo o contrário, retribuiu.

Naquele momento, só sentia uma descomunal vontade de estapear o ser que abraçava o amigo com tanta intímidade. E estapear ele também! Desde quando Iwaizumi permitia esses tipos de contatos? Quando era ele que ia abraçar o moreno, sempre recebia ameaças e quando tinha sorte, conseguia desviar das coisas que ele jogava em si. Se sentiu traído e, arregalando os olhos em incrédualidade, girou sobre os calcanhares e rapidamente saiu, ignorando ao longe os chamados de alguma garota. Assim que se afastou, sentiu seus olhos arderem. Mas o que... Logo levou o braço até os olhos, esfregando para que nenhuma lágrima teimosa descesse sem a sua permissão.

Agora, pensando sobre todo o ocorrido, Oikawa se perguntava o real motivo de ter se sentido tão incomodado. Será que..

- Oikawa?

Por pouco não pulou de susto.

- Ah! Makki?- as orbes castanhas piscaram surpresas. Quase criara a expectativa de ser Iwa-chan...

- O que está fazendo aqui? As aulas já começaram.

Oikawa ficou em silêncio. Estava em um terrível dilema interno. Precisava, necessitava urgertemente de alguém para tirar as suas dúvidas, alguém que o ajudasse a entender o que estava acontecendo. Então, abrindo o seu mais radiante sorriso, fitou o amigo e parceiro de time. Ele havia aparecido no momento exato.

- Makki ~~ - chamou, vendo o outro cruzar os braços e suspirar - Preciso da sua ajuda em algo.

- E o que você quer dessa vez? - Hanamaki arqueou a sobrancelha. Não cairia nessa tão fácil.

- Quero que me ajude a entender algo e-

- Não. - deu as costas pro levantador e começou a ir na direção da escada que ficava mais a diante.

- E-eh!? - arregalou os olhos incrédulo - M-mas... - tentou em vão formular uma resposta decente - Espera ai, Makki! - correu atrás do outro que já subia as escadas - Você tem que me ajudar!

- Ajudar? - repetiu - Já se esqueceu do que me fez passar semana passada, seu idiota? - disse irritado.

Oh, havia se esquecido daquele pequeno detalhe. Á duas semanas, durante uma das suas rotineiras discursões com Iwaizumi, o levantador simplesmente usara Hanamaki como escudo para se defender de uma bola jogada contra si. Claro que aquilo lhe rendera uma série de ameaças e uma onda de sermões por parte de Iwaizumi, sobre o quão errado e perigoso havia sido aquilo. Em contra partida, Hanamaki quase o esfolava vivo.

- Mas eu preciso muito da sua ajuda! - disse assim que pisaram no terraço vazio da escola.

- E eu já disse que não. - disse suspirando enquanto se sentava no chão - Aliás, por que não pede ajuda pro Iwaizumi?

Ao ouvir o nome do melhor amigo, Oikawa franziu a testa em desgosto. Não poderia falar sobre Iwaizumi com o próprio Iwaizumi.

- É sobre ele que eu quero falar. - resmungou se aproximando do outro e se apoiando na murada, observando o movimento quase inexistente no pátio lá embaixo.

Hanamaki apenas suspirou. Quase até imaginava o motivo pela qual o levantador estava daquele jeito. Oikawa além de idiota era muito transparente, saber quando ele gostava ou não de algo ou alguém era bem simples. Geralmente, quando ele estava com problemas - com relacionamentos ou não - sempre recorria à Iwaizumi.

- Oh, vocês também estão aqui? - uma voz sonolenta soou pelo local. Era Matsukawa, que carregava a sua mochila sobre um dos ombros e tinha a feição de quem havia tido uma péssima noite de sono.

- Yo. - o rapaz que estava no chão cumprimentou, erguendo levemente a mão.

- Mattsun! - gritou indo pular em cima do moreno, e o mesmo facilmente desviou, indo cumprimentar o outro rapaz ali presente.

- E ai, como foi nas provas? - perguntou à Hanamaki, ignorando completamente o levantador.

- Ei, não me ignore! - reclamou.

- Hai, hai. - disse fazendo pouco caso - O que vocês estão fazendo aqui? - perguntou se sentando ao lado do outro.

- Ouvindo os problemas amorosos do Oikawa. - Hanamaki respondeu sorrindo.

- Não são problemas amorosos! - disse irritado enquanto cruzava os braços.

- Então o que é? - Matsukawa perguntou arqueando uma sobrancelha.

Oikawa apenas ficou em silêncio. Não sabia exatamente o que dizer, nem mesmo ele entendia direiro o que estava acontecendo. Estava confuso, e odiava se sentir assim. Se escorou na parede e deslizou até o chão, sabia que se contasse o que estava acontecendo e o que estava sentindo,eles certamente entenderiam.

- Eu... - começou incerto - Meio que estou me sentindo um pouco confuso em relação ao Iwa-chan.

- Confuso como? - Hanamaki perguntou, estranhamente interessado enquanto o olhava atentamente.

- Não sei! - exclamou de repente - Eu... Apenas me sinto incomodado quando vejo ele com outras pessoas, e não sei o por quê! Ele... Eu e ele somos amigos. - suspirou - Não sei porque me sinto desse jeito. Nós nos conhecemos desde que somos crianças e isso nunca havia acontecido... Hoje eu o vi abraçado com alguns garotos da sala dele e me senti estranho. Era como se tivessr algo muito irritante dentro de mim e... Eu senti uma grande vontade de estapear cada um deles. Parecia até que eu... - se interrompeu de repente e entreabiu os lábios, surpreso, com a própria conclusão. Sentiu como se tivesse levado um tapa.

- "Estava com ciúmes?" - Matsukawa completou o que não foi dito de uma forma estranhamente feliz.

- Não... Não, não! - arregalou os olhos com a possibildade - Eu não posso estar apaixonado, não por ele! - exclamou enquanto se levantava e começava a andar de um lado pro outro, mordendo a unha em um claro sinal de nervosismo.

A idéia era, sem a sombra de dúvida, absurda. Iwaizumi era o seu amigo, o seu melhor amigo para ser mais exato, a possibilidade de estar apaixonado por ele era de uma em um milhão. Tá que as vezes se pegava observando - até que por demais - o físico do rapaz, sem falar que tinha a horrível mania de sempre estar com ele mas... isso era normal, certo? Eram amigos, e amigos andavam juntos, e observavam o físico um do outro... era normal. Muito normal. "Grrr! Isso não tem nada de normal!" Gritou em pensamento, levando ambas as mãos aos fios castanhos e os bagunçando. Claro que tudo isso era acompanhado pelos os olhares atentos e divertidos dos dois amigos. "Estou ferrado", pensou enquango ouvia os amigos rirem.

- Bom, - Hanamaki começou, tentando conter o riso - você está com ciúmes, hein? Quem diria. - provocou.

- Acho que você está me devendo um milk shake, Hanamaki. Eu venci. - Matsukawa riu - Bem que eu avisei.

- Venceu? - Oikawa que, até então estava muito preucupado com a sua terrível situação, fitou os dois amigos de forma curiosa - Do que estão falando? - estreitou os olhos desconfíado.

- Nada. - Hanamaki se apressou em dizer, virando o rosto emburrado.

- Nós fizemos uma aposta. - disse o outro.

- O quê!?

- Eu apostei que você se apaixonaria primeiro e ele, bem... - riu - apostou no Iwaizumi-san.

- V-vocês... Vocês estavam fazendo apostas sobre a minha vida amorosa?! - esbravejou sentindo um leve rubor aquecer-lhe as bocechas. Traídores. Estava rodeado de traídores - Que tipo de pessoas são vocês? - disse levando as mãos ao peito em um gesto meramente teatral - Seus traidores. - acusou.

Os rapazes apenas voltaram a rir, dessa vez da reação do rapaz de madeixas castanhas. E, soltando resmungos e pragas aos quatro ventos, Oikawa girou sobre os calcanhares, saindo rapidamente do local, deixando para trás os dois amigos que riam como se não houvesse amanhã.

- Traidores. - resmungou enquanto descia as escadas.

"E eu ainda achei que eles me ajudariam", pensou e suspirou. Definitivamente não estava apaixonado por Iwaizumi, isso beirava ao impossível. Talvez o seu único problema fosse o tempo em que passou sem namorar... É talvez fosse isso. Precisava urgentemente de uma namorada. E com esses pensamentos seguiu com o seu percurso.

Notas Finais


E então? O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...