História Mommy, Daddy and Baby - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 201
Palavras 1.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Semana muita agitada, alguns problemas que me deixaram para baixo, mas estou de volta ><
Se pudesse postava todos os dias *-*
Enfim... Não vou me demorar mais
Novo cap ^^

Capítulo 11 - Doces


Fanfic / Fanfiction Mommy, Daddy and Baby - Capítulo 11 - Doces

Natsumy

 

 Sorrio ao ver Nyan segurar a mão de Lyon, completamente corado. Embora fosse mais alto do que eu e já tivesse os seus dezoito anos, sua aparência era infantil. Os olhos inocentes e brilhantes, o corpo magro e delicado, completamente sensível aos meus toques; um sorriso sincero que fazia meu coração pular todas as vezes e sua voz, suave e calma, como se estivesse sempre tranquilo.

 - Não é mais nenhuma dessas brincadeiras, não é? – Pergunta-me um tanto assustado. Sua respiração ainda estava irregular pelo o ocorrido.

 - Não se preocupa, anjinho. – Tranquilizo-o. – É presente só seu.

 Nyan acena com a cabeça e paralisa, assim que chegamos na cozinha.

 Em cima da mesa, alguns bolinhos e salgadinhos estão dispostos de maneira uniforme. Lyon os havia comprado para ele, mas grande parte dos doces foram por minha conta. Além de uma grande xícara de café coberto de chantilly em forma de gatinho.

 - Para mim?! – Ele grita, abrindo aquele sorriso perfeito.

 - Para você. – Lyon ri de sua reação.

 - Gostou, baby? – Acaricio suas bochechas vermelhas.

 Ele fecha os olhos e me abraça com força. Sinto em seu aperto o mais sincero obrigado que alguém poderia dar. Solto uma pequena risada e o beijo na testa.

 - Ei... – O outro nos olhava um pouco embaraçado. – Não foi só ela quem fez tudo, sabia?

 Tão logo o abraço começara ele termina, com Nyan se direcionando para os braços do irmão, apertando-o do mesmo jeito.

 - Obrigado. – Sussurra abafado no ombro dele. – Obrigado aos dois.

 - Não precisa agradecer, gatinho. – Lyon ergue seu rosto e lhe dá um selinho, o que me deixa arrepiada.  – Você mereceu.

 - Yep. – Suspiro. – Agora vem comer que você deve estar com fome.

 Puxo sua cadeira e aponto para que Lyon o sente. Este o faz com cuidado.

 - Que legal... – Nyan murmura com os olhos brilhantes, mexendo cuidadosamente na orelha de chantilly do gato, colocando em seguida a colher na boca. – E é tão cremoso!

 Sinceramente, se pudesse o pegava ali mesmo. E, a julgar pelo olhar de Lyon, ele pensava o mesmo.

 - Gatinho. – Ele chama atenção do baby. – Não quer que eu esquente o café para você? Deve estar...

 Antes que pudesse terminar de falar, Nyan já havia tomado tudo e passava o dedo pelo fundo da caneca, pegando o restinho de creme do fundo.

 Não pude conter minha risada ao ver aquilo. Lyon me olhava com falsa indignação.

 - Baby, vai com calma. – Sorrio. – Os doces não vão embora.

 Nyan, com um bolinho na boca, me olha com aqueles olhos inocentes. Em um reflexo involuntário aperto suas bochechas.

 - Hum...! – Resmunga, terminando de mastigar. – Isso dói!

 Seu irmão ri.

 - Não tanto quanto o que pretendo fazer com você se continuar sendo tão fofo, Ny.

Como era de se esperar, Nyan cora e muda sua atenção para um pacote de salgadinhos, provavelmente tentando disfarçar sua vergonha.

 - O que foi, baby? – Lyon se aproxima dele, sugestivamente. – O que acha que o Daddy faria que te machucaria?

 - V-Você sabe. – Murmura, sem tirar os olhos da embalagem.

 - Sei o quê, gatinho? – Ele sorri para o pequeno, lambendo sua boquinha açucarada.

 - O que você falou. – Nyan responde com a voz fraca.

 - E o que eu disse? – O outro continua a provoca-lo, não parando de sorrir por um momento.

 - Q-Que iria me... hã...

 Vermelho, como sempre ficava perto do irmão, Nyan não consegue terminar sua sentença. Pega mais um doce na mesa e começa a saboreá-lo em silêncio.

 - Te comer? – Lyon o encarou, recebendo um aceno de confirmação. – Eu não disse nada disso, baby.

 - D-Disse sim. Falou que...

 - Que eu pretendia fazer algo com você só. – Ele mordeu os lábios e o agarrou pelo cabelo, cuidadosamente. – Não disse nada além disso, gatinho. – Então puxou-o para perto de si, obviamente provocando-o – Mas como é que um bebê inocente como você pensou nessas coisas?

 - E-Eu... não... – Nyan tentava se desculpar, mas obviamente era um caso perdido.

 Assim como Ny, eu também esperava que ele quisesse o castigar por quebrar a regra. Mas para minha surpresa, Lyon apenas morde suas bochechas e o beija.

 - Estou brincando, baby. – Sorri. – Não precisa ficar tão assustado.

 Ele retribui o sorriso e solta um suspiro de alivio.

 - Você é tão fofo, gatinho. – Lhe digo, observando-o corar intensamente.

 Era tudo tão perfeito.

 Vê-lo ali, se deliciando com todas aquelas coisas que compramos, contente por receber carinho e atenção. Um verdadeiro baby.

 Lembro-me de quando o conheci...

 Meu dia, até então, havia sido péssimo. Primeira vez no novo emprego, minha mãe gritando que eu iria me atrasar e resmungando o café da manhã inteiro sobre como eu não teria futuro trabalhando numa loja de doces, sendo que há alguns dias atrás o grande problema era eu estar desempregada. Por fim acabei saindo mais cedo do que deveria, na tentativa de evitar uma briga, e esperei em frente o lugar enquanto mexia no celular. Logo uma moça abriu a loja para mim e explicou como tudo funcionava. Era bastante simples e o lugar pouco movimentado. Rapidamente fiquei entediada.

 Esperava encontrar mais clientes no horário do almoço, já que havia uma escola por perto e alguns estudantes provavelmente deveriam passar por lá. No entanto, somente alguns vieram, e, entre eles, Nyan.

 Quando o vi... cabelo bagunçado, jeito tímido, rosto delicado e aquela voz calma e suave, meu coração acelerou. Conhecia muitos rapazes da idade dele para saber que dificilmente acharia outra oportunidade.

 Agi de forma carinhosa e deixei o bolo por minha conta, testando sua reação. Para minha sorte ele reagiu muito bem, o que me motivou a continuar. Só ainda não compreendo o quão rápido as coisas evoluíram...

 - Mommy?

 Pisco um pouco para acordar dos meus pensamentos e encontro meu baby me encarando confuso.

 - Que foi? – Olho para sua mão estendida para mim.

 - Perguntei se quer um biscoito. – Disse baixinho.

 Aceito-o sem nem pensar duas vezes, com medo de magoa-lo, e o como. Imediatamente Nyan abre um sorriso.

 - Mas, Ly... D-Daddy. – Se volta para o outro. – Amanhã não vai ter nada de bom na escola. E com certeza a Caty vai me encher depois daquilo.

 - Não, gatinho. Você vai e acabou. – Lyon diz com firmeza, porém consigo ver que tentava disfarçar o riso.

 - O que acha, mommy? – Nyan fala de forma manhosa. – Posso faltar amanhã?

 Me sinto sem saída. Ele pedia com muita fofura, mas ainda assim não podia deixa-lo sem ir à escola.

 - Hã... – Espio Lyon, que me fita intensamente, já entendendo seu recado. – O Daddy disse que não, bebê. Desculpa...

 Lhe dou um selinho.

 No entanto, isso não evita que ele cruze os braços e faça o biquinho mais mordível do mundo.

 - Que fofo! – Gargalho, prestes a beijá-lo. Infelizmente meu celular toca.

 Espio o ecrã e vejo a foto de minha mãe. Só podia ser brincadeira...

 - Já volto. – Acaricio o cabelo do meu gatinho e me direciono para fora da casa.

 Suspiro e atendo, já esperando o pior.

 - Alô? – Escuto sua voz.

 - Que foi, mãe?

 - Como o que foi?! – Já começa. – Você some do nada e espera que eu não fique preocupada? Onde é que você está?

 - No trabalho. – Respondo sem humor. – Te avisei que hoje chegaria mais tarde.

 - Que tipo de trabalho é esse? Se fosse algo importante até levaria em consideração, mas não tem nada que ficar fazendo aí! Vem para a casa agora!

 - Mãe, é meu trabalho! – Me indigno. – Não posso simplesmente largar tudo e sair.

 - Passa o celular para a dona. Quero falar com ela e ver o que é de tão importante assim que você não pode vir para casa.

 Respiro fundo para controlar o choro. Como odiava essa situação.

 - Mãe, eu já estou indo...

 - Por quê? Não disse que não podia?!

 - Em casa a gente conversa. – Desligo o celular e coloco-o para vibrar. Logo ela retornaria, ainda mais irritada.

 Seco meus olhos que começavam a marejar.

 - Baby. – Grito na entrada da porta. Alguns segundos depois ele aparece segurando na mão de Lyon.

 - O que foi? – Me olha assustado.

 - Tenho que ir embora. – Beijo sua boquinha, agora com gosto de marshmallow. – Minha mãe ligou e está preocupada.

 - Fala para ela que você está na casa de um amigo. – Ele dá de ombros, observando-me com aqueles olhos inocentes.

 - Dá próxima vez eu falo, está bem? – Sorrio, poupando-o de saber os detalhes. – Cuida bem do meu bebê. – Encaro Lyon, dando-lhe um sinal de que precisava ir mesmo.

 - Fala agora! – Nyan aponta para a cozinha. – Ainda tem um monte de coisa, você pode comer com gente.

 - Gatinho... – Seu irmão segura seu rosto, fazendo-o olhar. – A mommy tem que ir se não dá próxima vez ela não pode ficar com a gente.

 - Mas...

 - Tchau, baby. – O beijo para silencia-lo. Ele me abraça e intensifica o beijo.

 - Volta amanhã então, ok? – Pede com voz de choro. – Eu guardo alguns doces para você.

 Concordo e saio rapidamente, antes que eu começasse a chorar.

 Olho para trás uma última vez e vejo meu pequeno acenando na porta. Aceno de volta e ele fica lá um bom tempo, até Lyon o puxar para dentro.

 Queria poder ficar com ele. Queria não ter que sair correndo desse jeito, deixando-o chateado.

 Mas queria mesmo era poder ir embora de casa...


Notas Finais


Obrigado a todos por lerem <3
Desculpe qualquer erro na qualidade.


P.S. A regra que o Nyan quebrou era o da inocência. Ele supostamente não deveria saber nada sobre sexo. (Agir como um baby)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...