História Mommy: A New Story - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Tags Drama, Mommy, Supernatural, Suspense
Visualizações 6
Palavras 1.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Novo emprego


Fanfic / Fanfiction Mommy: A New Story - Capítulo 2 - Novo emprego

MEDFORD ,OREGON (1995)

Era por volta do ano de 1995, eu havia acabado meu curso de robótica e mecânica em minha cidade natal Salt Lake, o tal curso havia durado pouco mais de 1 ano, além de terminar o curso eu me destaquei entre os alunos com a maior média e isso atraiu muitas oportunidades de emprego para mim foi quando um homem chamado Grey Vannrelse me ofereceu uma estádia em sua fabrica para ver como era me desemprenho para assim poder me contratar. Começara esse curso para dar um novo rumo a minha vida depois que Tom... Mas a fábrica onde eu deveria trabalhar ficava em Medford no Oregon por isso o senhor Vannrelse me emprestará um pequeno apartamento durante minha estadia lá, ele era dono de uma das maiores empresas de robótica do estado fazendo sua proposta de serviço ser muito competida pelos outros alunos do curso e como ele havia me chamado essa era a oportunidade ideal de botar em prática oque tinha aprendido durante esse tempo.

Só faziam 2 dias desde a minha chegada a cidade, era um lugar até que calmo o bairro que eu ficaria. Ainda organizava o restante das poucas coisas que trouxera comigo quando escutei os vizinhos discutindo pela quarta vez, decidi tomar um pouco de ar fresco enquanto eles brigavam. Fui até a frente do prédio para fumar, sentei-me nas escadas, acendi um cigarro e o traguei, estava no finalzinho da tarde e com ele veio o frio me encolhi e apertei mais o casaco com uma das mãos enquanto a outra segurava o cigarro, eu tragava e via as pessoas e carros passando pela rua, os postes já se acendiam os iluminando. Levei um pequeno susto quando meu celular vibrou no meu bolso, o peguei e vi na tela: era uma ligação de Katy e eu atendi.

- Alo?

-"Oi, Lucy então como vai a mudança?"- perguntou ela e pude perceber pelo som de panelas ao fundo que ela estava na cozinha.

-Eh, vai bem. Enquanto a vocês? Como vão o Billy e o Miles?

Escutei que minha irmã falava para algum: " não querida, não come isso!"

-"Desculpa, é que a Cassie tá na fase de "tudo é comida" agora mesmo ela quase comeu palha de aço."

Minha sobrinha realmente era espoleta e curiosa. Traguei outra vez o cigarro para depois dizer:

-"O Billy está tirando um cochilo no sofá, acho até que vou dar uma passadinha na sala só pra garantir que a Cassie não tenha pintado bigodes nele com caneta permanente, haha. E o Miles foi pra faculdade hoje!"

-Que bom, ele já se decidiu no que quer cursar?

-"Ele quer ser jornalista investigativo, Miles se decidiu que seguiria essa carreira desde que...- Katy pareceu perder a vontade de falar mas continuou- Desde que o Tom sumiu.

Fiquei calada . Mesmo que já tivessem se passado 8 anos aquele assunto ainda mexia comigo, meu filho havia desaparecido e após meses de busca a policia havia decretado caso encerrado, no começo eu descontava toda a minha tristeza no álcool e no cigarro mas depois de 2 anos comecei a frequentar alguns psicólogos que me ajudaram muito principalmente pelo fato de não poder engravidar mais pois descobri no hospital que um pedaço do escapamento se soltou e perfurou meu útero me deixando estéreo, tentei adotar uma criança mas a administração de adoção achou que eu não tinha condições de criar um criança pelos fatos de que eu era solteira, estava desempregada e era alcóolatra e fumante. Desde então decidi me dedicar ao meu sonho que era a robótica, mas oque me deixava triste era o fato de que não pude nem ao menos dar um enterro digno para Tom. O estranho é que ele não foi o único caso de criança desaparecida naquela avenida pois a poucos metros de onde havia acontecido o acidente tinha uma pizzaria chamada Freddy's FazBear onde foi relatado que outras 5 crianças desapareceram de lá um dia depois. O suspeito dos sequestros se chamava William Afton que foi julgado a pena de morte mas até hoje eu não tenho noticias sobre isso.

-"Lucy, você está ai?"- a voz da minha irmã me trouxe de volta a realidade, acho que ela percebeu que me levei pelos meus devaneios.

-Ah, desculpe eu só estava...por favor continue.

-"Bom , mudando de assunto você já visitou a fabrica onde vai trabalhar?"

-Não, ainda não esse tal de Grey Vannrelse me ligou pouco depois que cheguei e disse que vou poder começar amanha de manhã.

-"Que bom! Mas Lucy tome cuidado, você só foi para Oregon umas duas vezes e ainda só para passeio. E além disso você já conheceu esse Grey Vannrelse?"

-Ainda não mas ele vira quando os animatronics estiverem prontos.

-Tudo bem...tenho que ir agora vou arrumar a mesa para o jantar, beijos.

-Manda um beijo pra Cassie e diz que eu mandei um oi pro Billy e boa sorte pro Miles. Tchau Katy.

-"tchau Lucy."

Desliguei o celular e o guardei no bolso do casaco, terminei de fumar o cigarro e entrei no apartamento. Ao estrar  decidi tomar banho e ir dormi, foi exatamente oque eu fiz. Quando me deitei na cama escutei os vizinho discutindo pela quinta vez e isso se seguiu pela noite, acabei por pegar no sono tarde.

 

 

NO DIA SEGUINTE...

Acordei com o despertador marcando 7:00 da manhã,  me levantei e troquei de roupa. Recebi uma mensagem enquanto colocava o casaco e descia as escadas; era do sr. Grey Vannrelse. 

GREY VANNRELSE -Bom dia senhora Lucynda.

Como a fabrica onde trabalhará é longe do apartamento lhe emprestarei uma caminhante da empresa, faça bom uso dela. Espero que tenha um bom trabalho contamos com a senhora.

Segui até a garagem onde supostamente ela ela estaria,fui até lá e encontem a tal caminhante, entrei e procurei pela chave no quebra sol, ela caiu no meu colo assim que eu o abaixei.

-Bingo.

Dei a partida e sai do estacionamento, dirigi pelas ruas procurando a avenida onde ficava a fabrica, um homem de meia-idade passando na calçada, parei o automóvel e resolvi perguntar.

-Ah, com licença, senhor.

O homem se virou pra mim é deu.alguns passos na minha direção.

-O senhor sabe me informar onde fica a "Animatronics Central"?

O homem olhou sério.para.mim antes de se.virar para rua e indicar o caminho com a mão.

-Primeiro você segue reto até um bar chamado 'phill's Bar', depois vira a esquerda, segue reto aí você vai passar por uns trilhos de trem, segue ao vira a direita no celeiro abandonado, é lá.

Assenti e agradeci. Segui a estrada e pude.notar no retrovisor que o homem encarou a caminhante por uns 3 segundo antes de seguir seu caminho. Segui o percurso assim como ele havia descrevendo, passei pelo bar depois pelos trilhos de trem, pouco depois achei o celeiro e virei a direita, até que avistei a fábrica foram uns 10 minutos de percurso a carro. Estacionei em frente a ela, desliguei o motor e desci da caminhante batendo a porta atrás de mim.

Era uma enorme construção de tijolos e metal com uma pintura vermelha e amarelo desgastada pelo tempo, havia algumas árvores em volta, a grama era bem aparada. As janelas precisavam de uma boa limpeza pois umas estavam cheias de pó e outras fechadas por lonas pretas,  lá em cima uma enorme placa dizia "Animatronics Central " e um menino e uma menina de cada lado dele, ambos sorriam. Pouco a baixo tinha uma faixa velha onde estava escrito "Sejam bem-vindos e boa diversão." 

Aquele era certamente o local onde eu seria avaliada pelos próximos meses  para o novo emprego. Me aproximei de lá quando meu celular vibrou, peguei-o do bolso do casaco e o vi, era uma mensagem de Grey Vannrelse.

GREY VANNRELSE-Cara Lucynda.

Seja bem-vinda as indústrias Animatronics Central, infelizmente, por razões pessoais, estamos fazendo corte de pessoal esse ano, pois quero começar meus projetos do zero começando com esse trabalho que a senhora desenvolverá. Como a senhora será a única a trabalhar na fábrica durante um tempo quero que se.sinta a vontade nela. Assim que retomar maioria dos meus projetos me encarregaremos de contratar novo pessoal com o tempo. Esperamos que entenda.

Mal havia acabado de ler quando recebi outra mensagem.

GREY VANNRELSE-  Ah, quase esqueci.

Tenha uma boa diversão!

atenciosamente Grey Vannrelse.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...