História Mon amour - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~baddiemia

Postado
Categorias Nash Grier, Zayn Malik
Personagens Nash Grier, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Mon Amour, Zayn
Exibições 19
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!
Então, mais uma história, dessa vez em parceria com a minha amiga Mia ♥
Esperamos que gostem de Mon Amour...

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Chapitre I


Anne Froidvoux.

Todos quando escutavam meu nome suspiravam beleza e encantamento, uma vez que eu era a queridinha dos meus pais. A garotinha delicada e com bons modos, simpática e que tirava boas notas nunca deixava a desejar. Eu sempre fui muito dedicada. O problema é que eu me dedicava às coisas que os outros queriam.

Eu nasci em Paris na França, onde vivi toda a minha infância e adolescência. Estudava no melhor colégio do local e me esforçava bastante para dar orgulho aos meus pais. Eu era exemplo para os demais alunos, e os professores faziam questão de me indicar para qualquer coisa que me daria um prêmio ou reconhecimento pelo meu esforço acadêmico. Mas não chegue a pensar que eu andava desarrumada só por causa do meu desempenho. Eu me arrumava até demais. Eu era muito bonita. Linda e inteligente e popular, tudo o que uma garota poderia querer. Isso quando eu tinha treze anos.

Melhor, antes de eu conhecer ele.

Fazia umas semanas que eu tinha completado quatorze anos quando eu fui convidada para uma festa sem motivo de uma menina do segundo ano do ensino médio. Achei super legal afinal, o pessoal não gostava muito de se misturar. Mas aí é que eu estava enganada.

Como sempre, eu me arrumei do melhor modo possível: cabelos, unhas, maquiagem, roupas, tudo dentro dos conformes. O local era meio hostil, um pouco pesado e diferente do que eu estava acostumada com a vidinha nobre que eu levava, mas eu estava gostando daquilo. Bebi algumas doses de álcool e quando vi, já estava me agarrando com Luke, um rapaz americano do terceiro ano que tinha o costume de ficar com várias garotas, por tê-las sempre aos seus pés, apreciado por sua beleza incomparável e seu jeito persuasivo de seduzi-las. Enquanto ele me beijava eu sentia necessidade de ir mais longe, eu queria aquilo. E parecendo ouvir meus pensamentos, ele me levou para o quarto do dono da festa, onde eu tive minha primeira foda.

Aquilo foi suficiente pra mim. Ele era tão bom que fez eu me perder. Nos três meses que se seguiram eu matava aulas com frequência pra me encontrar com ele nos corredores do colégio. Algumas vezes quase fomos pegos; se não fosse pela rapidez em nos recompor, poderíamos ter tomado mais advertências ou quem sabe até ter levado expulsão. Não era algo que importava a ele, claro. Além de estar no último ano, ele não era desses que costumava se importar com a escola. Na verdade, até mesmo os professores se perguntavam como ele conseguira passar em todas as séries.

Nos tornamos o casal problema do colégio. Ele me incentivava a não assistir às aulas, a subornar outros alunos para que me dessem colas nas provas e para que colocassem meu nome nos trabalhos. Me ensinou como furtar algumas bebidas da loja de conveniências vinte e quatro horas da esquina e levá-las para dentro da escola. Algumas vezes meus pais foram chamados à direção para falar sobre a minha mudança brusca de comportamento e por ter sido flagrada enchendo a cara com alguns garotos que não tinham a ficha muito limpa no colégio. Alguns castigos eram dados, mas nada que surtisse efeito, já estava me acostumando com aquilo. Além disso, ficar trancada no quarto me permitia chamar Luke para encontrar-se comigo e ficarmos juntos.

Passei a chegar em casa cada vez mais tarde, minhas notas ficaram cada vez piores, sem contar o número de faltas, que estavam ficando incrivelmente maiores. Uma vez tentei dormir com meu professor de física para ver se ele manipulava o sistema para mudar minhas notas e minha presença, mas isso só me resultou em uma suspensão mesmo.

Luke e eu fomos afastados depois que ele se formou, tudo porque depois da festa de formatura, minha mãe nos flagrou no capô do carro dele em frente a minha casa às duas da madrugada fazendo sexo. Foi quando ela descobriu que eu não era mais virgem (o que explicava minha aparência de uma adolescente uns dezessete anos). Depois de expulso, ele nunca mais me procurou, e eu também não fiz muita questão.

No ano seguinte, eu continuei com o mesmo comportamento desleixado, uma herança de Luke. Não dava a mínima para nada e ficava com vários meninos diferentes, tentando suprir a necessidade do vazio carnal que Luke havia deixado. Sosseguei um pouco no segundo bimestre, no qual me concentrei mais em minha festa de quinze anos, mas é algo que falaremos depois.

Meu pai, Raul Froidvoux, é dono de uma rede de restaurantes bem famosa na cidade e é um riquinho um tanto quanto metido a besta. A mesma coisa eu digo da minha mãe, Lorena, que trabalha com moda e só por isso acha que é a rainha do mundo. Eu não sou filha única, apesar de querer muitas vezes. Tenho um irmão de vinte e dois anos, estudante de arquitetura em uma faculdade cara no centro da cidade. Quanta futilidade.

A parte que eu mais gostava em ter um irmão mais velho eram os amigos dele. Era um mais gostoso que o outro e cheguei a ficar com alguns deles. Mark foi o que fiquei mais vezes, mas porque ele pedia, praticamente implorava. Enfim, eu gostava dessa vida e iria continuar assim.

Eu estava prestes a fazer meus quinze anos, queria uma super festa. Mia era a minha amiga da vez, com quem eu compartilhava minhas ideias sobre a montagem e decoração da minha noite mágica. Apesar de tudo, nós ainda éramos novas e como toda garota, queríamos a tão sonhada noite de princesa. Grande parte do tempo falavamos sobre isso, e naquele dia não seria diferente.

Nos conhecemos havia dois anos, tempo em que começamos a estudar juntas. Dificilmente nos separavamos desde então, e a ajuda dela era fundamental para mim. E nós estávamos planejando algo bem ousado, já que ela era bem parecida comigo e isso tinha tudo a ver com a gente.

Seria uma surpresa para todos os convidados quando nossos planos secretos se realizassem. Meus pais surtariam quando visse o meu lado princesa vadia que eu precisava tanto botar para fora, a nova eu. E com certeza alguns brinquedinhos vindo diretos do sex shop chocariam muita gente, eu usaria uma tiara de princesa e uma fantasia um tanto ousada. Nada de comparava a minha ansiedade e excitação para a minha noite mágica.


Notas Finais


Não esqueçam de comentar o que acharam...

Beijocas ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...