História Mona Lisa - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Virgo-san

Postado
Categorias Ib
Tags Garry, Ibxmary, Lemon, Orange, Yaoi, Yuri
Exibições 75
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, Lemon, Orange, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Uma fanfic de Ib x Mary feita por mim e pelo meu amiguinho virgo-san.

Informações importantes:
-O primeiro capítulo foca bem mais na Ib, porém os próximos capítulos terão mais participação de outros personagens.

-O final do jogo que foi utilizado na fanfic, não é o mesmo do jogo original, ele foi escrito apenas para dar corda ao resto do enredo.
Dito isso...
Espero que aproveitem o capítulo <3

Capítulo 1 - Rosas eternas


Fanfic / Fanfiction Mona Lisa - Capítulo 1 - Rosas eternas

Garry e Ib queimaram o quadro de Mary, Causando assim sua morte, Ib não conseguia  parar de chorar, As bonecas se aproximavam cada vez mais dos dois, Garry pega Ib nos braços e corre, o mais rápido possível, sem nem ao menos olhar para trás, Agora eles tinha um único objetivo em mente: chegar ao quadro que os levaria de volta à realidade.

                                                                                        | A realidade...|

Ib abre os olhos, desesperada, começa a olhar em volta na esperança de encontrar Garry. Para seu alívio, ele estava ali, em um corredor repleto de quadros, ele encarava a pintura à sua frente, uma pintura um tanto... Familiar. No mesmo momento Ib levanta-se apressada, correndo até ele.

- Garry! Estou aqui!- Acenou para o homem enquanto corria em direção à ele com um sorriso no rosto. 

Garry retribuiu com um olhar sério e um tanto confuso.

- Ah, desculpe-me mas... Nos conhecemos?- perguntou com um tom de voz indiferente. Nesse momento o sorriso de Ib Se desfez, sendo substituído por um olhar de preocupação.

- Garry? Sou eu Ib!

O homem à sua frente arqueou a sobrancelha, ele parecia não saber do que ela estava falando.

- Acho que me confundiu com outra pessoa- Respondeu.

- M-mas... - Ib tentou terminar a frase mas foi interrompida por Garry, mesmo se ele não tivesse o feito, a menina não saberia o que dizer.

- Sinto muito, mas nunca a vi antes- Foi a última coisa que disse antes de sair andando até desaparecer no imenso corredor, ele tinha apenas ido embora, mas Ib podia jurar que via seu corpo desfazer-se em pétalas de rosa azuis, iguais as da rosa que ele carregava consigo. Ib não se moveu, só conseguia ficar encarando o corredor, com esperança de que fosse uma brincadeira... Mas, aparentemente ele falava sério.

Ainda imóvel sentiu uma mão fria tocar-lhe o ombro, virando-a para trás.

- Ib! Graças a deus.- Sua mãe a puxou dando-lhe um forte abraço. - Eu fiquei tão preocupada meu amor... Onde você estava?

Ib simplesmente não respondeu, se sua voz saísse não se conteria em chorar. Tanto pela perda de Garry, quanto a de Mary, não era um sonho, tinha toda a certeza de que não era. 

- Está tudo bem agora, venha vamos para casa. - Disse seu pai pegando as chaves em seu bolso. Ib apenas abaixou a cabeça e concordou, não tinha a mínima vontade de falar naquele momento.

Ib e seus pais deixaram a galeria, indo direto para o estacionamento, Ib olhou para trás, por uma última vez, talvez ainda houvesse uma chance de algum deles vir atrás de si, esperou por alguns segundos, mas ninguém veio. Ib levantou a cabeça tentando olhar para frente e engoliu o choro de uma vez.

- Ib, venha logo, estamos esperando!- Sua mãe gritou de dentro do carro. Dessa vez Ib apenas obedeceu, indo atrás de sua mãe, mas dessa vez manteve-se olhando para frente.

                                                                                       |Presente...|

 Hoje completa sete anos desde que a pequena Ib deixou o japão à estudos. Sua mãe preocupada com a antissocialidade de sua filha, resolveu coloca-la em um colégio interno britânico. Não era fácil para a menina dizer à sua mãe que todo o dinheiro gasto com ela, foram em vão, que tudo que tinha feito por ela até agora, não adiantou em nada. Mas depois de sete anos na Inglaterra, era hora de voltar.

O apartamento que iria ficar localizava-se em uma rua totalmente comercial, por esse motivo estava sempre muito movimentado, era o último prédio da rua que contornava a esquina. Por mais que de costume a rua fosse movimentada, naquele dia em questão, estava tudo calmo, pelo menos mais calmo do que o normal.

Ao chegar no apartamento Ib desfez as malas, guardou suas coisas, organizou o apartamento, fez tudo o que precisava ser feito em seu primeiro dia de mudança. Alguns minutos depois recebeu uma ligação, era de seu pai.

- Ib já chegou? Você está bem?- A voz de seu pai parecia triste e preocupada

- Sim, mas... Por que pediu que eu viesse pra cá?- perguntou. - Está tudo bem?

- Ib, eu lhe chamei... Porque quero que venha visitar sua mãe. - Disse seu pai com um tom de seriedade misturado com tristesa.

-Visitar... A minha mãe? Por quê?- Perguntou confusa.

- Ela está em estado terminal... E ela quer que você venha vê-la...- Ele continuou explicando a situação, mas Ib não conseguia capitar direito nada do que ele dizia, apenas a informação principal foi o suficiente.

Foi um questão de segundos até o celular ser desligado, Ib saiu correndo de casa em direção ao hospital, não queria acreditar nas noticias de seu pai. Ela correu até o hospital, estava nervosa de mais pra utilizar qualquer meio de transporte que fosse. 

Depois de um bom tempo ela finalmente chegou ao hospital, ela entra, pega o elevador, escolhe o andar que quer, vai até o quarto de sua mãe... Percebe então... Que agora... Já é tarde de mais.

                                                                                                | O luto...|

Naquele dia, os céus desabaram, era como se estivessem chorando por uma perda irrecuperável. O cemitério lotava-se de familiares, dos mais próximos, aos mais distantes, reuniam-se em torno do caixão deixando flores espalhadas por seu túmulo.
"Que pena"- pensou Ib " Eles só a presenteiam agora..." "Ela nem terá a oportunidade de aprecia-las" "A mamãe sempre amou rosas.

Dentro de alguns minutos o enterro foi terminado, não demorou muito até que todos tenham deixado cemitério, deixando Ibsozinha com o já selado túmulo de sua mãe. Ela estava sozinha agora, então podia parar de segurar o choro.

- Eu... Eu sinto muito... Eu não pude nem ao menos me despedir de você- tentava falar entre soluços. por mais que a garota chorasse suas lágrimas eram disfarçadas de gotas de chuva que caiam cada vez mais.
"Quanto tempo, não?" uma voz feminina e doce ecoou em  sua mente. Virou-se para trás procurando pela dona da voz, a única coisa que vinha à sua mente naquele momento era...
"Mary?" procurava com seus olhos por todas as proximidades, porém em vão, era melhor tentar ignora-la, que sabe tenha sido apenas sua imaginação.

A chuva começou a parar, não por completo, apenas tornava-se mais e mais fraca, era um bom momento para ir para casa. O caminho era o mesmo que andava em sua infância, isso enchia a menina de nostalgia, o caminho permanecia silencioso e calmo até o momento que passou por uma esquina familiar. virou-se para ver com mais clareza, deparando-se com o que um dia já foi a galeria de arte que seus pais um dia a levaram.

Estava totalmente destruída, ela parecia tão maior e mais bela quando à sete anos atrás, a construção havia perdido totalmente a majestosidade que Ib admirava quando pequena.

Suas cores, antes vibrantes  e destacáveis, agora eram desbotadas e sem vida, As janelas e vidraçarias, estavam agora quebrados e rachadas. Parte da galeria já estava quase que totalmente destruída, escombros espalhavam-se pelo terreno que ela ocupava. A grande porta de entrada possuía um cartaz velho que dizia "fechado".
 Ib olhou para o cenário, olhou como da última vez, era doloroso pensar que todos que conheceu e tudo o que aprendeu, agora estava enterrado ali, debaixo de escombros e lixo que cercavam a antiga galeria.
 O silêncio estava tomando conta do lugar, até um raio rasgar os céus seguido de um trovão, o som alto preencheu toda a rua, logo iria voltar a chover. Logo esse som foi substituído por um sussurro vindo da voz que a assombrou mais cedo.
"Ib, quanto tempo!" 
"Não quer entrar?"
"Estou esperando sua visita a tanto tempo..."
Era como se quem falava estivesse à sua frente, ela sentia isso.
- Entrar?... - Adentrou o terreno em direção. Não conseguia evitar a voz, era como se estivesse sendo hipnotizada.
 Ela ficou algum tempo parada, até que decidiu entrar, que mal faria? Não há mais ninguém lá, não é mesmo?
"Venha, estarei te esperando no último quadro do corredor..."
 


Notas Finais


Esperamos que tenham gostado...
Até a próxima (^-^)/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...