História Monster - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Girls' Generation, Monsta X
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Hyoyeon, Hyung Won, I'M, Jessica, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Kai, Ki Hyun, Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Seohyun, Show Nu, Sooyoung, Suga, Suho, Sunny, Taeyeon, Tao, Tiffany, V, Won Ho, Xiumin, Yoona, Yuri
Tags Chanbaeksoo, Joonkyun, Kristao, Luhan, Namjin, Romance, Sekai, Sobrenatural, Sulay, Tortura, Xiuchen, Yaoi, Yuri
Visualizações 26
Palavras 2.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


heyyy, fala pessoas!

Ta dentro do prazo, não é? Que bom!

Espero que gostem desse capítulo e.e

Boa leitura!

Capítulo 12 - XI - Anjos, Encontro e Batalha.


- Que barulho foi esse? - O caçador sussurrou olhando para os lados desconfiado.

Yixing permaneceu em silêncio o que resultou em um Junmyeon quieto ao seu lado, o anjo parecia estar concentrando-se em algo importante e quando o caçador pensou em pergunta-lhe o que era, desistiu apenas pela ausência de movimentos do outro. Concentração. O barulho de vozes invadia o ressinto que zelava pelo silencio, poluindo o ambiente calmo.

O caçador não queria, mas já estava com medo do que poderia ser aquilo ou quem estava no mesmo lugar que eles, esperava que o anjo fizesse algo e permaneceu parado enquanto encarava o homem de cabelos negros e olhos ônix vidrados em algum ponto além da sua visão. Até tentou caçar o que ele fixava com tanto afinco, mas encontrou nada mais, nada menos, do que os objetos dispersos na bagunça da sala completamente desorganizada.

Junmyeon, depois de muito tempo naquela mesma posição desconfortável; abaixado, com as pernas dormentes dobradas, as costas curvadas doloridas e a cabeça inclinada para baixo, ele já estava muito cansado daquilo e da tranquilidade de seu parceiro temporário. Após um suspiro exausto, porém bem discreto, ele cutucou levemente o anjo e o que recebeu em resposta foi o olhar perdido do mesmo.

- O que foi? - Ele perguntou inocentemente.

Desacreditado, o caçador balançou a cabeça em negativa. Talvez aquele anjo não fosse tão eficiente, por tal motivo deve ter sido mandado para a terra naquele exato momento e, ainda por cima, para morrer em meio as criaturas nefastas que estavam assolando Seul naquele momento. Junmyeon ergueu-se e balançou as pernas para seu sangue voltar a circular por elas, segundos depois, dirigiu-se a porta da sala e a empurrou um pouco produzindo um barulho audível.

O sol agraciava a cidade com seus raios, iluminava as ruas de forma graciosa, mas, mesmo assim, não possuía poder para exterminar todos aqueles que ameaçavam os humanos o que tornava o grande astro que, já fora muito utilizado como arma principal nas antiguidades, agora era apenas um objeto com básicas  funções de aquecer e esclarecer um pouco. Seu brilho demonstrava-se absoluto sobre os corpos inertes e espalhados por algumas ruas, telhados, prédios, menos naquele colégio fechado e escuro.

O caçador tateou o bolso em busca das armas que não possuía mais, os olhos varreram cuidadosamente o corredor e a sala atrás de si procurando algo que pudesse ao menos se transformar em um objeto mortal, algo que tivesse capacidade de danificação física grave ou média. Yixing estava em pé as suas costas e analisava seriamente a origem dos ruídos misteriosos e confusos, parecia querer distingui-los para poder agir livremente ou algo relacionado a isso.

Ou talvez Junmyeon estivesse errado, mais uma vez.

O anjo tomou a frente e caminhou com passos cautelosos por aquele passadiço, acabou sendo seguido por um certo caçador receoso e preocupado com a situação a qual se encontrava. Os caminhos bifurcavam-se ou, por vezes, juntavam-se; imitavam um labirinto estranho e bagunçado. O ambiente fazia com que o anjo questionasse sobre como os humanos viviam e não se perdiam em estruturas naquele estilo. Longo e infinito.

O caçador apenas seguia seu anjo da guarda -- em um sentido quase literal --, mas não achava que ele pudesse fazer muito contra uma emboscada bem armada e também era improvável para a ocasião em que encontrava-se. Junmyeon já passara, como todos os mais experientes, por ocorrências  piores do que meras emboscadas em escolas abandonadas. Ele já caíra em um ritual, fora besta e inocente na época, quase fora morto por uma coisa semelhante as Harpias da Grécia; perdera para um lobisomem que mais tarde tornara-se seu camarada, mas morrera meses depois. Uma das vezes estava escoltando um médico renomado dentre os caçadoras, porém o perdera devido a missão que falhara e o plano mal aplicado, outra vez ele ficou a beira da morte embaixo de uma ponte como também já se perdera em outro país devido a inexperiência. Fora uma escalada cansativa até poder receber o titulo de líder e representante dos humanos contra as sombras na Coreia. Uma honra tanto quanto uma praga, na mesma medida.

A ocasião não era favorável, contudo, tinha um anjo consigo, mas, para seu azar e confusão, achava que, este mencionado, mais atrapalharia do que ajudaria em uma cenário extremo. Tinha incerteza sobre suas próprias habilidades de escapar, elas podiam falhar miseravelmente, como também não confiava plenamente naquele que o guiava. Todavia, ele não tinha outra escolha disponível.

O corpo de Junmyeon esbarrou no do anjo que cessou os passos de ímpeto, um gosto ruim vinha-lhe a boca devido ao aroma nada agradável que subira por causa do episodio que passava lentamente com um cheiro mais que fedido. O perigo era tão presente que tensionava os músculos do humano com as mãos vazias, preocupara-se tanto em criticar mentalmente o celestial que esquecera de si mesmo indefeso do jeito que estava. Queira ou não, os humanos de mãos nuas tinham, geralmente, 0.00001% de chance de sobrevivência e essa que, para continuar, seria através de uma mudança de lados não muito cobiçada.

O caçador queria apenas uma única lamina, pensara até nas disponíveis em apontadores o que já não era muito.

- É um demônio - Sussurrou o Anjo - Eles estão com um humano, junto estão um vampiro e hibrido.

Junmyeon calculou as chances inúmeras vezes e, infelizmente, todas elas caiam no mesmo lugar perante aquele jogo doentio da morte, seu destino não parecia muito agradável naquele momento e suas mãos transpiravam vergonhosamente enquanto o estomago embrulhava dando rodopios, tanto por culpa da fome como também pelo nervosismo. Inesperadamente, aquele ser divino ainda estava do seu lado e segurou a sua mão, mas o manteve atrás de si.

Yixing fez sua espada brilhante surgir a partir de partículas brancas que floculavam no ar, silenciosamente, como nos filmes mágicos e conforme a formação da lamina divina vinha, de alguma forma inexplicável, a sensação de conforto à qual o humano nem notou poder ser do aperto reconfortante que o anjo fazia em sua mão. A criatura celeste empurrou a porta com o pé e as outras escondidas revelaram-se já que a porta passara a contar o segredo dos residentes naquele ambiente.

Um que estava sentado na mesa levantou e deu dois passos para frente, os olhos pequenos eram frios, os cabelos pretos estavam bagunçados e não parava de encara-los com um ar mortal. Outro jovem ficou ao lado do primeiro, este possuía os cabelos pretos pequenos e os olhos grandes arregalados, mas que zombavam da pureza de Yixing; o anjo notara de primeira vista que aquele era o demônio e sem sombra de dúvida já o vira em algum lugar. Os outros dois mantiveram-se mais atrás, um quase assustado enquanto a cauda que possuía balançava lentamente de maneira ameaçadora no ar e o outro bem assustado, com a mão no peito, talvez devido à porta sendo aberta de ímpeto.

Os olhos do demônio voaram do caçador para a espada que o anjo portava, ele estava acuado pela enorme ameaça que a simples espada significava; teve que respirar fundo e acalmar o coração nervoso apenas para confirmar que aquele anjo não era exatamente um qualquer, inconscientemente levantou a cabeça mais um pouco e pois-se a encara-lo ameaçadoramente, ao menos para não acharem que recuariam ou qualquer outra suposição que pudesse ser feita nesse sentido.

A tensão pairava no ar como um manto encobertando aquela sujeira toda abaixo de si, nenhum dos presentes ousou mexer um músculo, qualquer movimentação inesperada de ambos os lados poderia resultar em algo que, aparentemente, nenhum dos postos naquele lugar e situação desejavam. Suho, no entanto, arregalou os olhos ao analisar bem que estava atrás do hibrido e, pouco tempo depois, reconheceu a quem escondiam.

- Chanyeol? - Disparou para o que estava no fundo, protegido por todos - Porque está com eles? - Exclamou surpreso.

Antes que o humano de cabelos rubros pensasse em responder as questões postas, o vampiro o cobriu com seu corpo, pois-se a sua frente e da do hibrido; carregava um olhar duro, sem vagas para amizade ou qualquer demonstração de coleguismo.

- Não te interessa, porteiro - Disse com a voz suave.

O caçador ergueu a sobrancelha surpreso e indignado com aquela ousadia sem tamanho e medidas. Estava internamente feliz por achar aquele humano em especifico, aliviado por ele não ter morrido no prédio, porém também estava intrigado pelos fatos exibidos.

- Eu deveria arrancar sua língua - Suho disse apoiando-se levemente em Yixing - O que fez ao Chanyeol? 

- Arrancar minha língua? Pode vir tentar - Baekhyun riu sarcástico - Eu o transformei, por isso estou com ele aqui.

O caçador agradeceu por estar apoiado em algo, caso contrario cairia igual um saco de batatas no chão. As diferenças de um vampiro para um humano podiam ser notadas caso apenas o vampiro estivesse em certas ocasiões especificas, ele realmente não tinha como ter certeza sobre as palavras de Baekhyun. 

- É mentira - O anjo disse simplesmente.

Suho distribuiu olhares para todos enquanto sua mente processava um pouco, até realmente ter a confirmação de preferir confiar naquele que estava apoiado; ele ajeitou a postura e, mesmo que o vampiro e  o demônio estivessem-o encarando como se fosse o jantar, inclinado a cabeça levemente.

- Deixem-o ir - Foi o que exigiu.

Baekhyun riu e sorriu sarcástico, sua expressão tornou-se ácida.

- Não.

O rosto de Suho ficou mais tenso, ele fez menção de  dar um passo para frente, mas Yixing o impediu com o braço, pondo-o a sua frente cancelando a passagem. O anjo sabia que ali não seria uma boa jogada, mesmo ele, em um espaço pequeno e contra três sobrenaturais, perderia. O caçador podia morrer, o tal de Chanyeol poderia se ferir e isso não era seu desejo. As engrenagens da mente de Yixing rodavam rapidamente em busca de uma maneira mais simples de conseguir exito contra a situação um tanto complicada. 

O hibrido encarou o anjo, seus olhares chocaram-se e então Yixing viu uma oportunidade de saída. Sehun queria o melhor para seu amigo, o queria seguro e longe dessa loucura toda. Se fosse por ele, Chanyeol já estaria sendo carregado para fora dali e em direção a bem além dos horizontes.

- Ele o serve para que? - Suho indagou irritado - Deixe-o ir!

- Para que ele me serve não te interessa, caçador - Baekhyun respondeu-lhe - Vai embora.

- Acha que vou deixar vocês saírem dessa? - Questionou um Suho raivoso.

- E o que vai fazer? Esconder-se atrás do anjo e esperar que ele nos derrote? - O demônio interveio.

- Se for necessário, ele vai ficar - Yixing intrometeu-se - Não me subestimem, ainda posso derrotar os três juntos.

A confiança na voz e pose do anjo fez D.O sentir raiva, por mais que não devesse. Ele sabia que Yixing era mais perigoso para si. Enviados de Deus, espadas divinas e coisas do tipo poderiam ser mortais para demônios. Apenas um corte daquela espada brilhante já mataria Satansoo. Kyungsoo era um servo da irá, por si só iria irritar-se se continuassem naqueles joguinhos e, caso acontecesse, seria ruim de certo modo; ele sabia que um dos dois morreria, se não a todos. Pensava com o ego elevado apenas por ter poder e saber que aquele a sua frente também tinha, era perigoso e arriscado, com a única opção de fugir.

Sehun fez Chanyeol levantar de onde estava, queria saber se ele conseguiria correr caso necessitasse e, após isso, acabou recebendo a atenção do vampiro, este que franziu o cenho.

- O que foi? - Perguntou.

O momento de distração do vampiro acabou puxando a atenção do demônio e, aproveitando a oportunidade, Yixing aproximou-se de SatanSoo chutando-o. KyungSoo tentou segurar o pé do anjo, mas não conseguiu e voou quebrando a parede. Fora forte e preciso. Baekhyun avançou na direção do anjo para para-lo, porém acabou ficando em um embate de defesas e ataques usando uma velocidade absurda.

- Corre! - Suho exclamou.

Ele fora até Chanyeol e o puxara pelo pulso, saíram correndo da sala e foram sem direção correta, desbravariam a escola ou algo parecido. O mais alto olhou para trás em busca de seu amigo na crença de que os estivesse seguindo, mas não havia sinal dele; ele parou de correr, consequentemente faz Suho acabar parando para não machuca-lo.

- O que foi? Qual o problema? - O caçador indagou.

- Vamos voltar, Sehun ainda está lá!

- Esqueça ele, Park. Ele é um deles, temos que ir embora - Suho disse enquanto tentava puxa-lo.

Chanyeol balançou a cabeça em negativa e recuou abruptamente fazendo com que fosse solto. Ele sabia o que estava acontecendo ao mesmo tempo que não, obviamente encontrava-se confuso com o que era ou o que deixava de ser, aquilo que era mito e não é mais, sem organização, caos, brigas e criaturas muito assustadoras e estranhas. É, o Park não sabia o que fazer, mas, nem por isso, teria coragem de deixar seu amigo de infância para trás.

- Vamos voltar - Disse firme.

Suho suspirou e acabou acompanhando Chanyeol que já corria. Eles foram parados bruscamente por um Baekhyun que atravessou a parede e caiu por cima do humano mais alto. O ar ali estava mais pesado e o clima havia esfriado bastante em pouco tempo. 

Anjo e Demônio estavam lutando ferozmente.

Suho ajudou Baekhyun e Chanyeol a erguerem-se, Sehun apareceu por outro corredor e aproximou-se deles, o hibrido estava com sangue fresco pelo rosto e puxava o ar com voracidade engolindo tudo de uma vez e soltando em busca de se acalmar um pouco.

- Se machucou? - Baekhyun indagou olhando para o humano mais alto de cima a baixo.

A resposta foi um simples balançar de cabeça, frio e cortante.

- Temos que para-los - O caçador disse.

Sehun observou toda a situação após balançar a cabeça consecutivas vezes, Suho não largaria Chanyeol de jeito nenhum, segurava seu braço com afinco igual a de uma mãe preocupada em acabar perdendo a criança em meio a multidão; Baekhyun, por sua vez, não ficaria no meio de uma briga daquelas, então restava apenas ele? O hibrido meio sedentário que não treinava suas habilidades? Um suspiro foi ouvido pelos outros ao seu redor e varias coisas quebrando pelas salas que as forças opostas destruíam na sua luta, até que a possível resposta para o problema veio acompanhada com o chão tremendo. 

Porém, talvez fosse uma solução pior que o problema.


Notas Finais


Gostaram? Tem Críticas? Comenta ae, apareçam que eu os venerarei.

Só é não me esculhambar, né?

Favorita, comenta e se gostar mesmo, mostra aos amigos e.e não seria legal?

Olha o trailer:
https://youtu.be/lO3ZFwd_tas

Até o próximo final de semana!

bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...