História Monster - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Lay, Lu Han, Xiumin
Tags Assassinato, Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Exo, Investigação, Lay, Luhan, Serial Killer, Tortura, Xiuchen, Xiumin, Yaoi
Visualizações 167
Palavras 2.059
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi. Olha quem voltou com uma fic nova. Essa foi a primeira que escrevi, mas mudei tantas vezes que nunca saia nada. Mas enfim resolvi postar.
Não quero enrolar muito.
Boa leitura <3

Capítulo 1 - Dangerous City


Fanfic / Fanfiction Monster - Capítulo 1 - Dangerous City

Capítulo l - Cidade Perigosa

Gritos incessáveis que era possível ser ouvidos por todo quarteirão, a vítima não cansava de implorar por misericórdia, as lágrimas escorriam pela face da jovem moça enquanto estava de joelhos de frente para seu assassino. Este mesmo ria alto se deliciando com a agonia alheia, a pequena faca que se encontrava em sua mão direita era apontada para a face da jovem brincando com o destino da mesma, ah como ele estava sentindo falta dessa adrenalina que ele tanto amava.

-Por favor – Ela dizia desesperada com as mãos em frente ao rosto em uma oração muda.

-Não se preocupe, irei cuidar muito bem de você. Mas não prometo que não será doloroso pois adoraria ver você em agonia – Seus lábios se moldavam num sorriso cínico enquanto aproximava a faça no corpo da jovem, logo perfurando-lhe o estômago. Subia a faça pelo corpo da moça rasgando à pele de baixo para cima causando um bom retrago no corpo esbelto – ChenChen manda lembranças – sussurra para a jovem já morta caída no chão daquele beco imundo.

Não havia um certo padrão em suas vítimas, sua escolha era aquelas que ele julgava serem especiais, e como sabia quais eram elas? Simples, eram justamente aquelas que conseguiam o sentir, que percebiam sua presença. Como um homem que fora treinado especificamente em ocultar sua presença, uma pessoa que conseguia percebê-lo era especial e precisava de um tratamento adequando vindo de si. Adorava brincar com suas vítimas, principalmente os jovem que imploravam por suas vidas mesmo sabendo ser algo completamente inútil, assim como eram a sua própria vida quando jovem.

Após terminar seu trabalho no beco daquele bairro silencioso, colocou seu capuz sobre a cabeça tentando ao máximo esconder sua face das câmeras de vigilância. Não era nada fácil trabalhar ultimamente, a tecnologia o atrapalhava e isso incomodava muito ao assassino, mas com sua real habilidade em se ocultar nas sombras era possível fugir dos policiais, mas as câmeras, ah como odiava essas câmeras.

Caminhou silenciosamente desviando de cada aparelho que gravava aquelas ruas 24 horas por dia. Ele havia armazenado a localização de grande parte das câmeras em sua memória para então chegar com total segurança em sua casa. O que não fora tão difícil assim pois escolheu um local próximo de sua moradia, não queria preocupar seu parceiro por demorar tanto para chegar.

E assim que chegou bem próximo de sua casa, pode avistar alguém na rua colocando um saco de lixo em uma lixeira próxima, percebeu que o ser pequeno se encolhia no casaco felpudo tentando se proteger do vento frio que passava naquele momento. O assassino se aproximou sorrateiramente por trás do rapaz que estava lá, assim que o mesmo vira em sua direção assustando-se com a presença do outro soltando um grito que logo fora interrompido pela mão do assassino, que não demora muito em se afastar do rapaz.

-Jongdae você quer me matar se susto – O garoto reclama colocando a mão em seu peito tentando controlar seus batimentos que haviam acelerado pelo susto. – Não faça mais isso – O assassino sorria para o outro à sua frente enquanto esse mesmo desferia tapas levemente e seu braço e peito.

-Me desculpe pequeno, não queria te assustar – Mentiu enquanto tentava falhamente se proteger dos tapas do namorado, pois ele adorava assustar o outro suas reações eram incrivelmente fascinantes e a cada dia se apaixonava ainda mas pelo parceiro. – Vamos entrar esta muito frio aqui – Ele diz acolhendo o outro em seus braços fazendo o mesmo adentrar a casa com sigo.

(...)

Já era quase manhã quando resolveu retornar para sua casa, as rajadas de vento maltratavam sua pele descoberta enquanto caminhava rumo para sua casa. Sua vítima ainda se contorcia agoniante quando fora deixada na praça principal, o ácido que avia sido obrigado a ingerir agia lentamente derretendo seus órgãos, vomitando-os agonizado. Ele sempre adorava presenciar a morte de suas vítimas, porém já estava muito tarde e não seria perdoado novamente com seus atrasos.

As câmeras de vigilância estavam espalhadas apor todo local, mas era quase impossível ver seu rosto com a máscara que usava. Era sua marca, a máscara branca que cobria seu rosto por completo e suas vítimas com seus órgãos destroçados internamente. Era divertido brincar com a população da pequena cidade onde morava, a polícia já estava prestes a desistir do caso do serial killer que atormentava a cidade. Mas não seria tão difícil para os detetives se fosse somente um assassino, mas como sendo dois que assassinavam sem rancor, estava ficando cada vez mais difícil encontrá-los.

O caminho para sua casa estava silencioso, porém um som de uma sirene se aproximava o que deixou o assassino sem opções. Já não tinha o que fazer, esconder-se não era muito bem o seu estilo. Mas inesperadamente sentiu seu corpo ser puxado para um beco escuro o que não tinha percebido anteriormente. A viatura passara rapidamente seguindo para a praça, alguém deve ter lhe visto mas não via problema pois a essa hora o senhor que havia ingerido ao ácido já estava morta.

Encarou ao corpo que o havia puxado vendo um ser menor que si à sua frente, com seus cabelos negros que caiam sobre aqueles belos olhos que o encaravam profundamente.

-Você está pedindo para ser preso, ou pior, morrer! – O moreno dizia ofegante encarando ao mais alto que sorria largamente – Já te disse para ser mais discreto.

-Baekhyun você sabe que eu gosto de chamar atenção – O mais alto abraça ao companheiro ocasionando um resmungo vindo do mesmo – Esse é meu estilo. – O outro nega com a cabeça desistindo de insistir para que o mais alto tomasse mais cuidado.

-Chanyeol você parece uma criança – Ele diz irritado, mas antes que recebesse uma resposta, pois sabia que o outro lhe retrucaria julgando sua altura. O mais baixo retira a máscara que o outro usava logo colando seus lábios no do assassino invadido a cavidade necessitado dos toques do moreno.

Logo ambos tocavam um ao outro brigando por espaço, para eles os beijos eram como uma guerra que nenhum dos dois poderiam ganhar. Após alguns minutos de troca de beijos decidiram voltar para casa assim seguindo juntos. O caminho fora um completo silêncio, suas mãos entrelaçadas já os deixavam confortáveis, e que não era preciso palavras para eles entendessem um ao outro. Assim que chegaram em sua casa Baekhyun destranca a porta utilizando sua chave, logo ambos adentram a residência reconfortante.

Chanyeol segue em direção a pequena poltrona da sala assim sentando-se na mesma acomodando seu corpo no estufado macio, seus braços apoiados nos encostos do móvel enquanto tentava relaxar. Baekhyun apreciando a bela paisagem que era seu companheiro resolve se aproximar do outro logo sentando-se sobre as pernas longas do moreno fincando de frente para si. Com o susto Chanyeol olha para o corpo que estava sentado em seu colo logo sentindo os lábios macios de se parceiro atacando-lhe o pescoço, distribuindo selares por toda extensão, enquanto em alguns momentos mordiscava levemente sua pele fazendo o mesmo soltar gemidos abafados.

-Que tal subirmos para o quarto? – Se anima ao ouvir o mais baixo sussurrar em seu ouvido.

(...)

E o céu que naquela manhã era para ser lindo e ensolarado, acabou por sendo uma terrível manhã chuvosa. Jongdae estava deitado em sua cama encarando ao teto de madeira enquanto meditava sobre alguns problemas que o circulavam, e até mesmo o que o próprio vazia com as pessoas a sua volta.

Seu parceiro tivera que sair logo cedo pois mas duas vítimas foram encontradas. O que Jongdae se pergunta internamente de quem fora a outra vítima, de Chanyeol ou Baekhyun?

Mas não se importava, estava mais preocupado com Minseok e sua saúde e isso fazia com que Jongdae se culpava por causar tanta confusão para o parceiro. Logo tratou de sair da cama assim arrumando-se, resolveu que iria visitar ao seus velhos amigos.

(...)

E mais um dia de correria na delegacia de polícia. Minseok já sentia que sua cabeça iria explodir de tão cansado que estava, e a movimentação dos polícias pelos corredores não o ajudavam em nada.

Sua atenção se desprende dos papéis em sua mesa ao ouvir sons de batidas na porta de sua sala. Olha para tal direção vendo um de seus subordinados ali sorrindo abertamente, ainda mais num dia como aquele.

-Estão te chamando Sr. Kim – Seu tom de voz era calmo, tão calmo que chegou a surpreender ao seu chefe.

-Não precisa de tanta formalidade Luhan – Minseok comenta para o outro, que além de ser seu subordinado era seu melhor amigo. Logo o mais velho se levanta de sua confortável cadeira assim seguido Luhan.

Seguiram diretamente até o necrotério onde lá via o médico analisado um dos corpos. Zang Yixing, um médico de grande experiência e talento com seu grande histórico perfeito sem qualquer falha, era visto como um exemplo aos mais novos que seguiriam tal carreia. O médico fora enviado para aquela cidade especificamente para auxiliar na investigação que tanto irritava as pessoas daquela cidade.

Logo os dois policiais se aproximam do médico chamando atenção do mesmo que a pouco examinava atentamente o corpo.

-Informações Dr. Yixing? – Minseok logo se põem a perguntar se aproximando do médico.

-Como irei começar isso? – Ele anda pela sala fria parando perto do outro corpo, logo afasta o pequeno tecido que o cobria expondo total visão para o cadáver. Luhan se afasta minimamente por presenciar tal visão. – Este como podem ver há um corte profundo na vertical de baixo para cima cortando aos tecidos dolorosamente, e pelo formato do corte deduzo que utilizou uma faça de cerra, mas não era tão comum assim pelos cortes parece que a faça foi devidamente feita para cortes profundos pois ouve pouco esforço para matar a vítima, ou creio que deveria estar muito bem afiada. Classifico esse assassino com o famoso desorganizado, como vocês o identificam ele agiu por completo impulso atacando a garota. Identificação: – O médico pega sua prancheta verificando os dados da moça - Yang Mi, não possui familiares próximos e conhecidos, a identificaram como uma dona de casa. Creio que o assassino simplesmente a matou aleatoriamente, como todas as outras vítimas.

Logo o médico cobre o corpo da jovem moça, seguindo em frente à outra maca. Diferentemente da garota o homem em frente aos policiais estava intacto.

-Não se enganem – Yixing começa a se pronunciar já imaginando os pensamentos dos dois homens ali presentes – Ele parece estar em perfeitas condições, porém internamente esse senhor está destroçado, seus órgãos foram derretidos por algum líquido desconhecido por enquanto, não sobrou nada dos órgãos ele está literalmente oco sem contar com os ossos, as testemunhas que os viram com o assassino presenciaram a morte lenta deste homem, enquanto internamente era queimado dolorosamente vomitava o resto de seus órgãos até sua morte. Esse é o famoso mascarado, seus assassinatos são perfeitos e restritamente doloroso ele adora valorizar sua imagem. – O médico cobre o outro corpo agora dando a devida atenção aos polícias. – Vocês estão lidando com dois assassinos completamente diferentes. O primeiro age a noite e se arrisca em lugares movimentados, todos que diziam ter ouvido o grito de suas vítimas, mas nunca conseguiram ver quem era o assassino realmente, estou certo? – Ambos os polícias assentiram – Não sei que tipo de maluco é esse, mas ele adora ver suas vítimas em agonia. Esse sendo um sociopata impulsivo, porém possui um característica interessante, a esse ponto um assassino como ele já teria deixado uma pista qualquer ou alguém possa o ter visto, mas isso realmente nunca aconteceu, creio que ele segue seus instintos. Já o outro um perfeccionista maluco, realmente fico admirado com tal inteligência, sendo que ele mesmo criou um ácido que conseguia derreter os órgãos internos, interessante não? Sendo um psicopata calculista, cuida perfeitamente de suas vítimas sem deixar rastro algum, e diferente do outro não costuma se esconder e sim utiliza uma máscara, ele deve ser muito conservador. Não sabemos muito sobre eles, somente características básicas e curiosas claro. Isso é tudo.

E com total compreensão ambos os polícias se surpreenderam com tamanha inteligência do médico, mas claro com seu histórico sobre o assusto, não deveriam imaginar algo menos surpreendente. Agradeceram ao médico logo se retirando da sala.

-Curioso não? – Luhan comenta pensativo – Dois assassinos e eu que pesei que já avia visto de tudo nesse mundo


Notas Finais


'-' Tensa não? Bom ela é assim mesmo, vai ter morte, tortura, sangue, e para contrair um pouco de romance.
Irei portar toda sexta, mas aviso não ter muitos capítulos pela falta de inspiração.
Até a próxima semana

Um beijo na teta esquerda para quem quiser e tchau ~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...