História Monsters - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Taemin Lee, Tao, Xiumin
Tags Chenyeol, Kaibaek, Kaisoo, Lobos, Taekai, Vampiros
Exibições 128
Palavras 1.683
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores! Como vocês estão? Desculpem por não ter postado ontem, não tive muito tempo :(
Mas não vou ficar enrolando. Espero que gostem! Tenham uma boa leitura!

Capítulo 8 - Novo Lar, Novo Casal


Fanfic / Fanfiction Monsters - Capítulo 8 - Novo Lar, Novo Casal

Todos estavam presentes naquele grande salão onde haviam familiares de KyungSoo, vampiros próximos de JongIn e o demônio que os entregaria a adaga de prata. JongIn estava de pé em frente a alguns de sua espécie, enquanto KyungSoo estava junto de sua família conversando sobre como iria ser a vida do novo noivo de um vampiro em um castelo enorme onde vivia apenas JongIn e alguns empregados.

JongIn usava um terno preto com sua camisa em vermelho enquanto KyungSoo usava um terno preto com uma camisa azul. KyungSoo olhava a todo o tempo JongIn que nem se quer o olhou durante a noite toda, apenas o olhou rapidamente e virou o rosto como se não o conhecesse.

KyungSoo lutava em sua cabeça entre ir ou não ir até JongIn. Achava que se fosse para perto deste poderia dar ideia de que já o conhecesse, porém se não fosse achava que JongIn iria pensar que Do estava bravo consigo. Mas apenas tinha medo.

                            ***

Depois de uma hora recebendo todos os convidados, o demônio, YiXing, chamou JongIn e KyungSoo para que a cerimônia começasse. Kim e Do ficaram um a frente do outro, ambos muito sérios. YiXing se aproximou com a adaga de prata e a entregou para JongIn. KyungSoo lhe estendeu o braço, Kim segurou seu pulso calmamente causando um arrepio em KyungSoo, sua pele está mais gelada, pensou Do. JongIn passou a faca pelo pulso de KyungSoo que mordia o lábio inferior, não só pela dor que a faca lhe causava, mas também por ser de prata e por sentir a queimação em sua pele já que isso irritava a pele de lobos.

Mais uma vez YiXing se aproximou, desta vez com uma taça com um pouco de vinho, pegou a adaga das mãos de JongIn e a entregou para KyungSoo.
Em seguida JongIn lhe estendeu o braço, porém ferir JongIn fora mais complicado. KyungSoo teve de fazer um corte mais profundo, porém nem assim pareceu fazer muito efeito.

Foi então que JongIn levou seu próprio pulso até sua boca e o mordeu fazendo sair o mínimo de sangue possível. Os dois então deixaram que seus sangues escorrerem até a taça com o vinho. YiXing, o demônio, havia dito que o vinho anularia o gosto de sangue para que fosse possível beber. Porém ainda seria possível sentir o gosto estranho do líquido avermelhado.

JongIn foi o primeiro a beber da taça, logo KyungSoo bebeu sentindo ainda o gosto de ferro do sangue que agora percorria sua garganta.

Logo após a troca de sangue, foi a troca de alianças, a parte mais fácil da cerimônia toda. YiXing se aproximou com ambas alianças em sua mão e entregou uma à JongIn que com a mesma calma em que pegou a mão de KyungSoo anteriormente, pegou novamente e começou a falar:

- Eu, Kim JongIn, com esta aliança, faço-te meu durante toda a eternidade, Do KyungSoo. - fora a primeira frase que KyungSoo ouviu de JongIn desde que chegou naquele salão. JongIn colocou a aliança em seu dedo e largou sua mão lentamente.

- Eu, Do KyungSoo, com esta aliança, prendo-te a mim durante toda a eternidade, Kim JongIn. - KyungSoo delicadamente pegou a mão fria de JongIn e colocou a aliança em seu dedo delicadamente.

E assim se encerrou a longa cerimônia. KyungSoo tentava o máximo possível não sorrir para Kim, este que nem o olhava com o mesmo olhar. Seus olhos estavam com um tom sombrio, analisando cada minúscula parte de si.

KyungSoo e JongIn se juntaram à família do ômega, que estavam sorridentes olhando para Do. Kim sorria para todos ali, nem parecia que eram totalmente desconhecidos. Os olhava, cumprimentava e lhes sorria.

- Espero que goste do "Castelo". - disse JongIn ao ouvido de KyungSoo que nem lhe deu atenção.

- Vamos embora. - disse JongIn recebendo um "Agora?" de KyungSoo. - Sim, agora!

- Ainda está cedo. Eu quero ficar.

- Agora! - disse um pouco mais alto nem ligando para as pessoas em sua volta.

KyungSoo abaixou sua cabeça e seguiu JongIn que foi andando até sua casa. KyungSoo olhou para aquela grande moradia e mordeu seu lábio de tão nervoso que estava.

JongIn entrou na casa e se dirigiu até seu quarto, onde foi perseguido por KyungSoo que o olhava se vestindo enquanto estava sentado à ponta da cama.

- Por que você agiu daquela forma? - perguntou Do para Kim.

- Qual forma?

- Não se faça de tonto, JongIn. Você sabe muito bem de que eu falo.

- Você queria que eu agisse como? KyungSoo, eu não podia chegar te beijando, eles pensam que eu nem te conheço.

- Podia pelo menos ter me sorrido. Achei que estivesse bravo comigo. - disse KyungSoo fazendo bico para JongIn.

- Eu só estou cansado de tantas reuniões. Ser Líder dos Vampiros é cansativo até para mim. Você não faz ideia de quantas reuniões precisei fazer com os conselhos para este casamento.

- Então por que o fez?

- KyungSoo, precisávamos de uma nova rixa com os lobos. SeHun havia acabado com a antiga. Eu só tive de casar com um ômega.

- Como assim "Com um ômega"?

- Desculpe, quis dizer, com meu ômega, o melhor ômega dos ômegas.

- É bom mesmo. Mas fiquei triste em saber que foi só por uma rixa.

- Mas não foi só por ela. Também foi porque eu não aguentava mais ficar longe de você. - disse JongIn pulando sobre KyungSoo e beijando todo seu rosto. - Você não sabe como foi difícil ficar longe de você. Fiquei até feliz em saber que teria de casar com você.

- Saía de cima de mim! Seu tonto!  - KyungSoo gritava alto, achando estarem sozinhos em casa. Mas, não estavam.

- Ora, ora, ora. O mais novo casal já vai estreia a cama? - mais um se juntou aos dois no quarto.

- TaeMin? O que faz aqui? - perguntou KyungSoo com os olhos maiores que o normal.

- JongIn não contou? Você não conta nada? - perguntou para o primo. - Eu sou meio que um "Ajudante" do novo Líder. Então, quase moro aqui.

- Ele é um dos servos. E você não devia estar indo para sua casa? - perguntou JongIn para Lee que lhe sorriu.

- Ah, sim. Mas, Mestre, eu só vim dizer que SeHun está preso e acorrentado. Agora, sim, eu vou indo. Tenham uma boa noite. - disse TaeMin fazendo cara de malícia para KyungSoo.

- Ele mora mesmo aqui? - perguntou Do baixo para JongIn quando TaeMin havia saído.

JongIn riu e suspirou com a pergunta lhe feita.

- Sim, ele é um servo. Deve servir o "Mestre". Mas eu os mando para casa certa hora. Deixo apenas dois que ficam na frente da casa. Sem contar com os três empregados.

- Mas por que TaeMin é um deles?

- O conselho sempre botou pessoas para serem servidas e outras para servir. Como novo Líder, eu ganhei três servos em cada andar. Agora, esqueça TaeMin. Por favor, senti saudade de você. - disse selando os lábios do outro que o empurrou para o lado.

- Se sentiu tanta falta devia ter me procurado antes! Idiota!

- Você sabe que eu não podia! Mas que insistência. Do KyungSoo, eu não podia bater à sua porta e dizer para quem abriu "Olá, sou Kim JongIn, um VAMPIRO, e vim procurar meu namorado, KyungSoo." Você acha que se eu pudesse já não teria te sequestrado de lá? - Kim quase gritava enquanto seus olhos ganhavam um tom amarelado.

JongIn não tinha a mesma paciência, como havia dito, as reuniões lhe irritavam e o ocupavam por tempo suficiente para que perdesse sua habitual paciência de se invejar.

KyungSoo, por outro lado, estava com a paciência muito bem ajustada e não quis começar uma discussão, então simplesmente levantou da cama e seguiu até o banheiro, onde tomou seu banho e pôs seu pijama curto. Porém, quando saiu do banho, sentiu algo estranho. Seu interior parecia se contrair, doía e sentiu algo molhar suas coxas.

- Droga... - disse baixo olhando o líquido escorrendo por sua perna e a dor aumentar, sentia que precisava de algo dentro de si.

Saiu apressado do banheiro e encontrou JongIn deitado na cama com as pernas para baixo tocando o chão. E quando este notou sua presença, lhe sorriu sentando na cama.

- KyungSoo, desculpe por... - ia falando, mas foi interrompido por KyungSoo que se aproximou e sentou ao colo de JongIn enquanto rebolava rapidamente.

- Cala a boca. - disse gemendo baixo enquanto escondia seu rosto na curva do pescoço de JongIn.

- KyungSoo, Você está... Molhado...? - disse pondo o dedo na coxa de KyungSoo e sentindo algo molhado naquela parte.

- JongIn... E-Eu preciso de você. - disse levantando do colo do outro e quase arrancando sua calça e a box junto, nem esperou para arrancar suas próprias roupas também.

KyungSoo nem perdeu tempo antes de começar a masturbar JongIn, não demorou e este estava mais duro que pedra. Do sentou em seu colo novamente se penetrando no pênis rígido de JongIn. KyungSoo pulava como se estivesse cavalgando em um cavalo. Rebolava, subia, descia e empinava quase que ao mesmo tempo.

JongIn então deitou KyungSoo na cama, colocou as pernas deste cada uma em seus ombros e o estocou como se não houvesse amanhã, KyungSoo, agora, gemia feito louco. Parecia ver estrelinhas sobre sua cabeça enquanto era estocado.

Estavam quase chegando em seus ápices, mas estava tão bom, tão gostoso que KyungSoo gozou sobre o peito de JongIn. Kim estava quase lá, não era a primeira vez que lhe dava com um cio de KyungSoo, mas estava tão irresistível parar na hora que gozou ali mesmo, dentro de KyungSoo. Deu mais algumas estocadas e gozou novamente enquanto esperava o nó se desfazer. E assim que se desfez saiu de KyungSoo que sentiu algo escorrer por sua entrada, mas nem ligou e agarrou JongIn o abraçando fortemente.

E assim se passou o resto da noite, JongIn aproveitando o cio incontrolável de KyungSoo.


Notas Finais


Gente, aviso rápido! Monsters está muito perto de acabar, então se no próximo capítulo vocês encontrarem um "Terminado" não fiquem tão surpresos, okay? Tenham um bom domingo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...