História Monsters and Demons - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Drama, Magia, Terror
Exibições 112
Palavras 908
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ATENÇÃO: SE TU TEM MENOS DE 18 ANOS, FECHA ESSA CARALHA AGORA! (ou nós lê escondido... :3)

Capítulo 59 - Só minha!


Fanfic / Fanfiction Monsters and Demons - Capítulo 59 - Só minha!

Irwin – An… – abri meus olhos lentamente vendo um quarto – … –

 

Armin – Boo! – sussurrou no meu ouvido

 

Irwin – Kyah! – dei um pulo da cama –

 

Armin – Tá assustada? –

 

Irwin – Você me assustou! –

 

Armin – Não temos provas concretas que eu fiz isso. – ele se jogou na cama –

 

Irwin – O que aconteceu? –

 

Armin – Sua pressão abaixou e você dormiu por 3 dias. –

 

Irwin – Quê!? E o que aconteceu nesses 3 dias? –

 

Armin – Rossy apagou a memória de todos, ela disse que ninguém deve saber da nossa existência, não que eu me importe. –

 

Irwin – Am… – sentei no chão e ele me olhou –

 

Armin – Você não faz ideia do quanto está sexy desse jeito… –

 

Irwin – PARA! – joguei o seu PSP nele –

 

Armin – ISSO NÃO! TÁ LOUCA? – comecei a rir – Que bom que você voltou para mim… –

 

Irwin – Armin… – ele estava muito perto –

 

Armin – Oi… – ele se aproximou mais –

 

Irwin – É-É… – o telefone tocou –

 

Armin – Argh… – ele levantou – Alô? –

 

Irwin – Ufa… – suspirei –

 

Armin – Um? Tá, tá eu vou avisa a ela. – ele desligou revirando os olhos – O baile vai ser hoje, bom já começou. –

 

Irwin – H-Hã? E você só fala agora!? – corri para o banheiro –

 

Armin – Vai ser uma chatice! –

 

Irwin – PARA DE JOGAR PRAGA! – gritei do banheiro –

 

Armin – Não me chame de macumbeiro! –

 

Irwin – … – coloquei a cabeça para fora da porta com um sorriso – Macumbeiro. –

 

Armin – Sua pirralha! – correu atrás de mim –

 

Começamos a correr pelo quarto que nem duas crianças, podíamos escutar o som dos pássaros cantado, a velhinha regando as flores, os velhinhos na praça. Tudo havia voltado ao normal.

 

Irwin – Vem me pegar vem! –

 

Armin – Cê tá me pirraçando pirralha? – ele me puxou pela cintura fazendo cairmos na cama –

 

Irwin – Hahaha! – ele me segurou forte e trocamos olhares –

 

Eu senti o seu corpo frio esquentar, ele se aproximava de mim e eu não quis recuar.

 

Armin – … – ele me beijou lentamente – Você… –

 

Irwin – … – eu corei drasticamente mas não desviei o olhar o que fez ele sorri maliciosamente –

 

Armin – Olha… você não sabe o perigo que está correndo! – ele passou a mão dentre as mechas do meu cabelo –

 

Irwin – Então… porque você não me mostra? – ele mordeu o lábio inferior com um sorriso –

 

Armin – ele me puxou me beijando enquanto abria o meu vestido –

 

Irwin – … – acabei deixando um sorriso bobo sair –

 

Ele começou a beijar meu pescoço lentamente com seus lábios gelados me fazendo arrepiar. Então ele tirou sua blusa me puxando pro seu colo.

 

Irwin – Ah… – ele começou a me beijar lentamente –

 

Então ele abriu lentamente o meu zíper me deixando de lingerie e colocou a mão na minha coxa.

 

Armin – Tá com medo, pirralha? –

 

Irwin – N-Não sou uma pirralha! – virei o rosto corada –

 

Armin – Você sempre será a minha pirralhinha. – ele mordeu minha orelha –

 

Irwin – A-Ai! –

 

Armin – Hahaha! – ele me fez vira pro lado e ficou em cima de mim e então me fitou – Te amo, sabia? –

 

Irwin – … – eu desviei o olhar –

 

Armin – Haha! – ele abriu lentamente o meu sutiã o que me fez arrepiar mais ainda –

 

Então ele apertou bem forte um dos meus seios e mordeu o outro bem devagar.

 

Irwin – A-An… – gemi baixo –

 

Por algum motivo eu abri o botão da sua bermuda, sim eu sou uma pervertida, ele sorriu e me ajudou a tirar ficando só de box.

 

Armin – O que seu pai iria pensar se soubesse o que eu estou prestes a fazer? –

 

Irwin – C-Como assim? – perguntei corada –

 

Armin – ele abriu um grande sorriso enquanto segurava minha calcinha e então ela a rasgou –

 

Irwin – …A-Ah… – eu queria virar uma avestruz –

 

Armin – Opa… – ele sorriu descendo o dedo da minha barriga até minha intimidade –

 

Irwin – P-Pervertido! – falei baixo –

 

Armin – Há não, eu sou homem! – ele passou o dedo na minha intimidade como se tivesse alisando até que ele enfiou o dedo –

 

Irwin – A-Ah! … ah – meu rosto ficou quente quando senti a língua dele passa na minha intimidade – A-Aaah… –

 

Ele começou a chupar passando a língua na parte de dentro da minha intimidade enquanto apoupava um dos meus seios.

 

Irwin – A-Ah… – eu acabei fechando um dos meus olhos e isso deixou ele mais exitado –

 

Armin – Você tá acabando comigo sabia? – ele tirou sua box –

 

Tá, foi quase impossível não olhar! Ele me olhou com uma cara de “Eu vou te fazer passar de vermelha pra roxa” então introduziu seu pênis entre os meus seios fazendo entrar na minha boca.

 

“Esse garoto é muito pervertido” – pensei eu com o seu pênis na minha boca

 

Armin – Ah… –

 

Irwin – Uhm… – não sei porque mais eu estava apertando meus seios em seu pênis –

 

Armin – Que safadinha… ah… – ele estava segurando minha cabeça –

 

“Jesus cristo! Eu vou morrer com falta de ar socorro!” – eu senti algo escorrer da minha boca –

 

Armin – Aaah… – ele gozou na minha BOCA! –

 

Irwin – Cof! Cof! – ele riu com minha reação –

 

Antes mesmo de poder respirar ele me puxou para seu colo fazendo seu pênis penetrar dentro de mim e me beijou pra abafar o grito que eu dei.

 

Irwin – Hunm…! – ele estava com a língua na minha boca enquanto penetrava –

 

Armin – Ah… – ele parou de me beijar –

 

Irwin – Ah… ah… – respiração ofegante –

 

Armin – Irwin… – ele estava penetrando mais rápido – Você… é muito… ah… apertada! –

 

Irwin – A-Aahn…! – eu o beijei novamente –

 

Eu estava sentindo algo em mim fluir e isso me exitava muito. Quanto mais ele penetrava mais eu o beijava.

 

Irwin – Ah… ah! –

 

Armin – Eu… vou… – eu senti algo espirrar dentro de mim –

 

Irwin – Aaah! … ah… – eu caí sobre seu peito – 


Notas Finais


LEIAM AS PRIMEIRAS NOTAS! ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...