História Monsters Inside Me - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~LaisSD

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Justin Bieber
Exibições 52
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal... A lais tinha dito que postaríamos o capitulo ontem, mas por alguns imprevistos não conseguirmos cumprir, faremos agora o cap 10 e postaremos quando tiver tempo porque o nosso tempo este muito corrido por conta que é nossa penúltima semana de aula então temos muitas coisas para fazer na escola e mal nos encontramos lá por conta de sermos de diferentes salas então assim q concluirmos o capitulo postaremos aqui, Boa leitura.

Capítulo 11 - Namorada?


      Em um silêncio confortável, na varanda do quarto de Bieber, sentada numa poltrona, eu observo o movimento da rua. Às vezes passam algumas crianças com uniformes, caminhando com seus pais.

É incrível como tudo pode ocorrer maravilhosamente bem para algumas pessoas, e há outras pessoas que vivem uma vida de merda.

Isso é uma grande injustiça!

— Oque está fazendo? - ouvi a voz de Bieber um pouco mais rouca que o normal.

— Apenas olhando a rua - minha voz estava calma.

— iria ser legal se vestisse uma roupa - eu nem precisava olhar pra ele e já sabia que ele estava com os braços cruzados.

— Verdade - olhei pro meu corpo, que estava apenas com um lingerie, ignorando sua "reclamação".

— olha lá - Bieber se aproximou apontando para um grupo de adolescentes que estavam me olhando, na cara de pau.

Pra provocar, acenei com minha mão pra eles que começaram a rir e devolveram o aceno. Bieber se aproximou mais e deu o dedo do meio, os adolescentes começaram a correr como se estivessem sendo perseguidos por um cachorro.

— sai daí - Bieber falou autoritário.

Levantei minhas mãos em sinal de rendição em seguida me levantei e entrei no quarto. Bieber fechou à porta de vidro que dá acesso à varanda e me olhou com os olhos semicerrados.

— não acredito que deu em cima deles, com um cara sexy como eu aqui - ele balançou a cabeça desacreditando.

— só eram adolescentes - revirei os olhos — e cadê o cara sexy? Estou precisando dele aqui - dei um sorriso safado.

Bieber ergueu a sobrancelha sem entender. Que cara burro.

— querido, você é burro? Eu estou precisando do cara sexy - apontei pra ele — aqui - apontei pro meu corpo.

Bieber deu um sorrisinho safado, em seguida me carregou, de um modo que me fez cruzar minhas pernas ao redor de sua cintura, e me jogou em sua cama, logo ele já estava em cima de mim.

(...)

— oh meu deus - digo com a voz falha, após sentir o colchão macio em minhas costas — essa com certeza superou, qualquer outra foda que já tivemos.

— não acho, aquela, em que estávamos em um Motel foi bem melhor - Bieber morde os lábios.

— nada se compara a um pau de verdade, então querido, essa foi melhor - sorri vitoriosa.

Faz umas duas semanas que estávamos com pressa e fomos para um motel, Bieber do jeito que é pediu o melhor quarto, e lá tinha alguns "brinquedos" sexuais, que obviamente foram usados em mim.

— que seja - revira os olhos — acho que tem algumas roupas suas no meu closet - muda de assunto.

Ergui uma sobrancelha, é estranho, afinal, ele tem milhares de quartos nessa casa, e todos obviamente tem um closet, então porque ele deixaria minha roupa em seu closet?

— uhum - assinto, ignorando os pensamentos.

— quero que se arrume, vou te levar a um lugar - diz autoritário.

— an... Aonde? - franzo o cenho.

— surpresa.

(...)

— a sua empresa, essa era a surpresa? - perguntei indignada, ainda sem descer da moto.

— sim, agora desce que eu vou colocar a moto na garagem - Bieber mandou.

— você só sabe mandar? - perguntei descendo da moto.

— exatamente - ele disse e deu partida com a moto, entrando numa garagem subterrânea que tinha ali.

Fiquei na frente da empresa parada esperando Bieber, varias pessoas passavam e ficavam me encarando - Como se eu fosse um E.T que acabei de chegar na terra, devo dizer - e depois entravam na empresa.

Por que diabos Bieber está demorando tanto para estacionar uma moto?

Após alguns minutos Bieber chegou com seus óculos escuros, se achando importante. - coisa que ele não é.

— vamos? - ele disse quando se aproximou.

— vamos - confirmei.

Bieber deu passagem pra que eu passasse na sua frente, e assim eu fiz. Naquele momento foi como se o mundo estivesse parado.

Todos pararam oque estavam fazendo e começaram a nos observar enquanto entrávamos.

Sinceramente, eu odeio quando me olham desse jeito.

Bieber passou um de seus braços ao redor de meu pescoço, e caminhou comigo até o elevador, lá ele apertou no botão de número 30, último andar.

— oque você tem pra me mostrar que é tão interessante?

Justin Bieber's P.O.V

Preciso de uma modelo.

A minha empresa Drew Entertainment, muitas vezes, fornecem produtos a outras empresas, mas era apenas algo que fosse material. Neste mês começamos a fornecer um novo produto, bem, modelos não são produtos, mas tanto faz.

Quando viajei nesta semana, Jaster Turney - presidente da Victória Secret's - entrou em contato com a Drew Ent. e nos informou que gostaria de conhecer os meus "produtos," só que a velha informou também que EU deveria escolher a modelo, provavelmente para saber se eu tenho capacidade para escolher uma modelo à altura de sua empresa, ai já viu né?

Eu estava disposto a vir aqui hoje e escolher a tal modelo, mas hoje cedo tive uma ideia, que em minha opinião foi maravilhosa, e ajudaria até no reconhecimento da empresa, e essa ideia foi: a estreia de uma modelo, e melhor ainda, essa modelo seria a minha namorada.

Já estava mais que na hora de eu arranjar uma namorada, daqui a pouco ia achar que sou gay.

Eu sei que, provavelmente, irão usar isso contra mim, e dizer que eu dei privilégios a uma das modelos, por ser minha garota, então eu vou levar 5 modelos, e irei dar um jeito da Jaster escolher a minha namorada.

Se vocês pensaram que me minha namorada seria Alexia, acertaram.

Eu não sou muito de elogiar, mas, eu realmente devo admitir, a Carter é linda, dona de um corpo escultural, e com certeza daria pra modelo, eu diria até uma das mais bonitas.

Entramos no meu escritório, e eu sentei em minha cadeira, em seguida apontei para a cadeira na minha frente, porém entre a mesa, pedindo que Alexia sentar-se.

— ainda não entendo o motivo de a minha pessoa estar aqui, nesse momento - Carter disse sentando na cadeira, como eu pedi, ou melhor, mandei.

— relaxa - revirei os olhos — eu vou te explicar - ela assentiu, e como não disse nada eu prossegui — é o seguinte, preciso de uma modelo, e obviamente ela será você - fui direto.

— nem fodendo - balançou a cabeça repetidas vezes — eu não posso, podem me reconhecer matando alguém, ou sei lá...

— primeiro, não é como se você se tornasse a mulher mais famosa do mundo - revirei os olhos — e segundo, ninguém vai ter provas contra você, como sempre.

—Justin, caralho, podem existir testemunhas, imagina eu ser vista com um cara numa boate, e segundos depois ele é encontrado morto. Não mesmo - ela estava irritada, e começando a me irritar também.

— você vai ser a modelo e acabou. E ainda tem mais, você vai se passar por minha namorada - apontei um dedo na cara dela.

Alexia riu falsamente depois dessa.

— vou um caralho - cruzou os braços na altura do peito, se encostando mais na cadeira.

Respirei fundo várias vezes, na tentativa de me acalmar e não acabar com essa criatura aqui e agora.

— olha Alexia, eu não pediria se não fosse importante, e tem mais, você vai se tornar uma das mulheres mais invejadas, por estar me namorando, e por ser a nova garota da Victória Secret's - eu precisava me gabar um pouco né? Afinal, eu sou gostoso pra caralho.

— Ta, e oque eu ganharia com isso? Por que até agora não vi nenhuma vantagem - ela bufou, irritada.

— meu corpo nu - fiz graça, tentando fazer ela se acalmar, e conseguindo — a qual é, o problema não é em ser minha namorada né? - repetindo, eu sou gostoso pra caralho, e qualquer uma gostaria de me ter como namorado.

— por mim tanto faz, não vai ser de verdade mesmo - ela deu de ombros, isso quer dizer que... — olha, se algum dia me chamarem pra dar algum depoimento sobre algum homicídio eu arrebento sua cara - ela não estava brincando, e oque prova é o dedo que que está apontado para meu rosto.

— primeiro de tudo, tira esse dedo da minha cara - esperei que ela tirasse e continuei — segundo, o namoro não é de mentira. Terceiro, fico feliz que tenha aceitado minha proposta - sorri, sabendo que ela só ouviu até a segunda parte.

— oque? Como assim? Não vai ser de mentira? - ela mudou de irritada para confusa.

— eu preciso que realmente acreditem que você é minha namorada, e então para eles acreditem temos que realmente namorar - claro que iria me aproveitar da situação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...