História Monstro de Jardim - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 5
Palavras 852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem da Fic <3

Capítulo 1 - Filtro dos Sonhos


Fanfic / Fanfiction Monstro de Jardim - Capítulo 1 - Filtro dos Sonhos

"A vida é como um tronco de árvore, quando você corta, nascem galhos, e nos galhos nascem frutos. Mas se cortar os galhos, não terá frutos, e morrerá de fome."

Quando eu estou chateada eu busco inspiração para continuar naquele pequeno caderno preto com listras vermelhas. Sento na minha escrivaninha que fica em frente a uma grande e bela janela, que tem nela pendurada um grande e lindo filtro dos sonhos. O ar entra em montes e me refresca nos dias mais quentes. Por aquele filtro eu via o universo, e ele me via. Então nessa tranquilidade eu desenhava ou escrevia, e assim meus demônios se escondiam.

Na janela também aviam as mais belas flores, que floresciam todo verão e morriam todo inverno. Eu as cuidava bem, regava todo dia e as observava. Vermelhas, brancas e azuis. Um espetáculo vivo da natureza.

Não precisava de música pra me inspirar. Tinha meu filtro dos sonhos, uma linda paisagem de floresta em minha janela, minhas flores e meu violino, no qual toco as mais clássicas músicas que se pode imaginar, além de compor um pouco também. Uma última aquisição minha foi um majestoso piano, no qual ainda tenho que aprender a tocar.

E nisso passo todos os meus dias, enquanto essas "férias eternas" durarem. Nem tudo é perfeito. Minha casa é meu porto seguro, meu canto e minha zona de conforto. Sinto que apenas aqui sou completamente feliz. Parece solitário, mas garanto que não é bem assim.

Acordo num belo dia. O sol estava brilhando, os pássaros cantando e o vento soprando. Levanto da cama e logo olho para meu filtro dos sonhos. Graças a ele, meus pesadelos se mudaram da minha cabeça.

Troco de roupa e vou para o meu jardim, a bela paisagem que posso ver da minha janela. Uma cerca de madeira rústica separa minha humilde casa de uma imensa e densa floresta. O ar puro enche meus pulmões e pego meu regador vermelho para poder regar minhas flores. Algumas abelhas se afastam e assim que termino elas voltam.

Volto para dentro onde começo a preparar meu café da manhã. Um café e torradas com geleia, tudo que eu gosto.

Minha família se mudou para a Holanda há muitos anos. Moro sozinha desde então, mas somos mais felizes assim.

Eu trabalho em casa, e por isso saio apenas para fazer compras ou quando é necessário. Mas como eu disse, estou de férias.

Volto para o meu quarto e então pego um livro, sento na cama e começo a ler. Quando percebo já se passaram 2 horas. Levanto e coloco o livro na estante. Eu estou quase terminando, ele é sobre uma guerra entre dois povos que antes eram unidos, e a paixão se dois jovens que tem que lutar um com o outro, mesmo não querendo. É bem meloso pro meu gosto, mas eu amo livros de guerra, então acabei comprando.

Pego meu violino e começo a tocar uma música que eu mesma compus, quem sabe um dia eu seja famoso por minhas músicas. É um sonho difícil, mas nunca se sabe.

Passo um bom tempo tocando até que na cerca aparece um majestoso cervo. Sinto ele me encarar antes de correr de volta a floresta. Sinto um arrepio. Parece que ele olhou diretamente para a minha alma. Isso foi estranho. Vou para a cozinha onde tomo um copo de água. Olho para o relógio, 11:00, ainda da tempo de escrever um pouco. Atualmente estou trabalhando em um livro, mas a cada capítulo ele parece ficar pior. Quem sabe agora eu me animo.

Como sempre, olho para o filtro dos sonhos e depois para a janela. Isso é quase como um ritual, me da inspiração. Escrevo até umas 11:30, nem termino um capítulo, e vou a cozinha para cozinhar.

Almoço tranquila e depois vou ao meu jardim. Me sento e olho o lugar onde o cervo apareceu. Logo me veio imagens de pessoas morrendo e um cristal azul. O que está acontecendo? Balanço a cabeça e penso: "É só a minha imaginação, essas são cenas do livro que estou lendo, melhor dar uma pausa na leitura."

Vou para a sala do piano. Ainda estou aprendendo. Uma lembrança vem a minha mente. Meu irmão tocando na frente de todos na escola. Ele tocava tão bem. Minha mãos vão escorregando nas teclas e toco sua música com os olhos fechados focados nessa lembrança. Vejo meus pais e eu, orgulhosos dele. Então uma pedra é jogada no piano, ele não para. Outra é jogada, ele toca mais rápido. Mais duas são jogadas, ele toca cada vez mais rápido. Uma última é jogada e o acerta. Ele cai de cara no piano, sangrando, já sem vida. Nesse momento eu afundo meus dedos no piano, chorando.

-Por...que? -Falo entro o choro- Por que você?

Debruço no piano e me permito chorar. Eu sinto falta dele, depois disso, minha vida nunca mais foi normal.

Vou direto para o banheiro, onde sento debaixo do chuveiro e fecho os olhos. As imagens daquele cervo passam na minha cabeça. Então ouço a voz do meu irmão dizendo: "Está tudo bem....."


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo, foi meio pequeno, eu sei. Desculpa <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...