História Montanhas de Argila.- Imagine Jungkook - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Erotismo, Festa, Jungkook Bts, Romance
Visualizações 514
Palavras 1.861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria dizer que escrevi esse capítulo chorando por estar ouvindo Young Forever, vulgo hino injustiçado e So Far Away do Suga,JK e J(recomendo ouvir enquanto ler o capítulo se quiser chorar). Mas enfim, boa leitura bolinhos!!<33333 Espero que gostem!

Capítulo 50 - Halloween pt.4


Fanfic / Fanfiction Montanhas de Argila.- Imagine Jungkook - Capítulo 50 - Halloween pt.4

Jungkook ON

XXX: “Ah...de novo não. Você sempre atrapalha tudo.” Ele sai de dentro de Cat e vem andando até  a porta. Não faço nada, só mantenho meu olhar em Cat, que nem ao menos parecia respirar. Quando ele começa a fechar a porta, finalmente reajo.

Jungkook: “NÃO!” Tento empurrar a porta, mas ele consegue fechar logo em seguida trancando. Começo a chutar e socar a porta, atraindo olhares.

Jungkook: “CAT! EI! ABRE!” Por que essa porta não abre? Já estava chorando desesperado.

Jungkook: “DEIXA ELA EM PAZ! EI!” Não estava adiantando nada. Desço correndo, me controlando para não perder o equilíbrio e vou até os outros.

Nathalie: “Jungkook o que...?”
Jungkook: “A CAT...ME AJUDEM, POR FAVOR!” Eles se levantam e começam a me seguir, correndo até o quarto. Eu estava fraco e mole por conta da bebida, mas Hoseok não.

J-Hope: “Sai dai!” Ele dá um passo pra trás e chuta com força a porta, a arrombando. Entramos desesperados no quarto.

Jungkook: “ONDE ELE TÁ?” Não havia  mais ninguém além de Cat, mas a janela estava aberta. Ele fugiu.

Nathalie: “Meu deus, Cat!” Nathalie corre até a cama, começando a chorar.

J-Hope: “O que aconteceu?!”

Tae: “Ela tá apagada!” Volto a atenção para Cat, me aproximando da cama. Nathalie estava vestindo ela e Suga foi conferir o pulso.

Suga: “Ela tá respirando, anda vamos pro hospital!” Não conseguia dizer ou fazer nada.

Não, não, não. Saio correndo e escuto “Jungkook!”

Desço  as escadas, logo deixando a casa. Estava frio lá fora, e minha cabeça estava rodando. Corro pelas ruas sem saber o rumo até me cansar. Caio de joelhos e começo a choramingar. Por que ela? Quem  era ele? Por que eu não estava com ela? Por que eu não reagi? Começo a ouvir um barulho similar, e levanton a cabeça, vendo uma luz se aproximar, logo se tornando duas. Cat estava desacordada, eu não sabia o estado dela. Eu não tenho nada sem ela. Fecho os olhos. Mas nada acontece. O carro para enfrente a mim.

Fico de pé, e reconheço uma das duas pessoas de dentro do carro. Não. Não pode ser. Essa vadia está presa, são alucinações, Jungkook.

A porta do motorista se abre, e alguém vem até mim.

XXX: “Filho da puta.” Ele me dá um soco no nariz e me vira, cobrindo meu nariz com um pano contendo algo. Aspiro sem opção, e minha visão escurece.

Seu nome ON

Ouço gritos e uma porta batendo. Ele vem até mim e se posiciona de novo.

Daniel: “Isso, (Seu nome)...” Ele ia mais fundo. Sinto meu corpo ser virado e ele me coloca de quarto puxando meu cabelo. Doía muito, Estava perdendo meus sentidos. Ele me penetra mais algumas vezes, e cai sobre mim após se desfazer. Era horrível sentir aquele corpo nojento ao meu. Eu queria empurra-lo, mas nem ao menos conseguia enxergar. Ele se retira de dentro de mim, e ele sobe na cama ficando de pé. Estava de lado quando ele me chuta na barriga.

Daniel: “Isso.” Ele chuta “É pelo tempo que fez eu perder com você.” Já não sentia mais nada. “E isso.” Ele chuta mais uma vez. “É por essa transa horrível.” Ele desce e sinto sua respiração perto de meu rosto. “Mas pelo menos consegui algo que era meu.” Ele beija minha testa, e sinto um enjoo. O barulho da janela se abrindo é a última coisa que escuto.

Suga ON

J-Hope e Nathalie estavam chorando, enquanto eu e Tae carregávamos Cat até o carro. Deitamos ela no banco e fomos até o hospital mais próximo. J-Hope estava tremendo. Eu só queria poder abraça-lo e dar conforto a ele. Havia um moletom vermelho no carro, e entrego a ele.

Suga: "Toma"

Quebra de tempo-----

Parecia que minha cabeça iria explodir. Não conseguia pensar em como alguém tão nojento poderia ter feito aqui com ela. Nenhuma hipotese para tentar entender o que aconteceu se formulava em minha cabeça, e isso estava me enlouquecendo. Eu estava gritando por dentro.

Suga: “PELO AMOR DE DEUS, ALGUÉM SABE QUE MERDA ACONTECEU?”

Ou não tão dentro.

J-Hope se assusta quando grito. Eu estava nervoso, desesperado. Já é a segunda vez que ela se machuca por não estarmos perto. E eu nem ao menos sei onde Jungkook está agora. Minha cabeça começa a doer. Tae tentava controlar Nathalie, que estava quase alagando o carro de lágrimas. Não sei como estava contendo as minhas. Tae vez ou outra checava para ver se Cat continuava a respirar. Chegamos ao hospital e carregamos mais uma vez Cat. Pedimos socorro e enfermeiros trouxeram uma maca.

Enfermeiro: “O que aconteceu?!”

Suga: “Estavamos em uma festa!”

Enfermeiro: “Quanto ela bebeu?”

Suga: “A QUESTÃO NÃO É ESSA! ELA FOI ESTUPRADA!” Perco controle.

J-Hope: “Calma...” Ele segura meus braços e os enfermeiros começam a leva-la para alguma sala. Passo a mão pelo cabelo, completamente irritado.

Tae: “Acho melhor sentarmos...”

Suga: “Como você quer sentar em uma situação dessa!?”

J-Hope: “Yoongi, se acalma. Ele tem razão.”

Suga: “NÃO!” Empurro Hoseok. “NÃO PERCEBE QUE UM BABACA ACABOU DE VIOLAR UMA GAROTA QUE VOCÊ CONSIDERA COMO IRMÃ, E ESTÁ SOLTO POR AÍ?!” Olho para Nathalie que chorava desesperadamente, e J-Hope me olhava com lágrimas nos olhos. Só depois me toco do que fiz. Saio dali e vou até meu carro. Não ligo, só encosto a cabeça no volante. Que droga...

Pego o celular.

Ligar para Jungkook

Vamos Jungkook...atenda....

Caixa postal.

Onde você se enfiou Jungkook...

Ligar para Namjoon

Ligação ON

Namjoon: “Alô?” Ele diz com voz de sono.

Suga: “Namjoon?!”

Namjoon: “O que foi, Yoongi? São 01:00 da manhã...”

Suga: “Vocês podem vir aqui?!”

Namjoon: “Agora? Por que?” Posso ouvir ele se sentar.

Jin: “O que foi Joon?” Ouço abafado.

Suga: “Aconteceu um acidente...”

Namjoon: “Com quem?!”

Suga: “Cat.” Uma lágrima escorre.

Namjoon: “O que aconteceu?!”

Suga: “Ela foi estuprada...” Enxugo a lágrima. “Você pode vir aqui? Não sabemos o que fazer.”

Namjoon: “Estamos indo! Onde estão? Jin, se troca.”

Suga: “Hospital ASAN”

Namjoon: “Chegamos em 45 minutos.”

Suga: “Tudo bem.”

Ligação OFF

Nathalie ON

Suga vai embora, e J-Hope cobre o rosto com as mãos.

Nathalie: “Calma, Hobi...” Abraço ele.

Tae: “Vem, vamos sentar.” Concordo e vamos até as cadeiras.

Será que ele voltou? Ele não dava sinal de vida a três meses...

(Seu nome) não merece isso. Nenhuma pessoa merece isso. Ela é tão doce...ela vê o bem nas pessoas. Como alguém tem coragem de fazer isso com uma menina frágil como Cat? E por que não estava com ela? Ela foi a única amiga verdadeira que tive em toda minha vida, e agora ela está desacordada. Se tiver sido ele...agora ele está solto, e Jungkook sumiu. O que vamos fazer agora? Eu não cuidei dela...

Eu arrastei ela para nossas vidas, e não fizemos nada para preservar ela. Cat é diferente de nós. Ela é simples e sentimental. Ela ainda não conhece totalmente o mundo. Queria ter momentos especiais com ela, mas eu não me esforço o bastante.

Não consigo me conter e explodo em lágrimas abraçando meus joelhos.

Tae: “Nath...não chora.”

Nathalie: “Eu não entendo...”

J-Hope: “Eu devia ter ido no banheiro com ela. Eu era o mais sóbrio, e não fiz nada...” Ele estava vermelho.

Tae: “A culpa não é de ninguém. Não sabíamos que isso iria acontecer...”

J-Hope: “Poderíamos ter evitado...”

Tae: “Não se preocupem...vai ficar tudo bem.” Ele puxa nós dois e nos abraça. Tae é tão precioso para mim... Depois de alguns minutos, J-Hope estava dormindo com a cabeça apoiada no obro de Tae, e eu estava com a cabeça em seu colo, com minhas pernas ocupando duas outras duas cadeiras. Olho para Tae cansada.

Tae: “Pode descansar...”

Nathalie: “Obrigada...” Fecho os olhos e ele deposita um selar em minha testa.

Tempo depois------

Tae se mexe, me despertando. Olho para cima e vejo J-Hope de pé ao lado de uma enfermeira. Tiro minha cabeça do colo de Tae e levanto, e ele faz o mesmo.

J-Hope: “Por favor.”

Enfermeira: “Já disse que não posso dar nenhuma informação sobre a paciente.”

Tae: “Moça, por favor!” Ela suspira.

Enfermeira: “Olha...a paciente ainda não acordou. Ela sofreu hemorragia interna por causa dos hematomas no abdômen.” Hematomas? Eu não havia visto nada enquanto a vestia! Droga...o que ele fez?

Nathalie: “Ela vai ficar bem?!”

Enfermeira: “Não sabemos...mas é provável que ela acorde hoje.”

J-Hope: “Por favor, avise-nos quando ela acordar.”

Enfermeira: “Tudo bem. Voltem para casa, e descansem.”

Suga: “Não, vamos ficar aqui.” Ele aparece do nosso lado. Seu rosto estava vermelho.

Enfermeira: “Seja como quiserem, com licença.” Ela saí.

Suga: “Liguei para Namjoon. Eles estão vindo.”

Tae: “Ok.”

Suga: “C-como ela está?” Nos sentamos de novo. J-Hope evitava olhar para Suga.

Tae: “Acho que é grave. Você sabe se hemorragia interna é muito ruim?”

Suga: “Não...”

Tae: “Bem...só podemos esperar agora.”

Suga: “Isso é uma droga...” Ele abaixa a cabeça, mas logo levanta olhando para J-Hope, que encarava os próprios pés.

Suga: “Posso falar com você?” Hoseok só balança a cabeça confirmando. Eles vão até um corredor do hospital.

Tae: “Você está bem? Não queria te acordar.”

Nathalie: “Estou...só estou preocupada.”

Tae: “Eu também, mas descansa sua cabeça descansar um pouco dessa preocupação.”

Nathalie: “Tudo bem...”

Tae: “Está com fome?”

Nathalie: “Uhum.”

Tae: “Tem uma lanchonete no segundo andar. Vou ligar para Jungkook, e já vamos.” Assinto e ele leva o celular a orelha.

Tae: “Ele não atende...aish...”

Nathalie: “Ele está nervoso, Tae. Fique tranquilo.”

Tae: “Você sabe como ele fica quando está nervoso, Nath. E se ele fizer alguma besteira?”

Nathalie: “Ele não vai, confia em mim.” Junto nossos lábios em um selinho rápido e carinhoso.

Suga ON

Suga:  “Me desculpa por ter te empurrado. Eu estava nervoso, e não devia ter descontado em você. Eu não sei o que fazer nessas circunstancias, eu estou perdido Hoseok. E a última coisa que eu preciso agora é a pessoa que eu amo estar longe de mim.”

J-Hope: “Tudo bem...”

Suga: “Eu sei que você está magoado. Aquilo foi errado, eu sei. E sei que você não merece aguentar minhas idiotices e ficar toda hora ouvindo eu me desculpar. Isso cansa uma hora...E eu tenho medo de você me deixar.”

J-Hope: “Está tudo bem, Yoongi. Eu entendo, não tem problema.”

Suga: “Eu te amo, Hobi.” Ele me abraça, e me aconchego em seus longos braços, sentindo seu cheiro familiar, que mesmo não estando longe a tanto tempo, senti muita falta.

J-Hope: “Eu te amo.” Ele segura minha mão e voltamos até as cadeiras.

Tae: “Nós vamos comer algo. Querem?”

J-Hope : “Pode ser.”

Subimos até o segundo andar desanimados. A lanchonete ainda estava aberta e pedimos alguns salgados e refrigerantes.

Nathalie: “Não sei como estamos conseguindo comer nessa situação.”

Tae: “Já disse para não se preocupar, Nath.”

Nathalie: “Eu...eu sei. Me desculpa.”

Quebra de tempo-----

Um filme estava passando na pequena tela da tv pendurada na parede. O filme acabou e descemos de volta ao primeiro andar. Tentamos ligar mais vezes para Jungkook, mas nada adiantou. Estavamos preocupados com os dois.

Enfermeira: “A paciente acordou.”

Nathalie: “Podemos vê-la?”

Enfermeira: “4° porta, segundo corredor, 3° andar.” Andamos apressados até o quarto. Abro a porta.


Notas Finais


Não sei se deixei vocês emocionados ou não, mas essa era a intenção. Mas sendo sincera, não sei escrever drama, então se ficou meio nada a ver, me perdoem Obrigada por ter lido, boa tarde noite ou dia!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...