História Moonlight - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Tags Drama, Emma Watson, Harry Styles, Romance
Visualizações 84
Palavras 3.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como sempre... juro que vou responder os comentários uadshduiashduiahsd ):

Por favorzinho, coloquem a música do capítulo quando chegar a hora certa (vcs saberão hehehe)

All of me - John Legend

Ficou um pouco grande... Sorry not sorry dhusahduish boa leitura <3

Capítulo 6 - Capítulo 5.


Fanfic / Fanfiction Moonlight - Capítulo 6 - Capítulo 5.

O homem moreno de cabelos curtos continua encarando Harry de forma debochada. Intercalo meu olhar entre os dois, e vejo Harry estremecer.

— Quanto tempo, amigo. – Zayn dá um tapinha no ombro de Harry, sorrindo. — E quem é a sua amiga? – ele dá um passo em direção, mas Harry se coloca na minha frente, fuzilando Zayn com aqueles olhos verdes.

— Ninguém que te interessa, Zayn. – Harry diz entredentes.

Zayn ri, enquanto Harry cerra os punhos.

— Cadê a sua educação, Harry? Perdeu ela também? – quando essas palavras saem da boca de Zayn, percebo que Harry fica mais tenso. Ele está provocando-o, e está conseguindo.

Para impedir que Harry perca a cabeça, seguro seu pulso, puxando-o levemente para lado e estendo a mão em direção a Zayn.

— Felicity. – digo e sinto Harry bufar. — Hum.. Lily – digo, soltando um risinho forçado.

O tenebroso sorriso de Zayn se alarga mais e ele segura minha mão.

— Zayn. Mas você já sabia. – brinca.

Sorrio sem mostrar os dentes e um silêncio se alastra entre nós três. Temo que Harry faça alguma coisa, já que sua expressão não está das melhores e as veias de seu pescoço estão saltadas.

— O que acha de comermos alguma coisa, Harry? – Zayn diz, apontando para a pizzaria no final da rua.

Abaixo o olhar.

— Acho melhor não. Preciso levar a Lily de volta antes que fique tarde. – Harry diz, segurando meu pulso e me puxando levemente.

— Eu posso voltar de táxi. – sussurro antes que ele possa dar um passo para a direção do carro.

— Não, eu prometi a Logan que cuidaria de você. – mumura de volta.

— Então.. ela pode ir com a gente. – Zayn diz, e outra vez, vejo Harry ficar tenso.

Sei que é uma péssima ideia me pronunciar no momento, vendo a reação de Harry diante do moreno com sorriso doentio em nossa frente.

— Tudo bem. – Harry diz, e a expressão de Zayn se torna vitoriosa.

— Espero que gostem de pizza. – ele diz, dando as costas para nós e caminhando em direção ao restaurante.

Quando dou um passo para frente, sinto os dedos grandes de Harry rodearem meu pulso, e eu o encaro no mesmo momento. Seus olhos verdes estão em pânico. Um pânico que me causa calafrios. Ele dá um passo para frente, ficando muito próximo de mim. Sinto sua respiração chocar em minha pele. Em nenhum momento nós desviamos o olhar um do outro.

Minha respiração se acelera, mas eu tento manter a calma. Harry inclina seu rosto na minha direção, deixando na curva do meu pescoço.

— Não entre no jogo dele. – sussurra, afastando-se para me encarar. Seus olhos me fitam, como se estivessem perguntando se eu ouvi. Afirmo, balançando a cabeça.

Harry olha para o céu e respira fundo.

— Vocês não vêm? – Zayn fala em um tom alto, visto que ele está um pouco longe de nós.

Olho para Zayn, dando um mínimo sorriso, e depois para Harry. Ele enfia as mãos nos bolsos da jaqueta.

— Vamos acabar logo com isso. – diz, andando em direção ao “amigo”.

Viro-me e acompanho Harry, que mantém seus olhos fixos em Zayn, como se ele fosse uma ameaça. Entramos na pizzaria, e o garçom já nos direciona para uma mesa de quatro lugares, já que não tem apenas de três.

Eu me sento ao lado de Harry, enquanto Zayn senta-se na nossa frente. Ele me encara e esboça um sorriso de canto. Fico sem graça com essa atitude, então, foco meus olhos em Harry, que percebe meu constrangimento.

— O que você está fazendo aqui? – Harry pergunta. Eu o agradeço mentalmente por puxar assunto. Zayn olha para ele, e se recosta na cadeira.

— Quis tirar umas férias. – estica os braços, como se estivesse se espreguiçando. — Sabe como aquele emprego exige muito de nós. – pisca. — Ah, e a propósito, nos conhecemos no trabalho. – ele diz diretamente para mim.

Harry se remexe na cadeira, parece incomodado com esse assunto. Zayn parece estar se divertindo ás custas disso.

Penso em perguntar o que Zayn faz, mas lembro do que Harry me disse antes de entrarmos.

— É, eu sei. – Harry responde.

O garçom volta a nossa mesa com os cardápios e entrega um para cada um de nós. Eu o abro e vejo as opções. Torço o nariz por não saber o que escolher para comer. Vou para a página de bebidas e vejo que só tem cerveja.

— Aqui não tem vinho? – pergunto baixinho para Harry. Ele vai até a página de bebidas, assim como eu, e começa a analisar.

— Vinho? – Zayn debocha. Eu o olho imediatamente. — Vai me dizer que a dondoca só bebe vinho caro? Está perdendo a melhor coisa da vida que é uma boa cerveja.

Arrumo minha postura e franzo a testa.

— É questão de gosto. – digo calmamente e volto a encarar o cardápio.

— Logan é seu filho? – de novo, a voz inconveniente de Zayn surge, me pegando de surpresa.

Harry passa a mão no cabelo e respira fundo, mantendo seus olhos fixos no cardápio em suas mãos.

Arqueio uma sobrancelha, completamente confusa.

— Estou perguntando se Logan é seu filho. – ele repete.

— Não. Logan é meu noivo.

— O que? – a surpresa em seu rosto é verdadeira, mas o olhar de deboche que lança a Harry faz meu sangue ferver. — Não me diga que agora você se envolve com mulheres comprometidas, Styles.

Harry se ajeita na cadeira, bufando de raiva.

— Harry é um funcionário da minha casa e me fez um favor hoje. Algum problema? – digo, com a voz estridente.

— Não, nada. – Zayn tenta para de rir. — Só que nunca me passou pela cabeça Harry Styles trabalhando de babá.

No momento em que essas palavras saem da boca de Zayn, vejo Harry fazer menção de se levantar. Por impulso, coloco minha mão em sua coxa e o encaro, suplicando com o olhar para que ele tenha calma.

Harry me olha e baixa seu olhar para a minha mão. Sinto que seu corpo relaxa e ele se acomoda de novo na cadeira.

— Não leve a mal, Harry. Só estou brincando. – Zayn é tão bom quanto Harry no quesito provocar.

— Já decidiram o que vão comer? – o garçom retorna a nossa mesa, com um bloco de papel e uma caneta em mãos.

— Sim. Eu quero uma pizza de calabresa. – Zayn se manifesta primeiro. – E para beber, uma cerveja bem gelada. – quando diz a última frase, ele me olha como se estivesse me desafiando.

— Eu.. quero só uma água. – digo.

— Duas, por favor. – Harry também se pronuncia e fecha o cardápio, colocando-o em cima da mesa.

— Uma pena não quererem provar da melhor pizza da cidade. – Zayn faz bico, mas em seguida, ri de novo. — Então, Harry, me conte o que anda fazendo. – ele apoia os cotovelos na mesa e encara Harry.

Antes que o moreno possa responder, ouço uma voz extremamente animada me chamando.

— Lily! – viro-me e vejo Brunna parada na entrada da pizzaria.

Involuntariamente, meus lábios se curvam em um sorriso aliviado. Levanto-me e vou até ela, sentindo os olhares dos dois homens sentados à mesa.

— O que está fazendo aqui? – abraço a loira, que retribui com entusiasmo.

— Abriu uma loja nova de roupas aqui perto. E você sabe como eu amo roupas.. – ouço Zayn limpar a garganta, atraindo a atenção de Brunna. Ela olha para a mesa que eu estava a poucos segundos, e arregala os olhos, com um sorriso malicioso. — Quem são esses dois que estão com você, senhorita Walker? – ela sussurra com a língua entre os dentes.

— Deixa de besteira. – murmuro de volta. — Venha, vou te apresentar. – volto para perto da mesa, acompanhada da loira que não sabe disfarçar nem um pouco sua animação. — Brunna, esse é o Harry, funcionário de casa. – ela estende a mão para ele, mas, rude como Harry é, não retribui o aperto.

Ele a encara com total indiferença, em seguida dá um gole em sua água. — E também um ogro em pessoa. – reviro os olhos.

Brunna solta uma risadinha baixa e olha para o moreno do outro lado da mesa.

— E esse é Zayn, amigo do Harry. – Zayn estende a mão primeira, e quando Brunna a segura, deposita um beijo nas costas de sua mão.

— Muito prazer em conhece-la. – Zayn diz, sorrindo.

— Gostei do seu amigo. – Brunna sussurra para mim, me dando uma leve cotovelada.

Brunna se senta conosco e parece que a tensão se alivia um pouco. Harry não diz quase nada, como sempre. E agradeço mentalmente pelas conversas de Zayn e Brunna estarem tão boas a ponto de ele não querer provocar Harry. Presto atenção em tudo o que eles falam, e rio algumas vezes. Quando perguntam algo para mim, respondo calmamente. Os olhos de Harry parecem fixos em mim, analisando cada movimento. E isso me deixa um pouco envergonhada, mas nada comparado ao que senti quando Zayn fez a mesma coisa. Na verdade, são sentimentos completamente diferentes, mesmo que eu não saiba defini-los.

— E você, Lily? – a voz de Zayn me desperta. Meus olhos encontram os dele do outro lado da mesa, e seu sorriso pretencioso está estampado em seus lábios. Minha espinha gela pensando no que vem a seguir. — Já amou alguém na vida?

Sua pergunta me pega de surpresa. Desde quando estavam falando sobre isso? Acho que perdi metade da conversa. Zayn está claramente me testando. Olho para Brunna e seus olhos estão neutros, sem qualquer tipo de brincadeira. Percebo que ela realmente acha que isso é uma conversa séria.

Pisco rapidamente e sorrio sem graça. Pelo canto do olho, vejo Harry passa a mão no rosto, pela milésima vez na noite.

— Por que.. por que está me perguntando isso? – minha voz vacila e deixo transparecer o quanto essa pergunta mexeu comigo.

É claro que eu já amei alguém. Eu amo alguém. Logan, com quem vou me casar em breve. Mas.. por que dizer isso em voz alta me parece tão... errado? Talvez porque não precise provar a ninguém.

— É só uma conversa casual, Lily. – ele diz, descontraído. — Veja o Harry por exemplo. – no exato momento, Harry fica tenso e o medo da noite acabar em um desastre volta. — Ele não é capaz de amar nem a si mesmo, quem dirá outra pessoa.

E, num piscar de olhos, Harry se levanta e bate sua mão fechada na mesa. Meus olhos se arregalam, Brunna dá um pulinho para trás, mas Zayn permanece imóvel, contemplando a explosão de Harry e sorrindo vitorioso por leva-lo ao limite. As pessoas que estão em outras mesas lançam olhares curiosos para nós.

— Já chega, Zayn! – Harry grita. — Cala a porra dessa boca, ou eu mesmo faço isso para você! – quando ele ameaça ir para cima de Zayn, me levanto e rapidamente, estou ao lado de Harry, impedindo-o de fazer alguma besteira.

Ele me olha, com as narinas abertas e sua respiração rápida. Os olhos estão gotejando fúria, muito diferente do que aconteceu mais cedo.

— Vamos embora. – digo, olhando-o no fundo dos olhos, segurando seu ombro. Ele bufa e desvia do meu toque, andando em direção a saída.

Olho para Brunna, que está completamente perdida, e depois para Zayn. Franzo a testa ao notar a calmaria que ele está.

Quando me viro para seguir Harry, vejo que ele está imóvel. Completamente paralisado. Uma mulher está em sua frente, com os olhos cheios de raiva.

Me aproximo e ouço ela gritar

— Você! Você é o culpado por tudo aquilo! – ela esbraveja, com os olhos arregalados e cheios de lágrimas.

Harry parece me pânico, desarmado e perdido.

— Deveria ter ficado na cadeia, que é o lugar para pessoas como você! – ela dá um passo para frente, encarando-o de perto. — Assassino!

Ela faz menção de atacar Harry, mas alguns funcionários da pizzaria a seguram. Harry olha para dentro do restaurante, vendo que todos estão apavorados com a cena que acabou de acontecer. Ele saí andando em direção ao carro.

Corro atrás dele, e só quando eu saio da cobertura da pizzaria percebo que está chovendo. As gotas frias e grossas nos molham em menos de segundos. Tento alcançar Harry, mas ele já está dentro do carro.

Entro e fecho a porta. Ele coloca a chave na ignição e liga o carro com certo desespero.

— Quem é aquela mulher? – pergunto. Parte de mim sabe que não deveria fazer perguntas agora. Mas a outra parte está com receio, e não resiste em perguntar.

Harry olha pelo retrovisor e saí com o carro da garagem.

— Eu estou falando com você, Harry! – digo e ele me ignora de novo, acelerando mais o carro. — Me responda! Quem é ela?

— Ninguém que te interesse, Felicity! – esbraveja, ainda mais alto. — Agora você pode calar a porra da boca?

— Não! – grito. —  Aquela mulher diz aquelas coisas e você quer que eu finja que não aconteceu nada? – giro meu tronco para encara-lo. — Diga, Harry!

— Mas que porra! – ele passa a mão no cabelo. Seus dedos trêmulos e sua voz carregada de fúria faz meu corpo tremer. — Esquece isso!

Percebo que a velocidade do carro está o dobro do permitido, e a estrada está escorregadia.

— Harry, vai devagar. – coloco a mão no painel e olho para ele.

— Não me diz como eu devo dirigir! – urra e acelera ainda mais.

Meu coração começa a bater forte e penso que sairá pela boca. Carros que vêm da outra direção buzinam mas Harry não diminui.

— Harry, por favor! – minha voz falha e a angustia toma conta de mim.

— O que é, Felicity? Não gosta de um pouco de adrenalina? – ele debocha, mas a raiva continua presente em seu tom de voz.

Fecho os olhos e espero que tudo isso passe. Quando os abro de novo, vejo que estamos em frente à minha casa. Olho para fora da janela e depois para Harry. Sua expressão se ameniza e seus olhos estão carregados de culpa.

Uma lágrima desliza pela minha bochecha, que não deixa de ser notada por Harry.

— Lily.. – murmura, esticando o braço para me tocar.

Me esquivo de seu toque e vejo ele murchar.

Abro a porta do carro com tudo e saio.

— Você é um completo maluco, Harry Styles! – grito e fecho a porta do carro com tudo.

Dou as costas e ando até a porta de casa, encostando minhas costas nela quando entro em casa e a fecho. Tento normalizar minha respiração.

A luz da sala é acesa e vejo minha mãe me encarando.

— Onde você estava, Felicity? – cruza os braços.

Engulo seco. Arrumo minha postura e passo a mão no cabelo, tirando as pequenas gotas de chuva.

— Eu fui ver os convites e.. acabei encontrando Brunna. – forço um sorriso. — Nós conversamos e não vi a hora passar. Desculpe, mãe.

— Você sabe que horas são? Pelo Céus! – bufa.

— Eu sei. Não acontecerá de novo. – forço um sorriso. — Prometo. – beijo sua bochecha. — Boa noite.

Subo as escadas correndo e vou direto para o banheiro. Tiro a roupa encharcada e entro embaixo do chuveiro. A água morna sempre relaxa os músculos, mas dessa vez, parece não funcionar.

Desligo a água e me enrolo na toalha. Volto para o quarto e pego uma roupa qualquer. Um moletom é minha escolha. Visto e me deito na cama, na intenção de dormir.

O turbilhão de emoções me invade e sinto-me sufocada em meu quarto.

Decido ir para o único lugar que tenho paz.

Desço as escadas nas pontas dos pés e abro a porta devagar. Quando sinto o vento frio tocar a pele do meu rosto, consigo respirar melhor.

Vou até o conservatório e destranco a minha sala. Sento-me no banco do piano e abro sua tampa. A luz que a lua emite é o suficiente para iluminar e causa um efeito sensacional.

E sem que eu precise de partitura, meus dedos começam a deslizar pelas teclas. Aproveito o fato das paredes terem abafadores de som, para que minhas aulas não atrapalhem as de minha mãe, e vice-versa.

Embargada pela música, fecho os olhos e deixo que apenas a sensação de tocar me preencha. 

Comptine d'un autre ete, uma das minhas melodias favoritas, de um dos meus filmes favoritos. 

Ouço passos atrás de mim, e imediatamente paro de tocar, olhando para a figura na penumbra.

— Não conheço essa música. – a voz inconfundível, rouca e grossa soa. Harry está parado, com os braços pendidos ao lado do corpo, me olhando.

Desvio o olhar e volto a encarar o piano.

— O que está fazendo aqui? – toco algumas teclas aleatórias, sem ritmo ou sincronia.

— Precisava esfriar a cabeça. – responde. Sua voz está mais amena. — E a estufa é o único lugar que consigo fazer isso. – parece envergonhado. Seguro um sorriso e ouço seus passos se aproximarem mais, até vê-lo se sentar ao meu lado do banco. — Eu te vi vindo para cá..

Minha respiração se acelera e tento manter a calma.

Volto a tocar. Dessa vez, uma música completamente diferente.

— Essa eu conheço. – ele diz, com um mínimo sorriso.

Fecho os olhos.

What would I do without your smart mouth. – Harry canta, me pegando totalmente de surpresa.

Abro os olhos e o olho imediatamente, sem parar de tocar. Ele retribui o olhar na mesma intensidade. Um mínimo sorriso aparece no canto de seus lábios, me fazendo sorrir também.

Drawing me in, and you kicking me out – sua voz causa-me arrepios. Nunca o imaginei cantando, e posso garantir, que é a coisa mais linda que já ouvi. — Got my head spinning, no kidding, I can’t pin you down.

Meus dedos continuam trilhando sozinhos seus caminhos entre as teclas, em perfeita sincronia com a voz rouca e viciante de Harry.

What’s going on in that beautiful mind? – enquanto canta, ele passa as pontas dos dedos no meu braço, me causando um arrepio inexplicável. — I’m on your magical mystery ride, and I’m so dizzy, don’t know what hit me, but I’ll be alright.

O ritmo aumenta e Harry faz uma pausa para inflar os pulmões de ar.

My head’s under water, but I’m breathing fine. — sua voz ganha uma entonação diferente quando canta esse verso – You’re crazy and I’m out of my mind – sussurra essa última parte, como se estivesse dizendo para mim.

O refrão se aproxima e cada vez mais estou entorpecida pela sua voz.

Cause all of me loves all of you. – passa a língua nos lábios. — Love your curves and all your edges, all your perfect imperfections. – solta uma risadinha baixa ao cantar essa última parte.

Mordo a parte interna da bochecha, evitando rir.

 — Give your all to me, I’ll give my all to you. – sua voz saí como uma súplica, fazendo meus pelos se enrijecerem. 

Respiro fundo, mantendo os batimentos do meu coração calmos.

— You’re my end and my beginning, even when I lose I’m winning – seus olhos fixam nos meus, enquanto meus dedos vão desacelerando seu ritmo.

A melodia acaba, mas continuamos nos olhando com intensidade.

— Desculpa por agir como um idiota. – Harry sussurra, abaixando o olhar.

— Só.. vamos dar uma trégua, está bem? – rio, um pouco nervosa e abalada pela energia que está nos cercando. — Eu não aguento mais brigar. – deito minha cabeça em seu ombro, exausta. Sinto seu cheiro amadeirado.

— Trégua. – ele responde. — Só não garanto que não vou pegar no seu pé se for teimosa. – dou um soco leve em seu ombro e ele ri.

Seu olhar sustenta o meu. Desço meus olhos para seus lábios convidativos, entreabertos e rosados. Ele os umedece e sinto meu peito queimar.

Como se a realidade me batesse, balanço a cabeça e me levanto em um pulo.

— Eu preciso ir. – digo, entrelaçando os dedos.

Harry sorri de lado e concorda com a cabeça.

— Pode ficar à vontade. – digo. Ele sorri com malícia e eu arregalo os olhos. — Quer dizer, na estufa. – comprimo os lábios.

— Eu não disse nada. – levanta as mãos em sinal de paz, fingindo-se de inocente.

Abaixo o olhar e rio. Minhas bochechas coram e agradeço por estar a noite e ele não poder ver.

— Boa noite. – digo por fim e saio dali o mais rápido que consigo.

Corro para dentro de casa, tomando cuidado em não fazer barulho. Subo para o meu quarto e me jogo na cama.

A voz de Harry está gravada em mim, e nada poderá me tirar essa lembrança.

Fecho meus olhos e adormeço, ainda ouvindo Harry cantar em meus pensamentos.


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA VCS ESTÃO GRITANDO COMO EU???????????? DHASIHDISAUHDI

AGORA AS COISAS VÃO COMEÇAR A TOMAR RUMO, AMÉM.
O que vcs acham sobre essa cena na pizzaria com o Harry e essa mulher? hmmmmmmmm
E pq Harry odeia tanto o Zayn/????? teorias, adoro teorias

Links:
primeira música que a Lily toca: https://www.youtube.com/watch?v=NvryolGa19A

Segunda que a Lily toca/Harry canta: https://www.youtube.com/watch?v=450p7goxZqg (versão original)
https://www.youtube.com/watch?v=Tdq1XXpV2-o (versão piano)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...