História Moonlight shadow II Beta Alfa Ômega - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf, The Vampire Diaries
Personagens Alan Deaton, Allison Argent, Bobby Finstock, Breaden, Brett Talbot, Chris Argent, Corey Bryant, Damon Salvatore, Danny Mahealani, Derek Hale, Dr. Wesley "Wes" Maxfield, Emilly Bennett, Ethan, Hayden Romero, Jennifer Blake, Johnathan Gilbert, Ken Yukimura, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Marin Morrell, Mason Hewitt, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Natalie Martin, Noshiko Yukimura, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stefan Salvatore
Tags Fanfic, Teen Wolf, The Vampire Diaries
Visualizações 35
Palavras 4.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Sobrenatural, Super Power, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite pessoas linda, to aqui de novo para deixar mais um capítulo da nossa fic, um abraço a todos e até a próxima

Capítulo 34 - Capítulo XXXIV- Descontrole.


Fanfic / Fanfiction Moonlight shadow II Beta Alfa Ômega - Capítulo 34 - Capítulo XXXIV- Descontrole.

Lugh abraça Bonnie, ela se surpreende com a atitude do garoto, e não deixa de se sentir comovida. Ela estava em um novo mundo, e sabia dos perigos e dos riscos que futuramente viria enfrentar, mas à medida que ela ia conhecendo e se envolvendo com as pessoas daquele lugar seu vínculo e sua relação com essas pessoas cresciam principalmente com Lugh Andy e Pedro ela tinha que fazer algo, não podia abandona-los. Lugh e Bonnie são interrompidos por batidas na porta, que em seguida se abre.

Pedro – A aula já terminou, eu avisei ao professor que Lugh tratava de um assunto particular, está tudo bem? Você vai para a próxima aula?

Lugh – Sim, agora está.

Bonnie – Agora vá para suas aulas, afinal seus estudos não se limitam apenas a magia.

Lugh pega sua mochila e vai de encontro ao amigo. Bonnie observa os garotos se distanciarem. 

Pedro – O professor avisou que não haverá a última aula, parece que haverá uma homenagem no ginásio para as vítimas do ataque que aconteceu na floresta, alguma coisa assim.

Lugh – O caso do ataque animal?

Pedro – Sim esse mesmo, parece que algumas das vítimas eram alunos daqui.

Lugh – Você não acha tudo isso muito estranho?

Pedro – Sem dúvida, fico me perguntando que tipo de animal seria capaz de fazer aquilo, você viu as fotos?

Lugh – Não, achei que se trava de uma investigação confidencial.

Pedro – E é, mas vazaram algumas fotos na internet.

Lugh – É estranho que ninguém tenha sobrevivido e escapado deste ataque.

Pedro – E se não foi um animal?

Lugh – Verdade, já que alguns animais têm o habito de andar em bandos, como coiotes e lobos, embora essas espécies não sejam muito comuns nesta região.

Pedro – Não foi o que eu quis dizer, não me referia a quantidade.

Lugh – Como assim?

Pedro – E se não foi realmente um animal?

Lugh – E o que mais poderia ser?

Pedro – Lobisomens...

Lugh fica em silêncio por um instante.

Pedro – Ué você não vai me questionar?

Lugh – Antes talvez, hoje em dia tenho minhas dúvidas.

Pedro – Por que você diz isso?

Lugh – Bem antes se alguém me dissesse que bruxos e magia realmente existiam provavelmente eu não acreditaria, ou pelo menos duvidaria. Mas o que foi que te levou a essa conclusão?

Pedro – Bem, você mesmo disse que essa cidade tem muitas lendas que envolvem esses tipos de criaturas, e hoje enquanto estávamos no treino o pessoal comentou sobre os ataques, e alguns deles fizeram até comparações com situações que já aconteceram antes.

Lugh – É mesmo?

Pedro – Sim, você tinha que ver, estávamos em um verdadeiro debate até Liam interromper o assunto.

Lugh – Agora entendo porque Brett disse aquelas coisas para mim.

Pedro – Brett? O que tem ele a ver com isso?

Lugh – Estive conversando com ele agora a pouco, e ele também me falou sobre esse assunto dos lobisomens, na verdade quase que entro em uma enrascada, ele me pegou praticando um feitiço, por pouco não consigo explicar...

Pedro – Sério?

Lugh – Sim, ele voltou para o campo e me pegou no flagra.

Pedro – Mas Bertt não estava com a gente na quadra, ele só nos acompanhou até o vestiário, nós até chamamos ele para ir mas ele disse que tinha uma coisa importante para fazer.

Lugh – Pensei que ele tivesse ido com vocês, que estranho nós conversamos exatamente sobre o mesmo assunto, que coincidência.

Pedro – E se não for uma coincidência?

Lugh – Como assim?

Pedro  – Lembra que na aula anterior fui chama-lo na sala da Bonnie?

Lugh – Sim lembro, e o que tem isso?

Pedro – Eu encontrei a Hayden espionando vocês, e agora você me diz que Brett te viu, e se eles estiverem de olho em nós.

Lugh – Mas por que fariam isso?

Pedro – Talvez eles desconfiem do que somos. Você nunca achou esse interesse repentino deles de se aproximar de nós um pouco estranho?

Lugh – Nunca me questionei afinal somos da mesma turma e agora fazemos parte do time.

Pedro – Não sei não Lugh, pensa, eles andam muito grudados em nós ultimamente, e as perguntas que andam fazendo sempre envolvendo esses assuntos, depois pego Hayden espiando você e Bonnie, e agora isso que você me disse sobre Brett, e se eles desconfiarem de nós?

Lugh – Eu nunca pensei nessa possibilidade, já que assuntos como este nunca são levados a sério.

Pedro – Pelo interesse que eles têm demonstrado e pelas perguntas que vivem nos fazendo, acredito que eles levem esse tipo de assunto muito a sério.

Lugh – Você tem razão, vou ser mais cuidadoso de agora em diante.

Pedro – Não só você Lugh, todos nós devemos ser, acho melhor termos uma conversa com a Andy também.

Lugh – Verdade precisamos falar com ela.

Pedro – Sim, e eu não quero correr o risco de parar em uma fogueira depois de um julgamento da inquisição em praça pública, ou ser enforcado, afinal a história nos mostra muito bem como bruxos eram vistos e tratados.

Lugh – Pelo amor de Deus Pedro a inquisição foi extinta a quase dois séculos. Os tempos são outros não vivemos um uma civilização de bárbaros.

Pedro – Sim, mas nunca se sabe do que uma população amedrontada é capaz, e vai saber se aqueles garotos não participam de algum grupo secreto ou coisa assim.

Lugh – O que você acha por acaso que eles são de algum grupo de espiões do vaticano? Acho que você anda lendo muito as obras de Dan Brown.

Pedro – Todo cuidado é pouco, olha lá a Andy, e olha só quem está com ela o Liam, que coincidência não?

Lugh – Acho que você está ficando meio paranoico, vamos até eles.

Luck e Andy estavam nos corredores em frente ao armário da garota, no que parecia ser uma conversa animada, Pedro e Lugh se aproximam deles.

Pedro – Liam Andy e ae como vão? Do que vocês estão falando? Você é católico?

Liam – E ae Peechan, vou bem, estava conversando com a Andy sobre o treino das garotas, vim parabenizá-la pelo ótimo trabalho que ela tem feito. Como  assim Católico?

Andy – Que isso Liam, não fiz nada demais.

Liam – Não seja modesta, você merece os créditos, afinal a ideia foi sua e você tem treinado as garotas, a moral do time subiu muito, depois dos treinos com as garotas da torcida.

Pedro – Não é só a moral, pelo que ando vendo no vestiário.

Lugh – Peechan!!!

Liam e Andy ficam corados.

Liam – Só quis dizer que foi uma excelente ideia a dela, você realmente é uma garota muito talentosa e...

Hayden – Liam! Onde você esteve?

Diz Hayden se aproximando de Liam por de trás surpreendendo o garoto, acompanhada de Brett e Lori.

Liam – Oi Hayden, eu estava aqui conversando com os garotos, falando dos treinos.

Pedro – E das líderes de torcida.

Liam – É... quis dar os parabéns a Andy pela ótima ideia.

Hayden – Não sei se isso foi lá uma boa ideia, afinal o time de lacrosse nunca precisou disso antes.

Brett – Acho que tem ajudado de certa forma, os garotos andam mais confiantes.

Pedro – É segundo Liam a moral do time anda subindo.

Hayden – É só a minha opinião.

Andy – Eu entendo sua frustração, afinal você está indo muito mal nos treinos mesmo, acho que você é um pouco dura para dança.

Hayden – É talvez, ou talvez eu só não queira me exibir demais.

Andy – O que você está querendo insinuar com isso?

Hayden – Nada queridinha.

Lugh – Gente olha só a hora melhor irmos ou vamos nos atrasar para a aula.

Hayden – Tem razão, vamos Liam eu preciso tratar de um assunto com você.

Liam apenas faz um gesto para os garotos e se reúne a seus amigos, Andy se vira para seu armário dando as costas a eles quando ouve “ Essa garota não passa de uma oferecida...” Irada ela se vira.

Andy – O que foi que você disse Hayden?

Todos olham para Andy, inclusive Hayden que parecia tão surpresa quanto os outros.

Hayden – Do que você tá falando, eu... eu não disse nada.

Andy – Eu ouvi claramente.

Lugh – Não Andy ela não disse nada, vamos para sala vamos.

Lugh puxa a amiga pelo braço, dando as costas ao grupo, mas Andy novamente ouve a voz de Hayden, “ Além de tudo é maluca.”  Andy se vira novamente furiosa, ao mesmo tempo Hayden leva sua mão a cabeça e cai de joelhos no chão gritando de dor seu nariz e ouvidos começam a sangrar, a porta dos armários se batem. Todos entram em pânico.

Liam – Hayden ! Hayden, o que ta acontecendo.

Hayden – Minha cabeça! Ahhh!

Bonnie se aproxima dos garotos ela se ajoelha e examina Hayden que se contorcia de dor, em seguida desvia seu olhar, para Andy, a garota ouve a voz de Bonnie bem distante em sua mente, Andy pare!.... Pare....

Bonnie mantem o contato visual com Andy, tentando cortar a conexão entre ela e Hayden, sem muito sucesso, ela tenta novamente, e dessa vez é Andy quem leva a mão a cabeça atordoada, Lugh a segura, Hayden desmaia nos braços de Liam, sua camiseta estava ensanguentada.

Bonnie – Rápido levem a garota a enfermaria.

Liam pega Hayden no colo a garota acorda, mas estava atordoada, Brett e Lori os acompanham. Bonnie se aproxima de Andy que  parecia confusa, e a puxa pelo braço para dentro de uma das salas, Lugh e Pedro as seguem preocupados.

Bonnie – Andy... Andy olhe para mim.

Aos poucos Andy recobra sua consciência, sentindo uma leve dor de cabeça.

Andy – Ai, o que aconteceu?

Bonnie – É o que eu gostaria de saber, o que houve? Por que você se descontrolou e atacou aquela garota?

Andy – Eu não sei eu tive uma discussão com a Hayden, fiquei nervosa de repente tudo ficou escuro.

Lugh – Discussão? Você simplesmente acusou a menina sem ela se quer ter aberto a boca.

Andy – Eu não to ficando maluca sei muito bem o que eu ouvi. Você ouviu não foi Pedro?

Pedro – Desculpa Andy, mas eu estava ao lado de Hayden ela não disse nada.

Andy – Eu ouvi quando ela me chamou de oferecida e depois de maluca!

Lugh – Andy ela não disse nada disso.

Bonnie – Ela pode não ter dito, mas pode ter pensado, isso explica muitas coisas, inclusive seu ataque psíquico há garota.

Andy – Como assim do que você está falando?

Bonnie – Você estava conectada a mente dela por uma forte magia psíquica, foi difícil até para mim interromper a ligação de vocês.

Lugh – Tipo telepatia ou algo assim?

Bonnie – Exatamente, lembram de que disse que a magia de Andy estava ligada a água.

Pedro – sim e a minha ao fogo e a de Lugh ao ar.

Bonnie – Exatamente, uma das características desse tipo da magia de  é sua ligação com a  intuição, a sensitividade, as emoções e  a telepatia. O que a Andy usou foi um tipo de magia ofensiva que causa o que vocês devem conhecer por aneurisma, usamos esse tipo de magia para atacar criaturas sobre....

Bonnie faz uma pausa ao notar o que ia dizer, os garotos a observam intrigados.

.... bem como eu ia dizendo esse feitiço ofensivo causa uma forte dor de cabeça nas pessoas, mas para executar esse tipo de magia é preciso uma grande habilidade telepática.

Pedro – É tipo a maldição cruciatus?

Bonnnie – Maldição cruciatus, que diabos é isso?

Lugh – É uma das três maldições imperdoáveis em Harry Potter, ela serve para causar dor e torturar as vítimas.

Bonnie – Bem é algo parecido com isso, vocês usam cada referência...

Pedro – Que da hora preciso aprender esse feitiço!  

Bonnie – Não tem nada de da hora nisso Pedro. Se eu não tivesse cortado a conexão telepática entre elas, Andy poderia ter matado a garota.

Andy leva a mão a boca assustada com o comentário de Bonnie.

Andy – Eu... eu... juro que não fiz por mal...eu nem sei como fiz isso... não usei nenhum tipo de feitiço.

Bonnie – Eu sei Andy. Como te disse a sua magia tem uma forte ligação com suas emoções, o descontrole de suas emoções fez você usar essa magia. E nem toda a magia precisa de encantamentos ou se quer ser verbalizada, basta a concentração e o desejo do bruxo.

Andy – Eu juro que não fiz por mal.

Bonnie – Eu sei querida, mas se sua magia está ligada a este nível a suas emoções é melhor que você aprenda a controlá-la. E também você deve tomar cuidado para não nos expor.

A preocupação toma conta da face de Lugh.

Lugh – Bonnie, acho que Luck não foi a única a cometer esse erro.

Bonnie – Como assim Lugh?

Lugh – Bem, eu estava praticando um feitiço hoje e Brett me surpreendeu.

Bonnie – Onde e como foi isso?

Lugh – É que havia acabado o treino de lacrosse e os garotos foram para a quadra mas decidi ficar no campo lendo um dos grimórios que você me emprestou. Lembrei daquela magia de levitação que você usou quando nos contou que  era uma bruxa, então procurei no livro algum feitiço semelhante. Então tentei um e funcionou, mas na hora Brett chegou e viu, eu dei uma desculpa para ele disse que era um truque de mágica ou algo do tipo.

Bonnie – Meninos, eu não preciso lembrar há vocês que devemos ser discretos, que precisamos manter segredo sobre nossas práticas.

Lugh – Desculpe Bonnie não foi por mal, é que eu estava chateado por não andar fazendo as coisas direito, só queria praticar um pouco.

Bonnie – Tudo bem Lugh, mas seja mais cuidadoso e discreto e tente evitar usar sua magia fora de nossos treinamentos, ao menos que seja realmente necessário isso serve para todos vocês, magia deve ser usada por necessidade, não por diversão deve haver um objetivo válido, ético, altruísta, importante, para se resolver uma carência ou problema de alguém, ou pedir entendimento para que a pessoa resolva seus próprios problemas.

Lugh – Prometo ser mais responsável.

Pedro – Se bem que acho que não foi por acaso que Brett te surpreendeu, eu acho que ele estava te espionando, assim como a Hayden.

Bonnie – Como assim Pedro?

Pedro – Hoje na hora que Lugh foi a sua sala, na aula anterior eu peguei Hayden espiando vocês, e Brett não foi para a quadra como resto do time, acho que ele também devia estar de olho em Lugh, fora as perguntas estranhas que eles vivem nos fazendo, na verdade eu acho que eles suspeitam de alguma coisa.

Bonnie – Que tipo de perguntas?

Pedro – Sobre criaturas sobrenaturais, e lobisomens coisas do tipo.

Andy – Eu nunca vi nada de mais nas perguntas deles, eles só nos questionaram quanto aos nossos gostos sobre esses assuntos.

Pedro – É claro que você e Lugh não desconfiaria deles, os dois vivem iludidos por essa paixonite que sentem por Liam e Brett. Bem que falam que o amor deixa as pessoas segas.

Lugh – Ei Pedro pega leve.

Pedro – Desculpe, mas é o que eu acho. Tudo bem que vocês queiram defender Brett e Liam, mas e quanto a Rayden?  O que ela fazia espionando você e Bonnie? Não se esqueçam de que todos eles andam juntos.

Bonnie – As suspeitas de Pedro fazem  sentido. Neste caso todo cuidado é pouco. Bem meninos é melhor vocês irem para aula, já fiz Lugh perder uma aula não que quero que perca outra, nem vocês.

Os garotos iam saindo da sala quando Bonnie os interrompe.

Bonnie – Lugh você disse que usou um feitiço de levitação como o que mostrei a vocês, mas não me lembro de ter algum feitiço desse tipo descrito no livro que te emprestei, que feitiço você usou?

Lugh – Na verdade não foi bem um feitiço de levitação em si, eu estava lendo um capítulo do livro em espanhol eu acho, bem este capítulo falava sobre a telecineseia e seu uso na magia algo assim, então associei as coisas, e imaginei que um feitiço que usasse a telecinese poderia servir para levitar objetos.

Bonnie – Sim sua lógica faz sentido, já que no fundo tudo se trata da manipulação da matéria, mas qual feitiço você usou?

Lugh – Um chamado motus.

Bonnie arregala os olhos com a surpresa.

Bonnie – Você usou esse feitiço para levitação? E funcionou?

Lugh – Sim, é claro que não foi na primeira tentativa, mas depois eu me lembrei dos passos que você nos ensinou naquele exercício em que canalizamos um ao outro, concentrar, imaginar e sentir, algo assim se não me engano, fiz isso e o feitiço deu certo, mas por que a surpresa? Não era o resultado esperado?

Bonnie  sorri admirada com a habilidade a ingenuidade de Lugh.

Bonnie – Bem não exatamente, primeiro porque você usou um feitiço que não é nada fácil de se controlar, eu mesma demorei muito tempo para aprender a usá-lo, e segundo porque normalmente esse feitiço serve para mover objetos e não levita-los, e você conseguiu manipular o feitiço ao ponto de dar outra função a ele. Engraçado porque a minutos atrás você estava se questionando sobre as suas habilidades, e isso só prova o quanto a sua magia vem evoluindo e o quanto ela é poderosa.

Lugh – Você acha mesmo?

Bonnie – Eu tenho certeza, e visto o que Andy acabou de fazer eu creio que vocês avançaram muito mais do que o esperado na verdade, afinal telepatia e telecinese não são habilidades fáceis de se desenvolver, acho que os subestimei demais, está na hora de levarmos nosso treinamento a outro nível.

Pedro – Que nível exatamente?

Bonnie – Magia ofensiva e defensiva. Talvez alguns feitiços de cura e recuperação, controle mental, em fim vou prepara um conteúdo mais desenvolvido para vocês.

Pedro – Tenho certeza de que vou gostar muito desse nível.

Andy – É tipo como subir de level?

Lugh – Magia ofensiva e defensiva, não seria o mesmo que ataque de defesa?

Bonnie – Isso mesmo.

Lugh – E porque usaríamos magia para atacar alguém?

Bonnie – A verdade é que existem muitas forças as quais vocês desconhecem, portanto é importante aprender a se defender e a atacar se for preciso. Bem vão para a sala de vocês, não quero que percam a aula.

Andy – Estou preocupada com a Hayden, será que ela vai ficar bem? Eu não queria feri-la.

Pedro lança um olhar incrédulo para a amiga.

Andy – Talvez não tanto, ai para já disse que foi sem querer.

Bonnie – Hayden vai ficar bem, ela parece ser o tipo de pessoa que se recupera rápido.

Andy – Tem certeza?

Bonnie – Sim tenho, eu vou até a enfermaria ver como ela está, agora vão para a sala.

Pedro – Será que existe uma versão da maldição Avada Kedavra?

Bonnie – Maldição o que?

Andy– Avada Kedavra, é mais uma das três maldições imperdoáveis em Harry Potter é a maldição de...

Pedro – Não é nada! Não é nada Bonnie, é só uma bobagem desses livros que a gente lê, nada de mais, “ vinte pontos para Grifinória”, os dois querem para de dar uma de Hermione por favor.

Bonnie – Ai ai, esses meninos viu, to começando a me questionar se realmente devo continuar ensinando vocês.

Pedro – Sim deve Bonnie com certeza.

Bonnie – É, mas acho bom eu dar uma lida nesses livros que vocês andam lendo antes.

Os garotos seguem pelo corredor indo em direção a sala de aula.

Hayden estava deitada em uma cama na enfermaria do colégio, ela ainda se sentia atordoada e com uma leve dor de cabeça, mas já havia se curado do dano que lhe foi causado graças as suas habilidades sobrenaturais, o médico já havia examinado a garota.

 – Aparentemente não me parece nada de grave, mas acho melhor levamos você há ao hospital, para fazer exames específicos.

Hayden  – Eu já estou bem, foi só uma tontura e o sangramento no nariz, acho que fiquei tempo demais ao sol durante o treino.

 – Você realmente parece melhor mas ainda assim...

Hayden – Não se preocupe se eu sentir algo demais eu peço para minha irmã me levar ao hospital, e também já estamos quase no final das aulas mesmo.

 – Bem eu vou notificar a direção para ver o que eles decidem, eu já volto.

O médico sai da sala, Liam e os outros aproveitam sua ausência para entrar.

Liam – Você está bem?

Heyden – Sim estou.

Diz a garota ainda brava.

Brett – Mas o que aconteceu o médico disse o que você tem?

Hayden – Não ele disse que era preciso eu fazer exames mais detalhados. Mas eu já me curei.

Brett – Mas como isso foi acontecer, nós não ficamos doentes.

Hayden – Eu não sei, só sei que senti como se meu cérebro estivesse queimando em minha cabeça, na verdade a minha cabeça ainda está doendo um pouco.

Lori – Vocês viram o que aconteceu, as portas dos armários batendo, vocês viram aquilo?

Liam – Eu não vi nada, na hora que vi Hayden tendo aquela crise eu entrei em desespero.

Brett – Mas eu vi, e já é a segunda coisa estranha que vejo hoje.

Lori – Você ta falando do lance das folhas flutuando? Eu queria estar lá para ver.

Liam – Folhas flutuando? Do que você tá falando Lori?

Brett – Aquela hora em que vocês foram para a quadra, vi que Lugh não foi então decidi ficar para ver o que ele ia fazer, de início ele estava lendo um livro. Mas depois vi que ele parou de ler e estava tentando fazer alguma coisa. Eu me aproximei para ver melhor ele estava de olhas fechado, ele ergue a mão e uma folha começo a flutuar, quando vi aquilo me escondi atrás de uma arvore, e continuei observando, depois um monte de folhas começaram a flutuar a girar em volta dele.

Liam – Cara que coisa sinistra.

Lorie – Eu acharia maneiro.

Hayden – É claro você gosta dessas coisas bizarras.

Liam – Isso não é só sinistro é surreal. Pelo amor de Deus não vai me dizer que o garoto balanço um graveto e que também disse “wingardium leviosaaaa”.

Lori – “É leviosa e não leviosaaaa.”

Hayden – Vocês querem levar isso a sério por favor!

Diz Hayden furiosa deixando Liam e Lorie constrangidos.

Liam – Você viu mais alguma coisa estranha fora isso?

Brett – Não, mas resolvi me aproximar e surpreende-lo para ver sua reação. E o garoto levou um belo de um susto, sabe do tipo quando você está fazendo algo escondido. Eu perguntei a ele como ele havia feito aquilo e ele me disse que era um truque de mágica.

Hayden – Como naquele dia na biblioteca da casa deles.

Brett – Primeiro o lance como fogo, agora esse truque com as folhas é muita coincidência vocês não acham?

Hayden – Talvez  a crise que tive não tenha sido algo natural.

Liam – O que vocês querem dizer que eles são mágicos ou algo do tipo.

Hayden – Magica são truques que envolvem ilusionismo, não são reais,  acho que o que eles fizeram foi outra coisa. Acho que foram eles que fizeram eu ter aquele ataque de dor de cabeça, na verdade acho que foi aquela garota.

Liam – Isso é impossível, ela nem tocou em você, como  ela ia fazer isso?

Hayden – Da mesma forma que fizeram fogo aparecer do nada e folhas flutuarem!

Lorie – Magia.

Liam – Espera aí Lorie não viaja, você realmente acredita nessas coisas?

Lorie – Ué e por que não?

Liam – Essas coisas não existem, isso foge totalmente a realidade.

Hayden – E por que não? Se eu te dissesse que Lobisomens existiam a três anos atrás você acreditaria?

Liam – É diferente...

Brett – Não, não é. O que Hayden, disse faz sentido. Eu tive uma conversa parecida com Lugh, e ele me disse quase a mesma coisa, só que em relação a nós.

Liam – Como assim? Do que vocês falaram exatamente?

Brett – Bem depois de ver o “truque” que ele fez, eu comentei que Lorie havia me contado sobre o que ele e os amigos fizeram com o fogo. Então aproveitei e perguntei a ele sobre esse interesse que ele tinha envolvendo coisas sobrenaturais, então cheguei ao assunto dos lobisomens, questionei sobre a possível existência, e ele me pareceu de certa forma crédulo. Disse que não podia afirmar que existiam mas acreditava na possibilidade.

Liam – Isso não quer dizer que de fato acreditem.

Hayden – Liam você quer para de defender aqueles garotos!

Liam – Eu não estou defendendo ninguém... eu só....

Hayden – Só o que Liam? Você por acaso está interessado naquela garota?

Liam – Hayden do que você está falando?

Hayden – Percebi que você anda atrás dela!

Liam – Dela não, de todos eles, afinal não foi você mesma quem disse que deveríamos nos aproximar deles? Ou você por acaso esqueceu que essa ideia toda foi sua.

Hayden – Sim foi minha, mas  pelo visto você está gostando muito disso!

Liam – Talvez porque eles sejam pessoas legais.

Hayden – Você ainda defende eles?

Liam – Hayden desse tempo todo que nós estamos observando esses garotos , por acaso você viu eles fazerem algo de errado?

Hayden – Não, fora o fato daquela garota tentar roubar o meu namorado!

Liam – Então é disso que se trata, você está com ciúmes?

Hayden – Eu não estou com ciúmes! Por favor Liam só um sego para não vê que aquela garota está a fim de você!

Liam – Sim você está com ciúmes, e talvez esse seu ciúmes esteja afetando o seu julgamento.

Hayden – Então você nega que está interessado naquela garota?

Liam – Olha Hayden, você não raciocinando direito, a gente conversa quando você estiver mais calma.

Liam pega a sua mochila e sai da sala de enfermagem, Brett e Lorie observam a cena toda sem saber o que fazer, Brett vai atrás de Liam e Lori fica ao lado de Hayden.

Hayden – Eu não acredito nisso... como ele pode?

Lorie – Hayden fica calma.

Hayden – Foi ela só pode ter sido ela! Eu não sei como, se foi magica, magia ou voodoo mas só pode ter sido aquela garota! Ela pode não se chamar Carie mas com certeza ela é estranha.

Lorie – Hayden eu acho que você está levando as coisas para o lado pessoal.

Hayden – A não Lorie até você?

Lorie – Liam está certo esse tempo todo em que estamos observando esses garotos não vimos nada de errado.

Hayden – Isso não significa que eles estejam escondendo algo de nós, e com certeza é algo ruim.

Lorie – Nós escondemos nossa condição deles, isso por acaso nos torna pessoas ruins?

Hayden – São situações diferentes.

Lorie – Talvez não sejam. É verdade que não sabemos se eles são de fato pessoas comuns, mas nós também não somos.

Hayden – Tudo bem Lorie eu não vou discutir com você, mas eu não vou descansar até descobrir o que esses garotos estão escondendo de nós, ou o que eles realmente são.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...