História More Than Babes ↭ Namjin (MPREG) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Chanbaek, Jikook, Markson, Minjae, Mpreg, Namjin, Taejae, Yoonseok
Exibições 531
Palavras 3.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi! Olha quem chegou (´・ﻌ・`) eu mesma omma de vcs. Leiam o capítulo com o maior amor do mundo e vejo vcs nas notas finais.

Boa leitura e perdão os erros ٩( 'ω' )و

Capítulo 10 - More Than Disaster


Fanfic / Fanfiction More Than Babes ↭ Namjin (MPREG) - Capítulo 10 - More Than Disaster

Jin serviu uma xícara de chá para Jungkook, que tinha o nariz vermelho e os olhos repletos de lágrimas. Ele só parou de chorar naquele momento e tudo ao seu redor parecia tão sensível, que fazia o mais novo querer chorar.

— Kookie-ah... Me explique direitinho tudo que o médico lhe disse. — Jin falou e Jungkook assentiu, Jin olhou pelo o balcão americano da sua cozinha e viu Namjoon sentado no chão da sala, com os bebês ao seu redor que brincava com algumas pecinhas de LEGO.

— Okay... Eu fui normalmente sabe, fazer o exame de sangue para ver se o resultado dava positivo. Eu estava tão animado, estava indo com tanta sede ao pote, que quando chegou o resultado eu... — Jungkook parou de falar e bebeu um pouco do chá. Jin percebia que o mais novo segurava as suas lágrimas com força, se negando a chorar e derramar as suas lágrimas. — O médico leu o exame e disse que deu negativo. Eu entrei em desespero porque eu tinha a certeza de que estava grávido. — Jungkook falou rapidamente e deixou algumas lágrimas caírem, o mais novo fungou e encarou Jin. — Ele pediu para fazer uma ultrassom para ver se existia algo em mim... Mas os resultados foram outros Jin.

— Que resultados Kookie?

— O meu útero é pequeno. Infértil. Eu não posso gerar um filho. — Jungkook falou tudo de maneira muito rápida, com a raiva nítida em sua voz que mostrava o quão indignado ele estava.

— Meu Deus... Mas... E os sintomas? — Jin perguntou e Jungkook abaixou a cabeça, levando a sua mão até a sua boca para abafar alguns soluços.

— Ele disse que eu desejava tanto um filho, que acabei tendo uma gravidez psicológica.

— Mas... Não existe tratamentos ou algo assim? — Jin perguntou desesperado e Jungkook negou.

— Ele diz que engravidar eu posso... Mas o feto morreria, porque o meu útero não possui nutrientes para sustentar o feto. O meu organismo expulsaria ele. — Jungkook falou chorando e Jin não aguentou, se levantou e abraçou Jungkook, chorando junto ao mais novo.

Devia ser horrível para Jungkook saber que nunca poderia gerar uma criança. Logo ele que sempre desejou ter muitos filhos com Jimin, o mundo era tão injusto. Jin chorava e quando olhou para a sala viu Taehy olhando para ele com um bico enorme nos lábios. A garotinha vendo o seu omma chorar não aguentou, se virou para Namjoon e o bico nos lábios tremeram. O choro começou alto, Namjoon se desesperou, pegando a bebê em seus braços e balançando ela que chorava alto, Taejin vendo a sua irmã chorar olhou para Minseok e depois para Namjoon e logo abriu o berreiro. Minseok vendo que o pequeno garotinho chorava logo também não demorou, e abriu a boca soltando um longo gemido choroso e começou a chorar.

— Droga Minseok... Por que está chorando? Você nunca chora. — Namjoon falou desesperado, também querendo se jogar no chão e chorar alto.

Jin limpou as suas lágrimas e foi até Namjoon, pegou Taejin nos braços e acariciou o rosto de Minseok. Passando segurança aos pequenos, Taejin parou de chorar quase que imediatamente r Minseok vendo que Taejin não chorava mais, também parou de chorar. Jin olhou para Namjoon, que olhou para Jungkook e voltou o seu olhar para Jin. Ele sorriu e assentiu, caminhando até Jungkook e bagunçando os cabelos negros do mesmo.

— Olha Jungkook, com certeza deve ter um tratamento para isso. Não se sinta mal, você não é o primeiro e não vai ser o último com esse caso. — Namjoon deu um sorriso reconfortante para o mais novo a acariciou a bochecha dele. — Prometo fazer uma pesquisa lá no hospital e ver se consigo abaixar o preço do tratamento.

— N-não preci-

— É claro que precisa... E não vai ser nada, já que eu e Jackson possuímos uma parte das ações daquele hospital. — Namjoon falou e Jungkook sorriu, deixando uma lágrima cair entre a sua bochecha e o mesmo sorrir motivador.

— Nunca vou saber de agradecer Namjoon...

— Não precisa. — O mais velho falou e Jungkook assentiu. — Já pensou em falar com o Jimin sobre isso?

Jungkook no mesmo instante arregalou os olhos, engoliu em seco e se levantou. O mesmo negou e suspirou negando. Jimin... Jimin não iria saber daquilo.

— Ele vai me deixar. — Jungkook falou desesperado e Jin negou, ele conhecia muito bem Jimin e sabia o quão loucamente o mais velho era por Jungkook.

— Jungkook... Jimin não vai te deixar. — Jin falou calmamente e olhou para Namjoon, o mais velho brincava com Taehy e tentava manter a garotinha calma.

— Ele vai Jin! O sonho de Jimin é ter filhos... E ele vai ter, filhos que não será comigo. Meu Deus! — Jungkook gritou cobrindo o seu rosto com as suas mãos e se entregou ao choro. Um choro alto e violento, que fazia seus ombros tremerem e os soluços saírem de sua boca. — Jimin não pode se casar comigo! Ele vai casar com uma mentira.

— Chega Jungkook! Se acalme! — Jin gritou assustando Taejin, o loiro se desculpou com o seu bebê e acalmou ele, voltou para a sala e colocou ele no Cercadinho, junto de Minseok, que pareceu animado ao ver o garotinho.

— Jin-ah! — Jungkook abraçou Jin ao ver os braços dele livre. — Me ajuda.

— Calma meu pequeno. — Jin suspirou e abraçou Jungkook. — O que você tem que fazer agora é contr tudo para Jimin, esperar um tempo e tentar novamente okay? Vejo bem Jungkook, você ainda está na faculdade, Jimin também. O emprego dele apenas dá para sustentar vocês dois, imagina com um bebê, Jimin ia trabalhar mais e não teria tempo nem para você e nem para o bebê. — Jin explicou calmamente e beijou a testa do garoto. — Veja bem, se você não engravidou agora é porque a hora não é essa.

— Essa hora nunca vai chegar porque eu não posso engravidar. — Jungkook gritou e o som de algo caindo no chão se fez presente ali.

Jin e Jungkook se viraram a tempo de ver um Jimin choroso sair pela a porta e um vaso de rosas despedaçados no chão. Jungkook soltou Jin rapidamente e correu atrás do seu noivo, deixando para trás um Jin aflito e preocupado. O loiro caminhou até a porta e a fechou, foi até a cozinha e pegou a pá e a vassoura. Varreu os restos de flores e vidros no chão, escutando os gritos que vinha do apartamento vizinho, ou seja, Jimin e Jungkook brigavam e brigavam feio.

— Aish... — Murmurou e jogou no lixo os restos das flores. Sentiu longos e fortes braços rodearem a sua cintura e se permitiu deixar Namjoon o abraçar. — Estou tão preocupado.

— Jimin e Jungkook são adultos Jin. Eles sabem se resolver. — Namjoon falou e Jin assentiu sorrindo fraco.

— Não é isso que me preocupa, é o fato de que Jungkook fique mal. Traumatizado sabe? Ele sempre foi muito louco para ter filhos, eu estou me sentindo mal agora... Ele vai olhar para os meus filhos, e desejar ter os deles e... E... Argh! Isso é terrível. — Jin murmurou sentindo algumas lágrimas escorrerem pela a sua bochecha. Sentiu o seu corpo ser virado e Namjoon sorrir para si, mostrando aquelas malditas covinhas.

— Escute Jin... Jungkook vai engravidar e ter os filhos dele, não se sinta mal e muito menos se sinta mal pelos os seus filhos. Jungkook sabe que poderá tentar novamente, ele só está tentando assimilar a ideia de que talvez nunca tenha um filho.

— Não sei o que eu faria no lugar dele. — Jin murmurou olhando nos olhos de Namjoon, que apenas sorriu terno e se inclinou.

— Não vai acontecer Jin.

O rosto de Namjoon estava muito perto do rosto de Jin, o mais novo se sentia constrangido, Namjoon nunca ultrapassava o limite, que era até agora abraços. O rosto de Namjoon se aproximava cada vez mais, Jin sem ao menos perceber prendeu a respiração e encarou os lábios carnudos na sua frente, a respiração de Namjoon estava desregulada e Jin colocou a mão no peito do mais velho, sentindo o coração dele bater cada vez mais forte.

— Namjoon...

— Sim Jin? — Namjoon levou uma de suas mãos até a bochecha do mais novo e acariciou. Namjoon estava surtando por dentro, a quanto tempo ele deseja tocar assim em Jin, sentir a pele alva do mais novo e sentir o gosto de seus lábios. Ele queria mesmo comprovar que Jin era a personificação do pecado em pessoa.

— Quero que saiba uma coisa... Não sou rico, sou pobre mas sou humilde. Trabalho como faxineiro em uma empresa e quase não ganha um salário mínimo. Moro em um bairro humilde, não tenho um carro e muito menos uma moto. Tenho dezenove anos, e tenho dois filhos que amo mais do que tudo nessa vida, não comecei a minha faculdade e não tenho nenhuma riqueza para exalar. Eu não tenho nada para oferecer. — Jin falou olhando profundamente nos olhos de Namjoon, que apenas soltou uma risada e se aroximou ainda mais.

— É isso que eu admiro em você Jin, a forma de como você é e de como você encara tudo ao seu redor. Você é a pessoa mais trabalhadora que conheço, olha que conheço muitas pessoas. — Jin soltou uma risada e deixou Namjoon continuar. — Você ter filhos com essa idade e ainda pai solteiro me deixou completamente encantado. Você é forte Jin, nunca deixe ninguém dizer o contrário. — Namjoon sussurrou a última parte e Jin levou as suas mãos até a nuca do mais velho, sentiu a mão de Jin acariciar a sua cintura e sorriu emocionado com tudo.

— Muito obrigado Namjoon. — Falou e o mais velho negou, beijando a bochecha do mais novo e arrastando os seus lábios pela a bochecha até o canto da boca do mais novo, de uma forma carinhosa.

— Sou eu que agradeço. — Namjoon sussurrou e Jin sentiu um arrepio subir pela as suas costas.

— Pelo o que?

— Por ter me dado uma chance. — Namjoon falou e Jin foi o que não susportou mais.

Se inclinou e pegou o lábio inferior do mais velho entre os seus dentes, sentiu Namjoon se arrepiar e um aperto em sua cintura. Quando soltou o lábio do mais velho, Namjoon beijou o mais novo, passando a sua língua pelo o lábio inferior e invadindo a boca do mais novo em seguida, quando Jin lhe deu passagem. As mãos de Namjoon percorreram toda a extensão da cintura e costas do mais novo, as mãos de Jin se negava a sair do cabelo do mais velho, bagunçando, empurrando e puxando em direção a si, querendo ainda mais aproximidade entre os seus corpos. 

O beijo que antes era calmo, se tornou algo mais quente, os corpos se apertavam um contra o outro de uma forma que ambos se sentiam bem. As mãos travessas de Namjoon já descia para a coxa do mais novo e apertava, ah, Namjoon pensou que a qualquer momento poderia gozar ali mesmo, ele estava apertando as coxas que tanto desejou apertar. Jin não estava muito diferente, ele ainda era um adolescente reprimido, com os hormônios a flor da pele, ainda mais agora em que o seu período fértil começava. A vontade de Jin era de tirar aquelas roupas e se entregar ao desejo carnal que tanto almejava, era claro que ele sentia falta de sexo e não se lembrava da última vez em que transou. Mas com Namjoon ali, aquele homem que exalava virilidade o deixava com um tesão enorme, e com uma vontade de pular em seu colo e pedir para Namjoon lhe foder. Mas Jin mesmo querendo matar aquele desejo... Ele não podia matar aquilo agora, tinha três bebês na sala esperando pelo o mais velho. Então, com grande esforço, parou o beijo.

— Nammie... — Murmurou dengoso e Namjoon se sentiu indo ao inferno, e como ele queria abraçar o diabo. — Temos que parar, os bebês estão sozinhos.

— Okay... — Namjoon falou bufando alto e se afastando do mais novo. Ele escutou a risada de Jin e soltou um suspiro ao ver o quão lindo Jin era rindo.

— Não fique assim okay? Prometo te recompensar depois. — Jin falou sorrindo e Namjoon sorriu malicioso, deixou um selinho nos lábios de Jin e deu uma risada.

— Vou cobrar.



°˖✧◝(⁰▿⁰)◜✧˖°



Jungkook encarava o seu noivo com medo, medo do que poderia acontecer. Jimin tinha feito Jungkook falar tudo novamente, explicando calmamente e querendo aceitar o fato de que seu noivo não poderia gerar um filho seu. Jimin bagunçou os seus cabelos ruivos e deixou algumas lágrimas cairem pelo o seu rosto, olhou para Jungkook e viu como triste o seu amado estava.

— Desde quando você sabia disso? — Jimin perguntou baixo e Jungkook se encolheu, tentando não deixar as lágrimas cairem.

— Desde hoje... Eu estava, ou eu pensava, que estava grávido. — Jungkook falou e Jimin arregalou os olhos se levantando da cadeira.

— Você perdeu o nosso filho?!

— Não Jimin, ele nunca existiu. — Jungkook gritou, deixando as lágrimas cairem em abundância. — Eu não posso ter filhos Jimin! Sou uma aberração da natureza, um homem com útero, agora um útero que não é capaz de gerar um filho é... É... Meu Deus Jimin! — Jungkook gritou correndo até o seu quarto.

Jimin com os olhos arregalados correu atrás de Jungkook, viu o mesmo abrir o seu closet e pegar uma mala, começou a jogar as roupas na mala de um jeito qualquer enquanto chorava.

— Que merda está fazendo Jungkook?! — Jimin gritou indo para cima do noivo e o impedindo de fechar a mala.

— Jimin eu não vou deixar você se prender a mim... A casar com uma aberração Jimin. — Jungkook falou entre o choro e Jimin negou já temendo o pior.

— Pare com isso Jungkook, eu amo você e sempre vou amar, você não é uma aberração da natureza.

— Jimin você nunca terá filhos, sempre será eu e você. Não posso deixar que faça isso. — Jungkook gritou se soltando do mais velho e tentando pegar a sua mala.

Jimin jogou o corpo de Jungkook em cima da cama e subiu em cima do mais novo. Prendeu as mãos dele em cada lado de sua cabeça.

— Sim, você não podera me dar filhos mas você não vê? Ficar sem você me causaria mais sofrimento ainda. Você é meu tudo Jungkook, meu céu e a minha terra. O que seria de mim sem você? — Jimin perguntou se inclinando para mais perto do garoto e beijando a bochecha dele. — Eu te amo tanto Jungkook, ficar sem você seria o motivo da minha morte.

— Eu também te amo Jiminnie. — Jungkook falou deixando algumas lágrimas caírem. — Eu te amo tanto meu amor. Me desculpa por favor.

— Shh... Não se desculpe meu amor, sabe, você vai se casar comigo e ainda vai encher essa casa de filhotinhos meus. — Jimin sussurrou roucamente e beijou o pescoço alvo do seu noivo.

— Mas Jiminnie... O médico disse que...

— Não escute o médico amor. Se eu estou dizendo que vou te encher se filhotinhos. — Jimin sorriu malicioso e passou a sua língua pelo o pomo de adão do mais novo, que suspirou e virou o rosto prendendo a respiração. — É porque eu vou te encher de filhotinhos amor. — Jimin apertou o membro de Jungkook por cima da calça e Jungkook soltou um gemido.

— Droga Jiminnie, tira essa calça. — Jungkook falou autoritário e Jimin soltou uma risada, se levantando e desabotoando a sua calça.

— Tire a sua roupa amor. — Jimin sussurrou tirando a sua camisa e mostrando o peitoral bem malhado. Jungkook tirou a sua calça e a sua blusa, abriu bem as pernas e chamou Jimin com o dedo. O mais velho caiu por cima do mais novo e em um movimento passou a esfregar as quase ereções umas na outra. O tecido das cuecas ajudava na masturbação de ambos, Jungkook abraçou a cintura de Park com as suas pernas e arranhou as costas dele ao sentir o mais velho pressionar nas ereções.

— Oh Jiminnie... Me fode logo se não eu vou gozar. — Jungkook falou desesperado, ao sentir a sua barriga dar aquela famosa repuxada. Jimin se levantou e tirou a sua cueca deixando o seu membro ereto ser liberto, em seguida tirou a cueca de Jeon e cuspiu em sua mão, passando em seguida na entrada do mais novo. Jeon suspirou alto abrindo as pernas cada vez mais, olhou em súplica para Jimin que rosnou ao ver o olhar de Jeon sobre si. Mas Jimin queria mais, então pegou a cintura do mais novo e se sentou sobre os seus cotovelos. Abriu ainda mais as pernas dr Jeon o deixando exposto para si, sorriu ao ver a entrada do mais novo se contrair e ele choramingar. Jimin colocou a sua glande na entrada do mais novo, e o penetrou de uma vez, montando nele. Jeon soltou um gemido de dor alto, mas era uma dor que ele gostava, que ele amava para ser verdade. Jimin viu o mais novo beliscar o seu mamilo e bateu na mão do mais novo. Abocanhou o mamilo dele e chupou com força, sentindo o quadril de Jeon ir em encontro com o seu e o gemido fino de Jeon. As mãos de Jungkook estavam no ombro de Jimin querendo segurar eles, os seus espamos o fazia querer fechar as pernas por extinto. Jimin nunca tinha pena dele no sexo, era selvagem ao limite.

— Jiminnie... Ãhn! — Jungkook gemeu alto ao sentir Jimin morder sem dó nenhum o seu mamilo sensível.

Jimin olhou para a face de Jungkook e sorriu ao encontrar as lágrimas de puro prazer descer pelas as bochechas coradas do mais novo.

— Não se preocupe meu amor... Vou te foder muito bem, te encher com a minha porra e te deixar grávido para mim. — Jimin beijou Jungkook e movimentou o seu quadril para frente, o som dos quadris se batendo um contra o outro era incrível. — Te amo Jungkook.

— Te amo Park Jimin. — Jungkook falou antes de sentir o membro de Jimin ir fufo, acertando em cheio a sua próstata.



°˖✧◝(⁰▿⁰)◜✧˖°



Jin e Namjoon decidiram que seria bom sairem para jantarem fora. E a arrumação logo começou quando escutou altos gemidos vindo do apartamento vizinho. Jin arrumou os bebês e Namjoon arrumava as cadeirinhas no carro, Jin foi até a cozinha para preparar leite para o trio de bebês, mas seu celular vibrou mostrando que tinha uma nova mensagem, desbloqueou a tela e sentiu o seu corpo gelar e a sua mente parar.

"Nova Mensagem de Taehyung ♥"

Jin deixou o seu celular cair e se espatifar no chão. A tela se quebrou e o celular foi junto, mas Jin não se importava, ele só queria esquecer aquilo e que tinha lido aquilo. Era demais para o seu coração, e doía nele ignorar mais um chamada dele. Jin negou e se abaixou catando os restos do seu celular.

— Jin está tudo bem? — Namjoon se aproximou e Jin assentiu ainda um pouco perdido em seus pensamentos. — Como quebrou o celular?

— Ele caiu no chão. — Respondeu simples e sorriu para Namjoon. — Tudo pronto?

— Sim. — Namjoon assentiu sorrindo fraco e estranhando o comportamento do loiro. Mas não fez nada a respeito, apenas pegou a bolsa com leite e ajudou Jin a descer o trio de bebês.

Agora eles estavam no carro e Namjoon tentava a qualquer custo prender Taehy na cadeirinha.

— Namjoon não é assim. — Jin falou ao ver que o de cabelos verdes queria porque queria prender os mais novos na cadeirinha. — Olha e aprende.

— Okay. — Namjoon sorriu bobo e abraçou a cintura de Jin. Ele devia estar escutando e aprendendo a como prender os bebês nas cadeirinhas. Jin era tão lindo, que Namjoon se sentia perdido em tamanha beleza.

— Namjoon! — Jin gritou fazendo Jin sair de seus desvaneios e sorrir torto para o mais novo. — Você escutou?

— É claro que escutei Jin. — Namjoon falou como se fosse óbvio e o mais novo arrumou a postura, cruzou os braços e fez um bico.

— Então me diz o que eu acabei de te ensinar. — Jin desafiou e Namjoon levou a sua mão até a sua nuca e sorriu torto.

— Vamos logo Jin, meus pais estão te esperando. — Namjoon falou dando a volta e entrando no carro, Jin encarou o carro sem expressão e entrou em seguida.

— Como assim Namjoon?

— Bom, meus pais acharam que seria uma boa você ir jantar lá em casa para conhecer eles melhor, e eles você. — Namjoon deu aquele sorriso que sabia que derreteria Jin em segundos.

— Não sei Nammie...

— Vamos lá Jin, é só um jantar, o que poderia dar de errado. 


Notas Finais


UHN? EAI? TEORIAS OR NOT? bom primeiro quero me desculpar pela a demora para publicar os capítulos. Eu estava estudando para a minha prova de biologia, e eu finalmente fiz ela e... TIREI UM DEZ! LACREI! jsjsjsjsj!

Enfim meus bebês, espero que tenhan gostado do capítulo. Encontrei leitores meus em um grupo de namjin e fiquei super boba com os elogios. Jsjsjjs serião!! A Catarina pediu para mandar beijos para vcs, para quem não sabe quem é a catarina, fique sabendo que ela é a appa de vcs e já gosta pakas de vcs ao ler os comentários.

E só, me sigam no SS e no instagram agora pq eu conheci o snapchat e não vou parar de publicar fotos.

Insta: LonelySuga

Volto mais cedo do que imaginam... Amo vcs bebês da omma ♥(´・ﻌ・`)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...