História More Than Babes ↭ Namjin (MPREG) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Chanbaek, Jikook, Markson, Minjae, Mpreg, Namjin, Taejae, Yoonseok
Exibições 1.115
Palavras 2.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, oi! voltei cedo jsjsjsj! quero muito agradecer a vocês, JÁ PASSAMOS DOS 150 FAVORITOS! CÉUS! NEM SEI COMO AGRADECER! MUITO OBRIGADAA!

Vocês são uns amores e amo vocês, serião... enfim, espero que gostem do capítulo.

Boa leitura ♥

Capítulo 4 - More Than Invite


Fanfic / Fanfiction More Than Babes ↭ Namjin (MPREG) - Capítulo 4 - More Than Invite

Seokjin entrou na sala suspirando choroso ao ver Taehy deitada naquela cama, o corpo de sua bebê parecia tão pequeno no meio daqueles lençóis. O fio que ligava a veia de sua filha ao soro deixava tudo ainda mais nervoso. Ele se aproximou e beijou a testa menos de quente de sua filha e deixou algumas lágrimas caírem ao ver que ela respirava normalmente.

            - Senhor Kim? – Ele escutou o médico lhe chamar e suspirou, limpou as lágrimas e levantou o rosto, ainda envergonhado em frente ao mais velho.

            - Sim senhor... Me desculpe, não sei nem como lhe chamar. – Negou com a cabeça e escutou uma risada fraca vindo do médico.

                - Não gosto de tanta formalidade, me sinto velho. – Ele fez uma careta e Jin soltou uma risada, mas logo o cessou levando o punho a frente da boca e escondendo o sorriso. O médico ainda lhe olhava atentamente com um pequeno sorriso no rosto.

            - Se me permite dizer, o senhor não é velho e nem possui a aparência de um. O senhor é bem jovem. – Seokjin falou e o médico assentiu dando um sorriso largo, mostrando as covinhas no rosto que fez Jin suspirar.

- Obrigado, me chame de Namjoon se sentir confortável... Se não se sentir, pode me chamar de Senhor Kim.

- Oh... É o mesmo sobrenome que o meu. – Seokjin falou e logo se repreendeu por ter falado algo tão óbvio. – Me desculpe.

- Pelo o que?

- Nada... Esquece Sr. Kim. – Falou acariciando a franjinha pequena da filha que caia pela a testa.

- Hmn... Você é pai dela ou...?

- Sou a barriga mesmo. – Jin sorriu orgulhoso, orgulhoso por ter aguentado dolorosos e maravilhosos nove meses com os seus gêmeos.

- Oh bem que eu suspeitei... Ela é bem parecia com você, meninas sempre tem a tendência a levar tudo da mãe... até mesmo a beleza. – Namjoon falou e Jin corou olhando para o seu moletom enquanto sentia as suas bochechas queimarem.

Céus! Aquilo era tão envergonhoso!

- Bem Sr. Kim, sua filha tem um pequeno problema respiratório como já deve saber, por isso ela terá que tomar um medicamento. Eles aliviaram as futuras crises que ela terá, quando estiver mais velha ela vai poder substituir esses remédios pela a bombinha de ar. – Namjoon falou e Jin assentiu sorrindo largo e suspirando.

- Não sei como agradecer o senhor, fez tanta coisa por mim em menos de vinte e quatro hora e nem sabe de onde eu sou ou quem eu sou. Sou muito grato. – Jin falou se aproximando de Namjoon, que negou e sorriu.

- Não precisa me agradecer, eu vi o seu desespero e ignorar aquilo seria uma enorme covardia.

- Obrigado... Sei que sou pobre senhor mas farei questão de pagar cada centavo que lhe devo. A conta deve ter saído muito alto. – Jin falou e Namjoon fechou o sorriso. Ele negou e arrumou o jaleco em si.

- Não precisa, veja como... Um presente meu para você. – Namjoon falou tentando dar por cima da situação, mas Jin negou cruzando os braços e semicerrando os pequenos olhos.

- Você não me conhece, não pode me dar presentes assim, principalmente sendo um de tão grande valor. Eu faço questão, sei que sou pobre e não tenho nenhuma riqueza para esbanjar ou mostrar. Mas sou humilde, trabalhador e eu... irei lhe pagar tudo. – Jin fala descruzando os braços e olhando em suplica para Namjoon.

O mais belho ainda olhando o mais novo suspira, era quase impossível negar algo aquele desconhecido. Ele era lindo, lindo não, dono de uma beleza estonteante que deixou Namjoon balançado em segundos, um pequeno sorriso deixava Namjoon com as pernas vacilante, a risada daquele ser maravilhoso ali na sala consigo era capaz de destruir todas as suas barreiras. Mas ele tinha que negar aquele pedido... aquele pedido teimoso para pagar a conta altíssima do hospital. Ele tinha que negar aquele pedido, nem que tenha que magoar o mais novo a sua frente.

- Não posso deixar você fazer isso. Sinto muito. – Namjoon falou sério sendo a sua vez de cruzar os braços. Seokjin bufou e cruzou os braços batendo o pé no chão em seguida, como uma criança mimada.

- Você não pode fazer isso comigo! É a minha filha, eu decido pagar as custas dela, nem conheço você e nem sei se você tem segundas intenções com isso. – Jin fala alto e Namjoon suspira ao escutar o mais novo, ele pega a prancheta com todos os dados e entrega para o mais novo.

- Não sei se o que falou foi para me magoar, sei que não me conhece e está receoso com isso, mas me acusar com segundas intenções é algo que não admito. Se ajudei você com a sua filha é porque eu tenho boas intenções e boas vibrações com você. Aqui está, se quiser pagar pague, não irei mais me opor. – Namjoon fala firme e caminha em direção a saída da sala.

Seokjin pega a prancheta e vê o preço total de todos os gastos que ele devia ao hospital. Arregalou os olhos e prendeu a respiração ao ver o preço, 265.012,48 wons, céus, aquilo era o triplo do salário mensal que ele ganhava como faxineiro. Fechou os olhos ao escutar as palavras do mais velho e se arrependeu profundamente por ter acusado ele de segundas intenções quando na verdade ele apenas lhe ajudou. Seokjin era um ingrato.

- Espere por favor. – Segurou o braço de Namjoon, o mais velho se virou para si e balançou a cabeça esperando a fala do mais novo. – Me desculpe por ser um ingrato, as vezes eu me desconheço quando escuto um não. Fui criado sempre recebendo um sim em todos os meus pedidos, ainda estou aprendendo. Por favor... não fique magoado comigo, não foi minha intenção magoa-lo. Sou muito grato por tudo que fez para mim nesse tempo. – Jin falou rápido de uma maneira nervosa, abaixou a cabeça envergonhado e estendeu a prancheta para o mais velho que pegou e sorriu.

- Você não é um ingrato, entendo o seu lado. Qualquer um duvidaria de alguém tão bondoso nesse mundo, você fez o certo em suspeitar. Mas peço que não faça mais isso, não sou uma pessoa ruim, sempre quero o melhor para as pessoas ao meu redor. – Jin assentiu ao escutar o mais velho e levantou a cabeça sorrindo fraco. – Viu o preço? É altíssimo, eu faço questão de pagar. Isso não é nada com o que eu tenho em minha conta. – Namjoon falou e Jin soltou uma risada alta e irônica. Típico homem com o ego inflado que gosta de mostrar que pode tudo.

 - Não, eu não desisti dessa ideia. Eu pagarei tudo, talvez demore um tempo para concluir o peço total, mas eu pagarei. – Jin empinou o nariz orgulhoso de si mesmo. Namjoon riu, riu da atitude do mais novo. Era muito orgulho e teimosia para uma pessoa pequena e magra como Seokjin, mas ele não se opôs, ele apenas sorriu e caminhou um pouco para mais perto do mais novo, que percebeu que ainda segurava o braço do mais velho e soltou corando fortemente.

- Tudo bem, eu aceito essa sua teimosia. – Namjoon falou e Jin sorriu largo orgulhoso por ter ganho aquela batalha. – Mas com uma condição... – Namjoon sorriu malicioso ao ver o garoto revirar os olhos e bufar alto.

- Qual?

            - Que saia comigo.

 

 

..

 

 

 

 

Jimin olhava bobo para Jungkook enquanto o seu noivo alimentava Taejin com a mamadeira que Seokjin tinha lhe dado antes de entrar na sala com o médico. Quando a mamadeira secou Jungkook entendeu a mamadeira vazia para o noivo e pegou Taejin com cuidado, apoio a cabeça do bebê em seu ombro e começou a bater de leve em suas costas, com a finalidade de fazer o bebê arrotar. Jungkook gostava daquilo, gostava de cuidar de Taejin e Taehy como os seus próprios filhos, mas és a questão. Ele e Jimin ainda não tinha filhos, eles estavam esperando o casamento e a questão financeira do casal melhorar, mas era bem evidente para quem visse o casal. Eles queriam tanto filhos que era quase impossível negar que eles não queriam.

- Taejin é tão guloso. – Jimin falou passando a sua mão pelo os fios claros do bebê que sorriu e fechou os olhos gostando do carinho. Ele estava sonolento, tinha acabado de beber o seu tão amado leite e agora sentia o tão amado sono vir.

- Isso é porque você não viu Taehy comendo, ela sempre termina primeiro e sempre quer mais. – Jungkook fala rindo ao se lembrar que no dia anterior tinha feito uma sopa grossa de vegetais para os gêmeos. Taejin não tinha gostado muito, sempre fazia careta quando comia, mas Taehy parecia mais animada a cada colher que comia, ela tinha comido o pequeno pote dela e ainda o que tinha sobrado do de Taejin.

- Taejin é sempre o mais dengoso? – Jimin pergunta vendo o rosto do bebê franzido em sono, mas ele não conseguia dormir, pelo o fato de ainda não ter arrotado e que Jungkook não parava de bater, levemente, em suas costas.

- Uhum. – Jungkook concordou e parou de bater nas costas do bebê quando o escutou arrotar. O arrumou em seu colo e balançou o pequeno, vendo ele fechar os olhos dormindo.

- Já imaginou, que no lugar de Taejin esteja o nosso filho? – Jimin perguntou sorrindo bobo ainda com a imagem que tinha criado de Jungkook com uma pequena cópia de si em seus braços. – Eu imagino você desse jeito, com uma pequena cópia sua em seus braços. Chorando, pedindo mais leite ou o seu bico. – Jimin começou a rir e Jungkook riu da face avermelhada e boba do noivo. – Isso seria completamente adorável.

- Sim, e... Ya! Park Jimin, você é tão bobo. – Jungkook começou a rir e se inclinou apoiando a sua cabeça no ombro do noivo. Jimin acariciou o rosto adormecido de Taejin e Jungkook sorriu com aquilo. – Você quer mesmo ter filhos comigo Jimin?

- É o que eu mais desejo amor. – Jimin falou sendo sincero e beijou a testa do noivo. – Está com fome? Vou na lanchonete comprar alguma coisa para Jin comer, sendo do jeito que ele é teimoso não comeu nada.

- Quero apenas um pedaço de bolo se possível. – Jungkook falou e Jimin assentiu se levantando.

- Café?

- Não.

- Chá?

- Muito menos. – Jungkook riu da cara do noivo franzida em confusão. Jungkook amava chá demais para rejeitar eles.

- Certo... você está estranho... mas não vou discuti, deve estar enjoado com algo ou vai adoecer. – Jimin falou em seus devaneios e sorriu. – Já sei, irei trazer chocolate quente. Já volto. – Ele saiu e Jungkook viu o noivo ir.

Estava mais do que claro que ele estava estranho. Jungkook tinha um leve receio sobre o que rondava na sua cabeça naquelas duas semanas que se passou. Ele achava que com toda a sua força que estava grávido de Park Jimin, ele e Jimin eram bem ativos em sua vida sexual. Tão ativos que a sua antiga vizinha, antiga moradora do apartamento de Seokjin, tinha se mudado por causa dos altos gritos e gemidos que escutava do apartamento vizinho, e por isso ela não conseguia estudar e nem dormir. É claro que Jungkook sabia o quão escandaloso ele era e podia ser, mas ele não podia controlar, quando estava com Jimin sua mente se apagava e tudo que podia fazer era só gritar. Claro que quando Jin se mudou para o apartamento vazio, ele e Jimin tiveram que ser menos escandalosos, para não interromper o sono dos gêmeos e nem incomodar Seokjin. Em relação a suspeita de sua possível gravidez, veio quando Jimin ejaculou dentro de si duas vezes e as suspeitas veio aumentando a cada dia que passava. Já que Jeon comia demais, dormia demais, vomitava demais e até mesmo teve uma queda de pressão na faculdade, assustando Jimin. Por isso ele recusava qualquer tipo de chá e café, eles eram perigosos para grávidos já que podiam causar aborto espontâneo.

- Ya! Jungkook. – Ele escutou o seu nome quando viu Seokjin sair da sala extremamente corado. Ele vinha com Taehy em seus braços, Jungkook se levantou com cuidado para não acordar Taejin e caminhou até ele. – Onde está Jimin?

- Foi comprar algo para você comer. – Falou sorrindo vendo que a pequena estava bem, e já se remexia, dando indícios de que logo acordaria.

- Aish... diga para Jimin não gastar o seu dinheiro comigo. Eu comerei na empresa.

- Eu sei que você nunca come na empresa Seokjin. – Jimin falou se aproximando com um dois copos e uma sacola de papel.

- Se você me disser que isso é café, eu perdoo você. – Jin falou e Jimin assentiu dando uma risada.

- Então, me considero perdoado. – Ele falou, Jungkook olhou para o lado e viu que o médico ainda estava ali, olhando para Jin com um leve sorriso nos lábios. Ele pigarreou e sorriu.

- Bom, estou indo. Cuide bem dessa pequena, passo na sua casa ás oito.

- N-não será preciso. Eu encontro você... lá. – Jin falou envergonhado e ele negou sorrindo.

- Faço questão. Bom, até mais tarde. – Ele se despediu e Jin fez uma careta.

- Ya! Você nem sabe onde eu moro!

- Pego na ficha médica de sua filha. – Ele respondeu e Jungkook e Jimin olharam para Seokjin confusos. O garoto apenas bufou e abaixou a cabeça envergonhado.

- Então...

- Que diabos aconteceu aqui? – Jungkook questionou e Jin arrumou Taehy em seus braços, sorrindo ao ver a filha acordada encarando o pequeno curativo colorido em seu braço, onde o fio de soro se ligava a sua veia.

- Hmn... nada.

- Você não consegue mentir Jin. – Jimin fala pegando Taejin nos braços e entregando o copo com chocolate quente para Jungkook, que sorriu tomando um enorme gole da bebida quente.

- Okay, ele me chamou para sair. – Ele falou alto e Jungkook se engasgou com a sua bebida. Jimin logo tratou de bater levemente nas costas do noivo e sorriu para Jin.

- Ya! Você vai ter um encontro!

- Eu não vou ter um encontro.

- Definitivamente... – Jungkook parou de se engasgar e sorriu. – Você vai ter um encontro, e isso é surreal.

Era surreal pelo o simples fato de Jin afastar todos os homens que se aproximava de si. Jungkook e Jimin já perderam as contas de quantas vezes eles já viram Seokjin dispensando qualquer cara que se aproximava de si. Não importava o quão destruído ou sujo Jin estivesse, ele chamava a atenção, ele era um belo exemplo e um belo namorado para qualquer homem. Bonito, charmoso, sabe cozinhar, ótimo com costura e com decoração, um bom omma e fértil, e ainda por cima ele era solteiro.

Seokjin era o esposo que todo homem desejava.


Notas Finais


Qualquer duvida sobre a fanfic só pergunta amore, okay?

Comentários e favoritos fazem essa autora muito feliz ♥☺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...