História More Than Desire (Vhope - Jikook) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Casamento, Gay, Heterossexualidade, Homossexualidade, Jikook, Jimin!top, Jungkook!uke, Jungkookbottom!, Lemon, Primeiro Amor, Romance, Sexo, Taehyung!top, Taekook, Taeseok, Vhope, Vhope!!flex, Vkook, Yaoi
Visualizações 115
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 25 - 25- Indecision pt. 1 (POV JK e TH)


POV JUNGKOOK

Uma semana depois

Eu estava tão feliz que Jimin tinha saído do hospital e estava se recuperando melhor do que eu podia imaginar. Ele estar longe de Jinyeon – que nem tinha saído de lá ainda – me deixava mais calmo para dormir a noite sem esperar uma ligação de Taehyung dizendo que alguém tinha o machucado.

A semana tinha passado tão rápido que eu quase não notei o tanto de trabalho que tinha. Ir trabalhar, voltar para o último semestre da faculdade e ainda cuidar de Jimin. Bem que Jimin não dava tanto trabalho assim e ele podia ter se virado sozinho esse tempo todo. Só que eu sabia que Jimin me queria ao seu lado o tanto quanto eu.

Eu me encantava a cada dia mais com Jimin. Ele era cuidadoso e protetor ao mesmo momento que precisava de cuidados e proteção. Só que eu não era tão diferente dele e isso nos dava um encaixe perfeito.

Estava bem relaxado deitado em sua coxa, enquanto as mãos deles mexiam no meu cabelo como eu se fosse um bebê sendo colocado para dormir. Nós dois assistíamos a um filme que eu queria, porém a última coisa que Jimin estava prestando atenção na tela, pois eu sempre pegava-o olhando para mim.

— Amanhã seu irmão vai estar aqui. — eu falei, pegando sua mão que estava no meu cabelo. — Aí quando ele ir você vai juntos… Como o tempo passou rápido.

— Eu fico feliz e triste ao mesmo tempo, Jungkook. — ele suspirou pesado. — Estou amando esse tempo que estou tendo com você.

— Eu acho que mais que você quisesse ficar aqui, eles não te deixariam. Eles não vão gostar de me ver aqui quando chegarem.

— Jungkook, Yoongi não manda em mim, muito menos Jin. — ele suspirou. — Eles não podem controlar quem eu trago na minha casa ou não.

— Visto que seu último relacionamento quase te levou a morte, eu acho que eles podem sim, pelo menos, tentá-lo ajudar, né?

— É.

— Então pronto. — eu virei para encarar Jimin. — Talvez seu cunhado não faça nada mesmo, só que seu irmão vai dá-lo uma bronca de verdade.

— Eu confio em você e ele não vai fazer nada. Não tenha medo. — Jimin riu, beijando minha testa. — Já disse que sempre vou estar voltando para te ver, né? E eu vou estar aqui para a sua formatura, não se preocupe, você não vai se livrar de mim.

— Eu tenho um pouco de certeza que nós não vamos mesmo.

Foi naquela hora que eu comecei a cogitar em aceitar o que Hoseok tinha me proposto. Eu estava certo que não queria me afastar de Jimin e a cada dia mais próximo dele, eu também estava bem próximo de ligá-lo e dizer sim. Eu sentia a necessidade de encontrá-lo cada vez mais e podê-lo tocar mais ainda. Eu estava bem viciado na companhia que ele me oferecia.

Me levantei um pouco, até o rosto de Jimin que já estava bem melhor dos ferimentos, para poder beijá-lo. Meus instintos pediam para que eu intensificasse o beijo e tocasse seu corpo com vontade, porém Jimin tinha o proibido de tocá-lo com segundas intenções bem antes do acidente e agora deveria estar bem pior quanto a isso, já estava com seu corpo todo machucado. Eu não estava com nenhuma vontade de fazer algo que pudesse atrapalhar esse, talvez, começo de relacionamento com Jimin.

— Estou feliz em vê-lo muito melhor que antes.

— Eu me recupero rápido das coisas. — ele respondeu, tão perto de mim e meus lábios ainda formigavam para tê-los em contato com o meu de novo. — Você deveria estar estudando para sua prova de amanhã.

— É… Eu sei. — respondi sem tirar meu olhar de seus lábios molhados. — Só que eu prefiro de beijar mesmo.

Agarrei seu pescoço não muito forte, deixando o beijo um pouco mais rápido e intenso do que estava sendo anteriormente. A mão livre de Jimin, agarrou minha cintura e eu até fiquei animado para dar um próximo passo, mesmo sabendo que ele pararia aquilo na hora e falaria não. Ah, se não fosse o maldito do seu ex que o deixou traumatizado com essas coisas, eu poderia provocá-lo até ele dizer sim.

— Você está muito atirado. — Jimin riu.

— Eu não aguento mais esperar.

— Eu entendo. — ele continuou a rir. — Também não aguento mais… Quando eu estiver menos dolorido a gente pode fazer isso.

— Finalmente. — eu disse, abaixando o rosto, olhando para suas coxas roxas.

— Semana que vem, seria uma ótima oportunidade… — ele sussurrou no meu ouvido.

— Você é muito provocador.

— Eu sei. — ele pegou meu queixo para olhá-lo. — Há outras coisas de mim que você nem imagina.

— Eu não quero imaginar, eu quero saber. — eu mordi meu lábio, passando meu polegar pela boca carnuda dele. — Espero que me mostre.

Jimin riu, dando uma piscadinha para mim. Esse homem definitivamente me deixaria louco.

● ● ●

A companhia da casa de Jimin tocava, eu demorei um pouco para sair da cozinha para abri-la com medo de ter que encarar Min Yoongi e seu marido. Quando abri a porta, ele franziu a testa, confuso, dizendo:

— Descul…

— Não, Jimin é aqui mesmo, podem entrar. — eu tentei manter a calma. — Ele ainda está dormindo ainda.

— Quem é você? — Yoongi perguntou, entrando.

— Um amigo. — falei com tanta incerteza que tinha a convicção que Yoongi tinha entendido. — Eu estou o ajudando por enquanto e ajudando Hoseok-hyung já que ele não pode estar sempre aqui.

— Ah. — ele suspirou. — Ele me disse sobre você. Jeon Jungkook, certo?

— Isso mesmo.

— Eu já não te vi alguma vez? — ele continuou confuso. — Você já foi na MinSeok…

— Sim. Com Taehyung.

— Opa! — ele sou ar pela boca, sentando-se no sofá. — Não é o mesmo Taehyung do Hoseok, não é?

— É. Não posso dizê-lo se é infelizmente ou felizmente.

— Que loucura! — ele mordeu os lábios, dando uma risada. — Ele roubou seu noivo?

— Talvez.

— Eu não estou entendo mais nada.

— Ah, é simples, Hoseok era o amor da vida dele, ele se separou de mim para ficar com ele e nós continuamos amigos e fiz amizade com os dois também.

— Eu não sei se tivesse namorado uma pessoa no passado, ela e Jin seriam amiguinhos como vocês.

— Namjoon, essa pessoa, certo? — perguntei.

Yoongi me olhou surpreso por ter pronunciado o nome do primo de Taehyung e eu dei uma risada como dissesse “Sei de tudo.”.

— Jimin te contou?

— Não exatamente. Ele é primo do Taehyung, ele já falou algumas vezes sobre você… Inclusive que ele também gosta… Ops. Desculpa.

— Ele gostava de mim?

— Falei demais! — Jungkook abaixou a cabeça, indo para a cozinha, mas Yoongi o seguiu.

— É sério isso?

— Do que importa? Você já não está casando? E Namjoon já está com outra pessoa.

— Já? Quem?

— Não sei o nome ainda.

— Jungkook, né? — eu confirmei. — Me fala essa história direito!

— Ele só disse que te achava atraente e pronto.

— Oh, ok. Não me interessa mais mesmo. — ele sentou-se na mesa. — Então vou ter que esperar Jimin acordar, não é mesmo?

— Eu acho que sim, mas pode ficar à vontade que eu vou para a faculdade e você poderá ficar com ele a sós.

Eu me despedi correndo de Yoongi, pegando minhas coisas e saindo para a minha faculdade. Namjoon vai me matar quando souber que contei aquilo para Yoongi!

● ● ●

POV TAEHYUNG

Finalmente nós tínhamos prendido toda a gangue de Jinyeon e meu chefe não poderia estar mais feliz comigo. Nem mesmo eu conseguia esconder o orgulho que estava de mim, principalmente quando cheguei na delegacia e vi meus colegas fazendo uma comemoração para mim. Naquele momento senti meu coração pesar de verdade. Hoseok e eu já tínhamos conversado sobre a mudança dele para a Austrália e ele me pediu muito para ir, na hora eu acabei ficando tão feliz com aquilo que resolvi aceitar seu pedido para ir com ele ainda no final do ano. Só que deixaria todas aquelas pessoas que amo lá, mesmo eu nem estando feliz naquele trabalho. Trabalho aquele que me arrastava para vir toda a manhã.

Todos eles me desejavam parabéns e eu abraçava cada um deles, pois, no fundo, já sabia que seria a última comemoração naquele estilo que passaria com eles. Meu chefe veio até a mim com um sorriso no rosto e me abraçando. Fiquei triste também em saber que no final no ano também não veria eles. Há um pouco mais de cinco anos eu trabalhava ali e estava com ele quase todos os dias e meio que o Sr. Do já tinha se tornando um segundo pai para mim.

— Estou tão orgulhoso de você, meu pequeno. — ele me elogiou. — Agora eu posso me aposentar com mais tranquilidade.

— Se aposentar? — eu fiquei um pouco assustado. — Mas já? Pensei que seria daqui cinco anos.

— Eu queria muito que assumisse meu lugar e acho que essa é a hora perfeita, Kim. — ele tocou eu ombro. — Quero passar meu cargo para você.

— Isso é uma honra, Sr. Do, mas eu não sei se posso aceitar. — eu fiquei apreensivo.

— Mas por quê?

— Tinha outros planos na minha cabeça. — eu ri.

— Kim, pense bem nesses planos. Uma oportunidade dessa não aparece sempre na nossa vida, não é mesmo?

— Sim. — eu concordei. — Por isso eu estou desse jeito. — sorri, tentando aliviar minha tensão. - Eu pensarei muito na sua proposta.

— Ótimo, Kim!

Meu chefe sorriu, saindo de perto de mim, me deixando relaxar um pouco a expressão. Por que parecia que tudo que eu fazia era para me separar do Hoseok? - Eu estava esperando por aquela promoção há muito tempo. Ganhar mais, trabalhar mesmo, na área que era formado era uma consolidação de carreira. Diferente do que eu estava disposto a fazer que era largar tudo e ir para outro país para poder trabalhar até de garçom, pois, com certeza, não conseguiria nada na minha área tão cedo.

Aquilo era uma merda! Eu queria muito isso e o muito realmente significava muito. Porém também queria muito ficar com Hoseok e esse muito também significava muito.

Não fiquei muito tempo na festa, pois minha cabeça ficava analisando os pontos do que eu poderia fazer para não me separar de Hoseok outra vez e poder ficar feliz profissionalmente. Bem que conversar com Hoseok para ele continuar na MinSeok aqui de Busan, não seria tão difícil e ambos poderiam sair bem nessa história.


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...