História More Than Friends - Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Interativa, Romance, Universidade
Visualizações 15
Palavras 714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - 4. House


s.a.m.a.n.t.h.a

Moletom, calça jeans, tênis e, claro, fones de ouvido. Era oque eu vestia naquela tarde fria americana. A neve que caía se amontoava no chão, fazendo camadas e camadas de gelo. Visitávamos o escritório imobiliário de alguém, todos os 6. O lugar era discreto, tirando a placa imensa que ocupava meu olhar LIONEL IMOBILIÁRIA, dizia ela. Entramos. Skyler pegou uma senha, e nos sentamos em cadeiras que estavam formando um círculo. Um tapete peludo branco estava sendo sujo pelos nossos sapatos surrados, e a mesa de vidro, que antes era ocupava por revistas, agora era preenchida por uma pasta que continha nossos documentos.

— Vocês sabem que terão que falar com ele, né? Com o dono da casa. — Lauren falava, e olhava pra mim — Mas podem deixar, eu posso falar mais com ele que vocês.

— Você não é a principal dessa merda. — Lara a encarou, com os olhos semicerrados — Não ache que é a líder, Edward. Somos um grupo.

— Ah, Lara, então quer que esses tímidos falem com os donos, gaguejando e suando? Que imagem pensa que vamos passar pra eles, a de que vamos destruir a casa inteira?

— Ei, já deu. — Amber interrompeu. — Se forem ficar brigando, façam isso lá fora. Nós não precisamos de uma líder, e nem de duas garotas brigando feito criancinhas.

— Criancinhas? — Lauren perguntou, com raiva.

— É oque aparentam ser. Não vão fechar merda de contrato nenhum agindo feito criança de maternal. — Dianne continuou, irritada.

— Concordo. — Skyler falou — Não vamos a lugar nenhum com dois bebês.

Revirei os olhos. Hipócritas. Falam pra pararem de brigar mas continuam a discussão. Nossa senha finalmente foi chamada, 64. Lauren fez com que ia levantar, mas Lana colocou o braço na sua frente, e pediu para que Skyler e Gary fossem. Eles ficaram conversando com a atendente, e fizeram um sinal como se nos chamassem, logo entrando em uma sala. Fomos até lá.

— Boa tarde. — Gary falou. — Viemos tratar de uma casa que vimos na internet, no site dessa empresa.

— Boa tarde — Um homem careca respondeu. Ele parecia sério. Usava terno. Haviam quadros, provavelmente da família, na mesa dele. — Espero poder ajudá-los. Recebi o e-mail de vocês. Querem a casa na beira da praia, certo? Ótima escolha. Farão uma festa?

— Na verdade, queremos uma casa naquele bairro porque é o mais próximo da universidade em que iremos entrar, e, além disso, é de fácil acesso, perto de tudo. — Amber tomou á frente.

— Posso ver que pesquisaram. Conversei com os donos ao receber o e-mail que mandaram, e eles pediram que vocês pudessem ir olhar a casa ainda hoje. Seria possível?

— Sim, claro! — Lauren disse — Temos a tarde inteira livre, desfizemos todos os compromissos — Ela olhou vingativa para Lana — Menos essa aqui. Sabe, ela não está tão dedicada com o projeto, eu sou a cabeça do grupo.

Lana revirou os olhos. Gary tomou atitude ao ver a desaprovação no olhar do careca.

— Ela está só brincando. Lana não vai por um motivo pessoal. Não temos líderes nem nada do tipo.

— E qual seria esse motivo? Sabem, preciso dar detalhes aos donos.

— Detalhes da minha vida não! — Lana quase gritou, assustada com a pergunta idiota do homem. — A gente quer uma casa, não uma psicóloga.

O homem na nossa frente apenas assentiu, entrando em contato com os donos.

— Vocês me dão só um minutinho? — todos assentimos. O careca saiu com o telefone na mão.

— Merda, Lauren! Tu vacila, né? — Lana falou, com raiva.

— Ué, só falei verdades. — Lauren falou, vitoriosa. — O Gary não tinha que ter negado. Mas ele resolveu o seu problema.

Meu problema? — Lana falou alto, incrédula.

O homem entrou na sala.

— Bem, eles falaram que pode ser hoje sim. A van da empresa vai estar esperando vocês no saguão daqui uma hora.

Agradecemos e saímos. O clima estava tenso, e eu só queria me livrar daquilo. Recoloquei meus fones de ouvido, saí da sede da Lionel Imobiliária e fui na frente de todos. Desci as escadas da estação de metrô, paguei minha passagem e fiquei esperando. O trem ficava mais lento durante a neve, então fiquei na estação lotada por umas meia hora, até que ele finalmente chegou. Entrei no vagão estacionado na minha frente e segurei em um dos cilindros metálicos. O metrô deu partida, e começou minha volta pra casa. 


Notas Finais


Primeiramente, boa noite.
Segundamente, olá.
Terceiramente, desculpe a demora pra postar.
Quartamente, feliz natal.
Deixem suas opiniões nos comentários!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...